sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

O futuro é o presente

Ainda bem que não sou candidato ao cargo de seleccionador nacional. Porque se o fosse, ainda iria fazer uma data de asneiras como por exemplo convocar Bernardo Silva e Marcos Lopes para a selecção principal. Dada a falta de imaginação latente nas fileiras nacionais não há como justificar a ausência destes talentos junto dos melhores de Portugal.
Patrício, Coentrão, Moutinho, Nani, Ronaldo, e agora William, anseiam por melhores companheiros. Jogadores que os libertem da responsabilidade de resolver tudo, pela criatividade emprestam ao colectivo.

Tenho pena que em Portugal ainda não se tenha percebido que não é por ter 17, 18 ou 19 anos, por se ter 60 kilos, por se ter zero internacionalizações e zero jogos na divisão principal, que não exista por aí qualidade que chegue para derrubar estatutos.

Ao ver o jogo de ontem do Lille na Liga Europa não tive dúvidas que, o futuro é agora.

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Atrai, fixa e solta. Take 456. O professor é Bernardo Silva.

Bernardo tinha que ser titular neste Benfica. Acho que só Jesus não o vê.

Liga do Campeões de Portugal

Mais - Brahimi. Não o conhecia no pormenor. Mas, bastaram alguns minutos no Porto para reconhecer que tinha qualidade. Tinha-lhe notado, na altura, algumas limitações, que hoje parecem ter sido fruto de uma adaptação e talvez algum nervosismo nos primeiros jogos. Muita qualidade, inteligência, velocidade. Tem aquele factor especial, em condução desequilibra com inteligência.

Menos - Jardel e Maurício. Se Jardel se mostra competente nas tarefas defensivas, Maurício nem para isso serve. Centrais tecnicamente ao nível do distrital, que se faz notar quando a exigência é maior. Poderia, também, falar de Adrien Silva, mas como é de "difícil" explicação...

Mais ou Menos - André Villas-Boas. Revelou astúcia na estratégia, pela forma inteligente como deu espaço aos centrais do Benfica para saírem com bola, pelo menos até ao meio campo. Conhecendo as dificuldades dos mesmos pressiounou aí e aproveitou o espaço deixado nas suas costas. Com poucos jogadores do Benfica a defender sendo que nenhum deles é particularmente rápido aproveitou Hulk (rei no jogo das transições ofensivas). No entanto, não mostrou grande competência no momento ofensivo, em organização, nem em nenhum momento defensivo. Falta de imaginação colectiva, sectores muito distantes a defender.

PS: O Posse de Bola está encerrado.

terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Lateral Esquerdo a observar na Uefa Champions League

Tranquilos. Jardel e Artur vão continuar a jogar em Portugal.

Importância da qualidade técnica em todos os jogadores. Mesmo para os defesas centrais.

Escrevia o Maldini por aqui,

Jardel. Ao nível a que chegou o SL Benfica nos últimos anos, é um downgrade. Não tem saída de bola com qualidade e nos jogos de maior competitividade tal nota-se. Defensivamente é de uma enorme competência. Todavia, as dificuldades técnicas fazem-se sentir. Seria um terceiro óptimo defesa central.


Escrevia-se aqui,

Claro que a primeira tarefa de quem joga nas zonas mais recuadas é recuperar e equilibrar. Mas pensando na quantidade de vezes que os centrais têm a bola na saída de bola, e após recuperação da mesma, torna-se fundamental fomentar uma cultura de defesas centrais com qualidades ofensivas marcantes.

Numa equipa como o Benfica, onde os centrais têm muito jogo, não se pode jogar com Artur, Luisão, e Jardel num jogo com esta exigência.
O Benfica paga caro a falta de qualidade técnica, e tomada de decisão, do seu eixo defensivo.

sábado, 13 de Setembro de 2014

Se soubesses o quanto gosto...


Anda rapaz, estica a perna! Ela vai a passar ai tão pertinho!

Maravilhoso. Fácil, no meio das cinco milhões de outras assistências que rasgam sectores a que nos habituou. Mas são os seus passes a centímetros das botas dos adversários e a pararem no espaço e no tempo exacto (mais tarde, mais cedo, mais para fora, mais para dentro não daria) que mais me enchem o coração. 

"Messi hace cosas que no vi ni en Oliver y Benji" Luis Enrique

Nem em Maradona, Luis. Nem em Maradona.

Nani contornou-os. Faltou contornar Slimani, Mauricio e Sarr.

Há não muito, numa caixa de comentários, em tom de brincadeira referi que em Portugal "Nani vai contornar pinos". Excelente a ideia de Marco Silva ter Nani no corredor central. O talentoso desequilibra, desequilibra. Porém, não há qualquer movimento com sentido enquanto o talentoso chama a si adversários directos de colegas seus. 

Encaixado no Sporting, percebe-se ainda mais a diferença estratosférica para os seus colegas. Não só consegue criar desequilibrios com imensa facilidade, pela forma como ultrapassa sempre o adversário directo, como garante sempre que não há transição adversária pela responsabilidade com que opta pelos momentos de desequilibrar. Incrível que o Sporting não tenha ao redor do portador uma movimentação que aproveite as saídas ao portador de vários jogadores adversários.

Aos problemas colectivos ofensivos que urgem resolver (nem tudo se resolve com chegar à linha e cruzar para Slimani! O argelino não é Jardel!) as dificuldades individuais. Em dez de campo ter três jogadores que não sabem sequer dominar uma bola torna tudo muito mais complicado. Sair aos centrais do Sporting com bola não chega sequer a ser preocupação, porque já se sabe que não sairá nada dali. 

Desde o início que aqui se afirmou que este seria um ano terrível para um treinador entrar no Sporting. A pontuação da época transacta foi desajustada face à qualidade de jogo e das individualidades da equipa, e tal facto elevedou a fasquia para níveis praticamente impossíveis de cumprir por Marco Silva. Não se pode exigir a treinador nenhum no mundo que jogando com dois centrais de distrital vença troféus a nível nacional. Ter jogadores que não servem para jogar o jogo, mas apenas pequenos momentos do jogo (Slimani só para finalizar. Mauricio e Sarr só para defender, e mal) é um retrocesso ao futebol da década de noventa. 

Se os jogadores com maior participação com bola no jogo são os centrais, que sentido faz tê-los apenas porque são grandes e físicos? É de trás que se começa a desequilibrar. Ainda assim, mais à frente Nani fê-lo em número suficiente para com outras movimentações, outra qualidade, o Sporting vencer o jogo.

P.S. - Tal como na temporada passada, Rui Patrício continua a ser o jogador do Sporting que mais intervenções verdadeiramente decisivas tem tido. Foi assim em cada um dos primeiros quatro jogos da Liga. Em Coimbra notável ainda antes do empate. A terminar ainda com 0 a 0 frente a um isolado avançado do Arouca. Na Luz. E novamente a Deyverson. Sintoma de...?

"Eu a dormir vejo mais que os outros gajos com os olhos bem abertos"

Assim se apresenta o treinador do Moreirense. O que se vê no vídeo é feedback de qualidade. Foge ao discurso instituído na conversa com os jogadores da garra, da luta, da superação, e da tão agora famosa intensidade, e vai de encontro ao que provavelmente se pede no treino, no modelo de jogo.

Não conheço o percurso de Miguel Leal, mas ganhei hoje um grande motivo para o seguir com atenção.

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

O meu futebol

«A bola está dentro, vai fora para voltar pra dentro. E aí, apanhando a defesa no movimento contrário ao da profundidade dá para ultrapassar organizações, com muitos jogadores a defender um pequeno espaço.»

Inteligência em cada acção, procura constante do corredor central para definir o lance, vários apoios próximos, adaptação das linhas de passe as dificuldades do portador da bola, busca da profundidade no último terço para contrastar com movimentos de aproximação e permitir soluções diferentes ao portador da bola, qualidade técnica, procura de criar as melhores situações de finalização possíveis, futebol.

Acelerar o futuro

"O Rúben é, como dizem aqui em Portugal, um miúdo. Tem apenas 17 anos, e nem sequer passou pela equipa de sub-19 do clube. É um rapaz que vimos na pré-temporada, começou a treinar connosco e ficou. Se está connosco é porque conquistou esse direito. Ninguém lhe ofereceu um só minuto de jogo. Mas, insisto, tem 17 anos, pelo que necessita continuar tranquilo para ir queimando etapas. É certo que já as está a queimar mais rapidamente pelo facto de ter jogado os cinco jogos oficiais. Não vou esconder, estamos encantados com ele"
Lopetegui

É só isto que se pede para mais jogadores da formação dos grandes em Portugal. Espaço para que se possa acelerar o futuro dos melhores e mais dotados jogadores de cada geração. Nas palavras de um amigo que jogou contra o FCP, ele não era o melhor da sua posição na geração de 97. Mas alguém duvida que a dimensão que tem hoje, precisamente por estar a queimar etapas, é muito mais do que os que ontem foram melhores poderão almejar? E tudo isto apenas por ter chegado mais cedo.