quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

José Mourinho. XXIV.


"Nas minhas prelecções defino sempre situações tipo do adversário, ou seja, aquelas jogadas que eles normalmente ensaiam, que são estudadas. O Boavista na manobra atacante apostava muito nos cruzamentos e nas diagonais dos alas, igualmente ao primeiro poste. Disse e redisse estas situações aos jogadores do Benfica antes do início do jogo. Nem de propósito! Na primeira jogada ofensiva do Boavista houve um cruzamento ao primeiro poste, com uma entrada ao primeiro poste e golo. Disse para mim, 'que jogador é este, o Rojas? Será que ele percebe português ou tenho de falar espanhol para ele entender?' Logo ali comecei a perceber que havia jogadores no Benfica, que pela sua mentalidade, ou se quisermos, pela sua postura, não poderiam, em definitivo, jogar"

Sobre o primeiro jogo pelo SL Benfica (Derrota por 1-0 no Estádio do Bessa).

"Quanto a mim o Boavista jogava um jogo muito directo. A construção do jogo deles era praticamente feita do Ricardo para os pontas de lança e eu queria que o Costinha fosse um homem fixo na frente dos centrais. Com este posicionamento pretendia que, em termos aéreos, Costinha pudesse 'limpar' todas as situações, fazendo com que os meus centrais, passassem a ser os da segunda bola, ou se quisermos, os homens dos ressaltos, para podermos assim anular tranquilamente as acções ofensivas deles. A verdade é que a partir daqui, ganhando sempre a segunda bola, como ganhámos, o jogo decorreu sem uma única jogada de perigo na nossa baliza"

Sobre a vitória no Bessa, aquando da passagem pelo FC Porto

terça-feira, 29 de Setembro de 2009

Recordas-te? X


segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Mais e Menos da Semana

MAIS

Falcao, Aimar e Alan

O colombiano tem sido uma agradável surpresa. Não é somente um (excelente) finalizador. Tem, também, capacidade para, através da sua inteligente movimentação, criar espaços e oferecer soluções ao portador da bola, na fase de criação de jogo ofensivo. A rever.

O argentino é o jogador com mais técnica e mais inteligência da Liga Sagres. Na semana em que volta à selecção argentina (Se Diego Maradona, enquanto treinador, demonstrar um décimo da competência que tinha enquanto jogador, Pablo Aimar será, obviamente, titular. E de caras.) pouco sobra para dizer.

Alan, sempre foi um jogador razoável. Velocidade e técnica as suas principais características. Quando na época transacta, aos seus atributos, juntou cultura táctica, elevou as suas exibições para patamares de rendimento por si, nunca antes atingidos. Na nova época, tem sido uma das figuras de referência do líder.

MENOS

Polga

Com a agilidade de um hipopótamo e a velocidade de um caracol, há imenso tempo que Polga já não é jogador de futebol (quanto mais para uma equipa da dimensão do Sporting). Paulo Bento parece ser o único que ainda não o percebeu. No lance em que comete penalty e acaba expulso, é inadmissível que alguém com tantos anos de experiência ofereça o corredor central ao portador da bola. Pior se torna, quando este é esquerdino, e vem do corredor lateral direito, para dentro...

MAIS OU MENOS

Rui Patrício

O melhor Guarda Redes português fez uma exibição absolutamente soberba. Bastante seguro, defendeu tudo o que foi possível, e por vezes, o que parecia impossível. Ainda que possa custar a perceber, aquele não é, claramente, o elo mais fraco da equipa leonina. Se não entra no MAIS, foi só porque alguns colegas não o ajudaram.

domingo, 27 de Setembro de 2009

A incrível habilidade para se estragar lances de golo


A crença, relativamente comum, de que num jogo de futebol, o penalty é a situação mais fácil de se transformar em golo, é errada.

Situações de 2X0 (ou mais que 2), somente contra o GR, são obviamente, bastante mais fáceis de serem resolvidas. É aproximar o mais possível do GR adversário, e endossar a bola ao colega que segue uns metros ao lado, para que este remate para a baliza deserta.

No FC Porto - Sporting, o lance (potencialmente) mais perigoso de todo o jogo (sim, bem mais que o penalty) ocorreu aos 40 segundos de jogo.

Situação de 3x1. Bola no corredor central, conduzida por Hulk. Duas soluções de passe (uma à direita, com Falcao (excelente movimento, a oferecer mais uma linha de passe). Outra, à esquerda, com Mariano). A forma como se resolvem situações de superioridade numérica é bastante simples. Conduzir a bola, atacando o defesa. Obrigá-lo a parar (a tendencia natural do defesa, será, recuar alguns metros no campo, tentando ganhar tempo, até que chegue a ajuda), e depois fazer o passe, para qualquer um dos seus colegas. O passe terá de sair para o espaço e não para o pé (por forma a que o colega não trave a corrida. Facto que o fará perder segundos preciosos), e para as costas do defesa (para que este fique fora do lance).

Com inteligência, e bons timings para realizar as acções, facilmente se transforma uma situação de 3x1 em 2x0 (a tal bastante mais fácil que um penalty).

Porém, aos 40 segundos de jogo, aquele que passa o jogo todo a prender a bola, no único momento em que se impunha que corresse mais uns metros com ela e a soltasse quando estivesse mais próximo do defesa (e para trás deste), realizou o passe demasiado cedo, permitindo que Daniel Carriço tivesse tempo de sair à contenção (colocar-se entre a bola e a baliza), perturbando o (fraco) remate de Falcao.

Procurámos o video por toda a parte. Não o encontrámos (ainda). Obviamente. Por uma má decisão, a situação mais previligiada de todo o jogo, não chegou sequer a ser considerada oportunidade de golo. Contudo, estamos certos que para muitos de vós, Hulk foi, mais uma vez o melhor em campo. Afinal, sofreu faltas decisivas. Os ataques todos que condicionou, não aparecem nos resumos. Who cares?

P.S. - Há aqui no blog, (pelo menos) um central com mais qualidade que o Polga.

P.S. - A forma como o Sporting de Paulo Bento defende as bolas paradas, chega a ser ridícula. E não é assim tão difícil, gravar uns videos de quem as defende com qualidade e tentar copiar...

Ah Fadista...

JJ tem unhas para tocar viola! Parece-nos que o triste fado ouvido na Luz nas últimas épocas tem o fim à vista!
Jesus pode não ser um prodígio a expressar-se, mas a sua linguagem parece ser "assimilada" por pelos seus jogadores...

A qualidade táctica do SLB mostra o trabalho desenvolvido pelo treinador e equipa técnica... Quem não se lembra do modelo de jogo de Quique, que assentava num futebol predominantemente directo, centrado em jogadores como Reyes e Suazo, onde víamos Aimar a jogar no apoio ao ponta de lança.

Jesus, é de longe a maior contratação do Benfica dos últimos anos... Vejamos algumas das características e inovações que fazem dele um activo fortíssimo do clube:

1- ao que parece, foi (é) um treinador barato (mesmo com o seu custo de "transferência" pago ao Braga), 25 mil euros mês (+prémios) contra os cerca de 100 mil euros de Quique excluindo os valores da equipa técnica espanhola mais os dois portugueses (Diamantino e Chalana), cujas funções, se desconheceram, nomeadamente Diamantino Miranda, que tinha sido contratado para integrar a estrutura dessa equipa;
2- Apresentou uma abordagem inteligente (que passou despercebida a alguns) na relação com os adeptos - especificando: o acto de levar no 1.º dia de treinos os atletas (antigos e recém chegados) ao museu do clube mostra que conhece e respeita a grandeza e história do clube.
Qualquer gestor, em qualquer área, precisa de conhecer o passado, caracterizando a realidade à sua volta, e isso, também não podia passar despercebido aos seus recursos humanos (os jogadores);
- ainda neste ponto, Jesus encara os jogos de pré época como fundamentais para "mexer" com o terceiro anel, colocando a equipa a jogar com intensidade, com um futebol atractivo, abandonando a máxima de que esses jogos servem só para dar ritmo (o Benfica entrou sempre com um ritmo elevado), e... apresentando um bom futebol, ganhando!;
- "obriga" os atletas a agradecerem aos adeptos, e isto é muito importante! - muitas estrelas e pseudo estrelas (intra e extra Benfica) ao longo dos últimos anos pensam que jogam só para eles, para os seus empresários e para a sua projecção pessoal, esquecendo-se de que existem, porque os adeptos continuam a pagar bilhetes e assinaturas de canais por cabo, consomem os produtos dos patrocinadores e vivem a ilusão do futebol...;
3- Jesus vive emotivamente o futebol. Ele sabe que a emoção é o principal argumento que "tempera" esta modalidade, sabe e conhece bem o contexto onde está inserido, por isso, também sabe como despertar essa emoção nos jogadores e "catalizar" esse estado para toda a massa adepta. Para isto basta ver as "enchentes" ao estádio da luz, os estádios dos adversários cheios com adeptos benfiquistas, e, já agora seria curioso termos dados das assinaturas (relativas a esta época) de canais por cabo (sportv e meo), que foram feitas por adeptos do SLB em comparação por períodos homologos;
4- Jesus coloca a equipa a jogar segundo princípios de pressão alta, ritmo de jogo elevado, grande mobilidade (e liberdade) dos jogadores, liberdade essa, dentro daquilo que ele refere como a "polivalência dos jogadores (veja-se o caso de David Luiz, DiMaria, Aimar e César Peixoto). Coloca também uma defesa que em anos anteriores era insegura e atabalhoada como a menos batida face a periodos homologos, os números falam por si: Benfica é segundo na liga com 5 vitórias, 1 empate, em 6 jogos, 21 golos marcados e 3 sofridos...
5- Valoriza activos do clube: Aimar é sem dúvida o paradigma disso, com a recente chamada à selecção, e, espera-se para ver como evoluem Coentrão, Saviola, Garcia, Ramirez, DiMaria, Menezes e o emprestado Kerrison...);
6- A forma como aborda os jogos, e, mais uma vez tendo em conta a realidade do clube e o seu contexto, fazendo com que crie no adepto comum a vontade de ir ao estádio, primeiro, pela expectativa de assistir a um espectáculo garantido e não de "vamos ver hoje o que é que isto dá", incerteza que pairava num passado recente, e depois pela ilusão do resultado... espera-se sempre que o Benfica ganhe... resta saber por quantos... e isto já não era comun no SLB!;
7- Tudo isto faz com que um clube com todos os defeitos e virtude do SLB, possa neste momento, estar em estado de graça, pois o prolongar da ilusão e da emoção vai-se mantendo. Jesus, até ao momento tem sabido gerir de uma forma perfeita este aspecto: quantas vezes Rui Costa ou Vieira já tiveram de intervir... Na última época foram várias as vezes que Rui Costa interveio, dando "o corpo às balas" quer pelo grupo, quer pelo treinador em particular... Jesus, concerteza não vai precisar dessas manobras, pois tem a vantagem de saber o terreno que pisa...

... para aqueles que dizem que ele é "lagarto", cá para nós, parece-nos que ele sempre viveu no estádio da Luz...

P.S: deixo o desafio de nos comentários acrescentarem mais pontos (positivos ou negativos) relativamente ao que Jesus trará ao SLB quer termos de inovação, qualidade e projecção...

cumprimentos a todos! vocês são a razão deste Blog!

iBenfiquista contribuiu com uma análise bastante pertinente, que faz-nos concluir que o segredo do sucesso de Jesus passa muito pela... SIMPLICIDADE... com que "descomplica" o futebol, nomeadamente, na sua forma de estar...
obrigado e aqui vai, citando ibenfiquista:

Aproveito para acrescentar alguns pontos que eu acho que o JJ acrescenta ao grupo que lidera. Descrito assim ao correr da pena.

* É uma pessoa muito motivada e muito ambiciosa, que quer ganhar tudo e que consegue passar esta motivação e ambição aos jogadores. Não só através dos seus conhecimentos técnicos, que são muitos, como pelos exemplos que dá, alguns dos quais tu já descreveste.

* É um líder com bom senso, simples e práctico, terra a terra. Isto desarma toda e qualquer pessoa que tenha manias ou pretensões para vão para lá daquelas que não sejam do interesse do grupo.

* Graças acima de tudo ao seu conhecimento do futebol português, em particular, e das tácticas e manhas (vulgo, segredos) do futebol, em geral, possui uma confiança em si próprio ilimitada. Embora não se note tanto, neste aspecto assemelha-se ao Mourinho. No entanto não é tão arrogante. Porque não é tão inseguro. O que é um (grande) ponto a seu favor.

* A sua simplicidade é desarmante, apesar das tentativas de alguns adeptos adversários o denegrirem, acusando-o de não saber falar português e de estar sempre de boca aberta a mascar pastilha. Esta simplicidade conquista muita gente, não menos importante entre a C.S. Além disso está de acordo com a maioria dos adeptos do Benfica, que são pessoas simples. A bota bate com a perdigota.

sábado, 26 de Setembro de 2009

Aimar-te assim perdidamente... (Texto recuperado de Novembro 2008)


Pablo Aimar e Di María integram a lista de convocados de Diego Armando Maradona para os dois últimos jogos da Argentina na fase de apuramento do Mundial-2010, com Peru (10 de Outubro) e Uruguai (14).

As actuações de Aimar ao serviço do Benfica não passaram despercebidas ao seleccionador da formação 'albiceleste', que contemplou 'El Mago' no lote de 18 jogadores que actuam fora da Argentina. (A Bola - 26-09-2009)


Ponto prévio. Este texto poderá não estar ao alcance de todos. Se percebe, ou tenta perceber o que é um jogo de futebol, continue. No caso hipotético de tomar Hulk por um (bom) futebolista, aconselho, desde já, a terminar por aqui a sua leitura (digo-o, com todo o respeito que o Givanildo me merece, que é bem mais do que aquele que o rapaz tem pelo melhor avançado da liga portuguesa. Leia-se Lisandro).

Minuto 40. SL Benfica - Feyenoord. Ataque rápido conduzido por Aimar, desde o corredor lateral esquerdo, até ao central. Situação de igualdade numérica. Urretaviscaya não percebe como resolver a situação e permanece a correr ao lado de Aimar. Este, enquanto conduz a bola, gesticula, indica-lhe o caminho a seguir. Urretaviscaya desmarcasse pelas costas de Aimar (conforme sábia sugestão de Pablo), arrastando consigo um defesa do Feyenoord, garantindo mais espaço no corredor central, espaço esse, aproveitado por Aimar para servir de bandeja Cardozo. Foi esse o momento que percebi quem é Aimar.

Sim, já tinha visto golos, assistências e incríveis dribles. Já tinha visto resumos e videos no Youtube, mas nunca tinha percebido realmente quem era Aimar (e acredito que muito poucos já tenham percebido).

Aimar é tudo isso, mas tudo isso é pouco para o descrever. Aimar demarca-se de tantos outros pela forma como interpreta o jogo e pela velocidade a que o faz. Em Guimarães, independentemente da dificuldade do gesto técnico (passe de letra), impressiona a velocidade com que Aimar decidiu. Mais do que a beleza estética que empresta ao jogo, Aimar vale pelas suas decisões. Sabe sempre qual a melhor opção a tomar e tem capacidade técnica para a por em prática. Dos seus pés, a bola sai sempre para onde deve sair e sempre bem redondinha.

Imaginar uma equipa com 11 jogadores com este nível de compreensão do jogo e com esta capacidade técnica para o executar, é dos exercícios mais deliciosos que qualquer amante de futebol pode (tentar) fazer.

Quem espera vê-lo em slalooms batendo adversários atrás de adversários, desengane-se. Aimar pensa colectivo, e a menos que os adversários estejam em desiquilibrio, isso não irá suceder. Aproveite para ver as coisas simples, tão simples, que só alguém com o nível de Aimar lhe consegue oferecer. Delicie-se com cada passe para a frente...ou para trás, com cada recepção sempre dirigida no sentido da baliza adversária, com cada toque na bola, com cada desmarcação, ou com cada sugestão dada aos colegas de equipa... porque Aimar é futebol!

Quique Flores foi quem melhor o definiu, "Há muitos jogadores que decidem bem e há muitos que decidem rápido. Jogadores que decidem rápido e quase sempre bem, há muito poucos. Aimar é um deles" e é a quem cabe enquadrar a equipa em Aimar. Que as lesões não o persigam, é o voto de todos os amantes de futebol.

sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Simon, Hulk e Di Maria.


"Corro, pressiono, tento fechar espaços." Di Maria.

Se crê que o acréscimo exibicional de Di Maria se deve a factores físicos, ou à maior predisposição para correr e pressionar, está enganado.

Em termos defensivos, a chave está na ultima afirmação. Fechar espaços. Com os 11 jogadores preocupados em fechar o seu espaço, os momentos para pressionar surgem, quando o portador da bola está no seu espaço. O tempo para correr, é essencialmente sem bola. Em sprints nas transições (momentos que se seguem à perda ou recuperação da posse de bola), procurando, chegar rápidamente ao seu espaço. Em passada larga e/ou curta, garantindo opções (linhas de passe) ao portador da bola e conferindo mobilidade à equipa, nos momentos ofensivos. Basculando, com os colegas, em função da bola, nos momentos defensivos.

Jorge Jesus afirmou, convincentemente, de que os jogadores se valorizariam consigo. Para Di Maria, não se consegue imaginar nada melhor, para o progresso da sua carreira, do que ter a oportunidade de ser treinado por alguém com tantos conhecimentos tácticos. Aguarda-se confirmação, da sua evolução.

"Nem Paulo Bento, nem ninguém me pode mudar." Simon Vukcevic.

É pena.

Simon tem traços individuais fantásticos. Tem talento, é muito forte, executa rápido e é explosivo. O seu potencial, vai muito para além da Liga Portuguesa. Porém, persiste em viver à margem do colectivo.

Simon afirma não gostar de futebol. Essa será, porventura, uma possível explicação para que não se entregue, verdadeiramente, à equipa. Do jogo, Vuk, parece querer, apenas, divertir-se. Finta e remata. Finta e cruza. A imprevisibilidade é positiva. Quando são os adversários, a serem incapazes de discernir as suas opções. Quando os próprios colegas não compreendem os timings das acções que realiza, algo tem de ser mudado.

Quem sabe, um dia, quando abrir a sua mente, Vuk entenderá, que não há diversão igual, à que se retira, quando se faz parte de uma equipa que não vive de impulsos individuais.

"Hulk impressiona mais os adeptos que os treinadores". Jesualdo Ferreira.

As características individuais são soberbas. Velocidade de passada e de execução, explosão, força e capacidade técnica.

Hulk é o heroi da pequenada. Mas, não do seu treinador (pudera. Quem teve Lucho e Lisandro...). Apesar da enorme evolução obtida, continua a ser bastante limitado na tomada de decisões. Hulk entende que os jogos se resolvem por iniciativas individuais. Tivesse jogado na década de 70 ou 80 e, quem sabe, não perduraria na história do futebol.

Só Jesualdo saberá, se Hulk continua com vontade de se tornar melhor jogador. O facto de ser, tal como Quaresma, bem sucedido (fruto da sua extrordinária capacidade individual), por diversas vezes, mesmo tomando opções erradas, poderá retirar-lhe predisposição para aprender (ainda para mais, depois de elevado a super estrela, face à partida dos enormes argentinos).

Se mesmo por caminhos errados, Hulk, por vezes, encontra o sucesso. Que jogador seria se desenvolvesse o lado intelectual? É nessa perspectiva de evolução, que Jesualdo encara Hulk. Um produto limitado numa vertente decisiva no jogo moderno. Mas, não acabado.

P.S. - Os três jovens talentos, poderão ser, quem mais entusiasma os adeptos. Porém, estão bastante longe de serem os melhores jogadores das suas equipas. Paulo Bento, Jesus e Jesualdo, sabem-no!

Texto recuperado de Agosto

P.S. - Em Braga, Leiria e Alvalade (ainda que com um golo soberbo) foi possível confirmar que o post não poderia estar mais actual.

quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

José Mourinho. XXIII


"Com quatro jogadores da União de Leiria era campeão no Benfica."

Record, 28 Dezembro de 2001

"Quando estamos há quatro meses a trabalhar no 4x3x3 e há quatro semanas a trabalhar no 4x4x2, só numa situação muito pontual poderei fugir disto, colocando em campo um terceiro central ou mais um avançado."

A Bola, 26 Julho de 2002

terça-feira, 22 de Setembro de 2009

Ramires. O queniano?


Percebe-se a analogia. A figura esguia, e a passada rápida e larga justificam-a.

Pelo seu sentido colectivo, por dar primazia à circulação da bola e pela ausência de necessidade de ser a figura central da equipa, poderia ser o argentino.

Porém, é Ramires, o brasileiro. Percebe-se facilmente, pela sua capacidade técnica e agilidade.

Manuel Fernandes, na antevisão do jogo com o SL Benfica, garantiu que Ramires iria valer muito dinheiro ao Benfica. Não se enganará. Não tanto, pelo menos, como Ramires, que sugeriu prolongar o seu contrato (de 5 anos). Não se sabe se por cortesia, se por ingenuidade.

Homem, com tamanha qualidade, não nasceste para jogar (nem jogarás mais de um, dois anos) nesta Liga!

Recordas-te? IX


segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Mais e Menos da Semana


MAIS

Domingos Paciência

Só os burros não mudam (Estás a ler, Quique?).
Percebendo rapidamente que as ideias bem sucedidas na Académica, não estavam a surtir efeito no Sp. Braga, Domingos optou por aproveitar o fabuloso trabalho táctico da época anterior. Colocou de lado o seu 4-3-3 e cedo devolveu aos seus jogadores, o 4-4-2 do passado. O resultado não podia ser melhor.

MENOS

David Luiz e Hulk

Sim. David tem um potencial tremendo. Na actualidade, é um dos melhores jogadores mundiais do ponto de vista físico. Porém, o valor actual do brasileiro, está bastante longe do que a imprensa nos quer fazer crer. É certo que tem melhorado no ponto de vista da ocupação dos espaços ("Ave Jesus"). Contudo, as suas acções continuam, em determinados momentos, a prejudicar a equipa. O excesso de impetuosidade leva-o a cometer demasiadas faltas. A posse de bola, arrisca-a mais do que o devido, e as suas saídas para o ataque, em condução, são estéreis. David Luiz está directamente ligado (sendo, claramente, o maior responsável) aos três golos sofridos do SL Benfica na liga. O que não surpreende.

De Hulk, não sobra muito para dizer.

MAIS OU MENOS

Manuel Fernandes

É certo que não conseguiu pontuar. Contudo, foi o treinador, cuja estratégia (e todos têm mudado o sistema de jogo, sempre que o adversário é a equipa de Jorge Jesus) mais dificuldades conseguiu criar ao SL Benfica (A sorte de Carvalhal na luz, ter-lhe-ia dado para ganhar o jogo). O povoamento do corredor central é uma estratégia óbvia. Prepare, Manuel, de forma tão minuciosa todos os jogos, e a sua União de Leiria pode mesmo ser uma das sensações da prova.

domingo, 20 de Setembro de 2009

Hulk. O herói da pequenada.


Hulk

Sete ou oito golos (se preferir, acrescente "espantosos", antes do "golos") por época, jamais justificarão dez a quinze perdas de bola por jogo.

P.S. - Clubite (comentário no último post) é não perceber que quem, num jogo de futebol, só tem soluções individuais para oferecer à sua equipa, jamais terá o nível de tantos outros.

E é tudo.

sexta-feira, 18 de Setembro de 2009

Os avançados e os apoios frontais


Ainda que bastante mais visíveis, as desmarcações de ruptura não são mais importantes que as de apoio. Num colectivo que se pretende forte, ambas surjem na medida certa e estão interligadas. Ainda que elevada, a tentação de valorizar mais, quem faz o último passe ou o golo é um erro. Para que se chegue a uma situação de finalização, há todo um trabalho antecedente que não deve ser esquecido. Não raras vezes, bem mais difícil que o cruzamento, ou a assistência, foi a forma como se chegou a essa situação.

Os melhores avançados do mundo, mostram-se capazes explorar a profundidade, nas costas da defesa, mas é essencialmente na qualidade com que baixam no relvado, servindo de apoio aos médios, participando na fase de construção e na de criação de jogo ofensivo que fazem a diferença.

Recorde Etoo. Velocíssimo, acrescentou qualidade ao seu jogo, e ao do Barcelona, quando passou a mover-se, cada vez mais, como apoio (descendo uns metros no relvado), servindo os médios interiores, de frente para o jogo.



Troque, mentalmente, os jogadores. Imagine Ronaldo onde está Guti ou Raúl, e Raúl ou Guti onde está Ronaldo. Exacto. Não é golo. Na sua mente, Raúl ou Guti (se não entende como é possível ser-se tão bom jogador, bem próximo dos 33 anos de idade, a resposta é simples. Técnica e inteligência. Em grandes quantidades) provavelmente, não teriam velocidade para concluír a jogada. Certo. Porém, troca feita, tudo mudaria. Ronaldo, de costas para a baliza não teria tomado a mesma decisão, quer de Guti, quer de Raúl (a um toque, colocar no colega que está de frente para o jogo), pelo que a bola nunca chegaria em profundidade ao corredor lateral direito.

A simplicidade, em grande parte das situações, é a melhor forma de as resolver. Ainda que tal pareça demasiado complexo para se perceber. Jogar a um, dois toques, não é para quem quer. É para quem sabe. Se a bola é que deve circular (excepto nas situações de superioridade numéria. Essencialmente nas saídas para o contra-ataque), como valorizar quem a prende e perde em demasia? Sim. Esta é para Hulk (ainda que marque uns golos engraçados, aqui e além).

quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Futebolistas de uma vida. XXVIII


José Mourinho. XXII


"Às sextas feiras treinamos a defender, aos sabados treinamos o ataque. Aos domingos, treinamos a transição da defesa para o ataque. Às segundas, treinamos a transição da defesa para o ataque e, ás terças treinamos os livres."

Richard Williams, Guardian, 3 de Janeiro 2005, explicando o modelo de treino do FC Porto antes da final da Liga dos Campeões em 2004.

"Os jogadores não nos ganham troféus. As equipas sim. Os conjuntos ganham troféus. Não posso dizer adoro este jogador, porque, de uma forma geral, adoro todos os que adoram ganhar. Não só aqueles que adoram ganhar nos noventa minutos, mas os que adoram vencer todos os dias, em cada treino e em tudo nas suas vidas."

BBC Sport, Junho de 2004

terça-feira, 15 de Setembro de 2009

Recordas-te? VIII


segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Mais e Menos da Semana


MAIS

Liedson, Saviola e Álvaro Pereira

No fraco desempenho, na fase de construção e criação de jogo do Sporting, também Liedson, tem responsabilidades. Contudo, compensa com o excelente sentido de baliza. É o melhor finalizador da liga portuguesa e...português. Sem ele na área, ao Sporting, nunca parece ser possível chegar ao golo.

Saviola fez um golo soberbo, em mais uma exibição fantástica. Os baixinhos (junte-se ao grupo, também, Ramires) têm, nas botas, futebol que nunca mais acaba. Já aqui, bem antes do jogo com o Vitória de Setúbal, haviam sido previstas goleadas. Mais surgirão.

Não sendo extraordinário do ponto de vista técnico, Álvaro tem na força e na velocidade boas características. Frente ao Leixões participou em quase todos os golos. É, e não surpreendeu, melhor jogador que Cissokho. Parece ser o melhor defesa esquerdo da Liga.

MENOS

André Marques

André Marques é a prova de que mesmo não tendo um pingo de talento, é possível ser-se futebolista. E é tudo.

MAIS OU MENOS

Paulo Bento

O mais importante foi garantido. Os três pontos. Porém, é impossível a Paulo Bento escapar ileso ao mau futebol que o Sporting vem praticando (os 5 golos em 4 jogos, poderia não ser um indicador fiável. Contudo, é). Por mais fatigado que Matias se pudesse apresentar, abdicar de ter a tempo inteiro, o mais talentoso jogador da equipa foi um erro. Independentemente de ter, ou não, individualidades com a mesma valia dos adversários, o Sporting tem nos seus valores individuais (esqueça André Marques, Abel e Yannick) capacidade para bastante mais.

sábado, 12 de Setembro de 2009

sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Liedson. Um temível goleador.


"É um jogador fabuloso na grande área. Mas, só na grande área. Liedson é jogador de um único toque. De finalização. É à largos anos, o melhor cabeceador do futebol português. Bem servido, é letal. Percebesse Liedson as suas limitações (abstraindo-se de participar na fase de criação, onde prende e perde em demasia a bola, e preocupando-se em jogar mais simples e mais rápido) e teria tido, seguramente, oportunidade de experimentar Ligas mais competitivas."

Liedson parece mover-se no campo, somente com base na sua própria intuição. Se dentro da grande área parece ser o avançado perfeito, fora dela acumula erros que, demasiadas vezes, condicionam a fase de construção e criação de oportunidades de golo.



Apesar da situação de vantagem numérica (3x2), Ronaldo só tem opções de passe à sua direita. Do início ao final da sua jogada. Tivesse Liedson efectuado uma desmarcação pelas costas de Cristiano (aparecendo sobre o seu lado esquerdo), e a situação de 3x2, ficaria bastante mais fácil (Das duas uma. O defesa Hungaro seguia Liedson, e Ronaldo ficaria numa situação de 1x0. Isolado portanto. Ou, o mesmo defesa, manteria a sua posição, de contenção, face a Ronaldo, permitindo que este com um simples passe isolasse Liedson).



Centre a sua atenção, em Nuno Gomes e no comportamento do defesa que estava com Simão no início da jogada. Percebe agora, porque os avançados não se medem aos golos? No incrível golo de Simão, há também, muito, da inteligência de Nuno Gomes. O seu movimento (Desmarcação nas costas), conferiu o tempo que Simão precisava, para se libertar do defesa.

Tivesse Liedson a mesma percepção do jogo (saber que movimentos, e que timings para realizar as suas acções), que Nuno Gomes, e teria tido oportunidade de construír uma carreira notável. E não, na selecção portuguesa.

P.S. - Dificilmente, haverá melhor selecção nacional que a de Humberto Coelho. E, dificilmente, Rui Costa e Figo trocariam a presença de Nuno Gomes em campo, por qualquer outro aclamado goleador. Ao contrário do que é comum afirmar-se, para a selecção nacional, sempre que teve Nuno Gomes em campo, chegar ao golo, nunca foi um problema. Mesmo que Nuno nunca fosse o autor do toque final.

P.S. II - Só pela percepção que tem do jogo (e porque em Portugal, não há muita qualidade para a posição, claro), Nuno Gomes merece estar entre os convocados. Mesmo, não sendo a melhor opção para o 11 inicial.

P.S. III - Obrigado ao Nuno e ao Gonçalo do blog Entre Dez, de onde saiu a ideia original para este texto.

quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

A ausência de Marat Izmailov


Um futebolista é tudo aquilo.

Capacidade técnica, fantástico na vertente táctica, quer na ocupação dos espaços, quer na tomada de decisões, fisicamente muito interessante, abegnado e sempre disponível para contribuir para o sucesso colectivo. Ainda que tal, lhe possa dar menor notoriedade aos olhos do comum adepto.

A sua grave lesão, parece passar despercebida. É que Izmailov vale dez vezes, o valor que lhe é atribuído. Paulo Bento sabe-o.

Boas opções não faltam no plantel do Sporting. Pereirinha transpira qualidade, e Vukcevic, poderá ser, também, uma excelente opção. Assim o deseje. Porém, e apesar das imensas opções, para a posição de médio interior (e todas com qualidade individual), nenhuma iguala Izmailov.

Na Liga Sagres, vários são os jogadores com bons traços individuais. Outros tantos, não tendo tanta qualidade técnica ou física, possuem uma estrutura mental, suficientemente interessante, para que, em prol da equipa, abdiquem da fama. Izmailov, enquadra-se, no restrito lote dos que têm lá tudo.

P.S. - Com Pereirinha, Moutinho, Matías Fernández e Vukcevic, e apesar do enorme contratempo, não parece que o Sporting precise mais de um médio, que de um bom defesa lateral...

Texto recuperado de Julho

E agora, já percebeu o quão valioso e importante, é o jogador Russo?

José Mourinho. XXI



"Não quero futebol eufórico. Quero futebol pensado".

O Jogo, 25 Dezembro de 2005. Depois de ter estado a ganhar por 2-0 e ter permitido o empate a 2. Frente ao Bolton.

"Estão educados para ganhar. Se um dia dissesse no balneário que iriamos jogar para defender, expulsavam-me"

26 de Abril de 2003. Depois de garantindo o apuramento para a final da Taça Uefa.

terça-feira, 8 de Setembro de 2009

A Propósito do Post Anterior...


É por isto que o Futebol é apaixonante, assim como o Benfica nos emociona tanto... Foram jogos como este que nos enchem de orgulho...
A equipa do lateral esquerdo é da geração de 78-79, e isso faz com que já impere algum saudosismo.
Sem dúvida que o futebol evoluiu (bastante) em várias vertentes, mas este jogo é intemporal...
Tem o tempero que todos os adeptos gostam, primeiro, a tragédia do resultado, depois a reviravolta e o acreditar, novamente o perder da esperança, logo seguida de nova inversão dos acontecimentos, e por fim, o sofrimento de aguentar o resultado, sempre na incerteza, tal a imprevisibilidade associada a este jogo em particular...

O exemplo de Neno é paradigmático... ele passa várias vezes de besta a bestial neste jogo. Na perspectiva do adepto comun, ele "frangou", mas depois compensou com defesas "fantásticas", por isso terá sido recebido no aeroporto como um dos heróis do jogo...

Depois há os que nos fazem realmente chorar... primeiro, por não serem eternos - Rui Costa e João Vieira Pinto... Simplesmente maravilhosos... Na minha opinião os melhores da geração de ouro... Porquê?! - talvez por serem mais puros e genuínos naquilo que deixam transparecer e pelo "coração" que punham no jogo...

Aquele passe do JVP para o Kulkov, diz tudo... JVP foi um génio... talvez muito prejudicado por não ter um Mourinho ou um Jesus a tirar dele todo o partido, porque sinto que ainda faltou qualquer coisa...

Depois este Benfica era uma equipa apaixonante (3 estrangeiros em campo... ou 5, se contarmos com Isaias e William), de qualquer forma, não era uma equipa forte no que respeita à defesa (GR incluído...) mas era demolidora com a mobilidade que imprimia no ataque (JVP, Rui Costa, Yuran, Paneira...) com uma meia distância de Isaias, Rui Costa e Schwardz.

Hoje temos um benfica mais forte como equipa, que volta a empolgar, que enche o estádio e faz lembrar os bons tempos...
Mas para mim, ainda não consigo deixar o adepto de parte... aquele Benfica era "mais" o "meu Benfica"...

Agora percebo, quando o meu pai dizia quando me levava ao estádio... ele tinha visto Coluna, Eusébio, Torres, Simões, João Alves, Chalana...

Eu ainda me lembro do Diamantino, do Carlos Manuel... mas esse ainda não era o meu Benfica...

Recordas-te? VII


segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

Mais e Menos da Semana


MAIS

Liedson

É um jogador fabuloso na grande área. Mas, só na grande área. Liedson é jogador de um único toque. De finalização. É à largos anos, o melhor cabeceador do futebol português. Bem servido, é letal. Percebesse Liedson as suas limitações (abstraindo-se de participar na fase de criação, onde prende e perde em demasia a bola, e preocupando-se em jogar mais simples e mais rápido) e teria tido, seguramente, oportunidade de experimentar Ligas mais competitivas.
O seu golo manteve uma ténue esperança, de apuramento.

MENOS

Carlos Queiróz

Facilmente se percebia que após a saída de Scolari, a selecção nacional, então de todos nós, voltaria a ser somente de três ou quatro.
No trabalho de Carlos Queiróz, tudo é negativo. Desde a constante mutação nas opções (e quão ridículas têm sido), que tem impedido a equipa de criar a desejada identidade colectiva, à incapacidade para perceber o que não está bem. A falta de coragem (para utilizar Liedson a tempo inteiro) é apenas mais uma das habituais Queirozices.

MAIS OU MENOS

Keirisson

Estreou-se a marcar, em mais um troféu de pré-época vencido pelo SL Benfica. Jogador de estatuto elevado (15 Milhões pagou o Barcelona pela sua contratação), tem encontrado dificuldades para demonstrar qualidade. Pelo pouco tempo que tem de competição, compreende-se. Ainda assim, e até à data, não tem correspondido à elevada expectativa. A rever.

quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

Hugo Viana e César Peixoto. O meu fabuloso e underrated pé esquerdo.


"Newcastle sign £8.5m Viana – 'the new Figo'" ("The independent".2002).

De over a underrated. De forma bastante simples, se sintetiza a carreira de Hugo Viana. Os permanentes rótulos, colocados pela imprensa, ainda que possam ter ajudado na sua vertente financeira, poderão ter-lhe limitado a carreira.

Bastante bom tecnicamente, e com excelente percepção sobre o que é o jogo, a Hugo Viana faltou, sempre, velocidade (não só na sua vertente mais pura. A passada. Como também na execução), para poder justificar a avolumada soma paga pelo Newcastle.

Contudo, mais bizarro que os 8.5 milhões de libras, pagos pela sua transferência, é o facto de, aos 26 anos, voltar para a Liga Sagres para representar o Sp. Braga. Pelas suas limitações, dificilmente seria titular num dos 3 maiores da Liga Sagres. Porém, seria, indiscutivelmente útil.

Aos 29 anos, César Peixoto volta a um dos grandes do futebol português.

Jogador pouco consensual, Peixoto, tal como Viana, tem na ausência de velocidade o seu principal handicap. Tal característica, e as permanentes lesões (e quão graves) diminuiram uma carreira que poderia ter sido bem mais notável (não esquecendo, ainda assim, o seu rico palmarés).

Bastante inteligente, e com um excelente pé esquerdo (impressiona a forma como entrega, sempre, a bola jogável), César é um jogador de classe. A objectividade do seu jogo, aliada aos excelentes recortes técnicos (a quantidade quase infindável de "cuecas" e "cabritos" aplicados na partida ante o Celtic, foram, desde logo, bons motivos para seguir o jogo) são imagem de marca.

P.S. - Longe de serem prodígios, Hugo Viana e César Peixoto, mereciam ter construído uma carreira mais condizente com o seu valor.

P.S. II - Dúvida pertinente. Teremos Viana, tal como Peixoto, de novo num clube grande, aos 29 anos de idade?

Futebolistas de uma vida. XXVI


quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

José Mourinho. XX


"Um dos meus adjuntos disse que, na última jornada da época, kings Road ficará em delírio. Mas eu disse que penso que talvez possamos ganhar uma ou duas semanas antes do fim da época".

Daily Express, 2 de Maio de 2005

"Se o Sr. Abramovich gosta de 5-4, tenho a certeza que detesta 4-5. Então, se for preciso escolher entre o 4-5 e 1-0, tem de se ir para o 1-0"

BBC Sport, 6 de Junho de 2004.

terça-feira, 1 de Setembro de 2009

Saviola. Porque os avançados não se medem ao golo.



"Weldon pressiona Saviola".

A frase, sugerindo a saída do 11 do argentino, é retirada do Correio Sport. O nome do seu autor (Luís Sobral), não é relevante. Uma dúvida porém. Tal frase, revelará, uma mesquinhez tão própria do português (quão interessante é desvalorizar o que é bom, somente porque é caro) ou apenas ignorância?

Apesar de fácil, catalogar o rendimento dos jogadores por golos e assistências, é errado.

O jogo passa por várias fases, e a finalização, ainda que seja a mais visível, é apenas mais uma. Só possível se todas as outras tiverem sido bem sucedidas. Da mesma forma que o último passe, é somente um passe. Tão importante e decisivo quanto todos os anteriores.

Exemplo simples. Nuno Gomes beneficiou de um excelente cruzamento de Fábio Coentrão para marcar. Porém, se o passe de César Peixoto, para Fábio, não tivesse sido, exactamente como foi (para o espaço vazio, aproveitando o corredor lateral livre), dificilmente, teria havido cruzamento. E quem solicitou Peixoto, se tivesse errado o passe?

Javier Saviola não será, seguramente, o melhor marcador da Liga Sagres. Como tal, poucos perceberão a sua extrema importância no SL Benfica. Poucos perceberão que é o melhor avançado em Portugal. Muito rápido, muito dotado técnicamente e bastante astuto, El Conejo joga e faz jogar. Sem ele em campo, as combinações ofensivas, a rápida circulação de bola e a constante mobilidade, não parece ser possível.

Imagine o seguinte cenário. Ontem, no lugar de Saviola, teria jogado qualquer outro avançado da Liga Sagres (Hulk. porque não?). Mesmo que o avançado que imaginou, tivesse alcançado um hat-trick, acredita mesmo que a equipa marcaria oito golos?

Os golos são da responsabilidade de todos. E com Saviola em campo, podem surgir a qualquer momento. Mesmo que o último toque nunca seja do argentino. Mesmo que, Saviola lhe pareça ausente.

P.S. I - Alguns jogadores, ainda que com evidentes limitações, acabam por justificar a presença no jogo, pelo interessante ratio de golos que obteem (Liedson e Cardozo, são exemplos claros). Porém, pelo que não são capazes de criar, não são os melhores jogadores das suas equipas.

P.S. II - Cardozo, Falcao e Liedson poderão terminar com 30 golos cada. Ainda assim, Saviola será sempre melhor e mais decisivo.

P.S. III - Sabia que Lisandro Lopez, o melhor avançado da Liga Sagres das últimas épocas, marcou, na liga transacta, metade dos golos do melhor marcador (Nené)?

Recordas-te? VI