sábado, 22 de maio de 2010

Melhores da época


Liga Portuguesa

Eduardo

Rúben Amorim
David Luiz
Bruno Alves
Fábio Coentrão

Javi Garcia
Ramires
Nuno Assis
Pablo Aimar

Saviola
Falcão

Europa

Julio César

Maicon
Piqué
Vidic
A.Cole

Cambiasso
Xavi
Messi
Robben

Milito
Ronaldo

terça-feira, 18 de maio de 2010

E Rui Costa ajudou-o. Fábio Coentrão e o Real Madrid


O post é bem antigo. Do tempo em que o possível sucesso da carreira de Fábio Coentrão era uma incerteza. Já não é. Fábio chegará onde quiser.

Pouco mais de um ano volvido, O Real Madrid surge associado a Fábio Coentrão. Faz sentido. Um lamento porém. Saindo agora, a carreira de Fábio será como lateral. Sim, tem todas as condições para ser um dos melhores laterais europeus da próxima década. A lamentar, contudo, que tamanho talento se cinja a uma posição tão recuada no campo de jogo. O Figo das Caxinas tem talento, inteligência e capacidade física para honrar a excelente tradição de extremos portugueses.

P.S. - Fábio Coentrão é mais jogador que Di Maria. Nunca ninguém partilhou de tal opinião. Quem sabe, agora que o Real Madrid surge associado ao jovem português, se valoriza da forma que merece, o maior talento emergente de nacionalidade portuguesa.

P.S. II - O Fábio Coentrão pós Jesus é duzentas vezes mais jogador que o anterior. A vontade de aprender foi decisiva. Todavia, não tanto quanto a capacidade de Jorge Jesus para transformar jogadores.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Diz-me quem convocas, dir-te-ei o que fumaste.


"Sinto um pouco pelo Gago, pois era um dos meus homens". Maradona.

Gago não cabe nos 30 pré-convocados da Argentina? Por aqui estamos absolutamente ansiosos por (re)conhecer a qualidade futebolistica de todos aqueles médios convocados.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A diferença do Sp. Braga para o SL Benfica.


"No fundo esteve num só jogador. O Benfica teve um jogador capaz de marcar 26 golos e nós não. Tirando isso, em termos ofensivos a diferença é pouca". Domingos.

Das duas uma. Ou Domingos Paciência pretende enganar alguém, ou não percebe patavina de futebol.

Either way, o futuro encarregar-se-à de o demonstrar.

P.S. I - De facto, de todos os processos, individuais ou colectivos, Cardozo foi a menor diferença entre ambas as equipas.

P.S. II - É demasiado estranho um treinador que obtém tão elevada pontuação com o Sp. Braga (Nem José Mourinho!) não ser requisitado para um clube de outra dimensão. Ainda para mais numa época em que FC Porto e Sporting trocam de treinador. Que se passa? Será que pensam que há algo por trás deste sucesso, que não a competência de Domingos?

Se o ridiculo matasse


Carlos Queirós não teria condições para orientar a selecção nacional na África do Sul. Até porque não estaria vivo.

Não se sabe em que planeta é que o guarda redes Beto é superior, ou fez uma época mais interessante que Quim ou Rui Patricio, mas no planeta das pessoas com mais de dois neurónios, seguramente que não foi. De Daniel Fernandes, pouco há para dizer. Afinal, já alguma vez alguém o viu jogar? Desconfia-se que nem os seus treinadores anteriores.

É possível que Ricardo Costa e Rolando (Sim, Rolando. Não Zé Castro), até tenham qualidade para participar numa prova deste nível. Mas somente se fossem Coreanos, claro.

No planeta Queirós, Rúben Amorim, que é mais e melhor jogador (melhor lateral direito português da actualidade) que um terço dos convocados não cabe nos 23. Descobrimos também (na verdade, já o sabiamos) que a criatividade não deve fazer parte da selecção, outrora, mais imaginativa da Europa. As opções tomadas para o meio campo são espantosas (e obviamente que João Moutinho deveria seguir viagem).

E Quaresma? Qual é a justificação para não integrar os convocados? Porque não joga? Ou porque não tem valor?

P.S. - Miguel é daqueles que quando está sóbrio e não está a atropelar velhinhas, pode de facto justificar, e bem, a sua chamada. Que as coisas lhe saiam consoante o que o seu potencial pode fazer prever.

P.S. II - A convocatória do Brasil e da Argentina, é igualmente lastimável. Numa era em que o futebol encantador do Barcelona, prevalece na Europa, é difícil compreender critérios de selecção com base em atributos físicos. Ainda para mais nas selecções mais criativas do mundo.