quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Diz-me quanto rematas que dir-te-ei o critério com que jogas

Não é, garantidamente, linear. Não deixa todavia de poder dar azo a especulações e a exercícios menos rigorosos.

Há quem remate muito porque cria muito. Há quem muito remate porque joga sem ou com pouco critério. Porque joga com a fé própria dos que ainda crêem que o jogo está mais nos pés que na cabeça. 

Foi com um misto de pasmo mas também compreensão que soube hoje que o Sporting é a equipa com mais remates da liga, decorrido que está o primeiro terço do campeonato (dados do site da Liga). 

Pasmo, porque há muito tempo que não se vê um clube com ambições produzir tão pouco, ser tão fraco no processo de construção de jogo ofensivo e de criação de oportunidades. A cada jogo leonino, parece que é o guarda redes de leão ao peito que mais tem de intervir. Compreensão porque há muito que é notória a falta de critério nas acções de vários jogadores leoninos. Muitos remates não significam apenas muito caudal ofensivo. Pode significar, e significa, ausência de critério a definir a jogada. "Pressa" para chegar ao golo, procedendo a tentativas de finalização condenadas ao insucesso por falta de enquadramento óptimo com a baliza.

Recordei os jogos leoninos da presente época e pensei em Labyad. Não se sabe se há de facto ali o potencial que a Uefa lhe adivinha. Por ora, o que é perceptível é que há demasiada falta de critério e incapacidade para tomar boas decisões e ajudar a equipa. Não é na presente época um jogador com valor para incrementar a qualidade do futebol do Sporting, tão pouco para ajudar o clube a sair da posição desconfortável em que se encontra. Os disparates são contínuos, e a ideia que foi ficando das suas acções foi confirmada com a estatística da Liga. O marroquino remata a cada 18 minutos. Com doze remates para apenas duzentos e vinte e cinco minutos de utilização, é muito provavelmente o jogador da liga que percentualmente mais recorre ao remate. Das suas doze tentativas, três conseguiram chegar à baliza. Alguma delas com perigo? Honestamente, não recordo nenhuma. 

Há não muitas épocas queixava-se Paulo Sérgio da sorte. Estatisticamente ninguém rematava mais que a sua equipa. Se a ideia for continuar com o mesmo "álibi" para o insucesso, é soltar Labyad lá para dentro e no final lamentar o infortúnio de que quem remata sem critério, perdendo sucessivamente a posse, não tem a felicidade de fazer golos...

Não são tempos fáceis para entrar na equipa leonina. Todavia, quanto mais rápido Vercauteren separar os homens dos miúdos, mais rápido poderá chegar ao sucesso.

P.S. - Demasiadas vezes a necessidade urgente de ganhar o próprio espaço, leva bons jogadores a pensar que mostrando-se um pouco mais a nível individual se estará mais próximo de entrar regularmente na equipa. A juventude de Labyad não será "boa conselheira", mas há que trabalhar o miúdo.

20 comentários:

Ricardo Galeiras disse...

com principios defensivos e com andré martins a 6, adrien e elias no meio, ricky, carrillo e jefren, saiamos da crise num instante...

ou entao em 442 losango. mas, sem trabalhar aquela linha defensiva o sporting nunca mais sai do marasmo!

Mike Portugal disse...

E ainda há outra coisa: uma grande diferença entre remates e remates que realmente foram à baliza.

PB disse...

sim. mas há sp uma grande dose de subjectividade nisto tudo. O unico remate q me recordo do labyad em q se impunha rematar, até foi um q errou o alvo em Setúbal. Os outros q recordo, foram apenas parvoice...

LMGM disse...

Jogadores como Labyad é aquilo que o Sporting estraga mais. Labyad, como tantos outros que estão no plantel, deviam estar a crescer "em lume brando" entrando na equipa aos poucos e em jogos com o resultado resolvido.

Labyad, Carrillo, Rubio, Cedric, Martins, Adrien ou até Ricky Wolfswinkel são chamados, no Sporting, a assumir responsabilidades que não são para a sua tarimba. São jogadores que deviam estar a crescer com Izmailov, Capel, Elias, Schaars e Rinaudo, a brilhar com grande intensidade e eles a ganhar confiança e couraça para se assumirem.

Labyad, devia estar no mesmo lugar que James tinha quando chegou ao Porto, em casa ou no banco a ver Falcão e Hulk e muito esporadicamente a ter o prazer de dar uns toques com eles no final de um jogo (e surdo para os berros da bancada a dizer "o puto tem de jogar sempre!!!")

Assim vai ser mais um que vai chegar ao fim da época, perdido mentalmente, desgastado fisicamente e sem a menor evolução enquanto jogador profissional.

P.S.- Eu sei que Labyad ainda não é titular, mas pelo que tenho visto falta pouco para o queimar definitivamente na fogueira...

P.S.II- A posição natural de Rojo devia ser suplente de Polga, se assim fosse talvez daqui a dois anos estivesse ali um bom jogador. Assim vai ser mais um Carriço, velho sem nunca ter sido novo.

Luis Santos disse...

Boas, PB!

Até que ponto é que isto se aplica ao Ronaldo? (o CR, claro)
Pergunto isto porque quando li o título associei logo a ele. Na Liga Espanhola tem sensivelmente 1 remate a cada 13 minutos. (whoscored.com - 7.1 remates/jogo)
Ou o facto de marcar muitos golos é uma indicação de que deve continuar a tentar muito mais que os outros? (não me acredito nisto, mas ponho a hipótese principalmente porque é a justificação que a maioria dá)

Cumprimentos,
Luís Santos

PB disse...

totalmente de acordo

PB disse...

O James c Villas Boas esteve alguns 6 meses sem calçar! Este ano foi suplente! e de repente é, e c larga margem o melhor em Portugal

PB disse...

a questão n é rematar mt ou nao ser bom ou mau. Se tiver condições e boas probabilidades de sucesso para rematar a cada min, entao q some 90 remates por jogo. É o tipo de situação a q se recorre ao remate...

PB disse...

por exemplo. mtas x o Aimar tem boas condições p rematar à entrada da área, e todos pedem p rematar, mas ele poucas x o faz, pq sabe que mt provavelmente n dará golo. já outro jogador (p exemplo o CR) daquele mm espaço tem 10x mais probabilidades de fazer golo q o Aimar. o q p um é uma decisão certa (passar), n significa q p o outro (rematar) seja errada. Depende do enquadramento e das capacidades de cada um... ROnaldo a rematar proximo da g.área no corredor central, sem adv p interceptar o remate só é má decisão se tiver colegas em melhor posição.

Luis Santos disse...

Ok, mas no caso do Ronaldo, não achas que lhe falta um pouco de critério?

PB disse...

sim. por isso tb nc estará no nível de Messi. nem lá perto...

Anónimo disse...

Mt bem, basta ver aquele golo do CR, o ano passado(?) de calcanhar, que tinha 40 jogadores adversários a defender a baliza, + 20 jogadores da própria equipa e foi golo. Pode tentar fazer de novo 87287489 mil vezes que não dá golo novamente!

zdamen disse...

Bravo PB, mais um grande post.

Acho que devias começar a cobrar as visitas aqui ao estaminé. A qualidade das análises aqui feitas é enorme (pelo menos para um total leigo como eu).

Destaco esta frase:

Porque joga com a fé própria dos que ainda crêem que o jogo está mais nos pés que na cabeça.

A diferença entre as grandes equipas e as outras está neste entendimento. No seu treinador, nos seus jogadores e claro, na sua administração.

Quanto ao tema do critério Ronaldo, só uma pequena ressalva: o modelo de jogo do Real Madrid está desenvolvido para proporcionar o maior número de finalizações possível ao CR. É uma "imposição" bastante diferente daquela que é feita a Messi no contexto Barcelona.

Aliás, para constatar esta ultima hipótese, e sem conhecer os resultados, basta ver a qualidade de decisão e eficiência da mesma entre o Messi Barcelona e o Messi selecção Argentina.

Bruno Pereira disse...

Seria interessante pegar nos vídeos dos remates do Sporting e perceber quantos destes é que foram enquadrados com a baliza, com uma situação favorável e onde a melhor opção era mesmo o remate. Basicamente, quantos destes remates é que teriam sido feitos se fosse a equipa do Barcelona naquela situação. Passaríamos da equipa mais rematadora para a menos rematadora, porque a verdade é que os jogadores do Sporting não são capazes de criar situações de finalização perigosas, enquadradas com a baliza, em que o remate seja a melhor opção. Juntando-se a isto a defesa que têm e a pressão de ser um grande, começa-se a perceber o 10º lugar. E ou muito me engano ou o pior ainda não chegou...

Abraço,
Bruno Pereira
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.pt/

Edson Arantes do Nascimento disse...

Epá desculpem, e já sei que vão aparecer os talentosos comentadores a repetir, parecem uma cassete pirata, a velha máximo que o Pelé (não sou eu, eu sou o Edson) calado é um poeta - mas há jogadores do Sporting que, pelo que mostraram até agora - pode ser que me calem; mas pode ser que o sol amanhã nasça azul -, não lembram ao Diabo. Com D.

Labyad é um deles. Pergunta: é jogador de futebol? Deste futebol que falamos e conversamos e discutimos aqui?

Não me parece.

Logo à partida um camarada que nasce na Holanda e joga por Marrocos (adoro Marrocos e o mel de Marrocos)... alguma coisa não bate certo. É como a água da chuva. Chuva não é. E a água não bate assim.

Quanto ao comentário do Ricardo Galeiros, com o devido respeito e sabendo que é dos mais cultos que aqui andam (fora de brincadeiras), acho que "sair da crise" com esta equipa do Sporting - significa lutar pelo terceiro lugar. Não mais do que isto.

E depois quando se coloca o Jeffren, "sair da crise" e lutar pelo terceiro lugar na mesma frase, eu imagino logo um gajo com uma perna às costas. Um cabelo desgrenhado. E seis dias e sete noites por semana no estaleiro. É isto.

Centro de Jogo disse...

Labyad e Rojo não são tão maus quanto o que parecem! Pode demorar uns meses, mas ainda vão perceber o porquê de o dizer. Assim como Viola, potencial não lhe falta.

Abraço, Jorge D.

FODA.SE disse...

VAI PRÓ CARALHO

PB disse...

Só p esclarecer, pq o Jorge pensou q esta asneira era p ele. Mas, nao! qs de certeza q era para mim, pq os 2 comentários foram aprovados ao mm tempo! Quem escreveu tão belo texto não tinha lido ainda o do Jorge!

Anónimo disse...

Acho q era mm para o labyad

Edson Arantes do Nascimento disse...

Eu avisei que iriam aparecer alguns "talentosos comentadores". Mas numa coisa ele ou ela tem razão: com alho é tudo mais saboroso.