quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Estrelas do Futebol Feminino. Mês de Janeiro.

Sílvia Brunheira.

Qualidade, perseverança, liderança e competência.

Quem a observa por fora jamais lhe adivinhará a idade. A (boa) genética justificará muito da sua capacidade, mas é muito pela sua personalidade que é ainda hoje a jogadora que é. Talvez sejam alguns preconceitos com o seu BI que determinem a sua ausência na selecção de todos nós, quando continua a ter condições para ser tão importante e determinante quanto terá sido outrora. 

Sílvia é uma campeã. Uma disputa de bola, um gesticular, e imediatamente o percebes. As suas qualidades futebolisticas são imensas. Não serão muitas as jogadoras as que a uma excelente capacidade técnica e física aliam os traços próprios da mentalidade de que são feitas as campeãs. 

Controla e domina todo um meio campo. É determinante em todas as fases do jogo. Trabalha, recupera, e sabe jogar. Entrega, desmarca. Em apoio, ou em ruptura. Tudo em alta rotação, tudo de cabeça levantada. 

A selecção não está a aproveitá-la quando ainda é longe de ser demasiado tarde. Espera-se que daqui por alguns anos, quando decidir terminar a carreira, a Federação saiba com exactidão o lugar que uma atleta deste nível deve merecer.

O futebol feminino precisará da Sílvia muito para além do que ainda faz no relvado. Mas, essa é uma conversa para adiar por mais três ou quatro anos. Assim a atleta o deseje.