domingo, 6 de janeiro de 2013

O processo de treino e o golo do Paços de Ferreira em Alvalade

"As pessoas não têm noção da velocidade a que tudo sucede e da falta de espaço que há no relvado". Pedro Henriques. Comentador e ex jogador do FC Porto e SL Benfica, em entrevista ontem ao jornal Record.

Desde sempre que o propósito do Lateral Esquerdo foi enfatizar a importância da competência da equipa técnica para se almejar o sucesso. Enfatizar a importância desmedida que a vertente táctica tem no jogo moderno.

Desde que por aqui se "descobriu" um novo método (por imagens sobretudo) de justificar o que antes já se defendia, mas apenas por palavras, que a mensagem que se tenta passar sai mais perceptível, o que por vezes pode causar a sensação errada de que o futebol é um jogo fácil. Não é. É um jogo extremamente complexo.

E é complexo sobretudo pela enorme variabilidade de situações, mas também e muito, pela velocidade a que tudo decorre.

Há dois dias atrás numa troca de impressões sugeria que Rolando, não sendo um central de valor indiscutível seria indubitavelmente um enorme upgrade no centro da defesa leonina. Garantiam-me que o problema do Sporting era colectivo. E é. Desde o início da época que por aqui se apontam erros colectivos, mesmo que com génese em algumas individualidades. O Sporting não é uma equipa de futebol. Não há ideias conjuntas, quer ofensiva, quer defensivamente. 

É nesse sentido que mais do que tudo, o Sporting precisa de uma equipa técnica que perceba a evolução que o jogo teve. Uma equipa técnica que trabalhe a equipa para ser uma equipa e não somente onze pessoas que sobem ao relvado para jogar um jogo. 

Há, porém, quem cometa o erro de crer que bastará uma grande equipa técnica para que o Sporting reentre na luta pelo titulo (mesmo que em épocas vindoiras), mesmo mantendo as actuais peças. Avancei o prognóstico de que mesmo após a entrada em funções de Jesualdo Ferreira como treinador principal, se a aposta continuar a ser no mesmo onze, o Sporting continuará a cometer erros grosseiros no centro da sua defesa. A justificação foi curiosamente algo que Pedro Henriques mencionou numa entrevista um dia depois.  "Uma coisa são pequenos pormenores para corrigires. Outra é não teres noção do que fazes em campo. Cá fora até podes começar a perceber, mas lá dentro é tudo tão rápido que demorará demasiado tempo".

Com exemplos concretos. São mais que muitos, e já são apontados desde há muito, os erros posicionais de Cédric. No jogo deste fim de semana custaram uma derrota. Mesmo que convenha e muito, perceber como se chega a uma situação de 3x4+GR com espaço para o enorme Josué decidir. Ainda assim, em última instância os últimos a ficarem atrás da linha da bola deveriam ter tido capacidade para dificultar a tarefa dos pacences. Porém, pela posição a que se candidata, o tipo de erros que comete (sobretudo mau controlo da largura) podem ser considerados corrigiveis. Depende sobretudo do saber se o jogador tem capacidade para perceber o que o rodeia à velocidade a que o jogo decorre. No outro lado da segunda circular há um paraguaio que é lateral há seis meses, passa por tantas ou mais situações com apenas quatro atrás da linha da bola quanto Cédric e nunca o vimos mal posicionado como o português. 

Trabalho do treinador. Todavia, importa também perceber se o jogador tem capacidade para interpretar o que cada situação pede à velocidade a que tudo se sucede. Parar a imagem na TV e corrigir posicionamentos é fácil. Lá dentro não será assim, seguramente. 

Aparentemente Marcos Rojo nunca foi defesa central. Como defesa lateral, denotou também imensos erros posicionais. No golo do Paços está tão mal posicionado quanto Cédric. Simplesmente a bola seguiu pela direita, quando poderia igualmente seguir pela esquerda e terminar na baliza de Patrício. Rojo, tal como Cédric poderá ter potencial para jogar com qualidade numa lateral da defesa. E tal como Cédric é no momento um jogador demasiado limitado, mesmo para corredor lateral. Importa perceber o mesmo que importa com Cédric. Para além do ganho de conhecimentos que tanto urge, há que saber como lida com a velocidade a que tem de dar as suas respostas. Já como defesa central, as duvidas sobre a possibilidade de se tornar um jogador interessante são mais do que muitas. Usar referências será sempre mais fácil que ser referência. O seu desconhecimento e a sua falta de experiência é tanta que dificilmente o argentino se tornará num central importante. 

Há treinadores capazes de retirar o potencial máximo de cada jogador. Todavia, se a experiência e capacidade para interpretar a grande velocidade o que os rodeia não tivesse a importância que tem, qualquer jogador de futsal, com o treinador correcto poderia facilmente tornar-se um jogador importante. Tem a técnica, tem a velocidade, tem a força. A táctica dá o treinador, não é? Não. Aprender, ter o conhecimento é determinante, mas saber usá-lo no campo não é para todos.

Boulahrouz foi treinado por José Mourinho. É certo que os conhecimentos deverá ter. Dar respostas é que é pior. E por alguma razão foi defesa lateral nas últimas épocas no Estugarda.

Conforme sugerido no post anterior, aqui fica a sugestão de um posicionamento diferente para defender a situação de jogo que culminou com o golo do Paços de Ferreira. Quatro atrás da bola.


Sugestão próxima (diferença está no posicionamento da bola) da que havia sido dada para a mesma situação (quatro atrás da linha da bola) num post bem antigo, sobre a Premier League



P.S. - Os problemas são colectivos, e importa reforçar que mais do que tudo o Sporting precisa de encontrar urgentemente uma grande equipa técnica. Mas não se pode negligenciar que jogadores diferentes darão resultados diferentes. Não foi por acaso que após o jogo com o SL Benfica aqui referimos que a simples troca de jogador (Dier por Cédric) corrigiu as lacunas posicionais no lado direito da equipa de Alvalade. 

P.S. II - Josué joga muito!

20 comentários:

JMM disse...

Poderá, baseado no post, afirmar-se que então a culpa seria da falta de opções e não do treinador. Contudo, essa seria uma interpretação errada do posto.

Na verdade o SCP tem opções mas não as usa. Eu, que não percebo mais de futebol que um qualquer adepto, disse quando FV entrou que era relevante mudar os centrais e procurar reeducar esses centrais num contexto de treino. Isto porque era a meio da época e assim sendo importava não perder mais e adquirir segurança que outros defesas dariam. Isso não foi feito.

FV manteve o onze e o SCP não ganhou nada.Não sabe defender nem atacar. Só sabe correr (coisa que deveria agradar a muitos que acham que o que está mal é a equipa não correr muito...).

Não há soluções? Para Cedric há Arias, Pereirinha e Esgaio.

Para Boula/Rojo há Dier, Pedro Mendes, Illori, Figueiredo.

O problema passa por não querer tomar a decisão de mudar. Vercauteren não tem força para isso. E não tem qualidade para inverter o momento.

Cortar com Vercauteren e fazer uma reformulação no plantel, mesmo quase sem investimento, será chave para o sucesso possível. Se o SCP não o fizer então certamente ficará nos lugares onde hoje se encontra.

E o novo treinador (Jesualdo) terá de ter a coragem de mudar o onze. Um onze necessáriamente mais novo e com jogadores a potenciar. A solução é dupla, sem Vercauteren e com coragem para não lançar internacionais apenas porque o são.

PS1. Em defesa de Cedric, não sei até que ponto não poderia aprender se tivesse quem lhe ensinasse.

PS2. Seria interessante aferir qual a diferença de posicionamentos de um lateral numa equipa defensiva e numa outra ofensiva. Cedric na Académica estava menos exposto.

Blessing Lumueno disse...

Fantastic!

ftpaul disse...

Vocês acham que o Cedric não tem qualidade? Ou é vítima de maus treinos e do momento da equipa? Com tantos erros que já cometeu já devia ter ido para o banco, e Dier estava a desempenhar muito bem o papel de lateral direito.

SL,

PB disse...

Eu gostei bastante do Cédric no Mundial sub 20. A grande diferença é q Portugal tinha sp 8,9,10 atrás da linha da bola. E portanto defensivamente sao tantos atras da linha da bola q um metro mais p a esq ou um metro mais para a dta faz pouca diferença. São tantos q bate sp em alguém.

Neste momento n está preparado p jogar num clube grande (q encontra mtas situações, como esta. Com poucos atrás da linha da bola).

Poderá mudar. Neste momento n é jogador para o Sporting. O Dier a lateral corrigiu lacunas defensivas, mas ofensivamente n mostrou nem 1/10 da qualidade q mostrou a central.

Pereirinha seria a minha opção! Miguel Lopes será o titular.

abraço

Válter disse...

Cedric não é tão mau como parece. Mas Pereirinha é 7 vezes melhor enquanto não houver treinos posicionais consistentes.
Já agora também tenho a mesma opinião sobre o Josué. Tem feito uns jogos assombrosos dado a qualidade da equipa à sua volta. Num clube melhor e com espaço para jogar poderá vir a ser um grande 10, por vezes acho-o parecido ao Isco.

Válter disse...

Assim só em 5 minutos no Estoril o André Almeida parece melhor que o Cedric: a diferença que faz um bom modelo de jogo!

Ricardo Galeiras disse...

conheço o josué desde os tempos do candal, sempre foi craque. não tinha muita cabeça até Pk o contexto familiar não era o melhor. parece que cresceu e ganhou juizo

Leão de Alvalade disse...

LE,

Depois da nossa conversa também fiquei a pensar no que disseste e embora reconheça razão nos teus argumentos continuo a pensar que é a falta de colectivo que concorre para a situação em que o Sporting se encontra bem como para evidência das falhas individuais. É por isso que jogadores mais limitados que o Cédric de equipas inferiores parecem hoje melhores.

No lance do golo escolheste o final do lance mas este surge de um lançamento longo em que Rinaudo e a totalidade da linha média está completamente alheada do lance.

Na sequência desse lance a defesa está imediatamente em desvantagem - os avançados estão em movimento em direcção à baliza e os defesas têm que vencer a inércia e dar uma volta de 90 ou 180 graus - pouco ajudou a forma como reagiu: ao invés de pressionar, reduzindo os espaços, recua de forma instintiva e desorganizada.

Há muito que digo que o Sporting é uma das piores equipas da 1ª Liga. Há medida que o tempo passa isso é cada vez mais evidente e a falta de confiança anula a ínfima vantagem que o Sporting ainda detinha sobre adversários menos apetrechados que era a melhor valia individual de alguns dos seus jogadores

Anónimo disse...

O erro de Rinaudo neste golo é muito mais grave.

Anónimo disse...

Rinaudo, Rojo e Cedric.... têm sido sempre os mesmos. Mas não se pode criticar o rinaudo... ele é um "leão"!

Enfim...

PB disse...

Leão de Alvalade, sim, concordo com o que dizes. Faço questão de dizer q importa e mt ver o q ficou p tras nesse lance, mas sp reforçando q um clube q assume o jogo tem de saber enfrentar situações c poucos atras da linha da bola pq em 90' vao sp haver alguns contra-ataques q passam as 1as barreiras (claro q neste momento essas "barreiras" no SCP nem existem...)

Tsubasa disse...

A solução para o Cedric é simples: vai ao outro lado da Segunda Circular 2/3 vezes aos treinos defensivos do Mestre da Táctica! Problema resolvido.

Dier tem que ser central, é o melhor. Tem carisma, força e conhecimentos. Também comete erros, mas chega para ser titular.


PS: E eu não gosto de Jesus no global, mas admito que defensivamente o benfica é fortíssimo, mesmo com poucos elementos.

Ricardo Galeiras disse...

josué é craque!
conheço-o desde os tempos do candal e sempre foi enorme.
o contexto social não ajudou muito, mas parece ter ganho juizo, ainda vai muito a tempo de ser enorme!

TMAT disse...

Sera que o sucesso, ainda que relativo, eh o Sporting deixar de querer atuar como grande e passar a jogar sem assumir o jogo e ate por vezes jogar com o autocarro? mesmo contra equipas ditas mais fracas?

Nuno disse...

Há coisa de três anos, ainda o Josué era junior no Porto, o Entre Dez sugeriu que o Sporting trocasse o Rochemback e o Liedson por ele. Aqui:

http://entredez.blogspot.pt/2009/06/um-questao-de-qualidade.html

Ouve quem se tivesse rido...

Amoroso disse...

Deixo uma pergunta, que até poderá ser usado como tema/ponte para um próximo post vosso:

Qual foi a primeira preocupação de Vercauteren (em termos de preparação táctica da equipa no processo de treino) aquando da sua chegada ao SCP ???

Os problemas apontados eram maioritariamente e sucessivamente atribuídos a todo o processo defensivo que a equipa tinha (bolas paradas inclusive).

Houve trabalho nesse campo ??? Parece que não, pois os erros acumulam-se ... tanto colectivamente como em situações individuais, onde alguns jogadores tomam decisões completamente desvirtuadas para a situação com que se deparam em jogo.

Mas onde quero chegar em concreto é ao facto de ter analisado alguns comentários / entrevistas dos treinadores de Rio Ave, Paços Ferreira e Estoril, equipas "sensação" até agora do campeonato, onde estes admitem que a sua principal preocupação na pré-época e início até do período competitivo foi dotar a equipa de processos defensivos coesos e eficazes. O próprio Nuno Espirito Santo disse "o resto (processo ofensivo) ficou para depois, importava tornar a equipa coesa defensivamente".

Ok, estas 3 equipas são equipas que teoricamente não têm aspirações europeias, logo seria lógico que para os seus objectivos (manutenção) tivessem que ter esta preocupação táctica inicialmente ???

Então e uma equipa de topo / grande não tem de dedicar importância a estes aspectos ???

Sporting comete erros que até a mais competente equipa de escalões mais baixos não comete tantas vezes.

No post está descrito a questão das "referências". O que se nota é a total ausência de noção por parte dos jogadores, em interpretar essas mesmas referências.

Enquanto não se tornarem competentes a nível defensivo, nunca sairão desde ciclo vicioso em que entraram.

Muito trabalho para quem pegar nesta equipa, tanto neste ano como na próxima época.

Cumprimentos,

continuação dum excelente trabalho.

Rearviewmirror disse...

E o segundo golo que o Real Madrid sofre ontem?

Tanta má tomada de decisão seguida..

PedroF disse...

Centro de Jogo e Lateral Esquerdo a dizerem que o Josué é bom? Então deve ser mesmo craque!

Rearviewmirror disse...

"Houve trabalho nesse campo ??? Parece que não, pois os erros acumulam-se ..."

De certeza que houve.
Agora, quando individualmente os jogadores são fracos na decisão (Cedric, Rojo, Xandão) e outros já não têm todas as suas qualidades intactas, comparando com um passado recente, a coisa muda de figura.

Não me lembro de uma equipa que tenha alterado 75% da defesa de uma época para a outra, métodos de treino, automatismos, transições, etc e que tenha tido logo sucesso imediato. Principalmente quando não estamos a falar dos melhores jogadores do Mundo, nem pouco mais ou menos.

O período de transição do Sporting foi mandar embora Polga, Americano e João Pereira de uma vez, que faziam com Insua a segunda melhor defesa do campeonato.
Para mim este é e foi o grande problema do Sporting, na abordagem desta época.

PB disse...

Amoroso,

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2012/10/por-onde-lhe-pegar-vercauteren.html