terça-feira, 5 de Fevereiro de 2013

"No México estava mais habituado a trabalhar o físico" Jackson Martinez

As qualidades como finalizador foram demonstradas desde bem cedo. Pegando no adjectivo com que Jesualdo caracterizou Wolfswinkel, Jackson é precisamente o oposto. Uma agressividade notória não só no ataque às zonas de finalização, mas em todas as suas acções. Muitas semelhanças com o enorme Falcao em vários momentos específicos do jogo. Tem mil e uma formas de fazer golo. Não importa o pé com que o faz, ou tão pouco a parte do pé com que finaliza. No ar ou no chão, Martinez vai fazer golos. Muitos golos. 

Com a ausência de James, o avançado portista passou a participar mais no processo de criação. Foi no Estádio da Luz que comprovou ser um avançado completo. Explora a profundidade com enorme categoria, mas também sabe jogar dentro do bloco. Mesmo quando o espaço é quase inexistente. 

Chega aos vinte e seis anos à Europa. Difícil perceber porque demoraram tanto a descobrir uma preciosidade desta natureza, quando todos os anos chegam inúmeros jogadores com pouquissima qualidade ao continente europeu. 

Quantos milhões de euros não valerá já tamanha qualidade? Em fevereiro quando defrontar o Málaga mostrar-se-à na montra onde tem de estar sempre. Mesmo que um dia mais tarde siga para outro campeonato.

Curiosa a idade dos avançados que maior nível têm apresentado na Liga Portuguesa. Cardozo e Lima 29. Jackson 26. E muita curiosidade para assistir ao crescimento de Ghilas (22).

P.S. - O titulo do texto pretende apenas "fazer pensar".

19 comentários:

MM disse...

Jakson é uma «besta», e os seus patrões bestiais a seleccionar avançados. Têm um, vendem-no, substituem e não perdem qualidade. Já o eram com defesas centrais e quando nos últimos anos especializaram-se também na linha média. Ficam (na sua perspectiva) a faltar os laterais e as alas, há muito órfãs de Ljubinko Drulović e Nuno Capucho. É a vida.

Mike Portugal disse...

"Quantos milhões de euros não valerá já tamanha qualidade?"

O FCP comprou-o por €10M portanto não era assim tão desconhecido ou mal cotado como isso.

Miguel Nunes disse...

Capucho! De quem te foste lembrar! O Drulovic teve o reconhecimento devido, mas o Capucho não! Que classe! que jogador!

Miguel Nunes disse...

Mike, há coisas estranhas nos números das contratações do FCP no continente americano. O Danilo custou 16 e o Sandro 11.

Não sei os pq.

Esses 10 não serão 30 pq se paga ao potencial e não há verdadeira qualidade (e os 26 a caminho de 27 vão retirar-lhe valor de mercado). O que até pode ser bom p o FCP! Fica c ele para sp!

Miguel Nunes disse...

epa, era e "não à verdadeira qualidade"

Ou seja, há de haver muita qualidade. Mas paga-se ao potencial :)

MM disse...

Miguel Nunes, fui adepto do Vitória de Guimarães por causa do Capucho. Classe em movimento.

No.Worries disse...

Diz ele que não estava à espera que fosse tudo tão rápido, lol. Pelos vistos não conhecia a amarelinha do merlin póvoas... E é bom que valha muitos milhões, pois como sempre acontece ali, há muitas bocas para alimentar.

Hattori Hanzo disse...

De facto o Porto parece sempre acerta na mouche com os colombianos. Miguel, não acredito é que a este ritmo o Jackson Martinez acabe por cá.

Miguel Nunes disse...

A Colômbia venceu agora o sudamericano...

SLBfan disse...

Os negócios do Porto são, do ponto de vista financeiro, muito "estranhos".

O Danilo em comissões ficou em 19 milhões, O Alex SAndro em 13 e o Jackson em 12. O Reiyes ficou em 13 milhões !!! É muito dinheiro!

Os negócios de venda e recompra das percentagens dos passes do Moutinho e do James tem mais valias para os fundos na ordem dos 9 milhões, por 35% dos passes.
É tudo muito estranho na minha opinião.

A verdade é que o rendimento desportivo que tiram dos jogadores é fantástico, e isso acaba por passar para segundo plano os negócios que do plano (exclusivamente)financeiro nâo são assim tão brilhantes como transmitem. O Hulk por exemplo custou mais de 20 milhões ao Porto no total.

Mas a avaliação global do negócio não pode ser só financeira, tem de se ter em conta o rendimento desportivo também, e nisso o Porto tem sido muito competente.

Leão de Alvalade disse...

O Jackson é um jogador maduro que caiu numa equipa madura e isso ajuda muito ao sucesso.

Não deixo de me questionar que, se o Hulk tivesse permanecido, o sucesso de Jackson fosse este, pelo menos tão rápido.

Isto para dizer que o processo de jogo do FCP está hoje muito mais afinado e assente no colectivo do que das arrancadas do Hulk.

Por outro lado as afirmações do Jackson que servem de titulo ao post remetem-nos para os métodos de trabalho em Portugal que, com os resultados que se alcançam e com os meios disponíveis face à concorrência, permitem pensar que se não estamos na frente do que de melhor se faz por aí andamos lá perto.

zorg disse...

Eu, por acaso também acho que o porto está substancialmente mais forte este ano por o Hulk ter saido.

Apesar de parecer paradoxal, acho que o prejuízo que o Hulk causa em termos colectivos não é compensado pela sua qualidade individual.

lp22 disse...

No méxico treinava o físico aqui treina o jogo...

Ricardo disse...

Não tem a ver com o tema...mas gostaria (se possível) de ver aqui uma análise mais detalhada e cuidada sobre o Paços de Ferreira.
Não interessa o que pode acontecer no futuro, mas o que o Paços já conseguiu até agora e a forma como tem jogado (nota-se que há ali muito trabalho e os processos não acontecem à toa), merecem uma nota de destaque.
Fica o pedido PB...se possível!

Abraço e continuação de excelente trabalho!

B Cool disse...

O Porto já tinha o avançado referenciado há alguns anos. Eu na época passada vi vários jogos dos jaguares para ver quem era esse jackson em que estavam interessados. No méxico jogava como ponta mas essencialmente como ciclista, terminologia à mourinho, pois os jaguares jogavam sempre na profundidade com o jackson a correr como se de um velocista se tratasse. O que mais me impressionou foram as características físicas e comentei isso com os meus amigos.

No porto está mais refinado, mostra que tem muitas soluções e que pode ser avançado de uma equipa que ataca constantemente em vez de jogar somente no contra-ataque.

O Danilo custou um total de 17 milhões, 13 do passe e 4 de comissões, o Alex Sandro 10, 9 do passe e 1 de comissões. O Jackson custou 8,8 de passe, mas ainda não vi quanto foram as comissões. O reyes logo se verá.

Se os jogadores são caros ou baratos acho que depende essencialmente do retorno desportivo e financeiro que os mesmos originam e não me parece que se possa dizer que o Jackson foi caro. Caro foi o Kleber, ou o Manko ou outras merdas que compraram e pouco ou nada acrescentam. Caro é o Kardec ou o Sidnei, aliás o Sidnei não é caro, foi estupidamente caro.

Anónimo disse...



Não te esqueceste de juntar o Éder ao último parágrafo?!

Ou achas que não merece ser referenciado?

Miguel Nunes disse...

Viva. Não foi esquecimento. Tive para meter o Éder ao lado do Ghilas. Mas como já tinha 25 anos (qs mm idade do Jackson) n meti. Mas sem dúvida que é mt forte. E mt parecido c o Ghilas!

Rearviewmirror disse...

B Cool

Falta juntar os passes de Mangala, Defour, Kleber, Kelvin e Iturbe (para falar nos mais recentes)

23M€ em passes + 3.46M€.

26M€, e destes, só Mangala parece ser mesmo bom.

Anónimo disse...

Quem diz que o Defour não é bom é um atrasado mental no que toca a futebol...