segunda-feira, 6 de maio de 2013

De Miguel Garcia a Óscar Cardozo




Não era Miguel Garcia que deveria atacar o primeiro poste no último lance do jogo em Alkmaar. O na altura bastante jovem lateral teve um assomo de fé, ou crença. Pediu ao colega responsável pela movimentação que iria fazer para trocarem de movimentação. E é muito difícil dizer que não a alguém quando no relvado ele te dá a entender que pressentiu algo.

Cardozo é o homem do primeiro poste nos lançamentos de linha lateral longos do SL Benfica. É-o sempre. Quando aos 65’ da segunda mão da semi final Europeia empurrou Lima para que o brasileiro ocupasse a sua posição habitual no esquema táctico, longe estaríamos de saber o que se seguiria.

Dois momentos bonitos e difíceis de explicar para além da crença de quem está no relvado. Porque no futebol para além da qualidade e organização há sempre algo de divino que te toca quando a glória parece chegar.

“O futebol não é uma questão de vida ou de morte. É muito mais que isso” Sábias palavras.


video

9 comentários:

Fura-Redes disse...

Grande post!

Proença disse...

Miguel, outra coisa, já viste as palavras da Mariana do aminhabola para o PB no post que fala do campeão nacional e analisa a época?

Bruno Pereira disse...

Miguel,
Eu estava no estádio e mesmo ali ao pé. O Cardozo já havia tido diversas "pegas" com o GR pq parte da estratégia do SLB nos lançamentos de linha lateral era impedir que o GR turco conseguisse sair e socar a bola (tal como fez mtas vezes na Turquia). Desta vez, mais do que ficar com a posição do Lima, o objetivo do Cardozo era o Demirel ter outro jogador à frente dele, porque ao mudares o jogador vais mudar os comportamentos, dificultando desta forma o GR turco e obrigando a uma nova adaptação a um novo jogador. Isto não invalida nada do que escreveste pois claro, apenas complementa :)

Abraço,
Bruno Pereira
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.pt/

DC disse...

Miguel, vai-te lixar pah, ou és o Guardiola ou ele anda a ler o Lateral Esquerdo porque parece que até citações tira deste blog.

http://www.maisfutebol.iol.pt/espanha/guardiola-messi-falso-nove-barcelona/1446603-1486.html

Diário de um Dragão disse...

Miguel, adoro o blog e leio sempre com muito prazer e regularidade tudo o que aqui escrevem, mas este artigo parece-me um bocado descabido...

Qual é mesmo a mensagem que podemos extrair deste texto? Que os jogadores devem ter fé e apostar em feelings?

Pensava que neste blog se defendia a razão e o conhecimento, mas pelos vistos há grandes momentos que estão entregues a intervenções divinas.

PS: Por favor não faças um post a gozar comigo e ponhas na tag de humor :P

Rui Monteiro disse...

Meu caro,

Até que enfim que nos entendemos neste ponto. O vosso blogue é absolutamente excepcional do ponto de vista da análise do futebol em vertentes que pressupõem entendimento técnico e conhecimento aprofundado. Fazem-no, ainda para mais,com uma linguagem de uma enorme simplicidade, o que só revela profundo conhecimento.

Só que são demasiado racionais para o meu gosto de vez em quando. Há coisas que acontecem porque acontecem. Não é somente uma questão de sorte ou azar. É que há expetativas que se auto-realizam. É da natureza humana. Há coisas que só fazemos se acreditarmos que as fazemos, mesmo contra todas as expetativas. Os jogadores fazem coisas extraordinárias contra todas as expetativas e o que determina o bom-senso. Há uma dimensão da incerteza que é irredutível. Não é explicável. Não há cálculo de probabilidades que a explique.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Agora JJ já é mau treinador.
Vítor Pereira assume de novo a liderança de melhor treinador.

Miguel Nunes disse...

lol Diário, não sou assim tão mau. Não acho que se deva ligar a feelings. Sobretudo se for tipo CMaritns q tem sp o feeling q pode resolver. Mas há momentos específicios que se deve aceitar uma decisão de um jogador. Nomeadamente sobre quem bate o penalty.

Eu teria deixado o Bojinov marcar, se queres saber. E se calhar era essa ponta de confiança q ele precisaria ter tido p fazer golo

Rui, isso é tudo só pq te fiz lembrar de tal golo...

Rui Monteiro disse...

Meu caro,

É verdade. Veio-me uma lágrima ao canto do olho. O Miguel Garcia foi um dos heróis mais improváveis que conheci.

Um abraço