quarta-feira, 15 de maio de 2013

Tozé Cerdeira e o treino de Guarda Redes


Treinador de Guarda-Redes do Beira mar, decidiu colaborar com o Lateral Esquerdo e com o Posse de Bola mostrando um dos seus micro-ciclos semanais de forma a que houvesse um maior contacto da nossa parte entre o que se faz no alto rendimento e o que se aprende na faculdade/cursos de treinador.
"Neste microciclo tive em consideração, essencialmente, o próximo adversário.
O Nacional da Madeira é uma equipa "abrasileirada", que gosta muito de posse e com homens.
Rápidos na frente. Por isso trabalhei um pouco mais a velocidade máxima em espaços reais, ou seja: pequena área e área.

Não esquecendo que depois treinam integrados com a restante equipa, onde trabalham essencialmente o processo defensivo da equipa. E preparam também a forma de atacar do adversário.

Em termos de concentração tento trabalhar de forma reforçada essa vertente, essencialmente por sofrermos muitos golos nos últimos 15 minutos."






6 comentários:

José Guilherme Ribeiro disse...

Esse emblema...mesmo bonito!

Miguel insan disse...

Engraçado o jogo com o Nacional. Não é que o Beira voltou mesmo a sofrer nos últimos 15? E contra dez?

Mike Portugal disse...

Miguel Nunes,

Gostava que abordasses, se puderes, o porquê dos jogadores do SLB estarem todos rebentados a partir dos 60m e os do Chelsea durarem 90m a alta rotação.

Obviamente que não é pelo número de jogos, pois o Chelsea tem mais nas pernas.

Miguel Nunes disse...

bem, acho q preciso de rever o jogo para confirmar q ficaram metros para correr ou bolas para disputar do lado do SLB, pq n sei se fiquei c essa ideia.

Mas seria normal em virtude de algo q já falei há bastante tempo. O SLB encontra 3,4 jogos destes por temporada. Por exemplo, em Barcelona lembro-me que acabaram todos de gatas.

O Chelsea passa os jogos todos a um ritmo frenético, mesmo contra qq Wigan aquilo é de uma intensidade brutal.

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2013/01/classico-de-nivel-mundial.html

Mike Portugal disse...

Miguel,

Sim, mas a minha pergunta é: porque é que eles conseguem e "nós" (equipas Portuguesas) não?

Miguel Nunes disse...

Mike, mas eu respondi a isso. Os jogos são competitivos. Há oposição a sério que te obriga a jogar a alta intensidade para ganhar.

Em Portugal FCP e SLB andam a passear o ano todo. Jogos desinteressantes em que nem têm que defender. Jogos jogados só num meio campo. Só têm jogos competitivos 3 ou 4 x por ano. É mais difícil manter a concentração quem não está habituado a tal.

É uma grande desvantagem que FCP e SLB enfrentam na Europa contra as equipas destas ligas. E não é por acaso q qd os adversários são turcos ou franceses ou holandeses, mm q sejam adversários bons, o FCP e o SLB acabem qs sp por ganhar.