quarta-feira, 12 de junho de 2013

AC Milan. The future.

10 comentários:

Pedro disse...

Boas,

E assim se passam 30m agradáveis a ver o que o melhores clubes fazem...

Agora para os conhecedores, por comparação como estão a este nível os melhores clubes nacionais!

Um abraço
Pedro

Tsubasa disse...

Fabuloso!

Isto faz todo o sentido na semana em que mais um símbolo e capitão abandona o Milan, Massimo Ambrosini!

É um clube em mudança e rejuvenescimento, mas que quer manter a tradição de grandes jogadores e grandes homens, que já vem de sempre e teve o exemplo máximo em Maldini.

Joel disse...

Tsubasa,
O AC Milan tem um plantel e meio de referencias máximas.... Sao grandes, muito grandes!

B Cool disse...

tirando o marketing, é assim tão grande a distância para a realidade nacional quanto o vídeo parece transmitir ?

Gonçalo Matos disse...

Vejo com frequencia os treinos dos escalões mais jovens do Sporting, na cidade universitária e os miudos além de serem todos muito forte técnicamente ainda dominam os aspectos colectivos do jogo. já percebem quando devem soltar a bola, já jogam no espaço e conseguem organizar-se em campo.

Miguel, sempre fui algo crítico no que toca ao centro de investigação científica de Milanello, que apostou sempre em prolongar a carreira dos jogadores mais veteranos mas que parecia descurar a renovação da equipa e falhou no desenvolvimento de alguns jogadores (o meu exemplo 'preferido' é o Gourcuff). O que pensas do centro? É assim tão bom e tão inovador?

Um abraço

Miguel Nunes disse...

Bcool e Gonçalo, n vos sei responder às questões que me colocam :)

Gonçalo Matos disse...

Então deixa-me colocar-te a questão de outra forma, se tivesses vários milhoes de euros disponíveis, investirias em potenciar ainda mais a tua formação ou prolongar a carreira de jogadores veteranos? Parece-me que está ali uma mina de ouro mas que anda a ser mal explorada..

Miguel Nunes disse...

pq n ambos? :) qd os miúdos forem melhores q os veteranos, naturalmente assumiriam eles. Acho que o que tem de definir é a qualidade. Se um miúdo de 18 anos é inferior a um de 35, não tenho duvida que prefiro o de 35. Qd o de 18 crescer, volta :)

Gonçalo Matos disse...

Claro, a qualidade vem primeiro e aliás, hoje em dia vês uma mistura entre juventude e maior experiencia no Milan. Só me parecia que estavam demasiado focados em prolongar a longevidade dos veteranos e descuravam os jovens, mas parece que também isso está a mudar.

Tinha muito interesse em perceber o que se faz por lá, que tipos de estudos e que condições têm..

PP disse...

PB, obrigado por partilhares este video.

Uma coisa que achei interessante foi que nos escalões mais jovens, eles rodam de mês a mês os treinadores para todos eles conhecerem os jogadores.

Acho muito interessante e até muito vantajoso no seguinte aspecto: assim nenhum miúdo pode ser vítima de alguma ideia preconcebida por determinado treinador sobre como deve ser determinado jogador.

Por exemplo, assim a tendência é para não cair no erro de ter apenas jogadores de determinado perfil físico e técnico, que muitos treinadores preferem. Ou seja, promove diversidade com qualidade.

Óptima maneira de fazer triagem!