terça-feira, 25 de junho de 2013

Toni Grande, quando é assim, aproveita para aprender...


«É verdade que existiram algumas divergências, a certo momento, com Xavi. Não vale a pena mentir. Tudo porque ele veio dizer à equipa técnica que lhe interessava jogar mais com este ou aquele. Não eram imposições, ele apenas dizia o que acreditava que era o melhor para a Seleção. Mas as nossas ideias eram outras e tivemos de lhe mostrar isso», disse Toni Grande.

«Ele preocupa-se muito com estas coisas, com a questão tática. Também nos fala sobre a posição onde joga, às vezes diz que devia jogar mais à frente ou mais atrás, mas nós fazemos-lhe ver as nossas ideias. Nunca foi nada de grave»

26 comentários:

Anónimo disse...

Não concordo. Até podia ser o melhor de todos os tempos, por respeito ao seu pais,treinadores, colegas de equipa, nunca na vida ele poderia ter esta atitude o senhor xavi. Mas são opiniões

Miguel Nunes disse...

que atitude...? Não li nada sobre atitudes. Posso ter interpretado mal, mas pareceu-me que um jogador importante e inteligente procurou trocar ideias com a equipa técnica, sem nc colocar nada em causa.

É assim que se evoluí (jogadores e treinadores). É por exemplo uma das principais lacunas da liderança do treinador do SLB, o facto de não ouvir os jogadores. E acredita que essas coisas contam mesmo muito...

até a formar planteis os treinadores devem consultar os jogadores. É por exemplo, algo que o Mourinho faz sempre.

Miguel Nunes disse...

mas se o Xavi se portou mal pq os treinadores acharam que tinham mais razão que ele, então condeno veementemente a atitude tb, mas n foi isso que interpretei.

Interpretei uma daquelas coisas do futebol moderno. Jogadores inteligentes têm ideias e gostam de as expor ao treinador para em conjunto ultrapassarem dificuldades. No final de tudo, vale sempre a opinião do treinador e o jogador deve sempre respeitar, óbvio.

Há treinadores botas elástico que se recusam a colocar ao lado dos jogadores. E qd estes treinadores ainda por cima sabem menos que os jogadores... o caldo entorna

DC disse...

Miguel eu aposto que isto se refere ao último Euro onde nos 1ºs jogos o Xavi andava a jogar quase atrás do avançado e passou ao lado de 2 ou 3 jogos. Depois na fase final já apareceu mais recuado a pegar no jogo.

Xavi tem tudo para ser o futuro treinador do Barça, Del Bosque ou qualquer outro só tem que o ouvir porque já sabe muito.

Manuel Humberto disse...

Miguel, desculpa o off-topic: o nome Márcio Sousa diz-te alguma coisa? Ontem andava a ver algumas coisas sobre ele e li que a dada altura era retratado como o «Maradona» (salvo seja) Português, jogador que inclusivamente na selecção sentava no banco João Moutinho. A parte que me intrigou foi ter percebido que por algum motivo (chegou em 2003 a treinar com a equipa principal do FCP, sob comando de Mourinho), desapareceu completamente. Andou emprestado por 2 ou 3 clubes, entretanto desvinculou-se do FCP, assinou pelo Rio Maior, passaram-se alguns anos e agora está na II Liga com o promovido Tondela de Vitor Paneira. O problema é que no meio dessa informação, em nenhum momento é dito que o jogador se 'perdeu' por causa de egos, questões comportamentais ou situações deste tipo. Sabes quem é? Se sim, ele não foi aproveitado pelo FCP ou qualquer outro clube da I Liga por que motivos? (Abraço)

Miguel Nunes disse...

Manuel, sei perfeitamente quem é. Recordo-me de ver na TV a final do Euro que ele resolveu contra a Espanha do David Silva.

http://www.maisfutebol.iol.pt/seleccao/selecao-sub-17-portugal-2003/1450527-1194.html

mas n faço ideia do pq de nc ter dado. A passagem de júnior para sénior é absolutamente terrível. Quase n parece o mesmo desporto, e talvez na altura não houvessem equipas B... O jogador cai em divisões secundárias... pontapé para a frente e acontece aquilo que falámos no outro dia. Difícil sair dali se n tiveres o caparro de um segurança de discoteca...

DC disse...

Manuel, quem sentava o Moutinho eram o João Coimbra e o Paulo Machado, o Márcio era mais ofensivo.

Do que vi da carreira dele pareceu-me que sempre teve problemas de peso, portanto não devia ser grande profissional. Tinha um pé esquerdo fantástico mas apetecia-lhe pouco...
O Vieirinha e o Paulo Machado também tiveram alguns problemas de indisciplina mas esses ainda foram a tempo de salvarem a carreira, embora tenham perdido um lugar no Porto um bocado por causa disso (e também porque o Jesualdo dispensou tudo o que era puto com potencial no Porto, sem excepção).

Manuel Humberto disse...

Difícil sair dali se n tiveres o caparro de um segurança de discoteca, lol. "Só falta deixares que ele vá lá fora buscar um pau para me bater".

DC, as partes que li falaram no João Moutinho e no Miguel Veloso, e como Márcio Sousa era visto como muito melhor do que estes dois, mas sim, descrito como um fantasista, qualquer coisa como um génio. Mas foi por isso que fiquei curioso.

"E também porque Jesualdo dispensou tudo o que era puto com potencial no Porto, sem excepção", assim de repente tirando Nuno André Coelho que jogou frente ao Arsenal em Londres, não recordo um único jogador do FCP que na era Jesualdo (3 anos) tivesse sido aproveitado para a equipa principal.

hertz disse...

Por acaso a ideia com que fiquei deste caso foi de que o Xavi apenas deu a sua opinião à equipa técnica para corrigir ou melhorar algumas questões que ele achava que não estavam bem. Desde que não tenha faltado ao respeito aos treinadores não vejo mal nenhum nisso.

Em relação ao JJ, realmente é pena ele não ser mais flexível com os jogadores e ouvir as suas opiniões.

PP disse...

Quem é o Toni Grande? É o Del Bosque?

PP disse...

My bad! Já vi que é o adjunto do Del Bosque.

;)

https://en.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Antonio_Grande

GBC disse...

Manuel, a matéria-prima em boa verdade também não era muito boa...

Vendo os seus últimos 2 anos (zerozero), teve o Candeias que foi titular por 2 vezes no Campeonato na época em q esteve no plantel, o Rabiola também jogou 2 vezes no Campeonato (suplente utilizado), o Josué também lá esteve mas foi mt pouco utilizado (só na Taça da Liga), o Ventura foi titular 3 vezes (1 no Camp, 2 na Taça) e pouco mais... Acho q tb me lembro do Ivanildo andar por ali.

O único mais utilizado foi o Hélder Barbosa, que foi resgatado à Académica (penso) onde esteve emprestado a pedido do Jesualdo e ainda fez 7 jogos no Campeonato em 6 meses (mas titular, titular, só o foi para a Taça). Nesse ano, o HB tinha 20/21 anos (sénior de 2º ano, penso). O que se calhar dá a entender que é capaz de ficar por Braga este ano (o HB).

Talvez o Josué fosse o único q pudesse ter jogado mais... mas ainda era junior nesse ano...

Recordo-me de se ter comparado (Comunicação Social e portistas) o Barbosa com o Quaresma, dizendo que o primeiro seria o sucessor do segundo (visto q qd o Barbosa foi "resgatado", o Quaresma jogava no Porto...).

Roberto Baggio disse...

Miguel, eu vou mais longe... Os jogadores é que estão lá dentro, a jogar e a sentir o jogo. Eles, percebem, mesmo que não o saibam explicar, a dificuldade e o problema melhor que nós e de forma que não compreendemos logo. A forma mais rápida de chegar à fundo do problema, é questionar directamente o/s jogador/es... É uma daquelas coisas que eu e o André fazemos sempre. Ao intervalo dos jogos, nos treinos durante os exercícios, no dia a seguir ao jogo.
Quem não conseguir ouvir os jogadores e não tiver humildade intelectual suficiente não pode trabalhar com jogadores inteligentes... E como eu os adoro, os que questionam o treino, o exercício, o jogo.
Abraço

Hélder disse...

Sei de um jogador que deixou de o ser quando era lateral-esquerdo e o treinador o encostou por o jogador ter discutado a opção de marcar ao homem o extremo direito. Depois de meio ano encostado deixou de jogar aos 26/27. Desde então já subiu equipas ao Nacional de Iniciados e Juvenis em 5 anitos.

Isto para dizer que ser treinador de futebol, hoje em dia, é mais dificil porque para alem de um craque com a bola, podems ter no balneario alguem que perceba o jogo BEM MELHOR que nós e temos de aprender com ele sem dar muita bandeira para o resto do plantel.

Nas divisões inferiores acontece com muita frequência! Temos um Treinador com 15 anos de segunda liga e bola pá frente a treinar estudantes de futebol. Andas de manhã nas aulas a estudar a zona pressing e ao final da tarde segues o extremo direito para a casa de banho porque não o podes largar!! :D

Anónimo disse...

No futebol, como na vida, para se conseguir aceitar, compreender e aprender algo que seja contrário ao nosso pensamento é necessário ser-se muito inteligente. Especialmente quando se ocupa um lugar de "chefia", ter capacidade para argumentar e contrapor uma opinião contrária à nossa deve ser das coisas mais difíceis de fazer(tirando pela via da autoridade).
Guardiola é o treinador que é hoje muito provavelmente por saber ouvir quem o rodeia. Os jogadores, principalmente os mais inteligentes, devem respeitar muito mais quem os ouve e aceita as criticas construtivas do que um ditador.
ASA

Pedro disse...

Agora imagina Pablo Aimar e Saviola terem este tipo de conversa com o catedrático...

hertz disse...

Em relação ao JJ, eu tinha a sensação de já ter lido algo dele sobre esse assunto dos jogadores darem a sua opinião. Encontrei essa entrevista ao Record que ele deu no final da época 11/12.

Record: Já mudou alguma vez de ideias por sugestão de um jogador?
JJ: Já! O que lhes digo é que, desde que as ideias não coloquem em causa os interesses da equipa, estou disponível para ouvir a opinião dos jogadores. Agora, se vejo que é por interesse pessoal de um jogador, é para esquecer, nem vale a pena!

Anónimo disse...

Já ouvi o Jorge Jesus numa entrevista dizer que o Aimar era um dos seus treinadores dentro do campo.

Anónimo disse...

E o Hassan, caralho? Estás a ver o Hassan?

http://visaodemercado.blogspot.pt/2013/06/continuam-ignorar-o-potencial-de-ahmed.html

Pedro disse...

Tb já o ouvi dizer muita coisa, que ía ao Dragão para ganhar e tal...já não se liga muito a isso.
:)

PP disse...

No futebol, como tudo na vida há várias formas de fazer as coisas.

Escrito isto, e sem querer politicamente correcto, tanto um treinador, como um jogador, ambos podem ter a razão, com os argumentos apresentados por cada um, para levar a equipa ao sucesso.

Esta também é a beleza do futebol, o de resolver o mesmo problema de formas distintas.

E, acho que quanto mais os treinadores como os jogadores tiverem isso em mente, maior será a tolerância e até a confiança (que é preciso!), para levarem as coisas a bom porto.

Como diz o povo, é a falar que a gente se entende... mas eu vou um pouco mais longe e escrevo: é preciso estar disposto a ouvir e a falar, o que muitas vezes não acontece.

Por exemplo, o caso Casillas no Real Madrid. Tanto o espanhol, como o técnico português divergiram em questões que nem sequer tinham muito a ver com o que se passa dentro de campo, mas sim quanto à comunicação para o exterior. E, não houve disposição para entender o outro lado.

Hélder disse...

descubra as diferenças:

http://abola.pt/nnh/ver.aspx?id=411572

Manuel Humberto disse...

GBC, verdade, esquecia (mais uma vez) o Hélder Barbosa. Em boa verdade acho que isto ultrapassa um pouco Jesualdo, esteja quem lá estiver o FCP há muito que se habituou a desprezar jogadores das sua formação para o equipa principal. Durante alguns anos ainda se viam centrais muito bons, hoje nem isso. Mas os portistas (alguns) reclamam, e com alguma razão. O último jogador formado pelo FCP que recordo ter ganho notoriedade numa equipa grande foi mesmo o Tonel, não é?

A par disto, Jesualdo ganhou muita coisa no FCP mas na comparação com outros treinadores os seus plantéis não tiveram a mesma qualidade. Nessa medida Jesualdo não foi muito feliz. Tinha Lisandro, Quaresma e Lucho mas depois andavam pela equipa outros como Mariano, Farías, ou Rodriguez. Na lateral esquerda só Cissokho os satisfez porque antes disso tiveram sempre problemas, e do meio campo para a frente exceptuando as alas só mesmo Jorginho teve destaque. Jorginho era apreciável (para um grande, noutros clubes era realmente bom), mas claro nada a ver com James, ou mesmo Moutinho. Essa equipa tri-campeã do FCP sem Lisandro teria sido ultrapassada num par de anos pelo Sporting de Paulo Bento.

As equipas que por exemplo jogaram a final da taça em 2007/08, nome a nome, individualmente, apesar de "imagem" (porque os deles jogavam a Liga dos Campeões e tinham um perfil alto, ao passo que os nossos eram "jovens"), a equipa do SCP individualmente tinha mais qualidade que o FCP, mesmo considerando Quaresma e Lisandro.

Daí para cá, a partir de Villas-Boas, os plantéis do FCP excederam-se sempre e em termos de qualidade dos jogadores só mesmo o Benfica rivaliza. Estes últimos Portos são muito mais fortes que outros Portos bi-campeões e tri-campeões de outros tempos.

DC disse...

"«Gostei também da conversa que teve comigo. Pergunto-me em que posição gostava mais de jogar, se na ala ou a 10, e com que funções. Disse-lhe que podia jogar em qualquer uma delas, mas foi bom ter-me abordado sobre o assunto e me ter pedido opinião», completou Ribéry. "

É o melhor treinador do mundo e não é por acaso.

Roberto Baggio disse...

DC isso qualquer gajo com dois palmos de testa faz... Não é por aí :)
Abraço

DC disse...

Baggio, talvez. Mas não sei se conseguiriam dar esta imagem logo no 1º treino.
Não é só por ter ido falar com um jogador, até porque é sabido que Guardiola teve problemas com Piqué ou Fabregas, é porque, parece-me a mim, já planeou tudo isto e sabe bem "por onde pegar".
Cativou provavelmente aquele que vai ser o seu desequilibrador-chave e agora vai poder corrigir-lhe comportamentos e torná-lo provavelmente num candidato à bola de ouro, com ele muito mais aberto a aprender.