quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

António Conte apresenta: Juventus

Muito do falhanço da Juventus na Europa, apesar de possuir grande qualidade individual, passa pelo modelo de jogo de Conte.

9 comentários:

Luis Santos disse...

Baggio, confundes o Asamoah com o Ogbonna por 2/3 vezes. De resto, impecável. Gostei principalmente da situação da falta de apoio interior em que explicas que é mal executado porque falta gente na recuperação. Muita gente tem ideia que a opção pelo jogo mais interior ou mais exterior é só uma questão de gosto, mas nessa jogada vê-se bem que essa opção influencia muito as transições defensivas.

Roberto Baggio disse...

Luís,

Sim, tens toda razão. Confundi os nomes no vídeo. De resto, de acordo. A falta de apoios no meio, no início da construção, faz com que a equipa não tenha capacidade para fechar rápido os espaços importantes, com o número de jogadores adequado.

DC disse...

Contratações de Inverno no blog? :D

É estranho aquele posicionamento tão aberto do Vidal, ainda por cima quando o lateral mais ofensivo joga daquele lado. Chiellini ou Ogbonna são muito mais limitados ofensivamente e, pelo que percebi, têm menos apoio dos médios.
É pena este modelo, porque gosto bastante da Juve e têm um meio-campo muito bom. Por exemplo, para quê sair em passe curto no pontapé de baliza, se depois não há opções próximas para dar seguimento à transição? É um bocado incongruente, não?

Tomas Brolin disse...

o blog para ser bom tem de ter os melhores, DC :)

Roberto Baggio disse...

DC,

Lembras no posse de teres dito que não compreendias os resultados da Juventus? Tinha - te digo logo aí, pelos jogos que tinha visto que o modelo não impressionava.
Eles querem sair a jogar e progredir pelo corredor lateral, que é onde há menos riscos. Depois, tentam combinações com os avançados, ou cruzamentos, caso a bola chegue ao último terço com qualidade. O problema é que fazem "campo grande" com 4 jogadores, negligenciando a cobertura do corredor central. Até percebo a ideia de baixar os médios, porque, saindo pelo corredor, têm mais qualidade técnica e de decisão (mais segurança) para resolver as situações, mas depois os outros estão tão longe, e tão posicionados nas alas que não dá para chegar a todo lado. E não é só Vidal , Pogba também o faz.

Dennis Bergkamp disse...

Aquela saida de bola a partir de pontapé de baliza parecia futebol 7.

Parece que o modelo de jogo tem um ponto de partida giro, mas depois está claramente incompleto e falta-lhe ligação entre as coisas.

Aquela saida de bola pede, num segundo momento, vários apoios a aparecer para manter a saida no pé e eles não o conseguem fazer.

O mais fácil (ou mais visto) é um triangulo no meio campo que vem para receber (criando espaço onde estava), não recebe e vai embora, deixando o espaço livre para outro aparecer. Não tem de ser um triangulo, mas a dinâmica tem de acontecer, caso contrário o GR (ou outro qq) acaba por ter de bater na menina.

Quando via o video até pensei que numa fase seguinte na construição os AV (ou um deles, ou alguém) viesse dar soluções por dentro para não ter de se jogar sempre por fora.

Enganei-me e .. mais uma vez. Começo interessante, giro para um esboço, mas insuficiente para cativar e forçar a olhar com muito mais atenção.

Abraço!

Roberto Baggio disse...

Bergkamp o grande,

Também pensei que um dos avançados fosse baixar, mas não. Para eles as regras são claras, jogar entre a linha de meio campo e a linha defensiva. Para dar apoios quando bola chega ao último terço, sem perder a possibilidade de explorar a profundidade desde o primeiro passe. Assim, fica muito longe da forma como idealizamos o jogo.

FT disse...

Muito bom!
Destaco a falta de apoios frontais dos dois médios ainda por cima por serem quem são! Dois talentos com qualidade para dar e vender! É uma pena...
Já agora, no lance do golo, o Ogbonna também não fica nada bem na fotografia... Com um posicionamento tão bom é difícil acreditar que deixa entrar aquele passe.

Já agora, saúdo o regresso da actividade no blog! Continuem o excelente trabalho!

Cumprimentos,
Telmo Frias

Paolo Maldini disse...

obrigado Telmo, pela parte que me toca, ainda que não seja o autor deste texto. A ideia é manter o blog o mais activo possível :) mesmo que vá arrancando aos poucos.