sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Disso percebes tu. Fala Jesus.


Já o tínhamos dito, aqui: "o que me parece, para já, é que o Benfica perde em criatividade (por Matic apresentar maior variabilidade de recursos técnicos) logo na primeira fase. Apesar de Fejsa garantir muita agressividade sobre a bola e sobre os espaços, e com bola descobrir bem os colegas entre linhas, não tem tantos recursos quanto Matic, jogando simples em "todos" os momentos. Não obstante disso, Fejsa revela-se uma contratação muito acertada."

Jesus confirma aqui, "São dois jogadores completamente diferentes. O Matic é muito mais criativo tecnicamente, enquanto o Fejsa tem outras qualidades que o Matic não tinha quando chegou. É natural que o Fejsa possa adquirir muita qualidade em termos ofensivos, porque defensivamente já tem um conhecimento muito bom do que a equipa quer"

O que é que Fejsa tem que Matic não tinha quando chegou? Agressividade posicional, conhecimento dos comportamentos defensivos. Menos trabalho para Jesus com Fejsa, uma vez que as melhorias ofensivas surgirão com a maior confiança que irá adquirir, caso seja aposta regular no Benfica.

17 comentários:

Ricardo Perna disse...

Corrijam-me se eu estiver enganado, mas aquilo que o Fejsa já tem que o Matic não tinha é precisamente aquilo que o Jesus lhe poderia ensinar como ensinou o Matic: agressividade posicional, conhecimento da posição e comportamentos defensivos.

Aquilo que ele não tem é aquilo que provavelmente Jesus não lhe poderá ensinar, que é ser criativo tecnicamente, ou estou enganado?

E já agora, porque nesta discussão eu prefiro sempre inserir um terceiro elemento: era assim tão descabido que fosse antes o Ruben Amorim a substituir o Matic? É mais inteligente que o Fejsa, digo eu, e a agressividade e o músculo aprendem e ganham-se... ou não é nada disto? :)

E parabéns por voltarem, sempre fui leitor atento, embora pouco participativo, porque como dizem, p dizer asneiras mais vale estar calado e aprender... :)

Roberto Baggio disse...

Nem o Jesus, nem quase nenhum treinador do mundo. Pela idade que tem.
Mas ele é bastante competente com bola, e isso pode melhorar mais.

Eu prefiro o Fejsa, porque como já expliquei em posts anteriores no posse de bola, garante a dimensão física e agressividade que Matic levou com ele. Fejsa é forte nos duelos individuais, 1x1, bolas no ar, disputas de bola, velocidade, etc. E pelo menos nisso, o Matic não vai fazer falta. Isto pensando que o meio campo do Benfica joga muitas vezes em inferioridade numérica, precisas de um gajo que te coma terreno rápido. Que perceba a situação bem depressa, que garanta grande capacidade de resposta dos lances em inferioridade. Fejsa é desse tipo. É bastante mais rápido a perceber, decidir, resolver que o Rúben Amorim, isto defensivamente.

Mas isto é uma opinião pessoal. Se calhar o Maldini e o Bergkamp aqui do blogue pensam diferente.

Abraço

HerrKommandant disse...

O mais certo, e pela grande virtude de Jesus em potenciar jogadores, é que num curto espaço de tempo ninguém se vai lembrar do Matic, assim como aconteceu após a saída de Javi Garcia.
Eu pessoalmente vejo o médio defensivo como alguém que essencialmente está em campo para defender, alguém que ataca menos que (por exemplo) os laterais. Por isso quem ali jogar tem que ter os principios defensivos bem definidos e assimilados. Se conseguir acrescentar alguma coisa em termos ofensivos ainda melhor.

Ricardo Perna disse...

Pessoalmente, parece-me que voltámos ao Javi Garcia... com o Matic ele conseguiu fazer esquecê-lo e teve um upgrade, por causa da técnica. Mas aqui haverá certamente um downgrade para o nível do Javi Garcia. Não é necessariamente uma coisa má, porque se ele for igual ao Javi já é um grande elogio, mas fica a faltar qualquer coisa, principalmente num meio-campo que só tem dois elementos. Com Enzo e Matic, qualquer um deles galgava terreno, portanto era mais difícil. Só com Enzo, é barrar-lhe o caminho que o Fejsa nunca subirá tanto, e fica mais fácil.

O Amorim é bastante agressivo, e bem mais inteligente que o Fejsa na condução da bola. Até poderia ser uma boa preparação para o 6 da selecção no Mundial, que o Veloso...

Roberto Baggio disse...

Ricardo Pena,

Com 3 no meio campo, preferia o Rúben. Com 2, prefiro o Fejsa.

E atenção que ainda não vimos "tudo" o que ele pode fazer com bola, tal é o reduzido número de jogos que tem.

hertz disse...

Alguns ex-colegas e ex-treinadores já vieram dizer que o Fejsa é um pouco tímido em campo. Com o passar do tempo ele terá cada vez mais confiança e estará mais à vontade na equipa para arriscar mais e mostrar aquilo que ainda pode dar.
Tantas crónicas que leio a dizerem que o Fejsa só serve para destruir, mais nada. Não concordo nada com isto. Ele é forte nos processos defensivos mas não se resume a isso e nota-se que ele, quando está prestes a recuperar a bola, já está a olhar para o posicionamento dos colegas para ver que decisão deve tomar.

Já agora, anda aí tudo a endeusar o W. Carvalho. Não será Fejsa melhor que ele?

Roberto Baggio disse...

Hertz,

"Já agora, anda aí tudo a endeusar o W. Carvalho. Não será Fejsa melhor que ele?"

Para mim, sim. Já o tinha dito no posse de bola.

Baresi disse...

É de realçar que os melhores jogos de Fejsa, a meu ver, foram contra PSG em casa, e Sporting na terça-feira.
Equipas que causam mais dificuldades de marcação, por meterem sistematicamente 2 jogadores naquela zona de terreno, é a situação de jogo onde Fejsa se sente como peixe na água.

Não lhe podem pedir para ser Matic, porque ele não o é, mas vai com certeza melhorar. Os seus companheiros começam a perceber melhor os seus defeitos e virtudes, e tudo isso faz parte do processo de evolução de um jogador inserido numa equipa.

A sua alternativa é Ruben Amorim que gostei de o ver a jogar na posição 6 contra o Gil Vicente para a taça da Liga, e gostei menos para a taça de Portugal contra o Penafiel.

Acho que uma solução boa para JJ seria lançar o português nos jogos em casa, que tenham um grau de dificuldade menor para o campeonato em termos defensivos(Guimarães, Académica, Rio Ave, Olhanense e Setúbal) e que se exiga uma melhor construção de jogo numa primeira fase.
Conseguiria gerir melhor o esforço da equipa nessa zona do terreno.

Pedro Ribeiro disse...

o principal problema com o qual o Jesus e o staff técnico se vão debater é mesmo o historial de lesões do Fejsa. As qualidades do jogador já foram todas bem evidenciadas no post e nos comentários. Na carreira dele, sempre que atravessava bons momentos de forma, lesionava-se e iniciava novo ciclo (Partizan tendão de aquiles, depois no Olympiakos lesão mais grave ruptura de ligamentos e agora lesões menores no Benfica). Vamos ver se no Benfica ele consegue superar isto.

Dennis Bergkamp disse...

Antes de mais, concordo em absoluto com o post. O Fejsa é daquela posição de origem, o Matic foi adaptado.

O Amorim.. tal como foi dito, acho que rendia (como já mostrou) mais com 3 no meio campo, a inteligência e criatividade que tem ajudam o SLB a controlar mais o jogo. Vai ter ainda muitos minutos este campeonato.

O Fejsa é menos preparado para o processo ofensivo porque muito provavelmente fez a posição de médio defensivo toda a vida, nunca foi muito estimulado (ou pelo menos tanto quanto é exigido agora) para criar, descobrir situações de apoio frontal e por ai fora.

O Amorim fez isso tudo, mas precisava de ser ensinado a defender. Isso, e se calhar de perceber que se isso acontecesse... ia finalmente ganhar o lugar que talvez ache que merece. Se for para ir jogando, em vez de assumir claramente a posição, o que faz neste momento é mais que suficiente para as oportunidades que vai tendo.


Anónimo disse...

"...as melhorias ofensivas surgirão com a maior confiança que irá adquirir, caso seja aposta regular de Jesus."
Como que por magia...

Pedro disse...

Fejsa é bem melhor com a bola nos pés do que Javi. Tacticamente parecem ser muito semelhantes. Fejsa é mais intenso, "come terreno" (excelente frase) mais rapidamente.

Roberto Baggio disse...

Anónimo,
Não. Como que por necessidade, por reforço positivo, e depois por experiência.

Helder disse...

qual é a vossa opinião sobre o steven defour?

Helder disse...

qual é a vossa opinião sobre o steven defour?

Anónimo disse...

Se formos ver quando Matic chegou ao Benfica nunca tirou lugar a javi Garcia. Porquê?! Simples na posição que ocupava e que Fejsa ocupa agora era inferior e a defender e dar consistência na frente dos entrais e isso que se pede naquela posição. criativos e e habilidosos requerem-se mais lá à frente porque para aquela posição quer-se um jogador raçudo e que seja bom a estancar as ofensivas do adversário e entregar logo de seguida quando recupera a bola entregá-la ao companheiro para se inicie o ataque.... Logo Fejsa na minha opinião se conseguir fazer isso perfeito. Não vamos sentir a falta de Matic...

Roberto Baggio disse...

Helder,

Acho que é um bom jogador. Boa qualidade técnica, bom jogo posicional defensivo, se bem que com menos agressividade que, por exemplo, Fernando.

"Não vamos sentir a falta de Matic"

Como é que não se sente a falta do melhor jogador da equipa? Isto, claro, tendo em conta que o que entrou para o lugar dele não é do mesmo nível?!