quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Roy Keane


Fala a sério Roy... Falta de qualidade individual?! Do que se poderá então queixar o treinador do Olympiacos?! O Manchester United precisa de seis jogadores de grande qualidade?! Não foi este o plantel que deu onze pontos de avanço na época anterior?! Não foi este o mesmo plantel que há duas épocas perdeu o campeonato na última jornada, tendo terminado com os mesmos pontos do campeão?!

O antigo médio e capitão do Manchester United é a voz do povo! Ainda é daqueles que acha que é só juntar onze bons jogadores, e que o trabalho ficará feito. 
Não estará ele a esquecer-se do factor primordial? Aquele que é o elo de ligação entre onze individualidades?
O trabalho do treinador é o primeiro factor que influencia o rendimento de uma equipa. Uma escolha acertada nesse sentido garantirá maiores probabilidades de êxito numa época desportiva.
É só mais uma amostra daquilo que os ex-jogadores percebem do jogo. Ter jogado futebol não garante conhecimento do jogo, independentemente da qualidade que o executante tinha. E não garante, sobretudo, conhecimento ao nível do treino. E ao contrário do que se diz por aí não garante, por si só, experiência naquilo que é fundamental para a função de treinador.
Note-se que Roy Keane é neste momento treinador, e por sinal fraco. Já esteve no comando do Sunderland e do Ipswich Town, num total de cinco épocas como treinador.
Quem escolhe alguém com este tipo de opinião para comandar os destinos das suas equipas?!

O United precisa, sobretudo, de um treinador competente. Só isso.

15 comentários:

Anónimo disse...

Roy Keane como treinador do Sunderland foi péssimo. Contratava carradas de jogadores (a maioria deles conhecidos dele do United) e resultados não eram grande coisa. Conseguiu até a façanha incrível de perder 7-1 com o Everton do Moyes, e a única razão porque a equipa dele pairava sempre acima da linha-de-água é porque os plantéis dele eram sempre bastante melhores que os dos restantes candidatos à despromoção.

rsa disse...

Na minha opinião Fergunson deixou um presente envenenado é verdade que o MU é campeão em titulo mas trata-se de uma equipa velha desgastada física e mentalmente muitos dos jogadores já não têm motivação por isso independentemente da qualidade do treinador poucos fariam melhor com este plantel .
O titulo do ano passado bem como o segundo lugar do ano anterior têm como base primeiro a capacidade de motivação de Fergunson aos seus jogadores e depois o facto do MCity ter como treinador Roberto Mancini .
Acredito que este ano mesmo com Fergunson o M United poderia estar um bocadito melhor mas o campeonato seria uma miragem .
O M United vai ter que remodelar o plantel para voltar a ter sucesso.

Jorge Mendes disse...

A realidade de análise do Roy Keane é a realidade de análise global dos media desportivos aqui em Inglaterra. Para eles ontem o resultado foi devido a falta de "azar" porque a equipa teve mais posse de bola inclusive.

Ou outra pérola: "Moyes está a implementar uma nova "filosofia" pelo que a equipa precisa de tempo para se adaptar às "dinâmicas" exigidas pelo treinador.

O lance do Dominguez na 1ª parte é uma lição de como não se deve defender numa situação de transição defensiva.

Gonçalo Toste disse...

Eh lá.... já temos o Jorge Mendes a comentar aqui e tudo. Qualquer dia são convidados para escrever um Blog no Mónaco ou em Valência :)

Quem jogou tantos anos ao mais alto nível e continua sem perceber nada do jogo, sendo até treinador... não se pode pedir comentários inteligentes.

É verdade que o United tem menor capacidade individual que os rivais mais directos. Principalmente na defesa.... Mas quem tem jogadores como Rooney, Carrick, Cleverley ou Kagawa... que estranhamento numa é opção, deve ser porque é baixo e não consegue responder aos cruzamentos, não pode apresentar desculpas desse género, especialmente frente a uma equipa como o Olympiakos. A verdade é que o problema é do ponto de vista colectivo, nunca da qualidade individual... e o responsável é o fraquíssimo Moyes.

Anónimo disse...

Gostava de saber a vossa opiniao sobre o Everton de Moyes então.

Roberto Baggio disse...

"Na minha opinião Fergunson deixou um presente envenenado é verdade que o MU é campeão em titulo mas trata-se de uma equipa velha desgastada física e mentalmente muitos dos jogadores já não têm motivação por isso independentemente da qualidade do treinador poucos fariam melhor com este plantel ."

Mas é que só podes estar a brincar.
Nada do que escreveste aí faz o mínimo sentido.

Quando o modelo de jogo da equipa do ponto de vista ofensivo é isto:

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2014/02/david-moyes-apresenta.html

E quando defensivamente é isto: http://possedebolla.blogspot.pt/search/label/David%20Moyes

Só podes mesmo estar a brincar.

Anónimo, nunca vi o everton de Moyes jogar.

Tiago Ribeiro disse...

Aquele Everton que levou 7-0 do JJ.

Gonçalo Matos disse...

A qualidade individual do meio campo para trás no Man Utd é banal, tirando Evra mas do meio campo para a frente há 5/6 jogadores de topo, alguns com caraterísticas semelhantes e que conseguiriram interpretar da melhor forma um modelo de jogo dos mais complexos que há por ai.
Dessem esta equipa ao Klopp e iam ver o que era "intensidade" e "qualidade individual".
Mas de uma coisa o Keane tem razão, com o Moyes a unica maneira de melhorar é mesmo com jogadores melhores, porque ele não parece que vá acrescentar muito mais.

Miguel Pinto disse...

'É só mais uma amostra daquilo que os ex-jogadores percebem do jogo. Ter jogado futebol não garante conhecimento do jogo, independentemente da qualidade que o executante tinha. E não garante, sobretudo, conhecimento ao nível do treino. E ao contrário do que se diz por aí não garante, por si só, experiência naquilo que é fundamental para a função de treinador.' Infeliz, no mínimo, as duas 1ªs afirmações. Em relação à 3ª e 4ª estou completamente de acordo.

Roberto Baggio disse...

"Infeliz, no mínimo, as duas 1ªs afirmações."

Pelo motivo.....

FranciscoB disse...

É evidente que o United confiou demasiado em jogadores em fim de carreira como Vidic e Ferdinand... e quem substituiu Roy Keane ou Paul Scholes?

É evidente, como já comentado pelo Gonçalo, defensivamente só têm o Evra... é muito pouco...

Tb é verdade que se o treinador fosse outro estariam, em Inglaterra, a lutar pela Liga Europa como o Tottenham...

Mas, apesar de tudo, não me parece que tenham perdido a eliminatória com o Olympiacos.

Miguel Pinto disse...

Jogadores como o Roy Keane poderão não ter a 'tua' ideia de jogo mas certamente que entendem o que se passa durante o mesmo. Acho que é redutor dizeres que os ex-jogadores não têm conhecimento do jogo. Se isso fosse verdade, o Maradona, o Pelé, o Zico, o Platini, O Beckenbauer, entre outros, não fariam a diferença nunca. Eles poderão não possuir o 'teu' conhecimento, aquele em que acreditas, o saber sobre o saber treinar. Poderão não saber operacionalizar, por falta de uma boa metodologia de treino ou por falta de liderança, ou porque reflectem pouco sobre o jogo e não conseguem fazer o transfer para o treino. Mas não quer dizer que não percebam o que está a acontecer no jogo. E dás a sensação que és contra o facto de se apostar nos ex-jogadores para os cargos de treinadores. Eu sou contra essa aposta se eles não estiverem devidamente habilitados para desempenharem a função. Se será uma garantia do sucesso, só o tempo o dirá.

Roberto Baggio disse...

Miguel Pinto,

"Jogadores como o Roy Keane poderão não ter a 'tua' ideia de jogo"

Quem falou aqui de ideia de jogo?

Ele não tem ideia do que é o jogo. Que é completamente diferente de ter uma ideia de jogo diferente.

". Acho que é redutor dizeres que os ex-jogadores não têm conhecimento do jogo."

Eu não acho. Jesus diz o mesmo. Mourinho diz o mesmo. Guardiola diz o mesmo. Eu já o pensava antes desses o dizerem, porque estive em inúmeros balneários durante dez anos. Eles só vieram confirma o que já sabia. A grande maioria dos jogadores não percebe "nada" do jogo.

"Se isso fosse verdade, o Maradona, o Pelé, o Zico, o Platini, O Beckenbauer, entre outros, não fariam a diferença nunca."

Como treinadores?! Nunca o irão fazer. Eles que peguem num clube, e que competentes ao nível da organização para me provar o contrário. Não é por acaso que nenhum deles o fez, ou o fará. Tu confundes o saber executar, com o saber sobre o saber executar. E garanto-te que a esmagadora maioria, 90%, não tem esse saber. Pode ir adquirindo depois, com estudo, e reflexão sobre o jogo, mas até lá, o facto de terem sido jogadores nada diz sobre o conhecimento que eles têm do jogo.

"Eles poderão não possuir o 'teu' conhecimento"

Conhecimento do jogo é uma coisa global. E conhecimento do jogo é o suficiente para alguém dizer o United está mal, porque defende mal, com maus princípios colectivos. Porque ataca mal, por passar o tempo todo a cruzar. Depois disso, poderá dizer-se, o Manchester não tem qualidade individual. O que é mentira!!!!! E isso demonstra muito do que quero dizer.
Aliás tens inúmeros casos de treinadores que treinaram muito tempo, jogaram muito tempo, ao nível profissional, e pouco sabem. Por exemplo o H.Calisto, O Manuel José, e o Jaime Pacheco. É só ouvir o que eles dizem, e chega.

"Mas não quer dizer que não percebam o que está a acontecer no jogo."

Se não conhecem o jogo, não percebem o que está a acontecer no jogo. Isto é absolutamente óbvio. Claro que têm as ideias deles. Mas são ideias absolutamente erradas, porque lá está, falta conhecimento. Como é o caso destas de Roy Keane.

" E dás a sensação que és contra o facto de se apostar nos ex-jogadores para os cargos de treinadores."

Sou contra o facto de se apostar em treinadores que não têm conhecimento do jogo, ou não têm conhecimento do treino. Sejam eles ex ciclistas, cozinheiros, ou lojistas.

" Se será uma garantia do sucesso, só o tempo o dirá."

Apostar num treinador incompetente nunca será garantia de sucesso. Uma equipa pode ganhar o campeonato e não ser nem de perto a melhor que lá esteve. O sucesso, é a organização colectiva. E um incompetente não sabe o que é isso. Não sabe organizar uma equipa, não tem conhecimento para o fazer.

Walter of Allbano disse...

Baggio, já agora concordo com o anónimo e gostava de saber qual a tua opinião sobre o Everton na altura de Moyes.

Facilmente se percebe que o trabalho no Man. Utd é insuficiente, contudo, a ideia que eu tenho (de uma avaliação muito superficial) é que em termos de ideia de jogo até possuiam alternativas além do" ir à linha e cruzar."

Apesar das debilidades claras demonstradas, parece-me muito dificil jogadores do Man. Utd que são experientes no futebol europeu desaprenderem de um ano para o outro.

Uma equipa que foi bastante competitiva no passado não pode desaprender a abordagem a um lance de um ano para o outro. Ou será o Moyes assim tão mau?

Miguel Pinto disse...

'Apostar num treinador incompetente nunca será garantia de sucesso. Uma equipa pode ganhar o campeonato e não ser nem de perto a melhor que lá esteve.' Começo por esta tua afirmação: o Boavista do Pacheco foi campeão.
'Sou contra o facto de se apostar em treinadores que não têm conhecimento do jogo, ou não têm conhecimento do treino.' De acordo, mas só saberás se será uma má opção após conheceres o trabalho desenvolvido ou sem antes analisares a ideia de jogo do treinador.
'Se não conhecem o jogo, não percebem o que está a acontecer no jogo.'
Em relação a isto, torno a dizer que a esses ex-jogadores falta-lhes a capacidade de conseguir 'desmontar', fraccionar o treino, os exercícios, perceber a importância que o colectivo assume na criação de uma identidade, de uma ideia de jogo subjacente à cultura do clube. Mas isso não invalida que eles não conheçam o jogo, apenas o fazem como o comum dos adeptos. Portanto dificilmente poderão ser treinadores top como afirmas. Foi só essa diferença que quis realçar. Enquanto jogadores conseguiam interpretar, porventura sem necessitar do treinador, da melhor maneira todas as variáveis do jogo com sucesso porque percebiam, o que é que o jogo lhes 'pedia' para fazer. Na minha opinião haverá ex-jogadores com capacidade para treinar equipas top, como também existirão treinadores que, sem nunca terem jogado a um alto nível, terão competência para tal.