sábado, 1 de fevereiro de 2014

Shikabala

Ponto prévio, esta análise é baseada em vídeos soltos vistos no Youtube e no único jogo completo que consegui encontrar dele.

O novo reforço do Sporting acrescenta qualidade técnica, relativamente a Wilson Eduardo, sendo que as suas principais características são o drible e o remate. Apresenta-se como um jogador que não joga o jogo de forma colectiva. Procura, sobretudo, soluções individuais para os problemas que encontra no jogo. Essas características não são alheias ao facto, de ter passado onze dos quatorze anos da sua carreira no futebol africano. Futebol esse que propicia doses elevadas de sucesso nas iniciativas individuais, pela falta de qualidade colectiva das suas formações. Nota-se que, a cada toque na bola Shikabala quer sempre fazer algo fantástico. Quer ser notado, e resolver o jogo em cada lance, aparecendo em todos os momentos de decisão.
Aos 27 anos de idade vai ter dificuldades em impor-se, num campeonato imensamente superior aos que já disputou, ao nível de organização colectiva, e qualidade individual.

Fica a análise do jogo

13 comentários:

Joel disse...

Mas sem jogar o Sporting tem cerca de 30 . 000 gostos na rede social mais usada...o que parecendo que não, faz bem ao ego

Nuno Gomes Rodrigues disse...

Oh boss daqui da página, quem dá menos à equipa, o Capel ou este?

Ronaldinho disse...

Ahaha o Sabry do sporting

Daniel Martins disse...

Será que o Leonardo Jardim aprovou esta contratação? Pela idade e pelo ego que ele já demonstrou, duvido que este perna-longa queira aprender alguma coisa.

Anónimo disse...

so teoria que tens....

daniel duarte disse...

Que jogador horrível...

Roberto Baggio disse...

Nuno Gomes Rodrigues,

Não sou o boss da página, mas posso responder.
Do que vi neste jogo, e pelo que tenho visto nos vídeos, o este dá menos que o Capel. Mas como a análise é imprecisa, posso estar enganado.

Ronaldinho,

Por acaso o Sabry veio dizer isso mesmo.

Daniel Martins,

Contratação muito estranha. Cláusula de rescisão ainda mais estranha. Ao que parece, alguém acredita muito no valor dele. Não sei se o treinador teve muito a ver com esta escolha, mas não me parece que tenha tido.

Anónimo,

Já não é mau ter alguma coisa.

Daniel Duarte,

Pois....

GC disse...

O que me pareceu do video é que o rapaz tem pés, mas não faz ideia do que é futebol.

Tem 27 anos, é certo, mas tudo depende da vontade de aprender que ele trouxer. Se o Lahm e o Neuer, campeões europeus em título, e com o estatuto que isso acarreta, disponibilizaram-se a aprender novas ideias como se fossem juniores, porque não pode o mesmo acontecer agora com este egípcio? Ainda por cima motivado por mudar de realidade e vir para um grande clube.

É verdade que há relatos de vedetismo em relação ao Shikabala, mas os mesmos não são unânimes - não posso aceitar avidamente a opinião de Manuel José e ignorar completamente a de Manuel Cajuda, simplesmente porque sim.

Enfim, acho que o Shikabala tem o que falta desta época para mostrar o que quer da vida. Talento individual parece ter de sobra. Quanto ao resto, only time will tell.

Anónimo disse...

Considero a análise dos lances simplesmente sem sentido, começa logo aos 18 segundos quando sugerem que fizesse o passe para o colega que estava na frente, quando se vê nitidamente que o jogador se encontra em fora-de-jogo. E vai continuando com apontamentos a situações que em nada desvalorizam o jogador em causa. Não percebo o porquê destas análises sem qualquer sentido num blogue que até aqui tem mantido uma certa coerência.

Roberto Baggio disse...

O passe era para o colega que estava de frente para a linha defensiva. Ficando esse com duas opções de passe disponíveis.
Sem sentido foi esse comentário que não leva qualquer tipo de argumentação para caracterizar a análise como incoerente.
O jogador, baseado nesta análise, que tem um ponto prévio, é fraco!

Rui Côrte-Real disse...

Avaliar um jogador desta forma tem tudo que ver com o critério da análise. Seguindo o que foi aplicado no post, qualquer jogador pode ser considerado fraco, devido a subjectividade nele contido.

Quanto ao ponto prévio, tendo por análise a fraca qualidade das equipas, não me parece que aquela em que actuava Shikabala fosse um óasis táctico; logo, muitas das suas más decisões, estarão sempre ligadas a esse factor. Isto, óbviamente, tendo em conta o ponto prévio do post.

Continua(em) o bom trabalho.

Roberto Baggio disse...

Rui Côrte-Real,

Devo discordar desse ponto de vista. Uma vez que as decisões não se devem a falta de soluções, melhores soluções, para que ele dessa seguimento ao ataque. Se existissem falta de apoios concordaria, mas ele os tem lá, e não os utiliza. Num jogo inteiro um jogador não fazer os colegas jogarem uma vez, repito quando se vê que eles lá estão, nada tem a ver com o modelo de jogo. É pura e simplesmente má decisão do jogador. Decidiu mal, porque sempre esteve habituado a fazer isso. E se aos 17, um jogador desse perfil é craque, aos 27, é demasiado mau. Portanto, não acredito que vá encontrar muitos mais jogadores, em Portugal, por exemplo, que aos 27 anos ainda não descobriu que os colegas servem para se jogar com eles.

Rui Côrte-Real disse...

Apesar de compreender o ponto de vista apresentado, não concordo com ele, pois, como disse no post anterior, parte de uma análise altamente subjectiva. No entanto, respeito. Acredito que ao ser orientado por Jardim, e ao evoluir num colectivo como o do Sporting - está a léguas de qualquer outro por onde tenha passado - possa demonstrar as qualidades que tem.
O tempo e o treino serão o cimento do futebol de Shikabala, neste momento. Cá estaremos para falar dele e alterar os adjectivos que aqui se empregaram: "fraco" e mau".

Cumprimentos