quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Um FC Porto péssimo. E onde se fala do SL Benfica.

Zero de controlo, algum domínio. Mesmo com 2 a 0, sempre péssimo. 
Sectores muito afastados, equipa partida ao meio. Pouca disponibilidade para participar defensivamente de metade da equipa (sempre apenas cinco, máximo seis atrás da linha da bola). Ofensivamente com poucos apoios, com más decisões, apesar do Frankfurt também não concentrar demasiada gente atrás e próxima da bola. 

Sobra zero do enorme FC Porto de Vitor Pereira.

Há não muito, quando questionado sobre a melhor equipa do momento em Portugal, um jogador do Penafiel, apesar de ter perdido por quatro no Dragão, respondeu "Benfica. Contra eles não havia espaço para jogar".

Mau controlo do espaço é precisamente um dos graves problemas do FC Porto da presente época. A equipa não se move em conjunto e vendo o jogo pela TV, mesmo nos momentos defensivos nunca se conseguem vislumbrar muitos jogadores do FCP. Porque estão afastados. Em largura e em profundidade.

Mais espaço para os adversários jogarem, logo menos recuperações, menos bola, maiores probabilidades de sofrer golos. Contra os alemães o FC Porto é capaz de ter consentido tantos remates quanto em toda a edição da Liga dos Campeões da época transacta.

P.S. - Controlo completamente oposto ao do SL Benfica na Grécia. Sectores juntos, proximidade em largura e em profundidade e um jogo sempre demasiado tranquilo.

O posicionamento táctico tão díspar entre SL Benfica e FC Porto nos jogos Europeus que por vezes dava a sensação de que o Estádio do Dragão tem mais 20 metros de profundidade e 10 de largura que o Estádio do PAOK.

41 comentários:

Paolo Maldini disse...

"depois de mim virá quem de mim bom fará"

No FCP já está, falta sair Jesus.

Roberto Baggio disse...

Maldini, fartei-me de avisar no passado que os adeptos só iam dar valor ao VP depois de ele ir embora. Enorme treinador.
Quanto ao resto, totalmente de acordo, abram alas aos furiosos adeptos do FCP

Ronaldinho disse...

Só para dizer que o gajo das palas voltou no Benfica... Não tinha saudades

Ace-XXI disse...

Percebo a vossa analise sobre a diferença do FCP de VP para PF mas é preciso dizer que VP contou com Hulk, Moutinho e James e PF não tem jogadores que se aproximem sequer do nível deles.

Paolo Maldini disse...

Ace, não tem nada a ver com individualidades, apesar de Moutinho e James terem saido esta época e serem incríveis mais valias face aos substitutos, mas é uma questão colectiva sobretudo

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2013/02/fc-porto-x-malaga.html

compara... tudo junto, tudo perto, tudo demasiado bom.

Nesta época Otamendi (melhor central do ano passado) parecia fraco. Alex e Danilo que são estupendos parecem banais. Fernando idem. Mangala idem. O problema é colectivo. E sendo colectivo as possibilidades de fazer ficar bem as individualidades são ainda mais reduzidas (quando ainda para mais estas não são Otamendi, Lucho, Moutinho e James, pior,claro).

Tiago Regadas disse...

Não me parece que alguém gostasse de ver o FCP de VP jogar...

Paolo Maldini disse...

"depois de mim virá quem de mim bom fará"

No FCP já está, falta sair Jesus."


Por cá sp foi tido como, tacticamente, um dos melhores treinadores do futebol europeu.

Paolo Maldini disse...

e n foi pq teve 2 anos com apenas 1 derrota. Era pelo absoluto controlo e dominio quase sem igual, pelo menos desde os tempos de Mourinho, que a sua equipa tinha. Ganhar para ai 90 por cento dos jogos foi apenas consequência das suas magnificas capacidades.

Anónimo disse...

Segundo o Paulo Fonseca vão vencer em Leverkussen...

Rui miguel fortes disse...

ojogo do benfica foi tranquilo mais deviam era controlar o jogo com mais bola e deixar de meter a bola desenfreada nos coredores laterais

Anónimo disse...

«o enorme porto de vitor pereira» - porra num blog que me parece analisar táctica e futebol jogado de uma forma muito interessante e correcta ler um absurdo destes causou-me urticária.

Enorme em quê ? Na posse e posse e mais posse e posse outra vez (no meio campo defensivo, com passes lateralizados e nunca de ruptura) ?? Uma equipa que tinha de facto boa agressividade e pressão na recuperação de bola mas que tinha pouco ou nenhum rasgo, sem centelha de genialidade, categorizá-la de "enorme" parece-me um atentado ao bom nome do futebol.

Mas ok, se até o Cannavaro venceu uma bola de ouro... Desculpem o desabafo e continuem com o bom trabalho.

Luís Pedro

FranciscoB disse...

«o enorme porto de vitor pereira»

Só se for no Andebol...

O "Mais espaço para os adversários jogarem, logo menos recuperações, menos bola, maiores probabilidades de sofrer golos" no fócuporco do xonxeca não será por falta da amarelinha, por a UEFA estar a apertar?

Manuel disse...

Muito bom blogue que eu sigo há muito tempo e de que gosto muito. No entanto, quando vejo algo com o qual não estou de acordo tenho de fazer alguma coisa.
O VP durante 2 anos só sofreu uma derrota mas isso não foi apenas mérito dele. Longe disso! Comparem com o que ele anda a fazer agora. E como ele outros treinadores que passaram pelo mesmo sítio.

Porque a razão para tal façanha é exógena ao clube, como toda a gente bem informada já sabe há muito tempo.

Apenas um exemplo, leiam o que diz alguém que percebe uma ou duas coisas de estatísticas porque gasta tempo a investigá-las.


"Fez-se História!

ONTEM, DIA 02/02/2014 FOI UM DIA HISTÓRICO PARA LIGA ZON SAGRES!!!

No Marítimo 1 - F.C. Porto 0, com o penalti convertido pelo Derley aos 13 minutos, o F.C. Porto deixou de ser o único clube europeu que nos últimos 6 campeonatos não perdeu nenhum ponto diretamente com uma decisão arbitral, isto é, a percentagem era de 0% de pontos perdidos por decisão arbitral directa. Convenhamos que enquanto durou foi uma incrível proeza, foram realmente imensos jogos sem ter sofrido nenhum penalti ou expulsão que tivesse provocado a perda direta de qualquer ponto.
FINALMENTE APÓS 167 JOGOS ANALISADOS, O F.C. PORTO TEVE 1 JOGO EM QUE PERDEU 1 PONTO COM INFLUÊNCIA ARBITRAL DIRETA (O NUNO ALMEIDA FOI O PRIMEIRO ARBITRO A TOMAR UMA DECISÃO ARBITRAL RELEVANTE, PENALTI OU EXPULSÃO COM O QUAL O F.C. PORTO ACABA DIMINUINDO O SEU RENDIMENTO PONTUAL NUM JOGO."


Penso que dispensa comentários adicionais!

Roberto Baggio disse...

"Comparem com o que ele anda a fazer agora."

Mete o Guardiola e o Mourinho a treinarem um bando de picaretas que nunca ouviram falar de futebol, numa língua que eles não entendem, e depois vem-me falar do que eles vão conseguir fazer lá.

Gonçalo Teixeira disse...

E do Quaresma ninguém fala? Faz um golão. Todas as vezes que teve a bola nos pés tentou ultrapassar o opositor através do drible, tendo ou não colegas ao lado. Muito mau. Nunca pensei que jogasse um jogo tão diferente do futebol.

Roberto Baggio disse...

Gonçalo Teixeira, já foi falado no posse de bola.
Mas Quaresma é isso mesmo. Péssimo em tudo que envolva usar o cérebro. Invejável tecnicamente, jogador de instinto e confiança. Se os tiver nos índices certos, muito difícil de parar. Se assim não for, é superioridade numérica garantida para o adversário.

DC disse...

Já não há fúria baggio, só desilusão. Há quantos meses te disse que o pf era ridículo? Mas nós merecemos, basta olhar para esta gente que ainda aqui vem falar mal do vp. Nós merecemos ser treinados por atrasados mentais, somos adeptos que assobiam quem controla o jogo, que dizem que o tiki taka é chato... Este ano o porto não é nada chato, está sempre pertíssimo de sofrer golos. Animação é o que não falta para os idiotas que iam ao estádio assobiar o vp.

Baresi disse...

O Benfica hoje teve 4 jogadores habitualmente titulares no seu 11.

Notou-se grande diferença?
Nem por isso.
Antigamente, ao se trocarem 7 jogadores da equipa, era o ver se te avias.
Hoje em dia, nada disso acontece, neste Benfica. Acontece na Taça da Liga. Aconteceu na Liga Europa do ano passado. Jesus vai rodando o seu plantel, vai dando minutos aos jogadores, para se sentirem também importantes no plantel. Sulejmani e Djuricic fizeram hoje o seu 15º jogo oficial pelo Benfica.

Quando o colectivo é forte, quando se sabe o que fazer em campo, o previsível abaixamento da qualidade individual de cada um é esbatido devido à imensa qualidade colectiva que Jesus impõe aos seus jogadores, através de processos que estão assimilados há já muito tempo, e que são trabalhados durante toda a temporada.

Muita qualidade em posse, envolvência de vários jogadores nas transições (dificilmente vê-se no Benfica um jogador a ir pressionar um adversário sem ter por trás toda a equipa a pressionar alto, que nem um bloco), segurança, reacção rápida na perca de bola. (se não fosse para a recuperar, pelo menos para limitar uma possível transição rápida do Paok)

Silvio, Sulejmani, Djuricic, Markovic, Fejsa não estavam cá o ano passado, mas jogaram como se já por cá estivessem à anos.

O FCP jogou com 7/8 titulares absolutos da época passada.
Pareciam perdidos.

Se o que aconteceu na Grécia e no Dragão não forem obra do treinador, não sei o que será.

Paolo Maldini disse...

anónimo, passes lateralizados? o FCP de VP, que jogava como poucas na Europa dentro do bloco adversário, no seu 442 losango com James a desequilibrar tudo no meio da confusão...? passes lateralizados...? Continua-se sem perceber pq em 3 anos 1 derrota e agora em apenas 1 ano já 3...

JON disse...

É uma pena que deixem passar certos comentários...

Paolo Maldini disse...

Baresi, excelente o teu último comentário.

Jorge Mendes disse...

Só agora os adeptos do FCP parecem reconhecer o "génio e arte" de Vitor Pereira...pena que neste país para se ser conhecido no futebol tenha que se ser arrogante, mal educado e outros afins !!!

Manuel Tiago disse...

O Vitor Pereira era tão bom, mas tão bom, que quando saiu do FCP foi para o Barcelona, nop, para o Real, nop, Milan, nop, Juve, nop... Um clube qualquer nas Arábias onde parece que não está a fazer grande trabalho...

Manuel disse...

"Mete o Guardiola e o Mourinho a treinarem um bando de picaretas que nunca ouviram falar de futebol, numa língua que eles não entendem, e depois vem-me falar do que eles vão conseguir fazer lá."

Roberto Baggio desculpa mas não concordo nada, isso que dizes não são argumentos válidos. É próprio de quem não tem mais nada para dizer.
A linguagem do futebol é universal e não é preciso sabermos línguas para podermos explicar o que queremos explicar. Nesse caso como é que o JJ pode explicar a jogadores que não falam o português, como os sérvios?
Um treinador de futebol não anda a ensinar línguas nem leis.
Então como fazem os treinadores portugueses que vão treinar para outros países, como a Grécia ou a Jugoslávia, por exemplo? Ou o Toni no Irão?

Aqueles jogadores não são picaretas, têm alguma experiência e conhecimentos pois até já foram treinados por outros treinadores estrangeiros.

Para além disso o VP não é o único que teve sucesso lá no sítio e que depois nunca mais foi o mesmo. Olha para o Jesualdo, o próprio AVP. E há mais, por exemplo, o Adrianson, o brasileiro Pereira, etc.
Esta é a regra geral, porque Mourinho foi a excepção.
E isto são factos, não são opiniões.
As razões para este "fenómeno" são inúmeras e estão documentadas.



Artur Semedo disse...

por acaso não vi quase nada do jogo, porque fui treinar, mas, neste caso, a minha cadela. história curiosa - comecei a treiná-la com acompanhamento de um profissional porque ela, quando saía de casa, ficava histérica, e comportava-se como um pequeno diabo da tasmânia birrento. percebi, ao longo das aulas, que o problema era que eu não lhe impunha orientação nenhuma, abandonando-me ao meu pânico. agora, pouco tempo passado, ela já senta, fica, anda ao meu lado quase sempre com calma e domínio, meus e dela, e de mim sobre ela, e gosta disso porque tem boas recompensas e feedback. mas divago.
depois do banho e jantar, lá consegui ver a partir dos 50/55 minutos. a típica barba aparada em duplo pivô olhava do banco, com indisfarçável cara de pânico, para os jogadores que deveria orientar, e que se iam espalhando aparentemente de forma mais ou menos aleatória no terreno, tentando fazer pela vida conforme aquilo que cada um sabe. e, do pouco que se viu de positivo, surgiu sempre quando eles se decidiram aproximar e jogar um pouco mais juntinhos, até porque está frio para espaços arejados de 25 metros entre cada um, como parece ser o corolário das ideias (noções? fantasias?) do senhor que tanto bate palmas e diz "boa, boa!" quando um tipo remata a 35 metros da baliza em direcção à ponte do freixo tendo dois colegas em muito melhores condições de prosseguir a jogada, como quando as coisas de facto correm bem. nesses efémeros momentos, trocaram a bola rápida e objectivamente, e conseguiram recuperá-la igualmente, porque estavam mais perto da situação.
depois, chegou o minuto 67. talvez temendo que os jogadores começassem a conversar e a conspirar contra si, tal a proximidade que começavam a ter, retirou josué e lançou carlos eduardo, rapaz que acredito ser de boa gens, mas que, obedecendo cegamente à ordem de se afastar de todos os que se equipam como ele, para que os passes tenham de ser realizados a muitos metros, porque assim é que é bonito, quebrou ainda mais aquela malta toda. nem o segundo golo disfarçou o pânico, o desconcerto galopante, a incapacidade de os onze jogarem deveras como equipa e não como um agrupamento-recreativo-de-fim-de-semana-solteiros-contra-casados. o pânico entranhou-se nas sinapses daquela malta toda, e o empate surgiu como resultado tristemente óbvio, apesar de o bayern [sic] nada ter feito.
não interessa, porém, pois ganhar o jogo em leverkusen [sic] está dentro das capacidades da equipa... se isto não é sintoma do mais puro desnorte, não sei que seja!

Artur Semedo disse...

parece-me que os adeptos têm de escolher o que querem ver e sentir: um jogo que pode pender para qualquer lado, mesmo depois de conseguida uma vantagem de 2-0; ou um jogo que se pode afirmar que "acabou", no que a encontrar o vencedor diz respeito, quando a equipa mete o primeiro.
eu até confesso que houve vários jogos do fcp versão vítor pereira que me deixaram um pouco sonolento, mas sempre compreendi que até esses foram jogos absolutamente controlados: era quase impossível entrarmos em campo e sentir que ia ser muito complicado conseguir qualquer coisa - sabia-se que dificilmente sofreríamos golos, pelo que, no mínimo, se empatava. mas visto que se tinha melhores jogadores que os adversários, o resultado foi ganhar dois campeonatos quase sem derrotas. e a correr menos que os desgraçados têm de correr agora! se faltava algo mais nos últimos trinta metros, tal dever-se-ia à falta de jogadores mais criativos no plantel, ou, ainda por cima, às lesões ou baixas de forma dos que poderiam trazer esse extra ao jogo da equipa. no que um treinador conseguiria interferir, o vp deve ter feito duas vezes mais que qualquer um de nós poderia exigir!
porque sou ligeiramente masoquista, dou por mim a imaginar o fcp com este treinador (um moço que nos treina a dor de ver um jogo agarradinhos ao escroto e esfíncter apertado) e o plantel da época 2011-12! ia ser bonito ver cruzamentos para o hulk... ou, então, jogar-se-ia com o kléber: a cara de pânico dele para o banco, do banco para ele, dele para o banco, do banco para ele, até que a tensão acumulada fizesse desabar a cobertura do estádio!!!
ps: peço desculpa por não nomear o treinador actual do fcp, mas 1.º - nunca sei se ele é fonseca ou ferreira; 2.º - isto é prova evidente de que ele não vai ficar na história do clube; 3.º - assim sendo, não me apetece gastar memória inutilmente.
ps2: e mais desculpas peço pela extensão da verborreia, mas é que é tão triste, tão triste...

Miguel Pinto disse...

Como disse o Baresi, o SLB jogou apenas com 4 jogadores habitualmente titulares e o seu jogo não diferiu muito do que tem apresentado; interpretaram bem as diferentes fases do jogo e houve uma preocupação principalmente no processo ofensivo em não 'queimar' logo a posse de bola mas sim tentar desposicionar o adversário com uma boa circulação de bola. Raramente se via um jogador do SLB a transportar a bola por mais de 3 segundos o que denota um sentido colectivo mais aperfeiçoado e mais enraizado nesta equipa(nos anos anteriores não vi nada disto). Os momentos de pressão na fase defensiva foram quase sempre bem definidos perante um adversário com poucas armas para conseguirem criar desequilíbrios na fase de transição defesa/ataque. Já o FCP demonstra, em relação ao passado recente(AVB/VP) uma mudança de comportamentos para pior depois das saídas de Lucho e Otamendi e da vinda de Quaresma. Este consegue 'rebentar' com qualquer tipo de organização que o treinador queira introduzir. Penso até que irá ser mais um problema para PF do que propriamente uma solução. E pegando num exemplo de organização defensiva que existe neste FCP vejam logo no início do jogo (http://livefootballvideo.com/fullmatch/europe/uefa-europa-league/porto-vs-eintracht-frankfurtminuto 4.05 ), vejam como reage a linha defensiva do FCP ao movimento do adversário com bola. Tirem as vossas conclusões.

Calantrao disse...

No 4ª parágrafo a contar do fim, n é deslumbrar mas sim vislumbrar.

Parabéns pelo bom trabalho (de todos os membros).

p.s.: n é para publicar o comentário. Só achei que um bom post passava melhor sem uma falhazita.

Paolo Maldini disse...

Calantrão, obrigado. Já corrigi.

abraço.

António Teixeira disse...

Parabéns ao Maldini pelo post, e aos idiotas que teimam em contribuir com asneiradas e com ofensas clubísticas, um grande bem-haja, e que a vida vos tenha em conta.

Cumprimentos,
António Teixeira

Baresi disse...

Por contingência do calendário, o FCP apanhará no domingo a pior equipa do nosso campeonato, para este momento da época.
Motivação para se ganhar ao Estoril existe pouca, mas as dificuldades que a equipa de Marco Silva poderá pôr a este FCP, serão de grau elevadíssimo.
Se a bola não entrar nos primeiros 30 min então, a coisa poderá não se tornar muito fácil para Paulo Fonseca.

Jogo interessante de seguir

Roberto Baggio disse...

Manuel,

Mas o que conheces tu sobre a realidade do treino? Sobre as questões que dificultam a operacionalização de um modelo de jogo? Da cultura? Da capacidade de aprendizagem?
Aliás, o que percebes tu de qualidade de treinadores para dizeres que os picaretas foram treinados por treinadores bons?
Só porque são estrangeiros?
Treinadores com más experiências não são treinadores. Por exemplo, Toni, é um péssimo treinador e um péssimo exemplo. Como Manuel José, entre outros.

Não conheces nada da realidade de treino para fazeres essas assumpções. Limita-te então a falar de teorias da conspiração, porque nisso está visto que és mestre.

PS: Espero que a tua falta de conhecimento já seja argumento, de quem tem argumento.

PepAlves disse...

Eu como portista tem de dar a mão à palmatória. Nós, com VP, éramos muito melhores, de longe. Havia bons princípios de jogo. De destacar o pressing e a forma como os sectores se ligavam entre si.

Pecava só na falta de uma maior profundidade no ataque, talvez, por falta de uma maior qualidade dos praticantes. Faltava Hulk, por exemplo.

Bruno Pereira disse...

Continuo boquiaberto com tudo o que se tem passado. Lembro-me de posts do PB aqui neste blog a elogiar tanto o Paços como o seu treinador. Devido à minha ignorância em muitos dos aspetos aqui tratados continuo sem perceber o que mudou em Paulo Fonseca do Paços para o FCPorto. Com um clube com a melhor estrutura em Portugal, com a equipa já tão bem oleada por Vitor Pereira, não seria de prever que Paulo Fonseca brilhasse sem muito esforço? (Já que parecia saber tanto do jogo pelo trabalho que fez em Paços). É que parece-me que está a tentar fazer no Porto aquilo que não tentou fazer no Paços... não seria suposto as ideias de jogo manterem-se? (pressão alta, equilibrio posicional, distância curta entre setores, etc) Ajudem um leigo a perceber pf :) Abraço e obrigado pela regularidade e qualidade dos posts :)

Rafael Antunes disse...

Adeptos portistas dão valor a VP depois de VP sair, assim como os adeptos benfiquistas darão valor a JJ quando JJ sair!!! É um bocado da nossa cultura de só valorizar o que tínhamos e não o que temos, umas vezes por pura ambição outras por pura ignorância!!!!

Só me fica sempre uma questão... Um treinador que fez o que fez em Paços de Ferreira não pode ser considerado um treinador qualquer no panorama nacional... Será treinador para o F.C.Porto? Parece que não... Mas não terá também aparecido num F.C.Porto em mudança/adaptação a novas realidades?

Cumprimentos!

Pedro M Magalhães disse...

A vossa adoração por Vítor Pereira tem razão de ser. Na maioria do tempo de jogo, são as equipas dele que têm a bola. Não deixam o adversário jogar, sufocam o espaço. E isto vai claramente de encontro à premissa básica do futebol: se não tens a bola, não ganhas.

Mas a questão que se impõe às equipas de VP, depois, é a seguinte: têm a bola mas não criam situações de golo suficientes. A criatividade do FC Porto a época passada dependeu sempre de James. Ainda que houvesse aproximação entre linhas, várias linhas de passe, o FC Porto de VP não entusiasmou como o FC Porto de Villas Boas (Villas Boas nem sequer tinha James). O SC Braga do Peseiro, ofensivamente, por exemplo, encantava mais do que o FC Porto.

Para concluir que VP é exímio defensivamente, dos melhores do mundo até, mas do ponto de vista ofensivo ainda carece de algo mais para chegar a um patamar mundial. Escusado será dizer, também, que é muito mais evoluído que Paulo Fonseca.

cumprimentos

Edson Arantes do Nascimento disse...

Villas-Boas teve James!

E Falcão, Hulk, Moutinho... Grande equipa.

Tyler Durden disse...

«o FCP de VP, que jogava como poucas na Europa dentro do bloco adversário, no seu 442 losango com James a desequilibrar tudo no meio da confusão...? passes lateralizados...? Continua-se sem perceber pq em 3 anos 1 derrota e agora em apenas 1 ano já 3...»

@Maldini

jogava como poucas na Europa? Na Europa ? Perguntamos ao Apoel, Zenit, Málaga (tudo colossos) ? O Porto europeu de VP foi miserável e banalizado por muita gente, portanto de melhores da Europa estamos conversados, porque ser forte com os fracos e fracom com os fortes...

James a desequilibrar...pouquinho, porque na época passada deve ter jogado pouco mais de 1/3 dos jogos e o seu rendimento foi pobre, arrisco dizer que terá sido a sua pior época (as lesões terão contribuído, claro), portanto esse desequilíbrio que falas não me foi perceptível na última época.

E finalmente Vitor Pereira não teve uma derrota em 3 anos. Primeiro só treinou 2 e depois teve inúmeras derrotas nas Taças portuguesas e nas competições europeias. Uma derrota em 2 Campeonatos nacionais? Ok. É essa análise restritiva ao competitivo e impoluto campeonato português que o torna genial ? Parece-me curto. Como curto me parece o mérito de Vitor Pereira enquanto técnico de craveira, mas cá estaremos para analisar o que o futuro trará.

Abraço

Paolo Maldini disse...

Tyler, gosto do nick...

O James fez 24 jogos em 30 no campeonato, marcou 10 golos e se bem me lembro foi o jogador com mais assistencias da liga (se tiveres tempo confirma no maisfutebol q eles costumam controlar isso. Mas... eu nem justifico rendimento com esses números). Foi na sua ausencia q o FCP se atrasou na classificação (4pts)

O VP esteve 3 anos no FCP, e naõ 2. Em 3 anos só perdeu 1 jogo no campeonato

na época passada foi eliminado das taças (portugal e liga) só qd ficou com 10. Na champions foi igual.

cumprimentos

Paolo Maldini disse...

faltou só dizer q na liga dos campeoes do ano passado só teve 2 derrotas. Em Paris 2 a 1, devido a um frango monumental do Helton e em Malaga, onde terminou com 10 por burrice do Defour. De resto, 8 jogos 5 vitórias numa champions não é para todos.

na época anterior é q foi bastante fraco (2 derrotas no grupo de Zenit Apoel e Shaktar)



mas, isto são coisas que não me dizem nada... sobre a competência ou nao dele. Eu tb acho o JJ fantástico e toda a gente o acha o pior da história do SLB (qd na verdade é capaz de estar é entre os melhores)

Tyler Durden disse...

Acerca dos númerod do James, se dizes eu acredito. O que escrevi foi sobretudo a ideia que tinha visto "de fora", mas o que me parece inegável é que o colombiano fez uma época abaixo das anteriores.

Esteve 3 anos mas 2 como técnico principal, e acho que a discussão é sobre isso: as suas capacidades como treinador e não treinador adjunto ou de juvenis. Até para não menosprezar AVB.

Depois falas das 3 eliminações devido a estarem reduzidos a 10. É uma perspectiva. Só que é tão válida como eu dizer que só perdeu 1 jogo em 60 (da Liga) porque não ficou reduzido a 10 mais vezes (e em muitas devia ter acontecido). Portanto acho redutor limitarmo-nos à inferioridade numérica como explicação das derrotas (e já agora, no momento dessas expulsões o Porto não estava em vantagem em nenhum dos 3 jogos).

Mas tudo isso se refere apenas à última época, na anterior essa "desculpa" não serve. E depois 5 vitórias em 8 jogos (4 jogos com Dinamos, de Zagreb e Kiev não é grande amostra) não serviram para ficar em 1º do grupo ou eliminar o estreante Málaga.

Mas concordo quando dizes que não é por aí que podemos dizer se um tipo é ou não bom treinador. Não digo que não seja competente, não lhe encontro é nenhum "golpe de asa", nenhuma sagacidade característica dos grandes treinadores. Talvez seja eu que não esteja a ver a "big picture", o futuro provará quem tem razão.

P.S. - O Jesus está a léguas de ser o pior, tacticamente é o melhor desde Eriksson e já está na História como um dos melhores do Benfica. Tivesse ele o dom da palavra e conseguisse estar no domínio do psicológico e dos mind-games como está no trabalho de campo e seria tão bom como os melhores, mas burro velho não muda...

Abraço e parabéns pelo blog interessantíssimo que permite estas "discussões".