segunda-feira, 3 de março de 2014

André Gomes, Ivan Cavaleiro, Nélson Oliveira, Tiago Silva e João Mário

Há uns anos, um treinador (não recordo qual. Mourinho / Scolari?) quando questionado sobre a dificuldade que é treinar craques, respondeu de forma tão assertiva quanto brilhante que trabalho dá trabalhar com os que pensam que são craques sem o serem.

Nada mais factual. São os que não têm percepção das suas qualidades e/ou sobretudo dos seus defeitos, os piores jogadores com que se pode lidar. São normalmente os jogadores com pouca compreensão do que é o jogo os que mais dificuldades revelam em perceber o que podem dar, o que devem dar, e acima de tudo o que não é para eles. Mostram-se pouco disponíveis para aprenderem e raramente atingem o seu potencial.

Ainda não era sénior já Nélson Oliveira era um nome badalado no futebol. Quem trabalhou com o avançado uns anos garantiu numa conversa de amigos que o "craque" era fraco cognitivamente. Contudo, o potencial físico e técnico é por demais evidente, e o português tem aquelas qualidades quase inatas, que pouco se podem trabalhar. Tem potencial para ser o avançado da selecção por várias épocas. Porém, ser chamado demasiado cedo à selecção e elogios desmedidos, aliados à fraca capacidade cognitiva fizeram-o sentir-se ainda bastante mais que o que é. Possivelmente menos aberto a novas aprendizagens, menos disposto a jogar em realidades condizentes com o seu real valor, Nélson apesar de ainda bastante jovem tem tudo para nunca chegar sequer a 50 por cento do seu potencial. Talvez andar a jogar na 5a divisão de França possa fazê-lo aprender qualquer coisa. Duvida-se fortemente disso, contudo. Naquela cabeça será sempre um Ibrahimovic injustiçado pelo mundo do futebol.

André Gomes e Ivan Cavaleiro não estão nem perto do nível do onze mais forte do SL Benfica. Nem do da selecção nacional. Têm poucos jogos na Primeira Divisão nacional, mas não é por isso que não podem/devem ser chamados à selecção de todos nós. É mesmo por uma questão de qualidade. Actual, pelo menos.

André Gomes tem crescido. Não joga muitos minutos, mas treinar todos os dias naquele grau de exigência, com aquele nível de estímulo obriga-o a adaptações muito grandes para sobreviver no seio de um grupo com tanta qualidade. Os relatos que surgem de impaciência do jovem perante a menor utilização poderão ser indícios perigosos. É certo que a sua realização pessoal passará sempre por jogar mais tempo, e é certo que na próxima época deverá pedir um empréstimo para se sentir mais feliz, e também poder evoluir e demonstrar mais qualidades para um eventual regresso. Ivan Cavaleiro passou de não convocado para o Mundial u20 para a selecção principal em alguns meses. Na altura referimos que o extremo do Benfica pelo perfil de decisões que tem não apresentava um grande potencial de desenvolvimento. Apesar do sucesso e impacto que vem tendo há dois anos consecutivos na Segunda Liga, a opinião vai-se mantendo. As características físicas são muito importantes, mas só atinge a excelência e contribui fortemente para o sucesso de uma grande equipa quem mostra mais qualidade na tomada de decisão. 

O maior risco destas chamadas totalmente injustificadas à selecção A, é sobretudo um risco para o próprio jogador. Oferecer de mão beijada um estatuto a quem ainda não tem qualidade para o ter, pode ter um impacto negativo no próprio jogador, se cognitivamente não tiver percepção do seu real valor, e paulatinamente mostrar-se menos disponível para a mudança e evolução.

Longe dos holofotes da fama segue João Mário, emprestado ao Vitória de Setúbal, jogando pela primeira vez de forma regular na Primeira Liga, ganhando bagagem e intensidade competitiva para mais tarde se poder integrar com mais possibilidades de jogar no plantel do Sporting. O jovem médio tem um enorme potencial. Não é um "dez" na criação como em tempos se quis fazer passar, porque não abunda a criatividade, mas é bastante interessante pela sua qualidade técnica e inteligência, além de contagiar a disponibilidade com que se dá ao jogo.

Ainda mais afastado da fama, o melhor potencial de todos. Tiago Silva. A passar por uma época bastante complicada por tantos meses inapto, parece ter perdido o seu primeiro ano de Primeira Divisão. Ele que no Estádio da Luz na primeira volta fez provavelmente a melhor exibição individual de um forasteiro no estádio do líder na presente época. Enorme criatividade e qualidade técnica, o miúdo é um talento. A facilidade com que quebra as linhas adversárias em condução, sempre de cabeça levantada, e a forma como vê mais além fazem dele uma das boas promessas do futebol nacional. Ainda lhe sobram alguns meses para salvar um ano que prometia ser bastante diferente, depois de ser a revelação da Segunda Liga na época passada.

25 comentários:

Roberto Baggio disse...

http://www.zerozero.pt/noticia.php?id=133916

Roberto Baggio disse...

http://possedebolla.blogspot.pt/2014/01/mas-nunca-fui-uma-verdadeira-aposta.html

Deixa-me só reforçar, que escrevi isto, e mantenho.

Apenas, com um ponto pertinente. Não faria sentido um plantel do Benfica com 20 jogadores de alto nível, e 5 lugares em aberto para jovens com margem de progressão?! Ainda que os jovens competissem pela equipa B?!
É que olha-se para Bernardo Silva, e é uma lástima não haver, sequer, espaço para ele treinar com a equipa principal.

Pedro disse...

Acho que foi mesmo Jorge Jesus que disse que treinar craques é fácil, difícil é treinar quem se acha craque e não é.

"Não faria sentido um plantel do Benfica com 20 jogadores de alto nível, e 5 lugares em aberto para jovens com margem de progressão?! "

Não só faz todo o sentido como tem que ser esse o caminho a seguir, acima de tudo pelo factor financeiro.

Joel disse...

Baggio,
Eu estava no estádio a ver o jogo em que resultaram as críticas do Abel !! E correr com Enoh ou Drame, é realmente algo que eu nao faria...são muito muito fraquinhos... Os putos da B devem estar muito desmoralizados por verem esse tipo de jogador a ter minutos...

Joao Rodrigues disse...

Sou adepto do Belenenses, e para mim também não ajudou depois desse jogo com o Benfica na luz, o Tiago ir para o banco, para mim ele é o melhor jogador do Belenenses, espero sinceramente que até final da época seja ele e mais 10.

Henrique disse...

O Ivan Cavaleiro parece-me que poderá ser o 4º médio ala do Benfica.

O André Gomes não vai para o Valência para o ano?

Tim disse...

"para mais tarde se puder integrar com mais possibilidades de jogar no plantel do Sporting": escreve-se poder.

Tim disse...

"para mais tarde se puder integrar com mais possibilidades de jogar no plantel do Sporting": escreve-se poder.

Paolo Maldini disse...

corrigido, Tim.

Anónimo disse...

Pedro esse comentário foi do Scolari

ricnog disse...

Acho que nos 2 3 primeiros anos de sênior e com isto das equipas b, jogadores como o André Gomes, têm muito a ganhar em treinaR com os melhores.....aprende mais que jogar num clube com o calisto, ou o Abel Xavier...ficando sempre a incógnita se com estes jogavam........!!

Nem todos os juniores bons tem qualidade para vingar nos seniores.....principalmente no Benfica, porto e etc....as exigências são outras!!

Sinceramente não vejo muita qualidade no ivan cavalero....vejo no André Gomes um potencial enorme, mas que me parece que vai ser apenas isso.....tal como o Nelson Oliveira.....!! Comparando com o nível de aprendizagem de markovic, um matic, um james, etc, são jogadores com muita qualidade e eu gostam de aprender......acima de tudo não tem medo de ter a bola!!! Não se escondem.......

Pedro disse...

"Pedro esse comentário foi do Scolari"

Ok. Então o JJ repetiu a frase.

Baresi disse...

Vi o João Mário no NextGen contra o Inter e foi o jogador que mais me impressionou nesse jogo, pela maturidade apresentada. Acho estranho o Sporting ter ido buscar o Vitor, se tinha este João Mário para lançar na equipaB, para jogar na mesma posição.


Ivan Cavaleiro é um caso á parte, conheço a sua agência e sei de várias histórias dele. Posso só dizer que tem o nível cognitivo parecido com o de Nelson Oliveira.
Sempre fez a diferença nas camadas jovens, porque fisicamente era fortíssimo, quer em velocidade quer em arranque.
Se conseguisse soltar a bola mais vezes, e em condições, era melhor para ele e para a equipa.
Como alguem me disse uma vez, no máximo será um Varela.
Com tudo o que de bom e mau isso possa ter.

André Gomes já falei dele, tem um enorme potencial, e por isso é que foi comprado por 15M€ com 19 anos. É o destro com melhor pé esquerdo a jogar em Portugal, mas acaba por não evoluir tanto devido a estar no Benfica e ter um grande grande Enzo Perez a tapar-lhe o lugar (por mais alguns anos, de certeza).
No Sporting de Jardim, seria uma peça importantíssima, ás vezes é tudo uma questão de estar no sitio certo à hora errada.
Dos 4 que conheço, é aquele que tem mais hipóteses de ter uma boa carreira futebolística, ao mais alto nível, porque tem algo que não se compra nem trabalha: talento.

pouco_barulho disse...

Um destes casos que me parece claríssimo é de Juan Fernando Quinter, uns atributos técnicos de jogadro TOP, mas com um auto-estima também TOP. Na minha opinião ele pensa ser Diego Armando Maradona, mas o longe que ele está desse nível

FranciscoB disse...

André Gomes devia jogar a extremo esquerdo... não defende bem ou não gosta/quer defender... fico na dúvida se tem falta de humildade e se tem vontade de aprender e evoluir...

Ivan Cavaleiro, tem humidade e vontade de evoluir. Tem grande potencial para ser um bom extremo ou 2º avançado... ainda não toma a decisão certa em cada jogada quer para finalizar quer para assistir...

Nelson Oliveira só ainda não é um flop por ser muito jovem... esperemos que melhore... por vezes, este tipo de jogador só "explode" mais tarde, com 27 ou 28 anos...

Não conheço os outros 2.

Manuel Humberto disse...

"Acho estranho o Sporting ter ido buscar o Vitor, se tinha este João Mário".

Baresi, sem qualquer conhecimento de causa (e portanto um comentário não tem qualquer valor), julgando pelos indícios, o Sporting nos últimos já mostrou não se guiar unicamente pelo critério desportivo na gestão que faz dos jogadores na equipa B. Ao nível de entradas e saídas. E ao nível de utilização na equipa. O J. Mário antes de ser emprestado pouco jogava. Pois ...

Podes lá ter um Rivaldo e um Ronaldo (Fenómeno) já assim direitinhos prontos para jogar que se tiverem alguma inteligência e não aceitarem contratos até 2025 com cláusulas de 80 milhões de Euros, o Sporting despacha-os.
Agora é só gente esperta mas ainda bem que ele mudou de ares, ainda o punham a aprender com o Shikabala e o Magrão e isso era um bocadinho chato para o João Mário.

Baresi disse...

Por acaso eu também pensava que o João Mário jogava pouco, mas fui ver ao zerozero.pt e ele em ano e meio fez 44 jogos na equipa B e foi titular em 39.
Mas por acaso acho estranho ele ter sido tão pouco falado para a equipa A.

Já a "exportação" de Zezinho para a Grécia me causou estranheza, porque me pareceu um bom jogador, nos jogos que vi a época passada.

Unknown disse...

O Ivan Cavaleiro não acho que se irá perder, até porque me parece que há pouco para perder. Apesar de tudo parece alguém esforçado e dedicado à coisa. Vai ser um Varela mais rápido mas ainda mais parvo.
O Nélson foi um gajo que no ano do mundial parecia bastante bom e com potencial. No ano seguinte integrou a equipa A do SLB e fez alguns joguitos, mas nunca me pareceu que desse tudo por tudo para se sair bem. Parece que vai ser uma eterna promessa devido à falta de empenho e ao mau íntimo (situação no Depor).
O André Gomes é outro caso tipo Nélson, um gajo com potencial mas que parece que não se esforça, não aproveitando as oportunidades que tem. Apesar de tudo ainda é muito novo e esta falta de empenho pode ser impressão minha e ser outra coisa que esteja a falhar na evolução dele.

Miguel Pinto disse...

Em relação ao post, entendo ser cada vez mais pertinente a inclusão de um psicólogo nas equipas técnicas de forma a que os jogadores e os treinadores consigam potenciar todas as suas qualidades, quer nos momentos adversos, quer nos momentos óptimos. Acho que este assunto teima em ser relegado para 2° plano porque não tem visibilidade no imediato. Lá está, ninguém tem necessidade daquilo que desconhece, como diria, salvo erro, o Prof. Vitor Frade

Tywin Lannister disse...

Peço desde já desculpa pelo alongar do comentário, mas quero tecer algumas considerações sobre um dos jogadores mencionados neste artigo, o João Mário do Sporting.


Baresi disse...
«Vi o João Mário no NextGen contra o Inter e foi o jogador que mais me impressionou nesse jogo, pela maturidade apresentada. Acho estranho o Sporting ter ido buscar o Vitor, se tinha este João Mário para lançar na equipa B, para jogar na mesma posição.»

Salvo erro, o Abel disse no início da época que o João Mário era já um "jogador feito", mas mais lá para a frente, aparentemente em Novembro, o João Mário foi substituído e mostrou insatisfação por tal e a partir daí, pouco ou nada voltou a jogar pela Equipa B.

Leonardo Jardim supostamente observou todos os jogadores ao seu dispor, equipa B incluída e parece que nunca se interessou pelo João Mário... Não sei se é devido à idade, se à fraca intensidade que colocava no seu jogo.

Olhando para o plantel do Sporting, posição a posição, há jogadores já com 6 ou 7 anos de sénior, mas com imenso talento, outros que só têm 4 anos de sénior, como são os casos do Cédric, o William Carvalho ou o André Martins.

Tendo em conta as posições que o João Mário pode fazer, com a idade que tem e com a reduzida experiência que tem, quer a 6 quer a 8, havia Rinaudo e há William Carvalho, com este a encostar o argentino e a obrigá-lo a mudar-se para o Catania, e há Adrien Silva e André Martins (este a pisar terrenos mais adiantados), sem esquecer Gérson Magrão, e mais tarde Vítor Silva, que vieram para dar mais experiência a uma equipa cuja quase maioria dos seus habituais titulares e suplentes mais utilizados, ronda os 24/25 anos de idade, excepção feita ao Eric Dier (pouco utilizado) e André Carrillo, e mais recentemente, o Carlos Mané.

Com tão poucos jogos esta temporada para a equipa de honra do Sporting, João Mário poderia fazer um ou outro jogo pela equipa principal, de resto ficaria pela equipa B, a ocupar o lugar de outro jogador, que foi a meu ver, o erro cometido pelo Sporting ainda em Agosto.

Ainda me recordo de casos exemplares como o de Ricardo Carvalho, rodou 3 temporadas em 3 equipas diferentes, o Fernando Couto, rodou por 2 clubes diferentes em 2 épocas, o mesmo acontecendo com Jorge Costa, todos centrais com dezenas de internacionalizações que tiveram de rodar antes de se afirmarem nos seus clubes de origem. O John Terry também penou várias temporadas como suplente de Marcel Desailly ou Frank Leboeuf, antes de afirmar como titular na defesa do Chelsea.

Tirando os jogadores da linha da frente, e excluindo os avançados, são poucos os treinadores que arriscam colocar um atleta com pouca experiência, apesar no inegável talento, a titular nas suas equipas em Portugal, em especial em equipas de topo e com exigências de serem campeões e irem longe nas provas europeias...

E se isto ajuda a explicar a falta de oportunidades para João Mário, o mesmo explica o que aconteceu a Zézinho, se bem que no caso deste, as más línguas dizem que como foi o primeiro dos mais novos a renovar contrato com Godinho Lopes, talvez o seu salário seja mais elevado e tal tenha sido um dos factores de avaliação que levaram ao seu empréstimo Veria, onde já jogou mais minutos...

"Continua - To Be Continued..."

Tywin Lannister disse...

Manuel Humberto disse...
«(...)julgando pelos indícios, o Sporting nos últimos já mostrou não se guiar unicamente pelo critério desportivo na gestão que faz dos jogadores na equipa B. Ao nível de entradas e saídas. E ao nível de utilização na equipa. O J. Mário antes de ser emprestado pouco jogava. Pois ...»

No caso particular do João Mário, só deixou de jogar regularmente em Novembro de 2013.

Em relação ao resto, até à recente mudança de direcção, os últimos dois presidentes preferiram ir buscar lá fora em vez de apostar "cá dentro", porque infelizmente "governavam" em função da massa associativa e como bem sabemos, são poucos os adeptos que percebem alguma coisa de futebol, uma actividade muito mais complexa que juntar duas equipas de 11 jogadores aos chutos numa bola num relvado de 105x68 metros.

Filipe Soares Franco e Paulo Bento ainda apostaram nuns quantos jovens saídos da academia leonina, casos do Rui Patrício, do Nani, do Miguel Veloso, do João Moutinho, mas também dos mal amados Yannick Djaló e Adrien Silva...

As últimas quatro temporadas foram um quebrar de ciclo que falhou redondamente, por causa dos custos financeiros registados, basta lembrar que o passivo acumulado da SAD do Sporting saltou dos -110,358 para os -272,295 milhões de euros com José Eduardo Bettencourt e Godinho Lopes...

Esta temporada a ideia é outra, fazer mais com menos, mas mesmo assim, pelo menos para a equipa B, algumas das contratações feitas para esta temporada, casos de Hugo Sousa ou Samba (e o regresso temporário de Nuno Reis), a ideia parece ser a de dar alguma experiência aos novatos como Rúben Semedo ou Tobias Figueiredo, se bem que no caso deste, parece que algo aconteceu com Abel, e está agora "exilado" em Reus, na companhia do Alexandre Guedes. Já o Cissé, o Enoh e o Dramé, terão certamente alguma qualidade, especialmente este último, pois se há coisa que em Portugal não costumamos ter com abundância é pontas de lança, e todos eles são apostas de baixo risco para preencher essa lacuna.

No caso do Betinho, é capaz de ter sido má ideia tê-lo emprestado tão cedo ao Vitória de Setúbal, mas depois recordo-me que são muito raros os goleadores (Fernando Gomes, Marco van Basten) que se revelam como tal antes dos 22/23 anos de idade (António Oliveira, Nuno Gomes, Rui Jordão, Nené, Ruud van Nistelrooy), pelo que é capaz de não ser tão má ideia.

Se recordarmos um Rui Águas ou um Manuel Fernandes, dois exímios goleadores, só aos 25 anos chegaram a um clube grande, e o que o Pedro Pauleta teve de penar para ter a carreira que teve, dá para perceber que ter jeito e talento só não basta, é preciso também muito querer, muito suor, muito sofrimento, muita vontade de vencer...

"Continua - To Be Continued..."

Tywin Lannister disse...

Manuel Humberto disse...
«Podes lá ter um Rivaldo e um Ronaldo (Fenómeno) já assim direitinhos prontos para jogar que se tiverem alguma inteligência e não aceitarem contratos até 2025 com cláusulas de 80 milhões de Euros, o Sporting despacha-os.
Agora é só gente esperta mas ainda bem que ele mudou de ares, ainda o punham a aprender com o Shikabala e o Magrão e isso era um bocadinho chato para o João Mário.»

Parte do sucesso da corrente equipa do Sporting, é que todos os jogadores mostram empenho e espírito de equipa, e querem jogar neste Sporting. O Bruma não pensa pela sua cabeça e o Ilori não queria ficar, logo não fazia muito sentido ter 2 jogadores contrariados por mais uma ou duas temporadas...

E no que diz respeito a jogadores que jogam em posições mais adiantadas no terreno, o Sporting tem tradição de apostar em jovens jogadores e isto já vem desde os tempos do Futre e do Litos, continuou com o Figo e o Simão Sabrosa e nem vou falar do Ricardo Quaresma ou de um tal de Cristiano Ronaldo.

Nas outras posições, o Paulo Bento está a colher em parte pela selecção os frutos que semeou enquanto treinador do Sporting.

E se dantes a academia só formava extremos, agora parece que forma seis e oitos com abundância, mas também vai preenchendo com relativa qualidade as restantes posições no terreno de jogo, resta todavia saber quantos destes novos craques é que realmente têm fibra e garra para singrar.

Voltando ao João Mário, a maior lacuna que vi do seu jogo enquanto jogador da equipa B na época passada, era a falta de intensidade do seu jogo, mas como todo o resto da equipa jogava devagar, devagarinho, muito típico do futebol português, em que as coisas só aquecem em alguns períodos do jogo, não dava para perceber se era mesmo defeito.

Tendo em conta a utilização que tem tido desde que chegou a Setúbal e a recente nomeação como jogador do mês pelo Sindicato, parece que afinal não era assim tão pouco intenso quanto isso, mas ainda não tive oportunidade de o voltar a ver jogar para confirmar se agora joga mais intenso e se ainda tem mais para evoluir.

Eu recordo-me de um comentário de adepto em relação ao William Carvalho, de um amigo meu que via tudo o que era jogo do Sporting, que antes da temporada começar, rotulava o actual titular leonino como alguém sem qualidade para o Sporting, mas atenção, isto sem ter em conta a evolução dos dois últimos anos, pois parece que praticamente ninguém pôs-lhe a vista em cima nas duas épocas anteriores. Excusado será dizer o que pensa do "monstro" actualmente. A minha curiosidade em relação ao João Mário é saber até onde ele pode evoluir com mais uma temporada de empréstimo, caso Leonardo Jardim assim o entenda...

Se no caso do Gérson Magrão, e mesmo no caso do Vítor Silva, pouco ou nada acrescentam a este Sporting, já Shika Show é capaz de dar mais alguma coisa, de imprevisível, mas não creio que jogue por aí além esta temporada, não tendo em conta o actual modelo de jogo de Leonardo Jardim, e não sem antes o egípcio aprender em semanas aquilo que levou meses André Carrillo a apreender e a por em prática, a necessidade de contribuir defensivamente para a equipa. Porque de resto, qualidade e técnica tem ele, o problema é que não experimentou mais jovem outros ambientes, com outras exigências. ;)

JON disse...

Alguém viu os sub-21 hoje?

Do que vi hoje e do que tenho visto nos jogos da equipa B do Porto, o Gonçalo Paciência parece-me ter bastante talento e joga colectivamente.
Não se esconde, segura e solta bem, batalha, tem criatividade... No entanto, tem 1 golo marcado pelo Porto e ainda hoje falhou um pénalti (foi logo criticado pelos comentadores...).

Oxalá tenha quem lhe ensine como crescer.

Roberto Baggio disse...

Vi sem muita atenção. Não fizeram um grande jogo. MAs sim, o Gonçalo também me chamou a atenção. Precisava ver mais jogos.

JON disse...

Boas Baggio,

O meu ponto sobre o Paciência era mais para sublinhar aquilo que muitas vezes se discute aqui e no PossedeBolla:
- os avançados são avaliados pelos golos que marcam, erradamente, porque o que dão ao jogo é muito mais que isso...

O G. Paciência parece-me poder ser um caso desses!

Abraço