quinta-feira, 13 de março de 2014

Em White Hart Lane

Podem elogiar-se individualmente praticamente todos os jogadores. A excepção será Cardozo que foi um jogador a menos. Não recuperou uma bola, pouco condicionou a saída para o ataque do adversário, lento a fechar as linhas de passe para o médio "inglês" que baixava para pegar e ofensivamente, onde é forte não foi nunca capaz de dar seguimento aos lances.

Todavia, este Benfica é mais uma vez, Jesus. Não será certamente por acaso que os jogadores continuam a sair (de Di Maria a Matic, já lá vão uns anos), e o nível competitivo da equipa permanece sempre elevadíssimo. 

Tacticamente o Benfica continua a ser uma das mais bem organizadas equipas do futebol europeu. Será talvez, em todo o continente a equipa que mais faltas por fora de jogo obtém? A organização defensiva das equipas de Jesus encontra pouco paralelo em qualquer parte do globo. Ofensivamente as constantes linhas de passe e possibilidades de caminhos alternativos para chegar ao golo são o traço mais interessante das suas equipas.

Individualmente, o Benfica tem jogadores de enorme mais valia. Perceba, contudo, que se assim se nota porque há um colectivo construído por Jesus que assim as potencia. Os mesmíssimos jogadores com outro treinador não renderiam metade. Foi nesses termos que o colocou quando falou sobre o que poderiam esperar os seus adeptos comparativamente ao seu antecessor. O espanhol Quique Flores.

Em Maio afirmava-se neste espaço que quem mantivesse o treinador (Vitor Pereira / Jorge Jesus) seria o grande favorito ao título. Várias vezes não se confirmam favoritismos. Porém, percebe agora o porquê de tais afirmações?

21 comentários:

Gonçalo Matos disse...

O comportamento da linha defensiva do Benfica neste jogo merecia servir de textbook example. Não me lembro de nenhuma falha individual. Só tornaram o kick and rush do Sherwood em algo ainda mais ridiculo..
Achas que é desta que o Sílvio consegue encostar o Maxi?

Gonçalo Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Parabens pelo blog.

josé disse...

Gonçalo, jogaram muito bem, mas houve erros:

Na melhor oportunidade da equipa Inglesa, o Luisão não saí e coloca em jogo Adebayor, desfasado quase dois metros em relação aos seus colegas.

Por duas vezes Sílvio ao sair ao portador da bola, quando este flecte para o centro continua a acompanhá-lo em vez de recuar para a linha de defesa numa dessas surge um passe para esquerda do ataque que deixava o Eriksen completamente isolado, valeu que a bola apanhou no caminho o Adebayor que estava em fora de jogo.

Na 1ª parte foram imperiais, só sofreram um pouco nos cantos, já na 2ª surgiram estas falhas, mas também é muito difícil manter a concentração ao longo de 90 minutos.

Tugamen disse...

so teve uma falha, a do luisao que deixou o adebayor isolado e este falhou

Andrea Pirlo disse...

Esperemos que sim, Gonçalo.

Miguel Pinto disse...

Duvido que o Tim Sherwood perceba porque é que falhou. Como também duvido que ele tenha entendido aquilo que o AVB quis fazer no Tottenham. Parabéns ao JJ por mais uma bela exibição.

Gonçalo Matos disse...

Têm razão. Deixei-me ludibriar pela primeira parte, mas de qualquer forma foi mto bom. Comparando então com a linha defensiva do lado contrário ficamos bem com a sensação da qualidade do trabalho do JJ.

Unknown disse...

O Quique Flores nem deverias de chamá-lo para aqui. O homem com o plantel que tinha ficou em 3º e levou uma surra daquelas na Liga Europa. Mas que erro de treinador.

Rui Santos disse...

Kabul: 'we were playing so good and they scored. I don't even know how they ended up scoring

Isto foi dito por kabul na flash depois do jogo. Ele nao chegou a perceber como o primeiro golo aconteceu.

Baresi disse...

Se Jesus passar o Tottenham, o Benfica atinge os quartos de final de uma prova europeia pelo quinto ano consecutivo.
Quantos treinadores se podem gabar disso nos últimos 20/30 anos?

Anónimo disse...

Gostava de tirar algumas dúvidas, a propósito deste post:
http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2014/02/organizacao-defensiva-defender-em.html

Quando o Baggio fala Contenção, cobertura, ajuste. Que tipo de acção é que é entendida como ajuste?
e:
"controlo dos espaços fundamentais de finalização, controlo da largura", quais são ou quais consideram os espaços fundamentais de finalização, e de que forma se faz controlo da largura?
Ficaria bastante agradecido se o Baggio ou outro membro do blog pudesse-me esclarecer em relação a estas questões. Um abraço
Jorge Gaspar

Roberto Baggio disse...

"O comportamento da linha defensiva do Benfica neste jogo merecia servir de textbook example."

O comportamento da linha defensiva do Benfica é assim em todos os jogos. E não é de agora que afirmo que é a melhor que vi desde a revolução Sacchi!!! É desde o ano passado que o venho dizendo. Em comportamentos defensivos, Jesus é "o líder espiritual da minha religião"!

Baresi disse...

É difícil ver um só jogador do Benfica a pressionar sozinho um defesa adversário. Ou vão "todos", enquanto equipa, ou não vai ninguém.
Fantástica exibição colectiva, contra um conjunto de grandes jogadores.

Ah, a marcação a Lennon foi praticamente perfeita, Siqueira deu lhe sempre sempre o lado de dentro, porque em pique/velocidade não há muitos jogadores no Mundo que o consigam acompanhar.
Excelente Benfica, JJ ( no que tem a ver com o jogo) e seus pares.

Andrea Pirlo disse...

Tou a ver outra vez o jogo, e o Eriksen é fantástico, era o único q queria no Benfica, q jogador!

Coiso disse...

O único problema de JJ é o discurso, se emendasse isso estaria noutro clube. E quando falo do discurso não estou a falar dos erros mas sim das reacções como a que teve com o Shéu e que fez cardozo saltar do banco.

Roberto Baggio disse...

Jorge Gaspar

"Que tipo de acção é que é entendida como ajuste?"

Quando um jogador é ultrapassado, há um pequeno momento de desorganização. Nesse momento, há que re-ocupar os espaços, por forma a compensar a falta que esse jogador faz na acção defensiva colectiva. E essa re-organização é entendida como ajuste (que pode ser feito por um jogador, ou por vários).

"uais são ou quais consideram os espaços fundamentais de finalização"

Depende da zona onde a bola está.

"de que forma se faz controlo da largura?"

Ocupando as zonas próximas da bola e o corredor central.

Jorge Carolo disse...

Depois de ver os 1ºs 15 min, em que o Benfica até nem estava por cima do jogo, apercebi-me, muito graças ao que vou aprendendo por aqui, que o Benfica sairia de Inglaterra com um resultado positivo, se nada de anormal acontecesse.

A forma como os ingleses atacavam e principalmente a disposição defensiva deles, muita distancia entre os blocos, dava logo a noção que o Benfica poderia tirar dividendos destas questões, por um lado anulando o kick and rush e por outro aproveitando a desorganização defensiva deles.

Uma das situações que me fez mais impressão foi a falta de pressão ao portador da bola nas TO do Benfica, associado a um buraco de 30/40 metros atrás da defesa...

Aquele golo do Rodrigo ia acontecer mais cedo ou mais tarde...

Enfim fiquei com a noção que esta equipa apesar das personalidades é fraca como conjunto... Que em oposição é o ponto forte do Benfica.

Cumprimentos

Andrea Pirlo disse...

O Benfica não esteve bem não nos primeiros 15 min, mas nos 25 min. Talvez algum nervosismo, não sei, mas o que é certo, é q o Benfica não estava a conseguir ter a bola devido aos passes falhados, ou q não chegavam nas melhores condições.

Jorge Carolo disse...

Sim mas o potencial das jogadas que teve independentemente de falhar os passes, levou aquilo que referi...

Julgo que um dos fatores q contribuiu para esse nervosismo inicial se deve à ausência de Enzo que percebe melhor o que a equipa precisa nos vários momentos do jogo, principalmente, nestes de maior pressão adversária q é onde se sobressai!

No entanto, julgo q a equipa se bateu bem e com muita personalidade, aliada, à já referida imensa qualidade tatica.

Anónimo disse...

obrigado pela resposta Baggio
Jorge Gaspar