sexta-feira, 21 de março de 2014

Liga dos Campeões

O sorteio de hoje da prova mais difícil do futebol europeu ditou dois grandes jogos. 



Real Madrid-Borussia Dortmund

Paris Saint-Germain-Chelsea

O Real Madrid, com muita confiança pela posição que ocupam no campeonato, e com muita qualidade individual. Colectivamente carece de algumas melhorias, mas estando Ancelotti no seu primeiro ano parece-me perfeitamente normal. O futebol que apresentam impressiona sobretudo pela qualidade dos seus executantes. Ronaldo, Bale, Benzema, Marcelo, Di Maria, e Modric num dia normal dão cabo de qualquer organização. Mas o que acontecerá se as individualidades aparecerem pouco inspiradas?

O Dortmund de Klopp, longe do fulgor que o caracterizou nas últimas quatro épocas, não vai deixar o Real Madrid relaxar. É preciso dizer que Klopp tem tido uma época com muitas lesões, principalmente na linha defensiva. Estando a equipa na máxima força, e sabendo que em termos de organização Klopp é dos melhores treinadores europeus, perspectivam-se dois grandes jogos. A organização, agressividade posicional, e agressividade com bola são marcas do treinador alemão.

O PSG tem a oportunidade perfeita de mostrar o quão evoluídos estão como equipa. No início da época (na altura em que defrontou o Benfica) não impressionavam pela qualidade do seu modelo de jogo. Têm grandes individualidades, é verdade, e têm um modelo de jogo trabalhado. Mas não creio que neste momento sejam colectivamente tão fortes e dominadores, que sejam favoritos à conquista da taça. Sobretudo pelas ideias com que a equipa joga. Poderá durante esse período ter evoluído, e mesmo que não o tenha feito, as suas individualidades vão-nos proporcionar grandes momentos de futebol.

O Chelsea de José Mourinho, defensivamente parece bastante forte. Dependendo, depois, sobretudo, dos momentos de inspiração de William, Hazard, e Óscar. A organização ofensiva da equipa blue, que no início da época dava sinais de poder evoluir positivamente (com apoios frontais dos extremos e com os laterais a servirem essencialmente para dar largura, voltando a meter a bola dentro) parece ter-se descaracterizado novamente, em nome de vitórias que Mourinho dizia não serem o objectivo desta época. Foram demasiadas as vezes que a equipa alterou o padrão, que o treinador português dizia querer, para que os princípios não se modificassem. Hoje, Mourinho constrói mais uma equipa onde a principal figura é ele. Não o que os jogadores apresentam em campo, como modelo comportamental trabalhado durante o ano. A equipa não sobressai pelo seu modelo de jogo, sobressai pela figura do treinador. O maior perigo, aliás, deverá vir disso mesmo. Daquilo que Mourinho poderá ou não "inventar" do ponto de vista estratégico.

Menos interessante são os outros dois jogos do sorteio, que com maior ou menor dificuldade, deverão ditar a passagem de do Bayern de Guardiola e do Barcelona.

Man. United-Bayern Munique

Barcelona-At. Madrid

O Manchester United era a equipa que todos queriam. Muito mal orientado, com uma organização colectiva muito desorganizada, com uma forma de atacar igual ao que se fazia no século passado, e com muito talento desperdiçado por um treinador sem ideias para sobreviver no futebol moderno. Moyes é em tudo mau.

O Bayern de Guardiola é a equipa mais forte da prova. Se conseguir voltar à qualidade que já demonstrou este ano, dentro das ideias do treinador, será inultrapassável. Contudo, a equipa tem revelado dificuldades que não esperava para esta altura da época. Quando pressionada, a linha defensiva, as dificuldades são imensas. Será que a falta de vivências regulares, em competição, de comportamentos pressionantes por parte dos adversários, está a causar essa menor confiança e insegurança com bola? Ou será que a cultura alemã estará a influenciar, no mau sentido, tudo o que Guardiola quer para o seu Bayern? Não obstante disso, com maior ou menor dificuldade, acredito que estarão na final.

O Barcelona é para mim, o segundo maior candidato à conquista da prova. Com maior ou menor dificuldade, deverão, também, ultrapassar esta eliminatória. É a equipa mundial onde a maior parte dos jogadores tem índices de tomada de decisão estratósféricos. É uma equipa que actua normalmente com 10 jogadores criativos em campo (Excepção feita ao Mascherano). E é uma equipa que conta com o melhor futebolista da história. Os princípios de jogo não são os melhores, na defesa, ou no ataque e isso não pode ser ignorado.


O Atlético de Simeone, continua com índices de competitividade muito elevados. Não nos proporciona grandes momentos de futebol, e é uma equipa que vale pela atitude competitiva, pela garra, agressividade (sobre o homem) e pelo grande esforço de concentração que os seus jogadores fazem jogo após jogo. Simeone não encanta. Mas vai conseguindo resultados, fruto de uma organização defensiva trabalhada, a defender com linhas baixas, e com saídas rápidas para a transição ofensiva. Muitos golos também conseguidos em bolas paradas e com o aproveitamento de erros individuais do adversário.

22 comentários:

Joao Rodrigues disse...

Acho sinceramente que o Dortmund não tem a mínima hipótese devido as lesões, ainda agora com Zenit estavam 5 jogadores do fora por lesão em relação a equipa que jogou a final da champions, e desses 5 só o Reus e que acho que recupera para os quartos de final, a este nível, estas ausências fazem a diferença.

Em relação a uma possível final acredito que será Bayern vs Real se não se encontrarem na meia-final, apesar do Barcelona ter os melhores jogadores a verdade e que o seu treinador para mim está longe do nível do Guardiola e Ancelloti, e isso também e importante

Roberto Baggio disse...

João,

Deixa-me só dizer que a maior baixa neste momento é o Gundogan. Penso que Reus poderá jogar. Claro que Bender também faz falta.

Mas por exemplo, na Rússia (1ºmão), jogaram,

Weidenfeller
Piszczek
Friedrich
Papastathopoulos
Marcel Schmelzer
Sebastian Kehl
Großkreutz
Mkhitaryan
Nuri Şahin
Marco Reus
Lewandowski

E esse é um bom onze. Se acrescentares Hummels, que já jogou este último jogo, fica ainda melhor.

DC disse...

O Schmelzer está lesionado gravemente também.
Acho que o Real vai ganhar com relativa facilidade.

Ronaldinho disse...

Gostei da analogia que fizeste ao colocar um post da liga dos campeões aqui e um sobre a liga europa no posse. Representa o estatuto de cada blogue ahahah brincadeira miúdo

Roberto Baggio disse...

São os soft skills que o professor de portfólio falava XD

Anónimo disse...

O Borussia nao é o unico clube que mantem o treinador da epoca passada. O Atletico tambem

Roberto Baggio disse...

Anónimo, tem razão, já está corrigido. E obrigado.

Rui disse...

Há algo que na minha opinião está invertido. Que é o facto do Real passar mais facilmente que o Barcelona. Infelizmente o borussia está bem mais fraco que o ano passado e o real mais forte. Por outro lado o barça-atlético vai ser equilibradissimo. O barça ainda nao conseguiu ganhar ao atlético este ano (3 empates).

José Soares disse...

Baggio, o que defines como criatividade ? Obrigado

Roberto Baggio disse...

Arranjar boas soluçoes out of standard

Unknown disse...

Estou de acordo com a maioria do pessoal que diz que o Real irá ter a tarefa mais facilitada (dentro da grande dificuldade que vai ser) do que o Barça. Este Atlético é muito matreiro e certinho. Se o Barça tiver um dia mau na defesa, como tem tido vários este ano, a coisa não vai ser bonita.

Joao Rodrigues disse...

O Lewandoski está castigado não joga a primeira mão,.

Tenho dúvidas que consiga discutir a eliminatória, será para mim uma supresa se o Real não for em vantagem para a Alemanha com 2 ou 3 golos a favor, mas acredito que posso estar enganado

Marte 8 disse...

Não vejo tanto nível no Barcelona como apontam aí. Talvez porque este ano está pessimamente orientado. Mas quem tem Messi e Iniesta...

Válter disse...

Acho que o Atlético pode surpreender. Acho mesmo que o melhor para o atlético foi ter calhado o barça (Real teria o mesmo efeito) pois psicologicamente é outro nível (um paralelismo ao braga há uns anos quando defrontou o benfica... contra uma equipa estrangeira estaria fora daquela meia sem dúvida)
A melhor eliminatória vai ser a do Chealsea - PSG

Os jogadores vão ter de provar os estatutos que lhes atribuem... principalmente Ibrahimovic e Hazard.

Concordo plenamente que o (este) Chealsea de Mourinho carece de inspiração individual no ataque... O que faria Jesus com estes jogadores... trocava já o Rodrigo, o Cardozo e o Lima pelo Torres.

Gonçalo Matos disse...

Válter,

Consideras então que o Benfica tem uma organização ofensiva forte?

Baresi disse...

Se a coisa já era complicada para o Man United, com a lesão de Van Persie, parece me que esta é a única eliminatória resolvida.
Nas outras deve passar o Real, PSG e Barcelona, mas vao ser eliminatórias bastante complicadas para todos os clubes envolvidos.

Só uma nota, das 8 equipas que foram da Champions para a Liga Europa, Benfica, Porto, Basileia e Juventus estão nos quartos, Shakthar e Nápoles foram eliminados por equipas que vieram da Champions também.
Até o Lyon, que ainda anda por aí, e eliminou o Plzen (que veio da Champions) esteve no PLay-off para entrar na fase de grupos.
É a chamada lei do mais forte.

Válter disse...

Neste momento não. Mas considero o Jesus um treinador capaz de a implementar. Lembro-me das dinâmicas dos 2 primeiros anos do Jesus.

Evidentemente que ter Aimar ajuda. Mas havia muito de Jesus naquele rolo compressor ;)

Neste momento a equipa que vejo com a maior organização ofensiva é o Bayern sem qualquer dúvida.

masterzen disse...


Valter ,

Na tua opinião o que falta ao Benfica para voltar a ter a dinamica ofensiva e organização dos dois primeiros anos?

O Bayern Munich parece-me muito mais compacto nos quatro momentos do jogo, mas em organização ofensiva não sei se será superior ainda ao Barcelona.

Anónimo disse...

Grande Wenger, o Mourinho nao pesca nada disto mesmo

ricnog disse...

Chelsea psg acho que é o jogo que mais se vai ver pormenores tácticos.....espectacularidade e pagar bilhete borussia real.....o resto com maior ou menor dificuldade esta previsto.....

Válter disse...

Masterzen

Estive a ver uma série de golos do Benfica campeão. É incrível a capacidade de desmarcação entrelinhas e em velocidade do Aimar e do Saviola. Era impossível para quaçquer defesa prever onde iam receber. e o Resto da companhia (Cardozo, Ramirez e Di María sobretudo) só tinham de acompanhar a dança e aparecer com espaço.

É este jogo entre linhas que há em menor quantidade quando em posse ou então há mas com demasiados toques. Aimar e Saviola poucas vezes davam mais de 4 toques mesmo que ultrapassassem adversários. Eram o Lima, mas 4 vezes mais rápido e a dobrar. É isso que falta.

Sim, talvez o Barcelona seja superior ao Bayern.:p

Anónimo disse...

Queria comentar alguns pontos deste artigo que compreendo, mas não concordo, e gostaria que me dessem a vossa opinião sobre isso:

1 - Relativamente ao Chelsea, penso que o Mourinho alterou o seu padrão de jogo intencionalmente. O seu discurso foi sempre que o Chelsea era o "cavalinho" e o City e Arsenal os "cavalos", mas é fácil de perceber que há uma mensagem para fora e uma mensagem para dentro. As vitórias são fundamentais para o real objetivo (ser campeão inglês), e nesse sentido penso que o Chelsea fez bem em apostar num posicionamento não tão subido dos laterais, em detrimento das entradas dos médios defensivos, que também são todos jogadores de grande qualidade (à exceção do Mikel).
Contudo, sim, concordo que os jogos com o PSG serão interessantes pela estratégia que o Mourinho irá adotar.

2 - Moyes está a fazer uma época péssima, mas não é em tudo mau. Algum mérito tem que ter para chegar a um clube como o Man Utd. Todavia, acho que foi ele que instaurou mudanças no staff, e o expertise que este clube tinha na parte mais física (treinadores para resistência, para velocidade, para força) se perdeu e a qualidade dos jogadores com isso baixou.
Além disso, obviamente que tem graves falhas de organização coletiva. É gritante a desorganização ao nível de coberturas ofensivas e defensivas.
Até gostaria de saber a bossa opinião sobre o posicionamento do Rooney, que não aparece tão na frente (embora com o Ferguson, no final, já acontecesse isso também).

3 - Penso que o Bayern do Guardiola não será uma cópia do seu Barcelona. A cultura alemã (uma das protagonistas da final do "Futebol Força") carateriza-se por algum jogo direto, e daí que surjam com mais regularidade passes longos dos DC para o PL (sendo que Mandzukic é uma excelente referência para este tipo de passes), e também de um lado para o outro. Penso que os jogadores têm qualidade para isso e a cultura influencia. Porém, não posso deixar de sublinhar a forma de jogar do Dante, que de facto gosta muito de jogar longo.

4 - Finalmente, penso que o Atlético do Simeone traz a questão de que o futebol de maior posse de bola não tem que ser obrigatoriamente o futebol que é bonito e encanta. Sem dúvida que este atlético vale muito pelas transições, bolas paradas e aproveitamento de erros, mas eles nisso dão espetáculo e têm sido excecionais. Além disso, a sua atitude competitiva é de facto de enaltecer e são um exemplo para outras equipas nesse capítulo.