domingo, 23 de março de 2014

Liverpool

Por onde melhorar para ser campeão?
É certo que a qualidade individual é fundamental. E os reds não estão neste momento em condições de lutar pelos melhores jogadores no mercado. Contudo, como Brendan Rodgers nos ensinou, mais importante que os milhões são as ideias. Então, melhorando a forma de defender, reduziria substancialmente as diferenças para equipas com maior poderio financeiro. Isto é, defendendo melhor, com referências colectivas, criaria condições para reduzir os erros individuais, que derivam da menor qualidade dos seus jogadores. Em organização ofensiva, jogar com mais coberturas ofensivas por forma a defender-se melhor das transições defensivas. E em organização defensiva, juntar e compactar o bloco, usando referências zonais.

16 comentários:

Gonçalo Toste disse...

Boas Baggio!

O Liverpool deste ano parece-me um pouco como o Swansea do Laudrup. Bons princípios ofensivos ( Liverpool mais dinâmica e mais qualidade individual), mas que peca pela forma demasiado individualizado com que defende. Dá espectáculo... mas vai lhe custar dissabores na champions da próxima época...


Pior só a forma como a defesa do Sporting posicionou-se no golo do Marítimo...Uma sucessão de erros ( tudo porque a referência é o Homem e não Espaço/colega/Bola.

Cumprimentos

Roberto Baggio disse...

Gonçalo,

Fiz referência a esse golo no Posse de Bola.

Quanto ao Liverpool, sim. De facto defende mal, e poderá vir a ter problemas em jogos mais competitivos, principalmente nas fases a eliminar.

Luis Santos disse...

Gonçalo, o Swansea de Laudrup foi herdado do Rodgers.

Anónimo disse...

Boa tarde Baggio,

Achas que a organização defensiva da Académica deverá complicar muito a tarefa do Benfica hoje?

Obrigado

Roberto Baggio disse...

Anónimo,

Acho que qualquer equipa nacional complica a vida ao Benfica, por jogar com muitos atrás da linha da bola.

Anónimo disse...

Mencionei especialmente a Académica, uma vez que tem vindo a sofrer pouquíssimos golos. O jogo com o Nacional tinha tudo para ser diferente deste jogo relativamente à disposição táctica dos seus jogadores e inclusive das suas características.

Acho que o jogo da Académica em Alvalade, exemplifica um pouco do que poderá ser o jogo de hoje.

Luis Banález disse...

Baggio ontem o Suárez marcou 3 golos e fez 1 assistência. Que tal essa azia? Abraço

Roberto Baggio disse...

Azia? Eu sou treinador do Cardiff?! És treinador do Liverpool? És agente dele? Lol não entendo.

masterzen disse...


Baggio,

Não percebo muito bem a tua definição de cortes de linhas de passe.
Umas vezes ficou com a ideia de que depende dos atacantes, outras vezes fico com a ideia que se colocam homens ali propositadamente para cortar futuras linhas de passe.
Ou seja umas vezes dá ideia de corte de linhas de passe existentes outras de corte de futuras linhas de passe.

Roberto Baggio disse...

Não são futuras. Nem dependem do nr de jogadores adversários. São as linhas de passe mais próximas. Esquerda, direita, apoio frontal, ao portador da bola. Isso depende e só da zona da bola. Por exemplo, no corredor lateral, apenas será necessário cortar 3 linhas de passe, por a linha lateral fazer de "cobertura". Nos espaços interiores, cortam-se 4, independente de o adversário estar lá sozinho, com 2, com 3, ou com 10.

masterzen disse...



Essa ideia de no espaço interior cortarem 4 espaços faz sempre um losango.
É impressão minha ou equipas como o Barcelona do tempo de Guardiola juntavam mais do que 4 defesas na área da bola?
Tive a ver o Benfica em iniciados este fim de semana e Baggio não se vê nada demais. Diria que parece uma equipa antiga de futebol inglês onde fruto da sua superioridade física cada centro é uma oportunidade de golo.
Poucos apoios, pouco trabalho sem bola, muito individualismo.

masterzen disse...



Essa ideia de no espaço interior cortarem 4 espaços faz sempre um losango.
É impressão minha ou equipas como o Barcelona do tempo de Guardiola juntavam mais do que 4 defesas na área da bola?
Tive a ver o Benfica em iniciados este fim de semana e Baggio não se vê nada demais. Diria que parece uma equipa antiga de futebol inglês onde fruto da sua superioridade física cada centro é uma oportunidade de golo.
Poucos apoios, pouco trabalho sem bola, muito individualismo.

Roberto Baggio disse...

"É impressão minha ou equipas como o Barcelona do tempo de Guardiola juntavam mais do que 4 defesas na área da bola?"

Depende do momento do jogo. Em transição defensiva até podem ser 6, 7... 2,3... Depende do momento do jogo, porque é impossível colocar sempre 4 homens lá.

Jorge Carolo disse...

Baggio,

Ao ver este vídeo surgiu-me uma duvida, na 2ª paragem que fazes...

A duvida prende-se com os apoios, isto é, sugeres que estejam todos virados na diagonal para a frente (sentido do ataque do Liverpool). Contudo caso o portador siga no sentido da linha de fundo o homem que está na marcação terá de rodar o que o fará perder tempo, certo? Nesse caso será o GR a sair à bola? É que o tendo os apoios iguais mas no sentido contrario ou, então, a cobertura poderiam fechar igualmente a progressão interior e exterior.

Por outro lado entendo o posicionamento dos apoios da forma q referes, para caso seja feito um passe atrasado os 3 saírem mais rapidamente, um na bola e os outros pondo os 2 avançados em fora de jogo.

Qual a tua opinião?

Abraço

Jorge Carolo disse...

Baggio,

Comentei este post mas não sei porquê não apareceu.

Gostava de saber, na 2ª paragem do vídeo, o porquê dos apoios estarem virados para a frente, principalmente o do defesa q está na marcação e a cobertura? Para mim pelo menos um deles deveria estar com os apoios iguais mas no sentido contrario, para caso o avançado opte pela linha de fundo. Ou nesse caso quem sairá à bola será o GR?

De resto percebo que o posicionamento dos apoios pois caso seja feito um passe atrasado haja uma reacção dos 3 homens no sentido da bola para fecharem o remate e deixarem os outros jogadores em FdJ, certo?

Abraço

Roberto Baggio disse...

Tendo os apoios no sentido que sugeres, terá que rodar na mesma, só que para o interior. A minha sugestão prende-se com: De que forma é mais fácil para o adversário fazer golo?

Pelo exterior perde ângulo, e o GR cobre a baliza ficando muito mais difícil finalizar. Pelo interior, não só abre o ângulo para o remate (dificultando mais a vida ao GR, e facilitando a sua da finalização), assim como pode ganhar linhas de passe mais interessantes do que se fosse por fora.