quarta-feira, 30 de abril de 2014

A boa tomada de decisão é jogo de posse? O futebol que deve ser preconizado.

Ponto prévio. Falarei apenas por mim. Partilhar a minha visão, sobre o que penso interpretarem mal quando se defendem determinadas situações.

Quem nos visita tem sempre a interpretação de que sou defensor de um estilo. E que quando me refiro a boas decisões essas são sempre condicionadas ao estilo que prefiro. Na verdade não é nada disso.

Ser da boa tomada de decisão não é ser de posse ou de contra ataque.

É ser de posse quando o adversário está organizado e o espaço escasseia e é ser de contra-ataque quando há espaço e situação numérica para tal.

Exemplo demasiado óbvio para se perceber exactamente o que pretendo transmitir. Recupero a bola e tenho situação de 3x1+GR. Em função da situação de jogo, e é disto que depende a boa tomada de decisão, impõe-se que o portador o mais rápido possível, para não deixar chegar mais oposição, progrida na direcção da baliza, fixe o adversário e solte num dos colegas livres. Passando do 3x1 para um 2x0. Como é óbvio não se espera que a equipa com bola a prenda permitindo a organização adversária.

A situação de jogo descrita é demasiado óbvia para que o exemplo se perceba facilmente, mas não significa naturalmente que só em situações óbvias se deva investir em velocidade no ataque à baliza adversária. Tudo depende do número de adversários atrás da linha da bola, do seu posicionamento e do espaço.

A confusão talvez esteja na forma como ao se ler elogios ao Barcelona e pensando-se numa equipa que exacerbava a posse. Fica a sensação de que se é defensor de um estilo. Mas, a verdade é que não era por exarcebar a posse que o Barcelona não era também a melhor equipa do mundo a sair em transição. Nenhuma outra equipa em muitos anos deve ter somado tantos golos a sair em contra-ataque depois de recuperações. Reveja por exemplo o 5 a 0 em Camp Nou com o Real e perceba-o. E referindo que apenas falo por mim. Sou defensor da boa decisão. Boas decisões em cada momento do jogo. Organização e Transição. E agradam-me as equipas que jogam o que o jogo dá. O Barcelona saía como ninguém em transição. Mas quando as boas possibilidades de se ser bem sucedido se esgotavam, sabia como ninguém perceber que era hora de organizar.

E é essa uma crítica a tantos treinadores. Nos quais incluo agora Mourinho, outrora o maior ídolo, como nas etiquetas se poderá perceber. Relembre como recentemente Tiago disse que Mourinho simplesmente não quer ter a bola. Oferece-a para depois recuperar e sair em transição. É essa a crítica que faço. Na minha opinião os melhores jogam em todos os momentos e não apenas em alguns.

Portanto o meu estilo não é posse ou contra-ataque. Organização ou transição. Portanto, Vitor Pereira e Jorge Jesus são hoje treinadores mais fortes do ponto de vista táctico que o outrora melhor de sempre José Mourinho.


18 comentários:

Dennis Bergkamp disse...

Parece fácil.

E para contrapor vão falar de "ah e tal, mas o messi finta 6 e faz golo, como é que isso é a melhor decisão??"

Até no drible há boas e más decisões.

Como estão os apoios do oponente, consigo ou não desiquilibrar, está ou não colegas em mobilidade ou a dar linha de passe que vai criar dúvidas no oponente sobre para onde eu posso ir e o que posso fazer? Onde tenho mais espaço? onde está a baliza?

Até em golos como o de Maradona contra Inglaterra há boas ou más decisões que possibilitam ou apróximam do sucesso.

Roberto Baggio disse...

Parece Dennis hehehehe

Daniel Martins disse...

Quem é o senhor que está na foto?

Roberto Baggio disse...

Prof Francisco Silveira Ramos

Daniel Martins disse...

Cheguei a pensar que era o Maldini :)

Anónimo disse...

Vou dar aqui uma sugestão para um próximo artigo:
Bobby Robson.... ai talvez se possa falar do melhor de todos os tempos.

Luiz Carlos disse...

Muito bom o post e penso que é explícito para todos que o que interessa é ser bom em todos os momentos e não apenas especialista neste ou naquele momento.
Só uma dúvida quanto ao último parágrafo: o Vitor pereira de que falam é o que anda pelas ligas fortíssimas das arábias? Se sim, há por aí muito clube que deve andar a dormir...

Paolo Maldini disse...

Sim, Luis. E fizeste uma óptima conclusão. Pq geralmente se concluí que se fosse bom n tava nas arábias. qd isso revela é a falta de inteligencia de quem escolhe e não de competência do treinador.

Anónimo disse...

"O futebol está cheio de filósofos que percebem mais do que eu mas a realidade é a realidade. Uma equipa que defende mal é uma equipa com problemas. Uma equipa sem equilíbrios não é uma equipa. Se o teu adversário gosta de ter espaço nas costas da defesa para sair em contra-ataque e tu dás-lhe esse espaço, então estás a ser estúpido", José Mourinho.

Jorge Gaspar

Gil Von Doellinger disse...

O Chelsea de Mourinho é horrível e um atentado ao futebol, jogo após jogo. No que diz respeito à eliminatória de logo sinto-me dividido. Se por um lado hoje em dia prefiro e gosto quando Mourinho se espalha, por outro algo me seduz numa final Real-Chelsea. Fico extremamente curioso em saber o que sairia dum confronto transição ofensiva super competente/organização defensiva super compentente.

Anónimo disse...

Sou daqueles que não entende nada do assunto e que visita este espaço diariamente na tentativa de perceber melhor o jogo, e até para mim chega a ser exaustivo ver comentários de malta que parece que nem se dá ao trabalho de ler os posts e perceber o que realmente se defende. E que quando discordam de algo, preferem partir para o insulto fácil em vez de tentar colocar em confronto as suas próprias ideias (se as tiverem, porque na maior parte das vezes parece que não) com as que são aqui expostas.

Tudo para dizer que me parece que quem não entender com este post, não entende mais nada...

Da minha parte, agradeço tudo o que fazem por quem gosta realmente do jogo (até nas peladinhas com os amigos me tornei um pouco melhor simplesmente por tentar pensar o jogo que se passa à minha volta - pelo menos enquanto as forças assim o permitem),
João Costa

Anónimo disse...

A questão não se põe nessas questões extremas... numa situação de 3x1+GR ninguém vai dizer que temporizar é a melhor opção tal como ninguém defende que 1x3 se opte pelo drible. Passa que na vossa interpretação do jogo só há espaço para um/dois tipos de decisão "correta": ataque ao par e temporizações (só nas condições extremas é que sugerem diferente). Esta visão é evidenciada na frase "O Barcelona saía como ninguém em transição. Mas quando as boas possibilidades de se ser bem sucedido se esgotavam, sabia como ninguém perceber que era hora de organizar." Na concepção do barça por vezes situações de criação de finalização em superioridade ou igualdade eram retornadas á construção... e há quem entenda que nessas situações se devia arriscar mais na procura da finalização, ou seja tenha uma opinião diferente do que são boas possibilidades de ser bem sucedido (para alguns é rematar 1x0+gr e só dentro da área). Essa obsessão pela finalização nas melhores condições possíveis leva a que p. ex. o Bayern não tenha uma oportunidade de golo em 180min com o Real... enquanto no ano passado não precisou das melhores condições de finalização possíveis em cada jogada para golear o barça.

Anónimo disse...

Bom hoje é que vai ser, hoje tem mesmo que ser. Aguardamos pelo seu post, com atraso de meses, sobre a época do Atletico de Madrid. Não sobre o Mourinho que é ruim, nem outras coisas, mas simplesmente sobre algo indesmentível: a GRANDE equipa do Atleti. Pode ser?!

O Bandido disse...

Que banho de bola levou a equipa de autocarro do Mourinho..

Anónimo disse...

Boas.

É muito complicado falar bem deste tópico, pois é algo que pode ter várias opiniões e estarem certas. Como disse recentemente o Simeone, ninguém tem a verdade do futebol.

Obviamente que toda a gente é adepta de jogadores que tomem boas decisões. Até aí acho que não há dúvidas.

O problema é quando começamos a ir no que seria a boa decisão em cada circunstância de jogo. Como toda a gente tem a sua visão do futebol, é natural que existam discordâncias.

Há situações fáceis de analisar, e outras não, e nessas as opiniões serão diferentes e poderão estar todas certas.

Contudo, quanto ao comentário feito sobre o Messi, queria acrescentar de forma simples: se não és o Messi, não tentes fintar 6 gajos e marcar golo. Se não és o Bale, não tentes pôr a bola na frente e ser o Usain Bolt. Percebe-se onde quero chegar: as decisões também dependem da individualidade de cada um. O Bale até poderá tentar uma ou outra vez fazer as arrancadas do Messi, mas o necessita de fazer são as suas arrancadas, pois é aí que ele é forte.

Além disso, relativamente aos estilos, eu tenho um do qual sou adepto, e no qual existe uma grande adaptabilidade aos jogadores. Como o Jorge Jesus faz no Benfica. Se os potenciar ao máximo como individualidades, e desde que tenha uma organização coletiva minimamente decente, penso que terei grandes hipóteses de ganhar.

E concordo até certo ponto com a citação do Mourinho. Posso dar o espaço nas costas e correr o risco para poder potenciar a minha equipa e os meus jogadores, sobretudo se tiver defesas que sejam velozes a ler o lance, a reagir, e também velozes no deslocamento, que é também importante. Caso contrário, já concordo absolutamente com o Mourinho: seria um grande risco e estaria a ser estúpido.

Tomcat disse...

A "grande" equipa do Atlético é um mito certamente. Muito abnegados, muita vontade, muito coesos e estruturados nos últimos metros. No resto é uma banalidade. Pior que isso: por vezes são agressivos, maldosos. Por último: quem comprar o Diego Costa por 30 milhões de euros, como se fala, só pode ser estúpido. Não sabe nada, não contribui para nada, tem dificuldades técnicas gritantes, é conflituoso... mas já nada me surpreende.

Pedro Ribeiro disse...

«O Chelsea não está feito para jogar futebol», Eden Hazard, em entrevista após o jogo frente ao Atlético.

Frase assassina (não sei se a tradução será exacta, não ouvi o original) que corrobora de forma quase cruel este texto (e a vossa apreciação do actual Mourinho).

Pode ser que esta partida - para mim, o jogo d' "o rei vai nú" - faça Mourinho ponderar as suas opções mais recentes.

Nuno Ferreira disse...

"O Chelsea nao esta contruido para jogar a bola. Por vezes tenho que tentar fazer tudo sozinho e nao e facil"
Eden Hazard

Ouch



http://www.theguardian.com/football/2014/apr/30/eden-hazard-frustrated-chelsea-atletico-champions-league