quarta-feira, 9 de abril de 2014

José Mourinho. Modelo de jogo. Incongruência. Evolução?!


A primeira de muitas, efusivas, e mais célebres manifestações de alegria por parte de José Mourinho tiveram um significado especial na minha formação enquanto treinador. Desde que chegou ao Benfica, tendo passado pelo Leiria, pelo Porto, tendo tido continuidade no Chelsea, foi um treinador que sempre me impressionou por tudo o que fazia. Pelo método de treino, pelo rigor no seu trabalho, pelo "circo" que montava na imprensa, pela defesa dos valores da equipa e protecção dos seus jogadores. Mas, aquilo que mais me impressionou, desde sempre, e que para mim era a grande bandeira do brilhante treinador português, foi sempre o modelo de jogo distinto. Organização colectiva de grande qualidade, em TODOS os momentos do jogo. Defensivamente fortíssimo, com zonas de pressão fantásticas. Em transição ofensiva letal, pela sistematização desse tipo de lances no treino, e pela qualidade na tomada de decisão dos seus jogadores. Em organização ofensiva, como poucos no mundo. Futebol de posse, posse de qualidade, criatividade, superioridade numérica constante no meio campo, onde os médios eram (a excepção de Costinha) elementos de grande capacidade cognitiva e qualidade técnica. No fundo, a superioridade do modelo de Mourinho para outros era tão grande, que não foi de estranhar a avassaladora conquista consecutiva de títulos, em Portugal e fora de portas. Mourinho mostrava o futuro do futebol. Mourinho era, então, o melhor treinador do mundo, por larga margem.

"Quero alcançar melhores resultados com um futebol mais alegre"

"Para mim, a beleza no futebol passa sobretudo por ter o controlo do jogo através da posse de bola, dos ritmos de jogo, trocas de passe e os jogadores criativos terem preponderância dentro do colectivo." 
Mourinho, in A Bola.


Mourinho dizia-me: "Assumir sempre os jogos, não se descaracterizar perante os adversários, é uma característica das minhas equipas. Já o era quando treinava o União de Leiria, que era uma equipa que não tinha essa obrigação. Para mim, o mais importante é sempre a nossa própria equipa e não o adversário"

"Ter um modelo de jogo perfeitamente definido e não fugir dele, acreditar nele, é um aspecto marcante das minhas equipas. E é fundamental que assim aconteça"
"Eu não vou para nenhum jogo em que a organização defensiva me exija mais do que a organização ofensiva. Assim como não vou para nenhum jogo sem que todos os jogadores tenham a sua função ofensiva e defensiva. Inclusivamente, o guarda redes tem a sua função ofensiva."

"Não consigo dizer se o mais importante é defender bem ou atacar bem, porque não consigo dissociar esses dois momentos."


"Acho que a equipa é um todo e o seu funcionamento é feito num todo também."

"Penso que isso tudo está demasiado interligado para eu fazer essa separação"

"Numa equipa que quer ser de topo, todos os jogadores têm de participar nos quatro momentos do jogo... guarda redes incluído"

"Algo que para mim também é muito claro é que, para se assumir o jogo, é necessário ter a bola. Assumir o jogo é ter a bola e usufruir dela."

"A minha ideia táctica principal passa por termos noção clara da coisa mais importante do futebol moderno para além de marcar golos: ter a bola."


"Campo grande a atacar, linhas juntas a defender; uma reacção forte à perda da posse de bola; uma estrutura fixa em termos posicionais e uma estrutura móvel, ou seja, há jogadores que têm posições fixas no campo e há outros que, pela sua dinâmica, têm mobilidade, apesar de haver sempre equilíbrio posicional"

"Gosto que a minha equipa seja uma equipa com posse de bola, que a faça circular, que tenha muito bom jogo posicional e que os jogadores saibam claramente como se posicionam. 
Aliado a isso, defender bem e ter qualidade individual também são aspecto cruciais."

"Há equipas exageradamente preocupadas com o aspecto defensivo e, muitas vezes, no jogo, têm grande dificuldade em sair de uma situação de pressão para uma situação de posse. Esse é um aspecto que eu trabalho imenso: a saída após recuperação da posse de bola. Isto é, ter a capacidade de jogar de uma forma a defender e, depois, em posse de bola, modificar aquilo que é fundamental: a recuperação das posições em campo, o tirar a bola da zona de pressão, etc."

"Para além da posse e circulação, outro grande princípio que facilmente se identifica nas minhas equipas é o «pressing» alto zonal. E, para mim, o pressing não é mais do que um meio para se recuperar a posse de bola e só faz sentido se depois a equipa souber fazer uso dessa posse."

"Quando cheguei ao Leiria, a União jogava com muita gente atrás da linha da bola, num sistema de contra-ataque ou ataque rápido, e a sua organização ofensiva era muito fugaz. A minha intenção era torná-lo numa equipa mais dominadora, com mais tempo de posse de bola, com mais iniciativa de jogo, com mais controlo sobre o jogo e que jogasse mais em continuado. E, nessa perspectiva, a equipa teria que defender bem, mas sem utilizar o principio da «povoação», porque há equipas para as quais defender bem significa «povoar» muito. Portanto, as dificuldades que se criam ao adversário não são pela qualidade do jogo defensivo, mas sim pela aglomeração dos jogadores. Se uma equipa da terceira divisão com maus jogadores, mas onze jogadores todos eles em situação defensiva no primeiro terço do campo, for jogar contra o Real Madrid, o Real Madrid vai ter sempre algumas dificuldades. Agora, aquilo que eu quero é defender bem, mas não pelo princípio da aglomeração de jogadores."

"Para mim, defender bem é defender pouco, é defender durante pouco tempo, é ter a bola o mais tempo possível, é estar a maior parte do tempo com a iniciativa de jogo, não tendo necessidade de estar em acções defensivas. Para outros, defender bem é defender de uma forma compacta, é defender, por exemplo, com todos os jogadores atrás da linha da bola, retirando espaço aos seus adversários. Para outros ainda, defender bem é anular, sob o ponto de vista individual, os jogadores fundamentais da equipa adversária. Para mim, defender bem é uma mistura de «pouco», em termos de quantidade de tempo, mesclado com o momento da perda da posse de bola."


"Pode-se defender bem em qualquer lugar. Agora, eu prefiro defender longe da minha baliza, porque, quando recupero a bola, estou mais perto da baliza do adversário, que é o meu objectivo no jogo."

"Há quem diga que os jogadores mais criativos - aqueles com grande potencial ofensivo - devem ser poupados ao nível das tarefas defensivas. Eu penso que quem disse isso percebe pouco de futebol! Quem diz isso ou é o adepto comum, ou é o jornalista ou o crítico que, como quase todos, sabe pouco de futebol, ou é o treinador que ainda não chegou ao topo ou que já esteve e já desapareceu. Porque, no futebol de hoje, esses conceitos estão completamente mortos. Os onze jogadores têm que saber o que fazer em posse de bola e os onze jogadores têm que saber o que fazer quando o adversário tem a posse de bola."
Citações retiradas do livro de Bruno Oliviera, Nuno Amiero, Nuno Resende, e Ricardo Barreto, de 2006: Mourinho. Porquê tantas vitórias?

Assim, nesta época, o treinador português encheu-me de esperança ao ouvir no início da época, as suas intenções para com o modelo de jogo do Chelsea.


Mas as incongruências desde cedo se vislumbraram. Veja-se as mudanças que operou contra o Everton, uma equipa sem qualidade individual que se compare ao Chelsea. No qual o treinador também está no seu primeiro ano de trabalho. Mourinho mudou demasiadas vezes o seu modelo, para que as regularidades que dizia querer se manifestassem com qualidade, consecutivamente. Tudo em nome de uma ou outra vitória, onde a equipa foi tendo reforço positivo de comportamentos, que contrastavam com as suas intenções iniciais.



Depois do jogo de ontem, que não vi, é o treinador com mais presenças em meias finais da Liga dos Campeões (8). Depois desta época, é um treinador talhado para provas a eliminar. Que trabalha o seu modelo para os jogos "grandes". Mais uma vez, depois do Chelsea, Mourinho constrói uma equipa que não se sente confortável quando está em posse, em organização ofensiva (aqui). Assim, nas suas palavras, a equipa não quer assumir o jogo. Não joga como os grandes. Espero que o próximo ano traga as mudanças que Mourinho prometeu no início da época. Espero que depois do mundial eu tenha "o meu" Mourinho de volta. Aquele que não muda em nome de vitórias esporádicas. Aquele que no longo prazo, em provas de regularidade, demonstra superioridade ao nível de jogo, sobre todos os outros. Aquele que no final, vê isso mesmo reflectido na tabela classificativa, sem que equipas de menor valia individual consigam beliscar o seu percurso. Integrando isso na mais valia que é a forma como prepara os grandes jogos, e a consequente vitória no campeonato em que participa.


69 comentários:

Rafael Antunes disse...

Ainda não li o post, porque não tenho tempo agora...

Mas essas citações se tivessem o ano em que foram proferidas pintariam o quadro de outra maneira... Quanto mais não fosse, para que admiradores acérrimos como eu tivessem outra percepção da Evolução/Regressão...

é daquelas coisas que "não aquentam nem arrefentam" como se diz na minha terra... :D

Cumprimentos...

DC disse...

Ontem aquilo caiu-lhe completamente aos trambolhões. Nem ele sabe como.
Pelo menos nos últimos 15 minutos chegava ao meio-campo e já só havia chuveirinho para a área.
Marca um golo seguido de vários ressaltos e beneficia do facto do Cavani ter estado francamente mal, quando podia ter matado a eliminatória, e do PSG ter sido muito incompetente a gerir a posse de bola.

Comentei com um amigo que Mourinho deve ter um pacto com o Diabo às vezes que isto lhe acontece, mas nem esse pacto o salvará contra equipas mais experientes. O Chelsea é mau demais a atacar.

Dennis Bergkamp disse...

O Mourinho "daquele tempo" era tão inspirador. Era tão "tão a frente" de todos os outros.

Mostrava claramente o caminho e era sedutor em todas as entrevistas. Fazia (e faz) todo o sentido aquilo que apregoava.

E os resultados deram-lhe claramente razão, logo deviam suportar a continuidade do paradigma.

Não percebo mesmo o porquê das diferenças gigantes que o jogar de agora tem para o jogar de antes.

Continua a ser brilhante no extra treino, no extra jogo, principalmente nas relações com o grupo.

Mas a "lanterna que aponta o caminho" está com uma luz bem mais fusca agora.

emanuel melo disse...

Não percebo o porque dessas mudanças do mourinho. a verdade é que o mesmo, andou a temporada toda a dizer que nao tinha um plantel comparavel com outras equipas a lutar pelo titulo, e acho que isso não é verdade. Quanto ao jogo de ontem, do pouco que vi, fiquei desolado com a quantidade de más decisões do chelsea, desesperado por um golo. Depois vejo a segunda parte do dortmund, que com uma equipa coxa, consegue encostar o real ás cordas. É impressionante, a qualidade do modelo de klopp tanto em contra ataque como em posse. Não querendo fugir mais á questao, esperemos que para bem do futebol portugues, e de mourinho, que o mesmo altere a sua forma de jogar, para o ano.

Zé Miguel disse...

Ainda me chamam louco quando digo que Mourinho parou no tempo. Obrigado Lateral Esquerdo...

rsa disse...

Tal como o 3 golo do PSG em Paris sendo uma grande golo de Pastore foi cruel e colocou a eliminatória a um nível diferente do 2-1 , ontem Mourinho teve a estrela dos campeões .

O Chelsea ainda tem arestas para limar um grande avançado um segundo ponta de lança ter Matic a tempo inteiro já rotinado e trabalhado e com isto talvez tenhamos um Chelsea mandão para o ano .

Este ano títulos só se os adversários fraquejarem, Mourinho não foi triturado pela maquina do Real mas acredito que foram 3 anos muito difíceis este será um ano de transição...

Gandaia disse...

O que terá levado Mourinho a mudar tanto?....

Roberto Baggio disse...

Zé Miguel,

"Ainda me chamam louco quando digo que Mourinho parou no tempo. Obrigado Lateral Esquerdo..."

Para mim, regrediu. Para no tempo significava que a equipa jogava com os princípios que ele tinha definido outrora. Mas não é o caso. Para mim, trata-se de uma regressão.

Bergkamp,

Para mim, e para ti, sabemos que foi ele quem mais revolucionou a nossa forma de ver o jogo. E é com tristeza que vemos um tipo que nos fez mudar tanto, tenha ele mudado tanto no sentido contrário à tudo o que nos ensinou.
A mim faz-me sentir "magoado", triste, deprimido, sei lá.

rsa,

O Chelsea, antes de jogadores, precisa de uma organização de qualidade. O Liverpool tem muito menos qualidade que o Chelsea (quantos jogadores entravam no 11 do Chelsea?) e joga muito, mas muito mais (do ponto de vista ofensivo). O Everton tem muito pouca qualidade e joga, também, muito mais.

Isso não é culpa dos jogadores. Poder-se-ia dizer que o era, do plantel ser fraco (com o qual não concordo, pelo menos em comparação só perde para o City) se o modelo que ele tentava implementar levasse a que se cometessem muitos erros em posse. Mas ele não tenta jogar bem em posse, logo, a culpa não é dos jogadores.
A única coisa que mudava no plantel do Chelsea, era um lateral esquerdo, e um médio de grande qualidade (criatividade).

Vasco disse...

@Baggio

"..A única coisa que mudava no plantel do Chelsea, era um lateral esquerdo, e um médio de grande qualidade (criatividade)."

Não vou falar do Lampard nem do Matic, mas pá..o OSCAR?!

Makelele disse...

Concordo com o DC, quando diz que o Chelsea ataca mal (acho que todos concordamos), mas o facto de ele dizer que não tem ponta de lança também é verdade. O Eto'o claramente está a um nível inferior daquele que nos habituou, mesmo nas suas capacidades cognitivas, e o Torres sem bola na minha opinião é péssimo. Raramente abre espaços e pouco ajuda nas acções defensivas. Com o Matic a jogar e se tivesse aproveitado o Mata e com um Michu, talvez fosse diferente... mas Mourinho está longe de nos surpreender como surpreendeu, obviamente!

Abraços

DC disse...

O Mourinho não gosta de criatividade. Se gostasse o Mata não saía para entrar o Salah.
Trocou o cérebro e a classe pelo corta-mato.

Roberto Baggio disse...

Vasco,

"Não vou falar do Lampard nem do Matic, mas pá..o OSCAR?!"

Que eu saiba, ele joga com 2. Sendo que um deles tem sido de forma recorrente o D.Luiz. Penso que assim fica tudo mais claro.
Isto para não dizer que o Lampard está "morto", o Mikel não é ninguém, e o Ramires é tudo menos criativo. Final das contas, no plantel, tem 5 jogadores para dois lugares, dos quais apenas 1 (Matic) tem competência para jogar em posse.

Koba disse...

Muito interessante a discussão.

Pergunto-me se o problema, mais do que de abordagem técnica ao jogo (com tudo o que isso envolve), não será antes de abordagem "psicológica".

Explico-me: tenho para mim que o que mudou Mourinho foi o Barcelona (e Guardiola).

Mourinho, pela primeira vez na sua carreira, viveu 3 anos obcecado com a ideia de ultrapassar um adversário. Adversário esse que lhe era superior e que ele não sabia como parar.

Isso foi algo que mudou a sua abordagem ao jogo porque os princípios inerentes a todas essas citações (não perder a identidade, etc.) foram ultrapassados pelos acontecimentos: achou que tinha que mudar a abordagem ao jogo porque lutando com as mesmas armas perderia em toda a linha. Ou seja, a sua identidade, ou pelo menos aquela que ele conseguiria criar, seria insuficiente.

"Assumir sempre os jogos, não se descaracterizar perante os adversários, é uma característica das minhas equipas." Foi. Já tinha deixado de ser, esporadicamente, naquela meia-final Inter-Barcelona (lá está o Barcelona outra vez...).

A chegada a Madrid fez Mourinho ver toda uma nova realidade (que ele até então desconhecia).

João Mendes disse...

Esse Mourinho era um amante do futebol, queria ficar na história pelo que podia dar ao futebol.
O Mourinho agora é obcecado por resultados, e apenas quer ficar na história por números.

A diferença é apenas essa Mourinho quer ser o melhor de sempre em números tudo o resto pouco interessa para ele.

Roberto Baggio disse...

No Inter, para que se seja justo, na 1ºmão jogou, com o seu 4-4-2 losango. Atacou, e atacou bem. Não teve mais posse, porque era o Barcelona, mas sempre que teve a bola, tentava atacar com qualidade. E na 2ºmão, teve um jogador expulso bem cedo.

Sobre os médios, o que Mourinho achava sobre eles no Inter:

Prefere Stankovic em posições mais centrais ou encostado à esquerda?
"Muitos pensam que o jogador mais posicional à frente da linha defensiva deve ser um jogador muito defensivo. Eu não penso assim. Penso que esse jogador deve ser um jogador com boa capacidade para jogar a bola, com qualidade, com visão, com tranquilidade, para ser quase como o homem que inicia a construção de jogo nessa zona. E o Stankovic é um jogador com experiência que pode jogar aí. Se tivermos Cambiasso para jogar na sua posição normal, obviamente que Stankovic será uma opção para jogar um pouco mais à frente, mas penso que ele pode jogar nessa posição, sim."
Um jogador como Pirlo?
"Não conheço a ideia de Carlo Ancelloti com Pirlo. Não, agrada-me um jogador de futebol, não me agrada um jogador que destrói o jogo do adversário. Gosto, nesta posição, de um jogador que joga e o Cambiasso joga e Stankovic joga e temos alguns outros que podem jogar nesta posição."

Sobre o Ponta de Lança, que tanto vocês, e ele, fala agora, sendo o indicador principal de que afinal não quer assim tanto jogar em posse:

[Sobre a questão de Ibrahimovic não marcar muitos golos.]
"Poderá melhorar, mas penso que, numa equipa, para jogar um futebol de controlo e um futebol com posse de bola, é sempre mais importante um super-jogador do ponto de vista técnico que um jogador que marca golos. Se uma equipa está dependente de um jogador que marca 20 ou 30 golos numa época e se o jogador se encontra num momento difícil, as coisas não serão fáceis."

João Silva disse...

Vou mandar a minha posta de pescada e também concordar com o RSA e "culpar" os anos em Espanha que viu nascer/confirmar alguem com um potencial enorme (Guardiola) e a ansia de provar-se capaz do desafio Madrid que convenhamos é o ultimate test para qualquer treinador. É preciso relembrar as picardias com os "papelitos" para os jornalistas espanhois? "Medo de perder"? Não, é mais vontade de vencer, o maximo possivel e Espanha fez infelizmente, na minha opinião, crescer em demasia esse sentimento. É a unica explicaçao por montar uma equipa com carniceiros (ainda que tentou muitas vezes mudar, o caso Pepe - Verane é prova) para ganhar a uma equipa de artistas (Barça) e alterar o seu modelo de jogo no processo.

é o que penso sobre o tema...no entanto se este for um Mourinho mais especializado em provas a eliminar entao...bem vindo futuro seleccionador nacional

Cumps

Baresi disse...

"Comentei com um amigo que Mourinho deve ter um pacto com o Diabo"

Porra, mesmo à bocado falei com um amigo meu e disse a mesma coisa!!
A quantidade de vezes que o Cavani não mata a eliminatória...

Anónimo disse...

Nao foi no Real, nem por Guardiola, que Mourinho mudou.

Na minha opinião, foi na sua primeira passagem no Chelsea. Chega lá e limpa a Premier League com record de pontos, tudo fantástico. O que o mudou? A frustração de não conseguir ganhar a Champions no Chelsea, em 3 anos. Num dos anos ficou-se pelos oitavos contra o Barça do Ronaldinho. Nos outros dois ficou pelas meias-finais em eliminatórias muito cínicas contra o Liverpool.

Para mim não foi Guardiola que o mudou, foi o complexo de perder a Champions e... rafa Benitez. Que o arrumou 2 vezes nas meias finais com um futebol feio mas talhado para aqueles grandes jogos.

A partir daí Mourinho ficou como Benitez, como um mega-Benitez: enfoque máximo nestes grandes jogos, futebol de feios, porcos e maus... O trauma foi grande.

Cumps

Roberto Baggio disse...

"bem vindo futuro seleccionador nacional"

Os seleccionadores nacionais têm pouco mérito naquilo que conseguem. Sabes, é o trabalho de treinador, que menos trabalho de treinador tem. Isto porque não treinam nada. Não têm tempo para treinar. Sem tempo para treinar, conta 95% do tempo teres os melhores jogadores para chegares à final.

Cumps

Roberto Baggio disse...

Por outro lado, Mourinho mantém esta relação fantástica com os jogadores: porMAIOR de Ibra: "Good Luck, you're the best"

http://www.youtube.com/watch?v=t5jVVGXIN8w

Como dizia o Bergkamp. Mudou, estranhamente... Enfim... Eu fico verdadeiramente triste, por ver alguém que me ensinou tanto, assim...

João Silva disse...

Mas Baggio, Mourinho já fez saber que é uma cadeira que gostava de experimentar. É um desperdicio por aquilo que é ou era o melhor dele, o constante trabalho semanal? Talvez, mas nao sou o unico que acredita que é o mais talhado para o trabalho. Até também digo que estou com esperança que se mude esta anormalidade de sistema de selecçoes que em nada ajudam o futebol, interrompendo campeonatos semana sim semana nao para algo como um mes de trabalho seguido antes das competiçoes ou reservar alturas concretas no ano. Mas é dificil.

Cumps

PS: Baggio, Babanco é fixe, nem que seja porque se chama Elvis! :P

Jorge Carolo disse...

Espero que Mourinho faça um reset na sua atual forma de pensar o jogo, porque além dos casos em que apresenta princípios e mentalidades tão diferentes dos que apresentava no tempo do Porto, vai mais longe e refere que se fosse treinador de equipas pequenas que atuaria tal como elas fazem hj em dia contra o Chelsea, com blocos baixos e que procuram sobrelotar a zona defensiva para dificultar a construção adversária, exatamente o oposto que fazia quando treinava o Leiria!

Enfim, esperemos que este seja apenas um mau momento e que Mourinho volte aquilo que era. Talvez perder todas as competições lhe faça bem!!

Cumprimentos e obrigado por nos fazerem reviver aqueles momentos em que Mourinho era de facto o melhor do mundo!!

Pedro disse...

"Mourinho, pela primeira vez na sua carreira, viveu 3 anos obcecado com a ideia de ultrapassar um adversário. Adversário esse que lhe era superior e que ele não sabia como parar."

Exacto. E Mourinho não soube lidar com essa fracasso, com essa barreira intransponível chamada Barcelona. Daí a forma muito mais agressiva com que falava nas conferências e a série de "guerras" que travou.

Rafael Antunes disse...

Acabei recentemente de ler um livro acerca do FCBarcelona... Ao ler o post as citações de Mourinho "cheira-me a Barça", MUITO...

Eu sou levado a concordar com os comentários que apontam o Barça como um dos elementos que o levou a mudar...

A primeira eliminação da Champions pelo Barça...

A conjuntura da hegemonia do Barça de Pep... A eliminação do Barça na Champions com o Inter... e no seguimento a concorrência interna com esse Barça que eliminou no ano anterior...

A sua fixação com a 3ª Champions conjugada com a fixação com a 10ª do Real...

Mourinho é quase como o jovem padre que se torna satânico...

Passou do futebol para o resultadismo... Que pena para o futebol...

DC disse...

O "fim" do Mourinho começou com aquele golo do Ronaldinho frente ao Carvalho.

Gil Von Doellinger disse...

«Os médios trabalharam que nem animais e David Luiz foi um monstro»

Quando Mourinho afirma isto está tudo provado quanto à sua regressão. Ver David Luiz jogar no meio-campo é um atentado lesa futebol. O que me entristece e preocupa é não saber se Mourinho deixou de saber o caminho que em tempos descobriu e partilhou com o mundo. Será que Mourinho se perdeu de vez? Será que Mourinho irá teimar neste tipo de modelo de jogo, com os David Luiz desta vida a justificarem loas e epítetos, quando o que fizeram em campo foi duma banalidade constrangedora?

Nuno Neves disse...

Mourinho mudou conforme as circunstancias, e o treinador que nao muda os seus principios conforme os jogadores que tem, ou é TOLO ou é Parvo.... No futebol o que interessa são os resultados, e nisso ele é o melhor de todos. Não se esconde em equipas já feitas e conquistadoras, como guardiola... Mou é o MELHOR..
Um treinador que mais falha é o que não consegue encontrar um modelo e um principio de jogo para os jogadores que tem

Zé Miguel disse...

Eu não quis dizer regrediu para não ferir susceptibilidades, quanto a minha regrediu de forma descarada...e a forma como pensava o jogo e a forma como apresenta o jogo actualmente é um contra-senso incrível! A minha ideia é simples, quem jogar melhor o jogo poderá não ganhar já mas estará sempre mais perto do sucesso continuado, Mourinho joga para ganhar hoje e não deu importante ao evoluir do futebol actual! O treino dele deve ser TOP, a identidade que dá às suas equipas é decepcionante! Têm plantel para no mínimo render o dobro! Não me identifico com os processos, com a dita identidade e com a forma de liderança (trato com impressa, jogadores, treinadores, federações etc). Não era aquilo que quereria para uma equipa minha! Regrediu é mesmo a palavra Baggio!

Anónimo disse...

O Mou ou tem a vaca que teve no FCP e calha com o Atletico, ou vai para a 4a meia final seguida perdida.

é o melhor a vencer, dizem... gostava de ver o q chamariam a qq outro treinador nestas condições...

Gil Von Doellinger disse...

A vaca que o Porto teve nessa época, assim como na anterior, não se chamava Cornélia, chamava-se o melhor futebol que alguma equipa jogava naquela altura na Europa e no mundo. E já se sábe - eu pelo menos sei - quem joga melhor esta mais perto do golo e das consequentes vitórias.

Zé Miguel disse...

Já ao Tatá, o que me apetece dizer é que futebol não se produz ao estilo Bimby, pego nos melhores e ponho lá dentro, tenho muita qualidade individual que deverá chegar para cumprir os pressupostos! Errado...quando não apresentas qualidade, ficas mais perto de perder! Messi correu 6,8km durante o jogo, algo que têm sido recorrente nos últimos meses, a minha pergunta é a seguinte, será Messi estimulado o suficiente com treino? Duvido. Aquilo, creio eu, é o bater duma realidade do tipo "coisa fraca o que bebo agora"! Parabéns aos 70% dos treinadores que se diziam capazes de liderar uma equipa com a qualidade do Barcelona com argumentos tipo "Guardiola? Eu quero ver é ele ganhar noutro lado. O Barcelona até eu treino."! Parece fácil fazer-se bem as coisas, parece! Abraço!

Anónimo disse...

A melhor equipa da Europa e do Mundo? O Real deu 3 a esse Porto.

Ac

Hugo disse...

"O "fim" do Mourinho começou com aquele golo do Ronaldinho frente ao Carvalho.

Aquele em que depois passou a eliminatória?

"Pelo menos nos últimos 15 minutos chegava ao meio-campo e já só havia chuveirinho para a área."

Parece-me melhor de que com 15 minutos por jogar, continuarem a trocar a bola inofensivamente "Barça Style"

Mas realmente vocês nunca irão compreender que existem vários formas de jogar, e nem todas as equipas têm que praticar o jogo de posse

DC disse...

Quem não compreende és tu Hugo. Ontem viste o Barça a trocar a bola nos últimos 15 minutos? Viste foi chuveirinho, tipo equipa inglesa, porque o Tata não sabe colocar a equipa a jogar. Viste o Barça a passar o jogo todo a tentar centros para a área e jogo directo sem trabalhar as jogadas.
E, por isso, viste o pior jogo europeu do Barça dos últimos 7 anos. Mesmo contra o Bayern o Barça conseguiu criar mais do que ontem.
E isso, porque abdicou da sua forma de jogar. O Barça de Guardiola nunca "trocou a bola inofensivamente". Quanto trocava tinha sempre o intuito ou de conservar a posse ou de trabalhar a jogada para encontrar o melhor caminho para o golo. E esse caminho nunca é uma bola que ressalta em 2 ou 3 jogadores e chega à baliza sem se saber como.

Filpe Santos disse...

DC, viste a Supertaça Bayern x Chelsea? Como é que terminou a jogar o Bayern? Não foi só chuveirinho para a área e 2.ªs bolas? Como surgiu o último golo do Bayern?

Como surgiu o golo do empate do Bayern ontem? Não foi num cruzamento para a área em que os jogadores estavam em inferioridade numérica?

Tiki-taka é bom, mas não é o único futebol que existe e mesmo Guardiola utiliza outros recursos quando necessário

DC disse...

O golo do Bayern surgiu com 6 jogadores na área e superioridade numérica na zona onde a bola entrou.
O de ontem surge com um 1 para 1 na área entre Mandzukic e Evra. Não há mais ninguém na zona da bola.

Ninguém recusa outros tipos de futebol se cumprirem os princípios do jogo. Coisa que chuveirinho do meio-campo dificilmente cumpre...

PG disse...

Tento vir ao blog uma/duas vexes por mês, Sempre sem intervir no forum mas tentado ir dando uma vista de olhos. Queria só dar "um toque", sem me alongar, a quem aqui escreve uma vez que costumam abordar os problemas sobre uma perspectiva complexa....
A) será q o Mourinho regrediu? Ou sera q devido ao contexto que enfrenta a top tenha sentida ncessidade de "descomplexificar" o elemento causal do processo? Menor complexidade , periodizacao das ideas ajustada bla bla bla n permitira melhor controlo do desgaste emocional ao logo da época?

B) para quem valoriza o transfer, a adaptabilidade a um determinado padrao de problemas etc e tal nao fara sentida considerar q o tal "chuveirinho" fosse a melhor arma para os ultima minutos? Especialmente se devidamente interligado ao nivel dos sub sub principios? O Chelsea simplesmente aprèsentou um padrao de problemas ao qual o PSG n esta habituado, devido à tendencia da liga francesa e do qual o Chelsea, ate pela questao cultural, podia tirar proveito.

A idea é convidar a vossa reflexao, como voces convidar à nossa. A minha ja a fiz, ainda ele ainda a no Inter.

O Mou nunca foi o meu treinador preferido mas de uma coisa tenho a certeza, no que respeita ao treino ele n faz nada p acaso.

Carrega SLB

Filipe Santos disse...

DC o golo do Bayernsurge com 6 jogadores na area? E qts do Chelsea? Estavam em superioridade nunerica? Nao nao estavam.

1x1 entre Mandzukic e Evra? Nao esrava mais ninguem na zona de Mandzukic. Por acaso nessa zona ate etavam 3 jogadores do Manchester para Mandzukic. Se consideras 1x1 entao estao senpre 1x1 na area.

Quanto a 2a perguntque PG vos coloca é pertinnte e é verdade. Quantas vezes foi o PSG sujeito a este tipo de jogo durante a epoca? Provavelmente nenhuma. Nem na Champios. Por isso mais uma vez do ponto de vista estrategico foi mais uma jogada de gebio de Mourinh. E nao saiu do acaso, mas estavam bem preparados para isso.

Ja vos surgiu na cabeca que Mourinha tenha dado prioridafe à Champions este ano em detrimnto do campeonato. Savendo ele questaria abaixo dos Citys e Bayerns, da prikridade a prova a eliminar.

É que quando falamos aqui de Mourinho parece que estamos a falar dum qualquer. Mesmo nao estando tao forte no Real, nao é da ewuipa dele o recorde de pontos?

DC disse...

Não, não estão 1 para 1 se houver marcação à zona.
Ali há um duelo individual entre o Mandzukic e o Evra. E naturalmente, pelo ar, o Mandzukic tem muita probablidade de o vencer. Portanto, não é um centro qualquer, não é uma jogada à sorte. É uma jogada com bastante probabilidade de êxito.

Aliás, só o facto de estares a comparar um centro que é efectuado a 1 metro da área com centros vindos de 20m, 30m da área para mim não faz grande sentido.
Eu não tenho problemas com centros para a área. Tenho sim, quando são sem critério. Tenho quando, como se viu ontem, tens 5 ou 6 gajos de 1,90m do Atlético e o pobre do Neymar a tentar ganhar as bolas pelo ar contra eles.

Quanto ao Mourinho sim, deve ser estratégico estar eliminado até aos 88'. Prefere marcar o 2º golo só nessa altura para não dar hipótese de reacção. É de génio mesmo. E até preferiu marcá-lo depois de vários ressaltos para ser mais giro...

Gil Von Doellinger disse...

@PG, apesar da pertinência do teu comentário, custa-me sempre compreender e aceitar que a melhor solução para os últimos minutos seja recorrer ao "chuveirinho" e à imprevisibilidade inerente ao mesmo. Como é que se controla o que vai causar imprevisibilidade? Será este o melhor caminho, o de recorrer à sorte duma bola ganha de cabeça em inferioridade numéria? Ou o de esperar por um ressalto aleatório? Que haja mais que um caminho para o sucesso eu compreendo e aceito. O que não consigo entender, e como tal não tenho como aceitar ou não, é que o caminho para o sucesso seja o de recorrer ao "chuveirinho" quando mais nada do que se planeou resulta. Mourinho mais uma vez está nas meias-finais da Champions, mas o facto de mais uma vez estar lá não implica que o melhor caminho para lá chegar seja o dele. Pelo menos para mim não é, mas esta é a minha opinião. Opinião de quem respeita a de todos os outros.

Roberto Baggio disse...

PG,

"A)

"será q o Mourinho regrediu?"

Sem dúvida.

"Ou sera q devido ao contexto que enfrenta a top tenha sentida ncessidade de "descomplexificar" o elemento causal do processo?"

Ao fazê-lo tornou o processo mais dependente das individualidades. Deu aos jogadores menos ferramentas para resolver problemas de forma colectiva. No fundo isso mostra o seu retrocesso.

"Menor complexidade , periodizacao das ideas ajustada bla bla bla n permitira melhor controlo do desgaste emocional ao logo da época?"

Menor complexidade, modelo mais pobre, mais dificuldades em todos os momentos do jogo, mais situações defensivas para resolver (que são as que mais desgastam os jogadores do ponto de vista emocional), equipa menos vezes em posse (sem que dessa forma se permita gerir esse mesmo desgaste em jogo), maior requisito da individualidade para resolver os problemas do jogo (o que causa mais desgaste no individuo), etc, etc, etc.

"B)

"para quem valoriza o transfer, a adaptabilidade a um determinado padrao de problemas etc e tal nao fara sentida considerar q o tal "chuveirinho" fosse a melhor arma para os ultima minutos?"

Se o argumento é de que o PSG não enfrenta problemas desse tipo na sua liga, e que como tal poderia surpreender, e tirar partido disso, então por que não fazê-lo desde o início do jogo?!

"Especialmente se devidamente interligado ao nivel dos sub sub principios? O Chelsea simplesmente aprèsentou um padrao de problemas ao qual o PSG n esta habituado, devido à tendencia da liga francesa e do qual o Chelsea, ate pela questao cultural, podia tirar proveito."

E Mourinho diz nesse mesmo livro, que não altera sistemas de uma semana para outra. Isto porque percebia que isso só seria possível com muitos treinos por cima, e com muitos jogos por cima. Para este jogo mostrou completamente o contrário. Que afinal já pode recorrer disso mesmo, treinando 2,3 dias. E já está. Ora isso é mais uma evidência desse retrocesso. Hoje em dia, Mourinho acredita na fé! Não nas regularidades e no seu trabalho ao longo do tempo.
Depois há mais uma questão: Se Mourinho quer um modelo, uma identidade, etc, desvirtuar isso em nome de uma passagem às meias finais? Para quê? Depois quando quiser jogar em posse e pressão alta, se eu fosse jogador dele, diria: Oh mister mas contra o City ganhámos a defender baixo, contra o Everton igual, contra o Liverpool também, contra o Arsenal igual. E contra o PSG passámos às meias da Champions a bater na frente. Os resultados dão-nos razão. É assim que de forma inconsciente os jogadores pensam, quando vão tendo sucesso com determinado tipo de comportamentos. Depois eles emergem, ainda que o treinador tente o contrário. E isso, mais uma vez, é outra evidência do retrocesso de Mourinho. Hoje, ele trabalha sob o princípio da chiclete. Diz aos jogadores para jogarem duma forma num jogo, ou durante o jogo, e a determinado momento joga de forma completamente diferente, sem qualquer relação com a dinâmica anterior. Masca, deixa de ficar doce, deita fora. Mete outra de sabor diferente.

Os meus cumprimentos

Paolo Maldini disse...

olha, n espero que acreditem, mas é verdade e aconteceu há menos de uma hora, no intervalo do chelsea u18 x arsenal u 18. E foi em português

"Parabéns pela vitória sobre o PSG, mister"
"Oh tivemos uma sorte do caralho"

O homem de quem se fala aqui :)

Filipe Santos disse...

DC deves ter algumas dificuldades a nivel de raciocinio... De certeza que nao era estrategia estar eliminado ate aos 88'. Mas Mourinho contemplou os diversos cenarios durante o jogo e estava planeaso o jogo directo caso nao tivesse um resultado positivo na 2a parte. Como ele r e os jogadores referiram no pos jogo. Por isso pode ser o tao mau que voces pintam, mas este merito ninguem o pode tirar. É q ainda vens com o argumento do golo aos 88' quando PSG marcou no ultiimo minuto do jogo. Os jogos sempre tiveram 90 mais os descontos ou nao?

Agora vou vos dizer uma coisa. Quando antes do jogo dizes aos teus jogadores que nos timos minutos se tiveres resultado negativo vamos bater na frente e treinas isso mesmo. E depois no jogo apuras-te a jogar assim mesmo ele fica com os jogadores todos amorrerem por ele.

DC disse...

É isso Filipe. Tenho mesmo. Porque eu, ao contrário de ti, não faço ideia dos cenários que o Mourinho contemplou ou deixou de contemplar.
E termino aqui a discussão porque não gosto de discutir religião.

Maldini, deliciosa essa história :D

Paolo Maldini disse...

Foi com um dos meus melhores amigos, que antes escrevia aqui. O SirLuis.

Sairam ambos ao intervalo do Chelsea x Arsenal (Meia final da FA u18) para ir ver a Liga Europa.

O SirLuis é também treinador do "brasuca". É assim que o Mourinho chama o filho.

Roberto Baggio disse...

"Agora vou vos dizer uma coisa. Quando antes do jogo dizes aos teus jogadores que nos timos minutos se tiveres resultado negativo vamos bater na frente e treinas isso mesmo. E depois no jogo apuras-te a jogar assim mesmo ele fica com os jogadores todos amorrerem por ele."

Parabéns para ele. Os jogadores ficam a morrer de amores pela irracionalidade, fé, sorte, mediocridade ao nível de jogo. O argumento de que o PSG não estava habituado a esse tipo de jogo, daí ter utilizado aquela estratégia, é no mínimo ridículo, do meu ponto de vista. Eu não acredito nele. Se assim fosse, teria começado a jogar assim, desde o início, por forma a colocar desde cedo essas dificuldades ao adversário.

Filipe Santos disse...

DC nao estas a discutir religiao.Basta ouvires as declaracoes dos jogadores no pos jogo para saberes que esse cenario estava contemplado na preparacao para o jogo. Esta mais atento sff.

Baggio ai estas a sair completamnte fora do que é ser treinador. Porque antes de tudo tem que ser um lider capax de fazer com que os jogadores acreditem nele. E se Mourinho fosse assim tao mau isso nao acontecia. Mesmo no Real, isso aconteceu nas primeiras 2 epocas. E quando nao acontecsu foi a pior wpoca dde sempre do Mourinho. Mesmo quando falam do JJ, nao tem isso em conta. JJ é um excelente treinador que tem vindo a melhorar nesse aspecto. E claro qhe as vitorias para isso contribuem.

Deverias considerr esse aspecto na tua pratica de treinador para nao te voltar a acontecer o que aconteceu este ano com todos a nao acreditarem nas tuas ideias.

Abraco

Filipe Santos disse...

E Baggio se calhar nao comecou a jogar assim porque pensava que o PSG so jogaria com 1 bloco extramemente baixo caso tivesse 1-0 ou 2-1 nos ultimos 15-30 minut. nao acho é que o argumento seja ridiculo como tu, treinador distrital de formacao, clasificas o mesmo vindo de Mourinhos. Perspectivando 1 PSG mais alto na 1a parte, nao faria sentido. Mas isso ninguem podera saber.

Roberto Baggio disse...

"Baggio ai estas a sair completamnte fora do que é ser treinador."

Ai sim? Porquê? Leste bem o artigo? Ou queres que eu sublinhe a parte do artigo que Mourinho fala sobre isso?!

Aqui vai: ""Assumir sempre os jogos, não se descaracterizar perante os adversários, é uma característica das minhas equipas. Já o era quando treinava o União de Leiria, que era uma equipa que não tinha essa obrigação. Para mim, o mais importante é sempre a nossa própria equipa e não o adversário""

"Porque antes de tudo tem que ser um lider capax de fazer com que os jogadores acreditem nele."

Sim, acreditar nem, segundo o princípio da chiclete. Isso é brilhante, de facto. Temos de acreditar na nossa filosofia, na nossa forma de jogar. Ups, afinal isso já não presta. Vamos fazer exactamente o oposto. Acreditar no quê? No homem?! É esse o tipo de crença que se esfuma rapidamente, com vitórias, ou derrotas. A crença na ideia é muito mais forte que a crença no homem. Mourinho sabia-o. Queres ver?

""Ter um modelo de jogo perfeitamente definido e não fugir dele, acreditar nele, é um aspecto marcante das minhas equipas. E é fundamental que assim aconteça""

"E se Mourinho fosse assim tao mau isso nao acontecia."

Quem é que está a dizer que Mourinho é mau?! Onde é que isso está escrito no artigo?! Onde é que viste isso?! Mourinho é um dos melhores treinadores do mundo. E o retrocesso baseia-se no facto de: Mourinho já ter sido o melhor do mundo, por larga margem! Entendes isso?!

"Mesmo no Real, isso aconteceu nas primeiras 2 epocas."

Pois. Acreditaram no homem. O homem falha mais vezes que a ideia de jogo. Rapidamente deixaram de acreditar no homem, rapidamente a equipa passou de competente (quando as equipas deles sempre foram fabulosas), para medíocre.

"Deverias considerr esse aspecto na tua pratica de treinador para nao te voltar a acontecer o que aconteceu este ano com todos a nao acreditarem nas tuas ideias."

O quê? Acreditar na fé? Na sorte? Na incoerência do discurso? Na incoerência entre a mensagem e aquilo que se pratica? No escolher ensinar aos jogadores algo que apenas lhes vai valer em alguns jogos, em detrimento do seu crescimento e evolução? No escolher ganhar jogos na formação em detrimento de ajudar os jogadores para o futuro?

Não obrigado. Eu não me deixo cair na tentação de fazer mal, só porque fazer mal por vezes ganha. Provavelmente, com esse discurso, tu sim. Daí, também não conseguires explicar o porquê de não terem começado com não sei quantos avançados, para fazer chuveirinho e criar essas dificuldades logo desde o início.

Filipe Santos disse...

DC quanto aos cenarios a reaccao de Mourinho apod o 2-0 diz tudo. Quantos treinadores teriam reacao tao rapida a reestruturar a equipa? Isto tambem faz parte de ser treinadorr.

Roberto Baggio disse...

"E Baggio se calhar nao comecou a jogar assim porque pensava que o PSG so jogaria com 1 bloco extramemente baixo caso tivesse 1-0 ou 2-1 nos ultimos 15-30 minut. nao acho é que o argumento seja ridiculo como tu, treinador distrital de formacao, clasificas o mesmo vindo de Mourinhos. Perspectivando 1 PSG mais alto na 1a parte, nao faria sentido. Mas isso ninguem podera saber."

Perspectivando... Adivinhou?! Ou ele alguma vez já viu o PSG a jogar em bloco baixo?! É que para ele ter perspectivado teria de ter tirado essa ideia de alguma lado. O PSG já alguma vez esteve em situação de vantagem nos minutos finais e baixou o bloco?!
A resposta para tudo isso é: Não me parece.
Tentou adivinhar, acreditar na sorte, na fé. Não haviam simplesmente dados que permitissem dizer que o PSG ia jogar em bloco baixo, fosse em que altura do jogo fosse. Quanto as dificuldades com um jogo mais directo, isso sim poder-se-ia dizer. No entanto, repito, se assim fosse teriam-no feito desde o início. E mais. Então o jogo directo seria mais eficaz tendo o PSG um bloco baixo, com mais jogadores aglomerados no mesmo espaço?! Não faria mais sentido fazê-lo com o PSG com um bloco médio/alto, com menos gente e mais espaços?! É triste vir paqui armado em conhecedor, dar conselhos, e não conseguir argumentar seja o que for, que não seja: Vi na TV!

O que eu acho ainda mais ridículo que o argumento do Mourinho, é isto: "nao acho é que o argumento seja ridiculo como tu, treinador distrital de formacao, clasificas o mesmo vindo de Mourinhos."
Está tudo dito. Mourinho faz, está certo! Ámen! Como alguém disse acima, vou parar. Não me apetece mais discutir religião. Isto para discutir é preciso saber argumentar. Não é chegar e dizer, Mourinho fez. Wow. Lançar qualquer coisa para defender uma teoria, ainda que seja um profundo disparate e a validade do argumento é que deu na TV, então está certo. Isto é preciso pensar. Já que dás tantos conselhos, o meu para ti é esse. Antes de vires para aqui discutir, pensa ao menos no que vais dizer. As coisas têm que fazer sentido.

Filipe Santos disse...

Baggio por acaso respondi ao que colocas no ultimo paragrafo no meu post anterior. Mas claro que é so uma hipotese nao passa disso. Esta mais atento tambem sff.

Se nao dizem que Mourinho é mau esclarecam isso pq quem lé o que escrevem so lê coisas mas. Pelo menos utilizem a tecnica da sanduiche (ja que utilizam o termo chiclete).

E a de acreditar no homem é engracada. Porque eu pensava que antes de serem jogadores e treinadores sao todos homens e voces falam do acreditar nk homem como se fosse uma coisa facil que esta longe de o ser. E tu ès a prova disso no Agualva

Filipe Santos disse...

Baggio nca escrevi que o wue o Mourinho faz esta certo. So nao classifico os argumentos dele como "ridiculos". É que se comparares os teus argumentos com os meus, a unica diferenca é que tu classificas como "ridiculos" e afins treinadores de classe mundial e as suas accoes. Jogo directo com o bloco do PSG mais alto e mais espaco nas costas? So s fosse para explorar a profundidade mas com 1 Thiago Silva no eixo central nao é coisa facil e nem o Chelsea teria 1 jogador para o fazer. Mas isto nao è argumento. É religiao e é ridiculo. Como o que tu escreves.

Filipe Santos disse...

E ja agora que coisas escrevi nao fazem sentido? Ha alguma incoerencia naquiki que escrevi? Professor?

Roberto Baggio disse...

"Porque eu pensava que antes de serem jogadores e treinadores sao todos homens e voces falam do acreditar nk homem como se fosse uma coisa facil que esta longe de o ser. E tu ès a prova disso no Agualva"

A prova do quê exactamente?!
Já que sabes/conheces tanto sobre essa realidade, diz-me lá qual a tua teoria, ou argumentação que te leva a dizer o que dizes... Se não, lá está, papagaio que diz qualquer coisa, ainda que tem sentido, só por dizer.

Roberto Baggio disse...

" É que se comparares os teus argumentos com os meus, a unica diferenca é que tu classificas como "ridiculos" e afins treinadores de classe mundial e as suas accoes."

A diferença é que os meus fazem SENTIDO. Os teus não. Porque os teus são: Mourinho fez.
Quanto ao resto, sobre o artigo, como se percebe, tens dificuldades de interpretação. Mas isso já não é comigo.

Veja-se o sentido: "Jogo directo com o bloco do PSG mais alto e mais espaco nas costas? So s fosse para explorar a profundidade "

Então o jogo directo serve para quê? O que é a verticalidade?! Não ela sempre objectivo de explorar a profundidade?! E que melhor momento para o explorar que não o espaço nas costas dos defesas?!

"mas com 1 Thiago Silva no eixo central nao é coisa facil e nem o Chelsea teria 1 jogador para o fazer."

No entanto, já teria jogadores para o fazer, com o Bloco Baixo, o Thiago Silva lá, e todos os outros jogadores do PSG?! Ainda para mais sem o tal espaço nas costas?! Qual é a lógica (SENTIDO) disso?!

Vês a diferença entre os meus argumentos e os teus?!

É a diferença entre os argumentos de Mourinho expostos no artigo, e os argumentos do Mourinho agora. Antes faziam SENTIDO...

Filipe Santos disse...

Entao agora afinal ainda tem sentido. Jogar directo com a defesa do PSG subida é que nao me pareceria boa ideia mas pronto. Bater para a area quando tens o Ba la metido mais o Etoo e Torres na molhads e mefios fortissimos nas 2as bolas é que nao faz sentido nenhum. Mas isto sao tudo ideias que podem dar ou nao dar. Agora o Mourinho argumntar de forma ridicula é engracada vindo dum Rui Santos. Pede a alguem teu amigo que pergunte aos teus ex jogadores do Agualva e eles dizem lhe

Roberto Baggio disse...

Pois, logo vi. Não há argumento. Papagaio. Já o esperava. Posso-te ensinar muita coisa, menos a pensar.
E muito obrigado pelas visitas regulares ao espaço do Rui Santos!

Filipe Santos disse...

So vi o teu ultimo comentario depois de comntar. O sentido de nao explorar o espaco nas costas è se calhar pelo facto do Thiago ser dos melhores senao o melhor do mundo a controlar esse espaco. Verticalidade escreveste bem. Jogo directo é para ser vertical nao necessariamente para ganhar o espaco nas costas.

E nao. Estas enganado. Nenhum dos meus argumentos foi: o Mourinho faz esta certo. Vi na TV. Isso é o que tu escreves que sao os meus argumentos mas nunca o escrevi. Apenas nao concordando com algumas coisas que esses treinadores facam nao os classifico como ridiculos. É que uma coisa é falar dum Seedorf ou Costinha que chegam la sem ter feito nada por isso e depiis fazem asneira. Outra sao treinadores que chegaram o.de chegaram por merito. E por muito tempopassado a pensar futebol. Mas se achas que tens moral para falar assim desses treinadores todos têm moral para falar da tua ridicula carreira de treinador

Filipe Santos disse...

Ja agora como classificas se as ideias dele fazem sentido ou nao? Com um sentidometro? É pq no futebol so existem mesmo as leis do jogo. Os principios do jogo sao definidos por cada um. Somos livres de concordar com uns e discordar de outros mas na verdade nao existe o "certo".

Filipe Santos disse...

E a grande diferenca en nos é que eu vejo o futebol como algo cinzento e tu ves o mesmo como preto ou branco. Ou esta certo ou esta errado. Nunca te vi escrever nada ou comentar algo numa area cinzenta. Estranho numa "ciencia" tao pouco exacta. Mas esa é mais uma das causas para o teu insucesso como treinador na pratica

PG disse...

Baggio....o nome está excelente btw,

Cm disse, as minhas resposta para esta problemtatica andam dentro daquilo q escrevi. Percebo o q dizes e acho q essa irredutibilidade é importante para nos dar um sentido, um foco....mas o foco, por definiçao, afunila a nossa visao algo q voces n podem renunciar caso queer am chegar a Top.

Duas notas:

- Acho q deves tentar perceber a diferenca entre emotividade e desgaste emocional antes de dizeres q defender é, SEMPRE, mais desgastante. Se atacar require mais recursos cognitivos....

- O modelo tem varias escalas, principios, sub,sub sub....n é por abdicares de determinados detalhes q se perde o padrāo, q se renuncia o nosso jogar.

A complexidade do modelo pode ser major ou menor em funcao do lado estrategico q provemos ir necessitar ao longo da época até pq esta intimamente ligado à escala dos sub sub principios.

O Sálvio foi para cima deles ;)

Roberto Baggio disse...

PG,

"- Acho q deves tentar perceber a diferenca entre emotividade e desgaste emocional antes de dizeres q defender é, SEMPRE, mais desgastante. Se atacar require mais recursos cognitivos...."

Eu percebo bem o que digo, neste ponto. Isto porque fui praticante. E isto, baseia-se sobretudo na experiência prática que tenho. Com bola, não me canso (quase literalmente). Saio do jogo tranquilo, jogaria outro de seguida, nos mesmo termos. Sem bola, e constantemente e em situação defensiva, canso-me mais. Exige mais de mim porque é uma tarefa que eu (como jogador) não gosto de cumprir. Tenho de estar mais concentrado. Tenho de estar sempre em jogo. Tenho de gastar energia, a pensar e a movimentar-me porque há um padrão defensivo obrigatório a cumprir, ainda que a bola não esteja na minha zona de acção. Como jogador, por outro lado, "nasci" para ter bola. Foi por isso que comecei a jogar, pelo contacto com ela. É o que me dá prazer, pelo que não me "desgasta". Não me desgasta tanto quanto não tenho bola. Se perder a bola, tenho que obrigatoriamente reagir rápido, recuperar posições. Não o faço porque quero. É uma imposição. Quando recupero a bola, ainda que não tenha recuperado na situação de perda de bola, reajo de imediato e corro que nem um tolinho, na procura de oferecer as melhores linhas de passe. E estava eu "desgastado" de todos os pontos de vista, na situação anterior. O que mudou?!
Isto não é teoria nenhuma. Não é estudo nenhum. São conclusões da minha experiência prática.

"n é por abdicares de determinados detalhes q se perde o padrāo, q se renuncia o nosso jogar"

Ter a posse de bola não é um detalhe. Atacar em passe curtos, circulação alta, em segurança, não é um detalhe. Isto não são sub-sub-sub. São grandes princípios. Completamente díspares. Que vão, na prática, contra o preconizado teoricamente.

"A complexidade do modelo pode ser major ou menor em funcao do lado estrategico q provemos ir necessitar ao longo da época até pq esta intimamente ligado à escala dos sub sub principios."

O que está ligado ao lado estratégico é a complexidade do modelo, certo. Mas uma equipa que faz da sua maior arma a estratégia (que muda de jogo para jogo), no longo prazo vai perder mais do que aquelas que fazem das regularidades (que aparecem todos os dias) o seu ponto forte.

Já tinha falado sobre isso no link que está no blogue. Daí, a maior dificuldade contra equipas de menor valia. Isto porque aí, a estratégia não funciona tão bem. Porquê? Porque as equipas pequenas fazem exactamente disso, o seu ponto forte. Logo as equipas igualam-se nos detalhes. Jogam para o mesmo. Mas como uma até tem mais qualidade, toca mais vezes na bola. E tocando mais vezes na bola, está mais vezes numa situação que não se sente confortável. E o adversário aproveita. Eu, estando numa liga com 10 equipas melhores, compreendo esse ponto de vista. Estando numa liga com 1, não o aceito de todo. E Mourinho já pensava assim quando estava no Leiria, porque sabia que tinha 4 equipas melhores que a dele (Benfica, Porto, Sporting, Boavista), e 13 ao mesmo nível ou inferiores.

"O Sálvio foi para cima deles ;)"

E cruzou sem ver 2ºgolo). Simplesmente horroroso. A sorte, a fé, o recurrer à fortuna, não faz parte da lista de atributos que eu acho tenham qualquer mérito e que como tal mereçam ser elogiados. Não esquecer, também, é que foi para cima deles (1x3) tanta vez que nem faz sentido. De resto, é Sálvio habitual. Estilo Quaresma, mas com mais decisões colectivas, e menos qualidade técnica. Não dou valor nenhum, a quem recorre ao bingo como registo comportamental.

Roberto Baggio disse...

PS: Só para reforçar e terminar o raciocino anterior. O corpo está afinado para cumprir determinadas tarefas, com o menor dispêndio de energia possível. E quando o corpo não está pré-disposto a cumprir com determinada tarefa (seja ela motora, ou cognitiva, ou ambas) o dispêndio de energia é maior, logo maior será o desgaste no cumprimento dessa mesma tarefa. E isso sim está estudado.

Anónimo disse...

O baggio tem razão na mudança que o Mourinho operou no seu jogo. Só não consigo perceber a sua posição quanto ao inter do mourinho, sabia ou não construir jogo ofensivamente? Na minha humilde opinião era das melhores equipas da história a jogar sem bola, caramba tinha uma dinâmica tremenda, portanto acho que aí ainda tivemos um super- Mourinho. Agora não posso concordar com a desvalorização do factor motivacional, e para provar isso basta de falar no atleti do simeone, que tem tudo para estar na final da champions. Posso não perceber muito de futebol, tenho tentado aprender com o lateral esquerdo e o posse de bola, mas o futebol não é só o lado táctico, a motivação e a capacidade do treinador em motivar os seus jogadores é fundamental.

Luís Carvalho

Roberto Baggio disse...

"sabia ou não construir jogo ofensivamente?"

Sabia. E não era difícil. Cambiasso, Stankovic, Sneijder, Ibra (Eto'o), Milito.

Anónimo disse...

E depois quando oiço que o Chelsea vai gastar mais de 50 milhões no Diego costa não fico muito animado. O jogador é fabuloso o problema é que não resolve os problemas de organização ofensiva do chelsea. Além disso com o Costa a titular o Chelsea será quase de certeza uma equipa de transições, correto?. Ou o Óscar cresce muito no próximo ano e a equipa muda a mentalidade ou então muitos dos problemas vão continuar em termos ofensivos, claro.
Luís Carvalho.

Nuno Ferreira disse...

O Mourinho aborda um pouco algumas das questoes levantadas aqui nesta entrevista:

http://www.realmadridplay.es/2012/10/mourinho-seria-un-crimen-que-cristiano.html

Eu sempre o vi como um pragmatico e coma idade parece que cada vez mais

Abraco,

Nuno Ferreira

Nuno Ferreira disse...

Nao obstante e clara uma inflexao
A minha teoria esta relacionada com o facto de o Barcelona ter contractado o Guardiola depois de terem entrevistado o Mourinho. Na altura o Barca entendeu que a personalidade do Mourinho nao se enquadrava com a sua indentidade.
Penso que muito da sua postura, discurso tem muito a ver com isto:

http://www.realmadridplay.es/2012/10/mourinho-seria-un-crimen-que-cristiano.html

Abraco,

Nuno Ferreira

Nuno Ferreira