sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sugestões tácticas

Assim que terminou o jogo, fiquei logo com a sensação que Jesus poderia ter feito mais. Houve jogadores que não se apresentaram ao nível necessário. Mas Jesus, desta vez, não deu as melhores ferramentas aos seus jogadores. Não só pelas opções no onze inicial, mas sobretudo na forma como preparou os momentos de pressão, e a orientação das linhas de passe na saída de bola. Não obstante da grande qualidade dos italianos em organização defensiva, da agressividade sobre a bola, da grande diferença física, da agressividade posicional, da intensidade com que ajusta, o SL Benfica poderia ter feito mais, na minha opinião, assim Jesus o tivesse preparado. 

Deixo algumas sugestões, do porquê de discordar das declarações de Jesus quando ele diz que o Benfica foi quase perfeito defensivamente. E do porquê de eu achar que o grande desgaste, em apenas 45mins dos jogadores, se deveu não só à qualidade individual da Juventus, mas também porque o Benfica não esteve tão bem ao nível do posicionamento. Disso resultou que, de forma constante os jogadores fossem "obrigados" a enfrentar os adversários em igualdade e nas piores condições possíveis. O jogo directo, constante, a que Jesus sujeitou os seus jogadores, funcionou como catalisador para um desgaste extra de todas as suas unidades.


Escrevi, aqui, no Posse de Bola, "Péssima abordagem ao jogo por parte de Jesus, que nem na pressão conseguiu condicionar o fraco jogo  na construção dos italianos."














Para Turim, preparar melhor o jogo do ponto de vista de posicionamento, na pressão adiantada, ou baixar as linhas e defender à entrada do meio campo. Será também necessário que, o acerto na tomada de decisão, nos lances de transição ofensiva, suba de forma gradual.

29 comentários:

Hélder disse...

Muito bom post, parabéns.

Confesso que também não percebi bem o porque de bater a bola. Acho que o Jesus teve muito medo da pressão alta da Juventus, se calhar por não contar com Fejsa para impor a força no meio campo.

Quanto à pressão do Benfica, acho que inicialmente incomodou a Juventus que só na segunda parte se impôs mesmo.

A segunda mão vai ser um jogo totalmente diferente, com outros jogadores, com (previsivelmente) mais tempo de descanço e preparação (lembro que na segunda de manhã o Lima ainda acusava alcool.)

Roberto Baggio disse...

E já agora, que o Maxi deixe de dar barraca.

ricnog disse...

Houve, duas ou três vezes, que o Benfica conseguiu pressionar da forma como tão bem referes, na 1a parte, no inicio do jogo!! Mas não achas muito condicionado o jj ao perder gaitan e fejsa? Não deveria alterar nada por meter outros jogadores.....mas tb deve proteger estes ao erro, dai, penso eu, algumas alterações.....sulejmani saiu logo......não entendi porque não foi o André Gomes.... !!!

Válter disse...

Estas imagens são perfeitas para perceber a maior diferença de ter Cardozo ou outro (mais móvel) em campo: a pressão e a recepção no espaço. Mas fundamentalmente a pressão.

rsa disse...

O facto de teres jogado com Cardozo teve alguma influência na forma como o Benfica defendeu na frente, face a sua menor mobilidade e capacidade de pressão certo? Rodrigo ontem também se apresentou fisicamente em baixo.
No estádio lembro-me do lance do Markovic e ficar apreensivo porque os italianos imediatamente ganharam superioridade e obrigavam os jogadores do Benfica a correr ainda mais.
Depois André Gomes por alguma razão ele apenas têm 94 minutos na Liga Portuguesa ou seja será a solução quando falta Fejsa / Amorim e ontem fez o 3º jogo consecutivo e com festa pelo meio :) se não perdeu quase todos os duelos individuais esteve lá perto .
E do outro lado estava neste momento a melhor equipa Italiana por isso....

Em Itália com Fejsa com Gaitan pode ser diferente mas será terrível.

João Nogueira disse...

Baggio,

Quando dizes "Mas Jesus, desta vez, não deu as melhores ferramentas aos seus jogadores. Não só pelas opções no onze inicial...", quais teriam sido as tuas opções no onze inicial para este jogo?

Abraço!

Ricardo Perna disse...

Esta dificuldade de pressão poderá ter sido provocada pelo facto da Juventus jogar com 3 centrais? Posso estar a esquecer-me de alguém, mas julgo tr sido a primeira vez que o Benfica jogou contra 3 centrais este ano...

Não é desculpa, claro, porque houve possibilidade de os observar antes, mas para os próprios jogadores é novidade. Em Turim já estarão mais avisados, possivelmente...

Pedro disse...

Mas não deixa de ser curioso que a grande superioridade da Juventus no terreno verificou-se quando Cardozo saíu...

Não vou bater em JJ por não eliminar a Juve se tal acontecer, apenas reforça muito do que defendo ao longo deste tempo todo.

Honoris disse...

Na minha opinião, o insucesso da pressão do Benfica aos centrais da Juventus passou muito pelas funções que Jesus atribuiu a Rodrigo nesse momento do jogo. Posso estar errado porque não vi o jogo com muita atenção mas pareceu-me que a prioridade de Rodrigo era sempre cortar as linhas de passe para o Pirlo.

Roberto Baggio disse...

Pedro, discordo. A superioridade notou-se a partir dos 30 mins da 1ºparte. Até ao resto do jogo. Sendo que o SLB apenas conseguiu criar perigo em transições (2), e no lance do 2ºgolo.

João, qualquer um menos o Cardozo. E na baliza o Oblak.

rsa, em parte sim.

Ricardo, tudo o que te vou dizer agora, assim como a análise prévia que fiz ao jogo, e com o conhecimento que já tinha da Juve é a forma como eu penso que os "problemas" deveriam ser resolvidos. Pelo que, na minha concepção de jogo, seria assim que eu iria operacionalizar a solução. Contudo, Jesus, tu, ou outro qualquer podem discordar e achar que a solução não é boa. Posto isto, sim. A dificuldade foi causada por isso.
Primeiro porque o Benfica está habituado a colocar 2 homens (avançados) nos dois centrais contrários, impedindo a circulação entre eles, e obrigando a bater. O jogando no lateral, o ala está suficientemente próximo para não deixar enquadrar. Com 3 defesas, fica 4 vs 5. Sendo que um dos extremos (Marko, Sulejmani) sai para pressionar o central, ficando o ala só para receber e enquadrar.
A segunda dificuldade prende-se com, quando os adversários na liga portuguesa batem na frente (esmagadora maioria, quando é pressionada) colocam apenas 2 homens na zona onde vai cair a bola (Extremo e PL), contra 3 defesas do SLB (centrais e lateral), logo 3x2. E a Juventus coloca 3. Os dois avançados, e um médio que aparece sempre nessa zona, para 3 do SLB, 3x3.
Essas são as maiores dificuldades. Mas essas dificuldades eram esperadas, certo? Com uma análise que fiz aqui, deu para perceber isso tudo, e os padrões de jogo deles. E Jesus terá ao seu serviço mais e melhores meios de análise que os meus, pelo que é impensável que não esperasse essas dificuldades. Então, na minha opinião, deveria ter-se preparado para elas melhor.

Obrigando os centrais a circularem entre eles, para a bola cair no lateral, e aí apertar. Fechando o passe para o central mais longe da bola, fica tudo igual À pressão normal do SLB. Eliminas um central, já tens dois avançados nos dois centrais, Extremo com possibilidade de não deixar o ala da Juve enquadrar, Enzo a fechar o apoio frontal. Assim, a Juve também não iria conseguir bater tanto, e batendo, a qualidade seria muito pior, pelo que causaria menos transtorno à defesa do SLB. Abrindo ainda a possibilidade de o Mdef "acompanhar" o movimento do médio da Juve, juntando-se na zona onde a bola iria cair, fazendo ali 4x3.

Henrique disse...

"ou baixar as linhas e defender à entrada do meio campo. Será também necessário que, o acerto na tomada de decisão, nos lances de transição ofensiva, suba de forma gradual." Parece-me a solução mais simples, e que permitirá aproveitar a fraca transição defensiva da Juve.

Pedro disse...

E no dia da Liberdade concordamos em discordar. :)
Só vi superioridade da Juventus na recta final onde fomos "massacrados" pela pressão que nos foi exercida.

Estamos em vantagem e sei que a Juve terá que jogar muito à bola para nos eliminar (sem contar com arbitragens obviamente).

Roberto Baggio disse...

Hahahah gostei pah do dia da liberdade.

Mas numa coisa concordamos, para eliminar o SLB só há duas formas: jogar muito à bola, ou correr mais que o SLB. A Juve não joga nada, ao ataque, mas corre pra c*******

Anónimo disse...

Alguém viu o Benfica fazer faltas em zonas perigosas? hmmm.... eu não. As bolas paradas perigosas foram em cantos de resto o pirolim do pirlo não bateu um livre perto da grande área. É disto que o JJ referia-se.

Hernani Trigueiros disse...

Como adepto assisti ao jogo sempre com muita consternação (angustia).

Logo de caras porque tinha a sensação de que sem Fejsa, Salvio e Gaitan o Benfica estaria muito (mais) limitado para enfrentar uma equipa como a Juventus (muito forte fisicamente, muito disciplinada tacticamente, muito rápida a chegar à frente e com individualidades de qualidade individual ao mais alto nível (Pirlo, Tevez, Pogba, Llorente, Vidal, Giovinco, Bufon).

Não sou tão optimista como aqueles de defendem que a Juve é nesta altura uma das melhores equipas do mundo. Considero sim que é uma muito boa equipa, mas não ao nível daquelas que estão nas meias da LC, do Barça, ou mesmo do Dortmund e do PSG. Mas considero-a uma equipa superior ao Benfica (que também para mim é nesta altura uma muito boa equipa).

Dito isto fiquei ainda mais atemorizado quando anunciaram o 11 escolhido para o jogo. Cardozo (que esta época não se enquadra na forma de jogar da equipa), Sulejmani (que ainda não teve a possibilidade de atingir o nível que acredito que ele tem) e Artur (que me parece continua sem a confiança necessária para estar na baliza neste jogos) a titular não era nada promissor para as parcas esperanças de uma vitória que eu ainda tinha.

Começado o jogo e milagre… tinha-nos caído do céu a maior das dádivas, golo de Garay e vantagem no jogo e na eliminatória. Vi a partir de então um Benfica que me agradava na agressividade e na velocidade com que tentava sair em contra-ataque. Mas que também me preocupa, e muito, na forma como permitia que a Juve chegasse a baliza de Artur pelas linhas laterais da área. E lá foram valendo, Luisão, Maxi, Siquera e Garay com cortes providenciais. O Benfica não jogava bem! A.Gomes parecia não estar tão concentrado como em jogos anteriores e perdia bolas com passes e invenções disparatadas.

O empate era inevitável. Aconteceu naquele lance mas podia acontecer em qualquer dos livres laterais com as saídas inacreditáveis de Artur que pareciam sempre estar desorientado (mas que tb nos valou nos frente a frente). Lá escapamos e… quando parecia impossível… golo de Lima (grande golo)!

Para mim, JJ esteve muito mal (mas safou-se). Não só porque o modelo do Benfica pareceu sempre ineficaz perante a Juve, não só porque podia e devia escolher melhor as peças que estavam disponíveis, mas fundamentalmente porque voltou a revelar-se teimoso, querendo provar-nos a todos que ele é que tem razão.

Espero eu, confesso que como adepto é-me inevitável, que para a semana as coisas sejam diferentes. Espero eu que Oblac volte à baliza, que Gaitan recupere (e que caso não jogue Markovic a esquerda e Cavaleiro a direita/ou quem sabe Amorim), que Fejsa esteja de volta (e que caso não jogue A.Almeida naquela posição) e que Lima seja titular ao lado de Rodrigo.

Abraço, HT

Hernani Trigueiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FranciscoB disse...

A estratégia de JJ poderá ter passado pelo "encaminhamento" do jogo da Juve para os laterais, tentando assim evitar que Pirlo, Marchisio e Progba aparecessem mais vezes no corredor central num processo ofensivo com maior risco de êxito directo e/ou de aparecimento de livres à entrada da área?

LGS disse...

Obrigado por mais uma aula Baggio. Compreendo agora melhor o que escreveste no Posse.

Ia também perguntar acerca do influencia dos 3 centrais da Juve, mas já respondeste ao Ricardo.


Grande abraço!

Tito disse...

Tudo bem que podem ter esta opinião sobre as opções (limitadas por via das ausências) de Jesus, mas a verdade é que esta juventus não é do nosso campeonato. É sem dúvida nenhuma a equipa mais forte que jogou na Luz este ano. Acho que só o facto do Benfica ter ganho a 1ª mão já foi fantástico! Quando vemos equipas como a juventus que nunca precisam de "desinvestir" andam sempre a melhorar o plantel, e depois vemos o Benfica a ter que vender o seu melhor jogador em janeiro, queriam o quê? Vender os melhores e mesmo assim conseguir ombrear com quem só investe? E depois claro, se esta juve não é do mesmo campeonato do Benfica, muito menos o será de outra qualquer equipa portuguesa. Penso que até a grande maioria dos italianos ficou surpreendida com o Benfica e com este resultado.

Anónimo disse...

Tenho medo da notícia que fala de que o Salvio poderá jogar em Turim, com uma protecção no braço. Fiquei descansado por ele se lesionar (não que lhe queira mal) e por ter a certeza que seria o Markovic a titular, mas agora com estas notícias nem sei. Só espero que o Jesus não corra o risco.

Já agora, deixo aqui uma estatística da Europa League, para reforçar o que pensam sobre o jogador: Quaresma é o 3º jogador que mais remata para fora, com 14 remates ao lado. O primeiro é Marcelinho do Ludogorets com 16, seguido por Gudelj do AZ com 15.

Santos disse...

Gosto do ponto de vista e da análise mas em traços gerais não concordo.. Sobretudo ao nível das zonas de pressão, a opção por colocar Markovic e Sulejmani a pressionar os centrais condicionou muito o jogo da Juve na primeira parte..
Já na segunda parte por razões físicas mais do que estratégicas o Benfica baixou mais as linhas e teve mais dificuldade em recuperar a bola.
Acho que Jesus esteve bem, e acredito que com Fejsa na 2ªmão a ganhar mais duelos individuais que A.Gomes e com Gaitan a aproveitar as debilidades técnicas de Cáceres, o Benfica poderá seguir em frente.

Ricardo Perna disse...

Baggio, percebo o que dizes (e agradeço a imensa paciência que vocês têm para nos aturar :) ), mas deixa-me tentar aprofundar a questão, colocando outra hipótese em cima da mesa:

Conforme explicas as coisas, parece-me que depois faltaria gente no meio campo e haveria gente a mais nas alas. Sem extremos puros, uma vez que são os laterais que dão profundidade à equipa da Juve, os extremos do SLB e os laterais iriam acabar por estar a marcar a mesma pessoa, ou estou a ver mal?

Além disso, quando envias o Enzo para fechar o apoio frontal, estás a colocar menos gente no meio-campo. Se a bola entra no Pirlo, metade da equipa ficou na pressão e perdeu-se...

Se o cetral mais longe da bola for fechado pelo extremo correspondente, e o lateral desse lado subir e fechar no lateral/extremo da Juve (subir não é um problema nem para o Maxi nem para o Siqueira), o Enzo não precisaria de sair em pressão tão à frente e ganharias mais uma unidade no centro do campo. Se a Juve pressionasse com os tais 3 na frente, o Mdef do Benfica, possivelmente o Fejsa, poderia baixar para apoiar os centrais porque não deixava o meio-campo sem ninguém...

Faz sentido? :)

Anónimo disse...

Houve 1 benfica na 1ª parte, a pressionar alto com marcações individuais sobre o lado da bola, a procurar claramente evitar jogo interior pelo Pirlo (m.i. de rodrigo).

Na 2ªparte, um benfica pelo cansaço ou por opção a defender baixo e zonal, com muita dificuladade em contrariar o jogo da Juve.

Aos 15min da 2parte o Luisão virou-se 2vezes para o JJ a pedir-lhe para a equipa pressionar alto. Estava a sentir que permitir que a Juve entrasse na 2fase de construção com a bola controlada ia ser dar-lhes o controle das ações.

Tomás disse...

"Sempre jogadores livres para receber, porque não fomos inteligentes na forma como pressionámos. Não soubemos levar o adversário para zonas que nos interessavam."

Para quem tenta não revelar o seu clube, este deslize... :P

Só uma ideia, pouco usada neste país: que tal uma "declaração de interesses"? Acho que em vez de fazermos de conta que as pessoas não têm preferências, era mais correcto assumirmos essas preferências e a partir daí julgar o que elas dizem. No fundo um pouco mais de transparência.

Mas gostei da análise. Pergunto só, será que o Benfica tentou bater longo mais pelo factor psicológico? Mais pela pressão de jogar contra uma equipa como a Juventus numa meia-final muito importante? Não vi o jogo, mas quando um treinador coloca grande parte do ênfase da estratégia nos aspectos defensivos do jogo, suponho que os jogadores entrem em campo com uma mentalidade mais receosa, mais "não fazer merda" em vez de "encostar os gajos lá atrás". Não sei se o Benfica era capaz de encostar este Juventus atrás nem se isso lhe interessava (não sei como os italianos jogam em contra-ataque), mas estou só a falar da ideia.

João Nogueira disse...

Baggio,

Concordo quando dizes que qualquer um menos o Cardozo, por ele neste momento estar completamente desenquadrado do modelo de jogo da equipa. Mas não se pode pedir ao Benfica que jogue com o melhor 11 de 3 em 3 dias durante praticamente 2 meses daqui nada. Daí que fazendo a rotação teria que jogar o Cardozo para fazer descansar um dos dois avançados titulares. É que não vejo outra alternativa válida no plantel para aquela posição... Quanto a Oblak, sem dúvida nenhuma, estamos de acordo a 100%.

Abraço!

Anónimo disse...

Tirando o Barcelona, a Juventus estará a ser o teste táctico mais difícil a JJ?

Roberto Baggio disse...

Não deixei passar as questões, mas o fim de semana é a altura mais difícil para vir cá interagir. Peço desculpa pela demora, já cá passo para responder.
Cumps

Roberto Baggio disse...

Ricardo, o lateral teria que ficar "sempre" atrás, para garantir que caso a Juve batesse a equipa nunca ficava em inferioridade na zona onde a bola ia cair.

O apoio frontal que o Enzo fecha é justamente no meio campo na posição do Pirlo. Uma vez que na saída de bola da Juve, Pirlo é o único médio que sr mostra disponível para receber no meio. Conforme se vê pelas análises, e pelas imagens. Os outros médios colocam-se nos corredores laterais.

A tua hipótese faz sentido. Mas é "igual" a do Jesus na mesma. Fica 3x3 na mesma. Eu quero 3x2 com lateral e centrais. Ou 4x3 com mdef a baixar com médio da Juve.

E depois quero conduzir eles ao corredor lateral e criar superioridade aí.

Anónimo já tinha dito no Posse de Bola. Os jogos com a Juve são os dois mais difíceis do ano.

Ricardo Perna disse...

Sim, eu percebi que a minha seria quase igual à do Jesus, a única diferença seria a subida do lateral do lado em que o extremo fechava o central, pois deu-me a impressão que os laterais não subiram para essa compensação...

De qualquer das formas, compreendo o que dizes. Aguardemos por 5f para ver se o JJ sempre vem espreitar o Lateral Esquerdo ou não... ;)