terça-feira, 6 de maio de 2014

Curiosidades.

Estou muito curioso para perceber como se vai reorganizar o Porto, tendo em conta o desastre da época actual. Sendo que Luís Castro tem zero de responsabilidades neste processo, paga-se o preço de uma escolha errada para liderar a equipa no terreno de jogo. Com o treinador certo, a equipa poderá novamente aproximar-se da vitória, fazendo com que os resultados da equipa deixem de ser completamente aleatórios, e demasiadamente dependentes de imponderáveis como a inspiração individual de alguns dos seus jogadores, ou da sorte. Será também curioso perceber como se processará o ataque ao mercado de transferências. Sendo que a equipa, no modelo em que tem jogado nos últimos anos, necessita de extremos de grande qualidade. Um médio criativo, e um ou dois centrais (dependendo da saída de Mangala) também serão necessários.
Mas tudo começará na escolha da figura do treinador.

Por outro lado, curiosidade para ver que mudanças Leonardo Jardim vai operar no seu modelo de jogo. Sendo que, as dificuldades exibidas nos últimos 10 jogos tenderão a piorar caso não mude nada. Isto porque os adversários começam a perceber melhor a forma de "encaixar" no Sporting, pelo maior conhecimento que vão tendo dos processos da equipa ao longo do ano. Outro factor que obrigará à essas mudanças, é o facto de os adversários terem, novamente, ganho o respeito outrora perdido pelo Sporting. Significa isso que não vão arriscar tanto, contra o Sporting, vão expor-se menos, reduzir espaços, baixar linhas, defender com muitas atrás da linha da bola. Com maior responsabilidade ofensiva por parte dos Leões, serão obrigados a jogar constantemente em ataque continuado. Não é que Jardim não quisesse que a sua equipa fosse dominante, e dominasse o jogo com a posse de bola. Mas, o Sporting voltou a impor respeito, e agora, ninguém vai jogar para ganhar contra eles. Assim sendo, haverá necessidade de envolver mais jogadores no processo ofensivo, e procurar outras formas de desequilibrar ofensivamente. Será também necessário muito treino da transição defensiva (reacção à perda de bola, e defender com poucos com muito espaço).

No Benfica, perceber se Jesus fica ou sai. E que rumo irá seguir o clube, pela escolha do treinador, que terá um trabalho muito difícil. Manter o nível que a equipa tem demonstrado, ao nível da organização, não se afigura fácil. Caso fique, perceber se faz evoluir o modelo para controlar mais o jogo com bola, do que controlar sem bola. Fazer a equipa gerir os ritmos conforme for favorável, descansar com bola, tornar-se ainda mais dominante. Seria a machadada final no modelo de Jesus, fazendo-o regressar +/- ao que era no seu primeiro ano de Benfica. Se não ficar, quem será o próximo?!

29 comentários:

ricnog disse...

Concordo.... Parece que se o Benfica ficar com o jj vão ser mais 15 pontos de avanço.....mesmo perdendo alguns dos jogadores.....a nao ser que o porto surpreenda com a contratação de um grande treinador......

ricnog disse...

Concordo.... Parece que se o Benfica ficar com o jj vão ser mais 15 pontos de avanço.....mesmo perdendo alguns dos jogadores.....a nao ser que o porto surpreenda com a contratação de um grande treinador......

Anónimo disse...

O Vitor Pereira pelos vistos rescindiu com o clube árabe... Será?

Anónimo disse...

Me agradaria ver o Porto num losango a Liverpool, na América do Sul existem jogadores de muita qualidade disponíveis para este modelo.

A próxima temporada também trará um novo destino para Vitor Pereira, o que significa que teremos mais um treinador talentoso pela Europa. Vamos ver qual será o sortudo clube a contar com ele.

Anónimo disse...

Sou o mesmo anônimo que comentou sobre o Vitor Pereira, me surgiu uma dúvida vendo o calendário do Benfica daqui pra frente: como iriam gerir a fadiga a partir do jogo com Rio Ave?

... disse...

Aimar a seguir a Jesus.

carlosfernandes disse...

Olá pessoal! Bom trabalho! Façam lá uma análise ao trabalho do Lopetegui que está a ser falado para o Porto!

Roberto Baggio disse...

Campeonato está ganho, não me parece que existam dúvidas sobre essa gestão. Joga contra o Rio Ave o onze da final da liga Europa.
Contra o FCP joga um 11 completamente diferente.
E daí já não há nada a gerir.

Sérgio disse...

O JJ não tem para onde ir...
Não o imagino a ser capaz de transmitir as suas ideias exclusivamente em Inglês e ele nunca foi bom a impôr respeito no balneário pelo que lhe seria dificil conquistar o de outro clube. Ainda para mais se for um clube com estrelas.
Se não for um grande clube também está bem no SLB pelo que não tem razões para sair. Seria um grande risco sem grande recompensa (ele já ganha bem...)

João Silva disse...

Boas Baggio,

Pelas tuas palavras depreende-se que o melhor modelo de jesus foi o da primeira epoca do Benfica, mas tendo em conta a sua caminhada esta epoca (e a anterior) e os exitos que poderão advir dela, não deveriamos depreender que o modelo é agora melhor, mais preparado para os desafios de 4 competições? Talvez não em organização ofensiva mas defensiva creio que existe melhorias. Peço desculpa monopolizar mais uma vez com o tema Benfica, já agora porque não uma achega do blog ao rumor/confirmação Lopetegui :P

Cumps a todos

José Quintero disse...

Concordo com quase tudo no entanto em relação ao Sporting penso que não irão ter um ano como este, apesar de todas as expectativas, ou mesmo por isso. Mantendo o mesmo treinador é positivo mas os limites ao investimento irá criar grandes constrangimentos.

O Porto poderá melhorar se entretanto pagarem os ordenados em atraso, a causa maior para a época desastrosa (e outros factores que não vou apontar). Mas isso não irá ajudar no ciclo negativo que começou há 3 anos e que se irá acentuar. Também aqui os constrangimentos ao investimento estarão bem presentes mesmo que vendam as maiores estrelas do grupo, Jackson, Mangala e Fernando, que irão ser vendidas pois necessitam de libertar cash para pagar os salários que foram acumulados desde o fim do ano passado. Uma coisa é certa, o plantel irá ficar nitidamente mais fraco em qualidade individual.

O Benfica irá manter JJ que tem mais um ano. Não acredito que LFV o deixe sair a não ser que apareça uma oferta louca o que não acredito. O Benfica fez vendas de 70M (ou mais) pelo que não necessita de dinheiro.
O plantel não irá ser muito diferente mesmo que saia um ou dois (Rodrigo, Gomes, Garay?) cuja substituição já está assegurada. Há 2 ou3 jogadores que ainda não entraram no nível que podem atingir assim como jogadores muito jovens com espaço para evoluir.
O plantel tem muito para crescer e irão entrar 3 ou 4 jogadores novos seja por aquisição (Candeias+1), seja por voltarem de empréstimos (Lisandro, Pizzi+1), seja por subirem dos B (?). Siqueira e Silvio devem continuar.

Não creio que o nível de gestão dos 3 grandes mude grande coisa e dado os constrangimentos apresentados a lógica é o Benfica continuar a mostrar a sua força ao contrário dos seus mais directos competidores.

Esquemáticamente:

Sporting: igual para menos.
Porto: claro menos.
Benfica: igual para mais.

José Fernandes disse...

Boas.
Segundo o que me disseram familiares do VP foi ele que se demitiu porque se fartou de treinar "jogadores" que quando entram em campo esquecem tudo que foi dito pelo treinador 15 segundos atrás. e que todo o staff do clube era do menos profissional possível (várias vezes chegavam 10 min antes do jogo ao estádio com várias horas de viagem imediatamente antes).

Baggio
o que achas do Lopetegui? a notícia sair no mesmo dia que se sabe que o VP está livre não terá apenas uma função de levantar uma cortina de fumo?

PS: ouvi que o VP tinha sido contactado pelo Braga... espero que não aceite... não tenho fé nenhuma naquela equipa de atletismo

Unknown disse...

11 normal - 11 como contra o setúbal - 11 normal possível - 11 normal e está feito.

Roberto Baggio disse...

Não conheço o Lopetegui.

Quanto ao modelo, não concordo que esteja mais preparado para o que disseste, defensivamente. Concordo é que ele mudou, ajustou, e evoluiu em bases diferentes da primeira época. Onde tentava dominar os adversários com bola, pressionava no campo todo, e tinha critério nas transições. Claro que o modelo anterior tinha alguns riscos, fruto da excessiva velocidade com que jogava sempre. Mas evoluindo esse modelo, parece-me que seria melhor que o actual. Uma vez que, iria defender na maior parte do tempo da única forma que garante não sofrer golos, logo é a melhor forma de defender: ter a bola.
Mas claro, isso é uma opinião minha sobre a evolução que Jesus foi tendo.

João Silva disse...

Obrigado pela resposta Baggio, contudo e correndo o risco de ser demasiado resultadista como Magico Pedro, 09/10 é uma epoca que temos de facto um dominio avasalador de capacidade ofensiva como disseste as transições eram fantasticas e eram um hino ao futebol de ataque continuado, veloz, apoiado e contra ataques fatais com criterio/capacidade de decisão, mas foi a temporada onde a excessiva confiança do modelo (na minha opinião!) leva a resultados como 4-1 em Inglaterra. Ou seja em eliminatorias creio que o modelo actual é mais equilibrado, oferece mais segurança, é mais cinico. e pergunto terá agora menos bola? Teria de consultar as percentagens de posse mas custa-me a crer. Tudo isto porque parece-me quase impossivel (corrige-me!) que uma equipa consiga 70/80% de posse de bola à base de ataque continuado, é desumano e creio que é um modelo que ganha campeonatos mas que não oferece tripletes ou quadripletes. E não é isso que a malta gosta?

Cumps

José Fernandes disse...

http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/
blog do novo treinador do Porto

PS: jornalismo português... tem o novo treinador do Porto para perguntas e não fazem a única que se impunha: qual é o estilo de jogo/modelo que vai trazer para o Porto.

FC disse...

José Quintero, acredita que o Benfica fez 70M (ou mais!) em vendas? Então está a incluir aqueles 60M completamente justificados da "venda" de Gomes e Rodrigo.

Sinceramente, não achava que houvesse adeptos de tal maneira facciosos (ou cegos pelo sucesso desta época) que conseguissem defender que um encaixe de 15M+45M por 2 jogadores com menos de 10 jogos feitos na época (lembre-se que isto é antes da saída do Cardozo do 11, e posterior valorização relativa do Rodrigo) era uma venda legítima.

Live and learn...

Roberto Baggio disse...

"mas foi a temporada onde a excessiva confiança do modelo (na minha opinião!) leva a resultados como 4-1 em Inglaterra. Ou seja em eliminatorias creio que o modelo actual é mais equilibrado, oferece mais segurança, é mais cinico. e pergunto terá agora menos bola?"

E o modelo do Bayern que levou 4 do Madrid? E o do Barcelona que levou 7 do Bayern? e o Da Juve que levou 6/7 do Bayern? E o do Chelsea do Mourinho que levou 3, em casa, do Atlético? E o do Mourinho do Real que levou 5 do Barcelona? E do Bayern (2008/2009) que levou 4 do Barcelona? E o do Dortmund que levou 3 do Madrid, 3 o Bayern?

Ninguém está à salvo de ser goleado, uma ou outra vez... Andavam por aí a dizer, ah pk Mourinho nunca levava 4 do Real, em casa. Pois não pah. Levou 3, em casa, de uma equipa muito, muito inferior ao nível da qualidade e do investimento. Portanto 4 do Real não levava de certeza...

Custa-me sinceramente a redutora análise que se faz aos resultados, dessa forma. Todos esses eram modelos diferentes, todos eles tinham qualidade defensivas e/ou ofensivas, e não é por serem mais de um tipo e menos de outro que estão salvaguardados de terem um resultado mais ou menos desequilibrado. Não é por seres defensivo que não vais ser goleado, ou por seres ofensivo que vais ser goleado. Alguém se lembra do que aconteceu nesse jogo? Alguém se lembra quanto é que o Liverpool andava a enterrar por ano, em jogadores? qualquer coisa como 150M?!

Quanto à questão da posse, sim. Tem menos posse. O Benfica nunca foi dominado por ninguém nesse ano, excepção feita, julgo, ao próprio Liverpool. Este ano, por exemplo, na luz, foi dominado pelo Estoril. Para não falar do FCP, também.
E a ideia de que oferece mais segurança também me parece estranha. Para mim, a única equipa que está segura é a que tem a bola, uma vez que essa é a única que não pode mesmo sofrer golos. Mas como disse, é só a minha ideia, e opinião.

"Tudo isto porque parece-me quase impossivel (corrige-me!) que uma equipa consiga 70/80% de posse de bola"

Não me parece impossível. Mas é muito, muito, muito, muito, muito, difícil que consiga isso todos os jogos.

"é desumano e creio que é um modelo que ganha campeonatos mas que não oferece tripletes ou quadripletes. E não é isso que a malta gosta?"

Guardiola mostrou precisamente o oposto do que defendes nessa tese.
5 anos como treinador do Barcelona B/A. 4 campeonatos, duas Champions, duas meias finais, duas taças de Espanha, mais uma final, 3 super taças, dois campeonatos do mundo de clubes, duas super taças europeias.

1 ano no Bayern, 1 campeonato, meia final da Champions, finalista da taça (ainda por disputar), super taça europeia, campeonato do mundo de clubes...

Ninguém está a salvo de nada... Ninguém garante nada. Mas uma coisa é certa, a melhor forma de defender, a única 100% fiável, que garante que não sofres de certeza, é teres a bola. Pelo que é a que me deixa, como treinador, mais seguro.

Anónimo disse...

Alguem conhece este novo treinador do POrto? qual o estilo de jogo?

Roberto Baggio disse...

José, tinha mesmo agora acabado de encontrar e começado a ler. Para já, fico com algumas ideias retidas. Mas preciso ler mais para poder passar alguma coisa e chegar a boas conclusões.

João Silva disse...

Portanto, e mais uma vez peço desculpa por centrar a questão neste ponto, não há uma diferença de modelo entre Barça Guardiola e Benfica Jesus no que toca a posse? Não é o Barça uma posse mais centrada no passe e temporizaçao e mais "afunilado" que em transiçoes continuadas rapidas bastante suportadas pelas alas que creio tem mais o Benfica? Admito que ambas garantem posse de bola mas não serão caminhos DIFERENTES para o mesmo fim e por isso o primeiro modelo dê mais garantias e tal impossibilidade possivel de que falas do modelo Guardiola?
E digo isto porque parece-me um Benfica bem mais controlador das suas emoçoes, usa a cabeça no fundo, pergunto quantos de nós não pensaram ver momentos tiki-taka no Benfica esta época, nao apenas em organização ofensiva mas sim noutros momentos do jogo. Para não falar na qualidade individual entre planteis.

No fundo e para nao correr o risco de discutir o sexo dos anjos e nao chegar a lado nenhum, a meu ver este modelo dá-me mais garantias de sucesso que na primeira epoca. Mas admito que o que faltou na primeira epoca de Jesus para o dominio ser avasalador (3/4 trofeus) tenha agora, falo de opções com melhor qualidade indivual (CMartins, Shaffer, Sidnei, Roderik, teriam lugar actualmente na equipa?) ou então pergunto-te que jogadores faltam agora para evoluir para o modelo mais aproximado a 09/10? Nenhum?

PS: é por diferença de qualidade individual que Benfica perde em Liverpool? Porque lá está, contra a Juve essa diferença existiu e...correu melhor, é so por isso que pergunto...

Cumps

Roberto Baggio disse...

"PS: é por diferença de qualidade individual que Benfica perde em Liverpool? Porque lá está, contra a Juve essa diferença existiu e...correu melhor, é so por isso que pergunto..."

Teve sorte. Que também faz parte do jogo. E quando tens menos qualidade que o adversário, é um factor de peso. O Benfica teve menos ocasiões de golo que a Juve no total da eliminatória. E marcou 2 golos, eles marcaram 1. Tivessem sido concretizadas todas, o SLB perdia...

"não há uma diferença de modelo entre Barça Guardiola e Benfica Jesus no que toca a posse?"

Não há diferença entre o modelo de Guardiola do primeiro para o segundo ano? E para o terceiro? E para o quarto?

Não há uma diferença entre o modelo actual de Jesus do ano passado para este? E do há dois anos para este?

Eu disse, caso tenhas passado, que o modelo de Jesus do primeiro ano era muito arriscado, e carecia de evolução. Não no sentido do que fazia sem bola. Com a evolução, o processo melhora. Mas houve uma ruptura com o processo, pelo que não se deu evolução. Houve uma mudança "quase completa" do modelo.

"Não é o Barça uma posse mais centrada no passe e temporizaçao e mais "afunilado" que em transiçoes continuadas rapidas bastante suportadas pelas alas que creio tem mais o Benfica?"

O Barça se tiver sempre espaço, vai sair em transições. O problema é que raramente as equipas lhe davam espaços. Depois do primeiro ano em que ganhou tudo, na segunda época, já toda gente tentava baixar linhas para lhes ganhar... Pelo que raramente encontravam espaço para sair em transições. O Barça jogava com o contexto. E jogava bem com ele. Eram fortes em todos momentos ofensivos, fossem eles de transição ou organização.

"E digo isto porque parece-me um Benfica bem mais controlador das suas emoçoes, usa a cabeça no fundo, pergunto quantos de nós não pensaram ver momentos tiki-taka no Benfica esta época, nao apenas em organização ofensiva mas sim noutros momentos do jogo. Para não falar na qualidade individual entre planteis."

Não percebi nada do que disseste aqui. Como assim tiki-taka? Como assim noutros momentos do jogo? Como assim qualidade individual entre planteis?

"a meu ver este modelo dá-me mais garantias de sucesso que na primeira epoca"

Isto porque tu, como o Pedro, ou como outro adepto apaixonado, só olha para as taças. Assim, no ano passado, entendiam que Jesus devia ir embora, porque "perdeu" tudo. No entanto este ano, tudo já é super adequado.

"ou então pergunto-te que jogadores faltam agora para evoluir para o modelo mais aproximado a 09/10? Nenhum?"

A mim não me parece faltar jogador nenhum. O plantel é o mais forte das últimas décadas.

Pedro disse...

"Assim, no ano passado, entendiam que Jesus devia ir embora, porque "perdeu" tudo"

Não "apenas" pq perdeu mas sim da forma como perdeu tendo sempre em conta os dois anos anteriores também.

Mas teremos tempo de voltar a esse assunto.
:)

Anónimo disse...

FC, cego e faccioso é o senhor que esqueceu-se de mencionar que o Matic foi vendido por 25M€, o Rodrigo por 30M (+10M) e o André Gomes por 15M (+ 25% de venda futura). Isso faz quanto?

Justificados? Que justificações é que quer? Ver o dinheiro?

José Quintero

João Silva disse...

Esclarecido! Obrigado Baggio e apenas aproveito para esclarecer a minha frase que está de facto pouco clara: Esta é a definição convencional do sistema Tiki-taka, é um sistema de jogo no futebol caracterizado por passes curtos e movimentação, trabalhando a bola por várias áreas do campo, e mantendo a posse de bola.

Tendo em conta isto, o que quis dizer é que o modelo desta epoca do Benfica favoreceu mais este este sistema que em 09/10 e digo que assim foi em todos os momentos do jogo, defensivo como ofensivo. Mas lá está corrige-me se em 09/10 viamos um controlo de bola no meio campo do Benfica, um controlo de posse, não foi a qualidade individual superior esta epoca e como tal permite isso mesmo? Não apenas em organização ofensiva.

é esta a minha tese
Cumps!

Roberto Baggio disse...

"Tendo em conta isto, o que quis dizer é que o modelo desta epoca do Benfica favoreceu mais este este sistema que em 09/10 e digo que assim foi em todos os momentos do jogo, defensivo como ofensivo."

Favoreceu mais que sistema? O de controlo da jogo à partir da posse de bola? Falso.

Primeiro os sistemas de jogo são completamente distintos. Pelo que as dinâmicas também.
Antes tinhas 4 jogadores no corredor central, no meio campo, hoje tens dois. Pelo que, ao nível da posse, este sistema permite menos que o anterior. O modelo do SLB hoje é mais forte defensivamente, porque assenta a sua base nisso. No momento defensivo. No jogar sem bola. Antes, assentava a base no poder ofensivo. Tanto que procurava recuperar à bola logo no primeiro momento de organização adversária, porque não "podia" ver o adversário com bola. A bola tinha que ser sempre deles, para que pudessem atacar sempre. Hoje não é assim. Espera pelo adversário, junta as linhas, e defende. Depois quando recupera, sai com qualidade para o ataque, em organização ou transição. Mas não é nem de perto, tão competente como já foi em organização ofensiva. Mas também antes, tinha qualidade nos momentos defensivos. Só não fazia deles a base que suporta o seu jogo.

Anónimo disse...

ainda melhor do que no "jogo sem bola" é o slb no "não jogar de todo", muito poucas devem ser as equipas onde a bola passa tanto tempo nas maos dos laterais em cada lançamento... (-: mas muito satisfeitos estão eles!

Rumo Norte disse...

Não acompanhei como queria a primeira época do JJ no Benfica - vi poucos jogos, e não via futebol da mesma maneira nessa altura. Por isso não consigo comparar essa época com as subsequentes. No entanto fico com a ideia que a segunda época é mal sucedida em resultados mais por uma questão de plantel que de modelo de jogo. O Benfica que perdeu em toda a linha com o Porto de AVB não encontrou um substituto para Ramires ou DiMaria (Witsel e Coentrão não chegaram) e a dupla Saviola/Aimar já não funcionava com a mesma eficácia - e também porque os adversários se sabiam precaver, esmoreceu-se o efeito surpresa. Fiquei com a ideia que AVB sempre soube ler melhor o jogo de JJ que vice-versa. Na época seguinte, a primeira época de VP no Porto, fiquei com a ideia que Jesus tentou a evolução para a posse de bola e acabou com os principais jogadores do plantel de rastos na componente física. O modelo de jogo evoluiu para a época passada, em que aí sim vi muito mais essa cedência da posse de bola que referes. O Benfica perde tudo por dois momentos de futebol ( K92 e Ivanovic92) e uma quebra psicológica na final da Taça, muito como vimos ontem no Liverpool. Penso que esta época o que vemos é a consolidação do modelo da época passada, melhor gestão do plantel, um extraordinário trabalho na motivação e força psicológica, e uma pontinha de sorte em jogos cruciais - mas como dizia o outro, a sorte dá muito trabalho. Para mim, mais do que a preponderância dos modelos de jogo, o que ressalta desta época é a excelência da gestão global da equipa e até do Clube SLBenfica. Não menosprezo os êxitos no futebol jovem, a BenficaTV, os resultados financeiros na venda dos jogadores, a união em torno da morte de Eusébio e Coluna, ou até as conquistas de títulos noutras modalidades. Um clube vencedor vê-se em todos os elementos da vida do Clube. Quando Jesus sair (espero que daqui a muitos anos) prevejo que, se se mantiver uma lógica de continuidade, a equipa de futebol se manterá competitiva.

A única crítica que vos faço, e esta é uma perspectiva epistmológica, é o vosso foco exclusivo no modelo de jogo. A gestão de uma equipa de futebol é muito mais que isso; precisa de modelos de jogo coerentes com o ethos do clube (uma das dificuldades dos treinadores do Real - e do FCP recente, por exemplo, é implementar um modelo de jogo que agrade à visão estética dos adeptos). No Porto, para continuar com o exemplo, até o modelo de jogo do VP, que abdicava da construção ofensiva coletiva e viveu da inspiração individual de Hulk primeiro, e Jackson/Moutinho depois, ganhou o suficiente para obfuscar o que para mim é evidente desde a primeira época do VP, quando se dá a revolução de Janeiro - para segurar o treinador, Pinto da Costa vai buscar Lucho e manda embora Rolando, Guarin, Belluchi e etc.: que o Porto não tinha profundidade de plantel, liderança na equipa técnica e no Clube, e a resiliência duma massa associativa exigente mas conflituosa e intolerante, para permitir a renovação depois da época de sonho de AVB. Já agora, e ecoando um dos vossos mantras, VP tem muito mérito na forma como espreme tudo de uma equipa que, vui-se esta época, já tinho muito pouco para dar (ainda menos depois de vender Moutinho e James).

Gostava de ver as vossas análises a ampliar o número de variáveis em consideração e a encontrar as ligações covalentes "fracas" ou não correlacionadas apenas com o vosso famoso "modelo de jogo". De resto, aprecio muito o vosso esforço e a riqueza de algumas discussões que vou acompanhando.

Roberto Baggio disse...

"Gostava de ver as vossas análises a ampliar o número de variáveis em consideração e a encontrar as ligações covalentes "fracas" ou não correlacionadas apenas com o vosso famoso "modelo de jogo"."

No fundo gostavas que trabalhássemos nos clubes. Seguindo o dia-a-dia, acompanhando regularmente os treinos, as palestras, as conversas privadas, a reacção dos jogadores à direcção, as exigências à equipa técnica, a reacção aos adeptos, etc... Ora meu caro, isso é impossível. Só estando lá. O resto é especular.