sexta-feira, 2 de maio de 2014

Em organização (defensiva e ofensiva) e em transição. Porque Jesus é na actualidade incomparavelmente melhor que José Mourinho.

Depois de confirmado o apuramento da equipa de Jorge Jesus para a final choveram comentários depreciativos na caixa dos posts recentes. Falava-se e fala-se do autocarro do treinador do SL Benfica.

Ontem foi um bom dia para observando o SL Benfica perceber o porquê de aqui se defender que o seu treinador é na actualidade incomparavelmente melhor que José Mourinho. A justificação é precisamente a mesma dos textos anteriores. As equipas de Jesus estão preparadas para jogar em todos os momentos do jogo. E é também por tal que individualmente parecem de enormíssima categoria, quando ainda no jogo de ontem vimos novamente os jogadores da Juventus a vencerem todos os duelos individuais. De tal forma que até o brilhante Enzo esteve sempre desconfortável com bola no pé.

Como já se sabia, e foi ontem mais uma vez demonstrado as equipas de Jesus não perdem para as de Mourinho em organização, naquilo que o treinador controla, no momento de organização defensiva. Se estás em vantagem e se o momento do jogo é o de organização defensiva, obviamente que se impõe mais jogadores atrás da linha da bola, do que menos. Essa não foi a crítica que foi feita a Mourinho. A crítica foi a de que quando tem a bola só sabe jogar em transição. Não sabe enfrentar equipas com 11 atrás da linha da bola. Não sabe jogar o momento de organização ofensiva. Momento mais importante para quem quer ser grande sobretudo a nível interno. Não será por acaso que o Chelsea da presente época perdeu 3 pontos com Newcastle, Pallace, Villa, Stoke e Sunderland, não tendo ganho um único jogo ao West Brom e tendo ainda perdido pontos em casa (empate a 0, claro, num total de 7 jogos da Liga sem qualquer golo) com o West Ham. 

Portanto, a crítica a Mourinho não é que defende com X, com Y, ou com Z. É com quantos ataca e a forma como ataca com esses poucos. Sempre em inferioridade e esperando rasgos individuais.

Trazemos aqui o lance do golo do Chelsea na eliminatória com o Atletico para se perceber o que se afirma. Tudo em inferioridade. William que ultrapassa dois e Torres que acaba por finalizar porque sozinho enganou 3 que o rodeavam na área (difícil avançados fazerem boa figura quando enfrentam inferioridades numéricas muito grandes. Por mais que depois se critique a qualidade dos avançados).


Ontem em Turim, como sempre nas equipas de Jorge Jesus, sempre que foi possível (quando pressing da Juventus não recuperava alto) estar em organização ofensiva o Benfica teve intenção de chegar ao golo e não apenas de não se expor à perda. Mesmo já depois de reduzido a 10, das pouquíssimas vezes que conseguiu passar a primeira pressão italiana, acabou por colocar mais gente à frente da linha da bola e em redor do portador do que o Chelsea de Mourinho com 11 e em desvantagem nos jogos!

Não há comparação possível sequer entre o que são as equipas de um e outro em organização ofensiva. Se a equipa de Jesus ontem passou pouco tempo em organização ofensiva? Naturalmente que sim. Porque enfrentou um adversário que lhe é superior individualmente e que lhe retirou a bola. Ainda assim, e mesmo com 10, até nas recuperações próximas da sua grande área, houve intenção de sair com a bola para o ataque (decisões que até valeram algumas perdas de Siqueira e Lima que poderiam ter custado). Até com 10 os centrais subiram sempre à área adversária, até em lançamentos laterais. 

No final da época seguirá mais um ou dois jogadores de Jesus para o plantel de Mourinho (já aconteceu antes com Di Maria, Coentrão e Matic). Todavia é no reforçar do seu trabalho que o outrora melhor de sempre se deve concentrar. Não será só por levar os melhores jogadores de Jesus que atingirá o nível táctico do seu colega.


As equipas de Jesus até em transição procuram superioridade. Até em transição são mais ofensivas, colocam mais gente, que as de Mourinho em organização. 

A diferença táctica entre ambos não está na forma como interpretam os momentos defensivos. Onde são ambos de nível mundial. Está na forma como um tem a equipa excelentemente preparada para todos os momentos e outro apenas para dois momentos específicos. 

Recuperando a frase dos textos anteriores:

"...É essa a crítica que faço. Na minha opinião os melhores jogam em todos os momentos e não apenas em alguns. Portanto o meu estilo não é posse ou contra-ataque. Organização ou transição. Portanto, Vitor Pereira e Jorge Jesus são hoje treinadores mais fortes do ponto de vista táctico que o outrora melhor de sempre José Mourinho...."

29 comentários:

Alberto disse...

Abriste a caixa de Pandora :)

JJ tem sido fantástico este ano, creio que ele próprio melhorou bastante (ou melhorou a equipa) na gestao dos momentos do jogo. Pode-se dizer que o seu estilo perdeu um pouco a "verticalidade", mas ganhou bastante em consistencia.

Marco Morais disse...

Seria uma honra para este humilde escriba se os 'laterais-esquerdos' pudessem ler e dar a sua opinião sobre estes textos:

www.facebook.com/agambeta

Nem é preciso dizer que o trabalho aqui feito é excelente. Os meus olhos cansados falam por si e agradecem tão alta visão sobre este desporto.

Abraço!

Zé de Fónes disse...

Como sempre, excelente resumo da aula de JJ. Dominasse ele o inglês, o alemão, o espanhol, o francês e o italiano, e tanto Chelsea, Man City, Man Utd, Arsenal, Bayern, Dortmund, Barça, Real, PSG e Juve teriam melhores resultados esta época. O Benfica evoluiu assim como Jesus. Até onde pode ir não sabemos. Mesmo com muitos descalabros à mistura, teria o Benfica os mesmos resultados sem JJ?
Concordo com os teus posts e do Baggio sobre o Mourinho, e eu até sou fã do Zé.
Na arte do futebol este blog é incomparável. Parabéns.

Aza Delta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricnog disse...

Aprendemos muito commourinho......Jesus e Vitor Pereira estão melhor que ele....mas penso que houve um retrocesso na metodologia de mourinho....ou apenas os outros evoluíram imenso...!,! Claro que mourinho continua a ter mtas mtas qualidades........

Gabriel disse...

Custa a admitir, mas o benfica com a "mentalidade" e abordagem ao jogo que faz com 10, se a fizesse com 11, se calhar estava na outra final europeia.

HerrKommandant disse...

"Depois de confirmado o apuramento da equipa de Jorge Jesus para a final choveram comentários depreciativos na caixa dos posts recentes. Falava-se e fala-se do autocarro do treinador do SL Benfica." - A sério, mas esses percebem tão pouco de futebol que até metem pena. O melhor para eles seria dedicarem-se a outros desportos. Se calhar a dor era menor...

Joao disse...

O Mourinho já não sabe/ quer bem defender. É preciso ler o que ele diz sobre o povoamento e defender. Nao é bem a mesma coisa. A forma como começou o jogo em casa contra o Atlético é medíocre. É de gajo banal. É à Jaime Pacheco. Quem é este gajo??? Não é o Mourinho de certeza.

Mourinho agora são todos os jogadores atras da linha da bola. Isso não é saber defender para mim.
É ter fé em deus.

Estive a ver os rapazes que ele quer contratar para o Chelsea para a próxima epoca : é Paulinhos, Diego Costas, e outros atletas. Mourinho jà nao é Mourinho.

O Chelsea dele esta cheio de jogadores medianos: Ramires, Salah, Demba, Mikel... É tudo em força e velocidade.

Joao disse...

O Mourinho já não sabe/ quer bem defender. É preciso ler o que ele diz sobre o povoamento e defender. Nao é bem a mesma coisa. A forma como começou o jogo em casa contra o Atlético é medíocre. É de gajo banal. É à Jaime Pacheco. Quem é este gajo??? Não é o Mourinho de certeza.

Mourinho agora são todos os jogadores atras da linha da bola. Isso não é saber defender para mim.
É ter fé em deus.

Estive a ver os rapazes que ele quer contratar para o Chelsea para a próxima epoca : é Paulinhos, Diego Costas, e outros atletas. Mourinho jà nao é Mourinho.

O Chelsea dele esta cheio de jogadores medianos: Ramires, Salah, Demba, Mikel... É tudo em força e velocidade.

Anónimo disse...

e o facto que houve muito menos tempo de jogo útil do que normal não vos merece nenhuma especie de comentário nem influencia a vossa opinião? eu por "grande equipa" continuo a entender outra coisa...

DC disse...

Eu, honestamente, acho que a comparação com Mourinho actualmente já nem é muito justa.
Mourinho vale pelo plantel que tem, hoje em dia. Se um dia vier com estes métodos para um clube inferior ou para a selecção portuguesa, fará resultados medíocres. Tirem-lhe aqueles monstros físicos que tem, tirem-lhe a técnica e velocidade de execução dos médios e quero ver quantos golos fará.
Basicamente, dêem-lhe o plantel do Porto de 2003 e vejam o que faz...

Quanto a JJ, não fiquei muito impressionado sinceramente, por achar que podia ter assumido mais o jogo e se ter sujeitado na eliminatória ao risco de abdicar da bola. Este ano tem corrido sempre bem, mas não é o modelo que eu defenda. Aliás, concordando que defendeu muito bem, a verdade é que a eliminatória se decide na tremenda eficácia na finalização duma equipa que, segundo os dados da UEFA, fez 3 remates à baliza nos 2 jogos e acabou com 2 golos.
Quero vê-lo lá fora para o ano para tirar algumas dúvidas.

Pedro Ribeiro disse...

Nunca tive dúvidas de que JJ é um treinador de topo, depois de ver o que fez em Braga (que acompanhei mais de perto). E nem é que tenha tido, nessa altura, resultados fora-de-série (ainda que tenha feito uma grande campanha europeia, eliminado em casa pelo PSG nos quartos da Liga Europa, com um frango de Eduardo perto do final do jogo). Mas a qualidade de jogo que a equipa tinha dava-me confiança suficiente para encarar duelos potencialmente desequilibrados (e.g., Milan de Ronaldinho), "sabendo" que dificilmente qualquer adversário nos marcaria mais do que um golo - e com um futebol positivo, com capacidade para criar lances de golo.

Do que não gosto em JJ é da sua personalidade. E acho que esse foi um dos factores que o penalizou no Benfica. Alguns dos dissabores que teve, creio, deveram-se a uma certa arrogância inata. Ele sabe que é bom mas isso não o deve impedir de evoluir, de corrigir eventuais debilidades da sua liderança técnica e não menosprezar adversários. Talvez isso seja decorrente do sucesso imediato ao chegar à Luz. Mas depois de em várias épocas este aspecto lhe ter trazido dissabores, acho que nesta Jesus pareceu ter atingido uma certa maturidade. É verdade que a concorrência (interna) deu uma ajuda, mas tudo pareceu agora mais controlado, sem a sede que antes de via de provar a cada jogo que era melhor que tudo e todos, de que era capaz de esmagar a concorrência. Tudo foi mais bem gerido, sem sofreguidão, privilegiando a segurança e o equilíbrio do jogo, de forma a garantir uma época mais uniforme, com menos altos e baixos, mesmo que com uma "nota artística" menos elevada (porque com menos golos marcados).

Não sei se JJ, após tamanho sucesso (sinceramente, penso que vencerá tudo), não terá alguma "recaída", mas acho que à frente do Benfica já não tem mais nada a provar. Estará preparado para um desafio num grande clube estrangeiro? Não tenho dúvidas de que surgirão convites. E também não tenho dúvidas de que tecnicamente está à altura do desafio. A questão coloca-se ao nível da comunicação e da gestão do grupo. Nesse aspecto, sinceramente, não sei... Mas é claro que ele poderá optar por ficar na história do Benfica, permanecendo mais uma série de anos à sua frente. Será, talvez, para ele (e para o Benfica!) mais seguro.

Paolo Maldini disse...

Pedro Ribeiro...aos anos que trocamos impressões sobre o Jesus.

As críticas negativas que lhe apontas tb sempre as fiz. Não sei se te recordas.

Abraço.

Roberto Baggio disse...

Maldini, claro. Quando digo que os avançados dele estão sempre a ser solicitados em situações difíceis de resolver, depois a malta diz que é porque são fracos. Eto'o e Torres eram titulares no SLB de Jesus, e se são fracos e não têm nível, o que dizer dos avançados de JJ?
Enfim.

Quanto ao SLB, DC, não é uma equipa que faça da posse uma das suas bandeiras. Mas isso não significa nada, desde que tenha qualidade nos seus processos. Que tem. Quando dizes abdicou de ter bola, estás a falar de que momentos? Eu, quando começou o jogo não vi isso. Vi aliás Jesus pedir sempre a equipa para ter bola, jogar no chão. Por (falta de) hábito e pela pressão do adversário não conseguiu. E na segunda parte acalmou, corrigiu, e voltou a ter qualidade com bola. Tanto o é, que Enzo leva amarelo (expulsão) por estar à frente da linha da bola no meio campo ofensivo, parando uma transição da Juve. Veja-se a ganhar, faltando 25 minutos, a intenção que ele tem de jogar sempre. Não me parece que tivesse abdicado. Parece-me sim que do outro lado estavam super atletas. Como alguém disse, ganhando todas as primeiras e segundas bolas, Jesus goleava. E goleava mesmo.

Roberto Baggio disse...

Pedro, concordo. Mas deixa só acrescentar que a época do SLB este ano, é igual a do ano passado. Ao nível de pontos, de vitórias, de chegar às fases de decisão das taças.
Já o disse, a diferença entre este ano e o passado é um Porto não tão forte. Mas não me parece que Jesus tenha "aprendido" com aquilo que dizes. Parece-me igual. Fez alterações no modelo, por força das circunstâncias (Rodrigo e Lima), e ao nível do posicionamento dos Alas. Mas só. Foram alterações importantes, claro, principalmente a dos alas. Mas é isso que ele tem feito todos os anos.

Quanto a comunicação, concordo que será o seu maior desafio em termos de liderança, se for para o estrangeiro.

Santana disse...

Excelente comentário, Pedro Ribeiro. Concordo plenamente!

DC disse...

Baggio, não gostei nada da 2a parte da Luz e do final da 2a parte de ontem. Acho que aí, tem alguma responsabilidade no abdicar da bola. O Artur acaba por ser responsável pelo resultado da 1a mão e sabendo o que vale esta Juventus, tendo visto o que, por exemplo, o Galatasaray fez contra eles, não acho que o Benfica precisasse disso.
Continuo a achar que o Benfica contra equipas do mesmo nível, se refugia demasiado no contra-ataque e tem dificuldades em ter bola. Foi assim contra o PSG, contra a Juve e mesmo contra o Porto algumas vezes este ano (e este Porto é ridículo a gerir a posse).
Daí eu dizer que quero ver JJ lá fora. Porque num campeonato onde tenha mais equilíbrio, não sei até que ponto vai conseguir assumir os jogos e lutar pelo título.

Pedro Ribeiro disse...

Baggio,

estava a referir-me ao controlo do jogo, coisa que o Benfica de Jorge Jesus das últimas épocas raramente fazia. O Benfica dos últimos anos jogava quase sempre em alta rotação, sempre em busca do golo, em constante aceleração sempre que tinha a bola.

Nesta época, houve uma evolução neste aspecto. É uma equipa que controla melhor o jogo. Sabe descansar com bola e sofre menos sem bola. É possível que a vantagem pontual acumulada na Liga tenha dado à equipa uma certa tranquilidade que torna esse controlo (também emocional) mais simples. Mas acho que há uma notória diferença de uma época para a outra. Basta ver que na época passada o Benfica marcou 77 golos na Liga. Na actual, tem 56, pouco mais que Porto e Sporting!

Eu reporto-me ao único jogo que vi ao vivo, em Braga. Frente a um Braga muito fraco (também pelas inúmeras ausências), JJ apenas quis assegurar a vantagem (magra) e gerir. Estou convencido que o Benfica, provavelmente, teria goleado se "apertasse" a sério mas preferiu não o fazer, poupando-se. Esta opção até tornou o jogo um dos Braga-Benfica mais fracos dos últimos anos mas o ponto aqui é que o JJ dos anos anteriores iria em busca de mais golos. A equipa não "sabia" (ou preferia não) controlar "apenas" o jogo.

É apenas neste sentido que digo que houve uma evolução... ainda que reconheça, é óbvio, a importância do descalabro do Porto, que terá dado margem para essa gestão.

Abraço!

Anónimo disse...

O que tu tiveste coragem de afirmar! Não vês que para os autores do blog, Jesus é um génio, até uma simples armadilha de fora de jogo é referência para salientar! O mais curioso é ver que até o Real Madrid reduz-se o grande jogo que fez ao fato de ter grandes jogadores para o ataque rápido, curiosamente 2 golos são de bola parada! Coerências

DC disse...

Queria dizer final da 1a parte de ontem.

HC disse...

Boas apesar de não ser um comentador assíduo, sigo com muita atenção desde há um longe tempo (na altura fiquei um pouco triste com a paragem de 1 ano). Sou um leigo em termos de futebol, mas aprecio bastante estas discussões sem ligarmos a clubismos :)

DC, Juventus e PSG não são equipas do mesmo nível do Benfica nem do Porto. São equipas de um nível acima, basta olhar para os respectivos plantéis. Dificilmente algum jogador do Benfica pela qualidade individual seria titular em alguma das equipas. A questão é que podem ser batalhadas é pela qualidade colectiva e que aí o Benfica consegue-se superar a ambas. Com este equilíbrio de forças, é mais díficil para equipas com muita qualidade individual mas que a capacidade colectiva não é o seu forte fazer a diferença :)

João Nogueira disse...

Post impecável!! Nota 10 Maldini. Acho que ficou aqui esclarecida a grande diferença que houve entre Mourinho e Jesus este ano. Mourinho "esqueceu-se" de preparar a equipa para a organização ofensiva. Jesus evoluiu e tem a equipa preparada para qualquer momento que o jogo ofereça, inclusive, e ai sim está uma grande surpresa penso eu, para jogar em inferioridade numérica e saber o que fazer em todos os momentos do jogo nessa situação. Está um treinador completo, quando outro se foi desfazendo de alguns dos seus principios infelizmente.

Abraço!

Roberto Baggio disse...

DC,
Certo. Ninguém disse o contrário. Ninguém disse que o SLB foi superior nesta eliminatória, ou em algum dos jogos. Por aqui só leste o contrário disso. E mesmo no final do jogo de ontem, conforme expliquei o título do artigo Jesus Merece, ter sorte.... Isto porque a organização é muito boa. Como o Maldini escreveu e bem, se nos pés do Enzo a bola queimava, imagina nos centrais, no Oblak. ... Ele pediu sempre para a equipa jogar, para não bater. A única responsabilidade que tem é no modelo de jogo (que não privilegia a posse). Que como disse, não significa nada se os processos tiverem qualidade. Com os jogadores da Juve, era goleada. Noutra equipa, onde tenha qualidade individual, não tenho dúvidas que é campeão. Os jogadores da Juve apertados faziam recepções. "Impossíveis", contornavam a pressão fácil. Os do SLB batiam... isso é diferença de qualidade, não do processo Onde o treinador intervém.

DC disse...

Sim, concordo com todos os que dizem que o plantel da Juve é doutro nível. Agora, não posso deixar de pensar que o Galatasaray também lhes ganhou em casa e empatou fora. Daí ainda colocar reticências.
É óbvio que quando vês aquela linha defensiva a subir em conjunto nas bolas paradas, as constantes coberturas, etc vês organização e vês competência. Mas, num campeonato como o inglês ou o italiano, em que JJ tenha que competir com 4, 5 equipas de alto nível e tenha que "partir para cima delas", ainda quero ver a valia das equipas dele.
Em Portugal é fácil rebentar com qualquer equipa do 3º para baixo mas, lá fora, até uma equipa mal treinada como o Sevilha tem individualidades que podem resolver jogos.
E além do mais, nem que não fosse para tirar a prova dos 9, se vencer a liga europa, o JJ já não tem nada para fazer em Portugal.

Roberto Baggio disse...

DC,

O Galatasaray tem qualidade individual, também... E tem dois jogadores que ganham mais juntos que metade do plantel do SLB. Isso não justifica nada, claro. Mas o que isso demonstra, é o demérito de Conte...
Tem mais que obrigação de atropela Benficas, e etc.

Quanto aos outros campeonatos, se Mourinho, só a defender faz o nr de pontos que faz, imagine-se...
Como escrevi há tempos, metias a Mourinho a perder os 6 jogos, contra Arsenal, Utd, e City (equipas melhores ou iguais em termos de qualidade individual). Depois metias a ganhar aos que é melhor. Por esta altura, já era campeão. Claro que isso é "impossível" ganhar sempre aos mais fracos, mas com as % avassaladoras de Jesus, e alguns pontos nos jogos grandes, era campeão na mesma...

Anónimo disse...

Penso que a crítica a Mourinho é algo injusta.

Antes de mais, evidentemente que o Benfica está fantástico e está mais que visto que falar no final da época passada de o JJ se ir embora era absurdo.
Na minha visão, ainda permanece alguma tensão por dentro do caso Cardozo, mas obviamente amenizada pelas muitas vitórias.

Quanto a Mourinho, acho injusto. Para já, na visão do adepto, se não é roubado no jogo com o Sunderland, é bem capaz de ser campeão e a continuar a mostrar que é o melhor do mundo. Repito, na visão do adepto.
Acho que ele poderia fazer mais com o plantel que tem, mas não tenho dúvidas nenhumas que o Mourinho é um homem inteligentíssimo e não foi à toa que fez a aposta por este tipo de futebol. Mesmo que digam que já só quer saber de ganhar, eu respondo: quantos de nós já tiveram a pressão de ser campeão inglês ou de chegar a uma final da Champions? Evidentemente que outras equipas têm tanta ou mais pressão e jogam de outra forma, mas no futebol há inúmeros caminhos para se ganhar...

Além disso, convido-vos a ver se normalmente não são as equipas de contra-ataque e ataque rápido as que normalmente obtêm melhores resultados numa Liga dos Campeões. Embora, claro, concordo que deva existir variabilidade para poder enfrentar outro tipo de problemas.

Talvez Mourinho possa estar um pouco obcecado pela Champions, por ter falhado a Décima do Real e por ainda (ainda???) não ter chegado à 3ª LC com 3 equipas diferentes...

SubbuteoFan disse...

Como Sportinguista, ando deserto que JJ se pire daqui para fora!
Será bastante difícil para o benfica substituir uma eventual saída de JJ.

Quanto à comparação com Mourinho, concordo plenamente, Mourinho tem de fazer mais, particularmente no futebol apresentado, tem sido medonho.

Cumps,

Interior-Direito disse...

«Tomei a decisão de parar a evolução de estilo e filosofia de jogo e segui a direção que achei ser a única para, com esta equipa e com estes jogadores, conseguir resultados» - José Mourinho.

Anónimo disse...

Ramires mediano?