terça-feira, 6 de maio de 2014

Lopetegui

Ficam para já boas sensações daquilo que se ouve e lê do novo técnico do FC Porto. O discurso, aproxima-se daquilo que é defendido aqui, sobre o trabalho do treinador: Modelo de jogo. Quer ser dominante, ter a bola, ser paciente na construção. Mas respeitando o contexto, e as características dos jogadores que tem. Pelo discurso, está passado. Vamos ver como passa da teoria à prática.

"temos uma ideia de jogo e queremos passa-la. Temos uma filosofia, mas vamos entender o contexto e os jogadores. Vamos tratar de a implementar, garantindo o compromisso de todos. Temos vontade de ser protagonistas. Queremos ser protagonistas em todas as competições, em cada jogo. E queremos jogadores que o queiram ser"

Que vai de encontro à análise que fez no seu espaço pessoal de um Lyon - Real Madrid, "De todas formas, hay algunos aspectos en el juego del Real Madrid que deben analizarse.

Lo primero es que le faltó la paciencia y la tranquilidad necesarias para marca el tempo del partido, imponer el ritmo, hacer correr al rival… Falta circulación de balón y eso provoca que los blancos busquen muy pronto el recurso del pase en profundidad, con las ‘lógicas’ precipitaciones y pérdidas de balón.

El Real Madrid sigue careciendo de situaciones colectivas. Aún no tiene las mecanizaciones ofensivas necesarias para mover a la defensa contraria y llegar arriba cuando no le dejan espacios y el rival decide, como es el caso, jugar en pocos metros. Porque si a un equipo tan físico como el OL no lo mueves de un lado a otro, es difícil incluso tirar a puerta, como ocurrió en Gerland.

Ante un equipo así hay que jugar lateralmente. De un lado a otro. Con paciencia pero sin lentitud. Jugar lateralmente para llegar verticalmente. Aprovechando los huecos que el movimiento ha sido capaz de crear en las filas rivales."

Nos próximos dias, com mais tempo para explorar o blogue de Lopetegui, avançaremos com mais conhecimento sobre o novo treinador do FC Porto. O link, aqui.

45 comentários:

DC disse...

Basicamente o Porto percebeu o que perdeu com VP e tentou ir buscar uma cópia sem ter que admitir que errou tremendamente.

Pode ser que corra bem se o JJ for para outro lado depois de vencer a liga europa.

José Pereira disse...

Se chegassem a ver a selecção de sub-21 da Espanha.

Foi a melhor selecção jovem que vi, é verdade que tinha uma equipa fabulosa: De Gea, Moreno, Martinez, Bartra, Montoya, Illaramendi, Thiago, Koke, Tello, Isco, Rodrigo.

Mas tem a sua cota parte do mérito, jogava muito esta equipa os adversários nem respiravam.

Pode ser uma boa surpresa parece-me.

Roberto Baggio disse...

eu vi a selecção... mas isso diz pouco... treinadores na selecção não têm tempo para treinar. E tendo a melhor equipa, à anos luz dos outros, não causa grandes constrangimentos no processo. A realidade é completamente diferente. Os conceitos parecem bons, mas vamos ver como operacionaliza, como se adapta, como entende o contexto, como transmite as ideias.

Anónimo disse...

A mim cheira-me a Quique Flores versão portista.
Bom aspecto e discurso escorreito.

Anónimo disse...

orienta o link do "espaço pessoal"

João Lima Vieira disse...

Baggio, podias dar o link para o blog do Lopetegui por favor?

Roberto Baggio disse...

Esqueci de meter, peço desculpa, vou acrescentar ao post, mas fica aqui:

http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/

Roberto Baggio disse...

Este texto: http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/2009/11/30/96/

Está muito bom :)
Para mim, pela teoria, este senhor traz boas notícias. Do ponto de vista ofensivo, de leitura do jogo, etc. Vamos ver como se sai defensivamente... Sendo que se facilitar, contra o SLB vai sofrer, sempre...

DC disse...

Tem coisas muito boas no blog, realmente. Falta saber como as põe em prática. Principalmente tendo muita gente no Porto sem qualidade para jogar em posse.

José Fernandes disse...

Interessante ver o que ele fará com este plantel... pelas suas ideias será correr imediatamente com o Quaresma, Herrera, Varela e Licá... pelo menos...

Anónimo disse...

DC, tem muita gente para jogar em posse, o Quintero, o Defour, o Josué, espero que também o Tozé... com uma equipa a funcionar os laterais vão voltar a ser capaz de mostrar que sabem jogar a bola... é só por o Herrera a andar, e o Quaresma também! estou muito satisfeito com esta escolha

Baggio, nem neste ano de miséria sofremos contra o slb, eles nos dois jogos cá não jogaram nada de nada, e mesmo o jogo da luz (na terrível altura da crista no banco em vez dum treinador) foi uma derrota normal, merecida sem dúvida mas longe de ser um banho de bola. acredito que com o Lopetegui voltaremos a ver a identidade do Porto dentro do campo.

Roberto Baggio disse...

"Baggio, nem neste ano de miséria sofremos contra o slb"

Se reduzires tudo aos duelos entre as duas equipas concordo com quase tudo o que dizes. Excepção feita ao jogo da luz, em que o SLB foi superior à todos os níveis, e em todos os momentos de jogo. Poderia ter ficado 1-0, tinha sido banho na mesma.
Nos dois jogos no Dragão, o FCP foi muito superior nas duas primeiras partes. E o jogo foi equilibrado no restante tempo.
Na segunda mão da Taça o FCP voltou a ser pior que o SLB. Mas não tanto como no jogo do campeonato na Luz.
O problema aqui é: Para mim, sofrer com o SLB (de Jesus) é competir contra eles na regularidade. Ao nível de pontos. O FCP podia ganhar os dois jogos contra o SLB no campeonato, continuaria a ficar bem longe na classificação, que é o que interessa. E isso, é o que defino como sofrer. Não ter capacidade para acompanhar o andamento no campeonato, e pelo meio, ir perdendo pontos por causa das inseguranças, da diferença pontual, das dúvidas, do bom momento do adversário, etc.

Abraço

Vítor das Arábias disse...

Como já aqui foi dito, o discurso do Quique Flores quando chegou ao SLB também era muito bonito. O pior foi o resto.
Penso que é claramente um tiro no escuro. Ganhar títulos nas seleções jovens não é garantia de nada quando se chega a um clube. Se nem ganhar títulos nas seleções principais o é (veja-se o Scolari)!
Parece-me uma espécie de Carlos Queiroz dos espanhóis...

José Fernandes disse...

PS. será interessante ver o plantel que lhe vão dar... com saídas prováveis de Jackson, Mangala e Fernando (ou pelo menos 2 deles) tem que ir buscar jogadores para entrar de caras no 11... 2 centrais (Reyes, Maicon e Ba são fracos), 2 médios e 2 extremos/alas...
pelo que se anda a falar (Pardo, Tello) andam longe disso...
deixo um nome que encaixava que nem uma luva: Evandro

Roberto Baggio disse...

"La negociación debería ser algo así: “Mire, señor presidente, si le parece yo le voy a decir lo que el equipo necesita y usted, atendiendo a lo que yo le diga, va a fichar los nombres que los profesionales del club consideren. Trabajamos juntos en eso hasta el 31 de agosto. Y a partir de ahí, de cuestiones futbolísticas sólo habló yo, sólo mando yo, sólo organizo yo, sólo decido yo. Y cuando usted quiera me pone en la calle. Pero mientras tanto, me deja trabajar en paz”.

Porque los jugadores son muy listos y saben muy bien si el entrenador manda o se le puede torear. Y como no tenga la autoridad del club, le van a hacer caso lo justito. Y llegarán a los entrenamientos en las condiciones que les parezca, o se esforzarán en el trabajo tanto como les apetezca. O rodarán los anuncios que consideren oportunos en los momentos que consideren necesarios. O se harán fotos bonitas en las concentraciones cuando les parezca bien.

Y el señor entrenador, a callar."

Sobre liderança, um dos problemas que Paulo Fonseca teve, em grande apoio da directivo, aqui: http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/2009/11/13/los-entrenadores-que-mas-mandan-son-los-que-mas-triunfan/#more-66

Roberto Baggio disse...

http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/2009/10/21/la-diferencia-entre-un-equipo-hecho-el-barca-y-once-estrellas-en-formacion-el-madrid/#more-9

Outro artigo muito bom, que dá para perceber que conceitos como proximidade entre jogadores e sectores, é algo que ele considera fundamental. A compactação, a equipa jogar junta com e sem bola, não ficar partida seja qual for o resultado, o compromisso com a pressão, a identificação dos timings certos para pressionar. Bem como a recuperação rápida da bola. Já consigo traçar as bases para um modelo de jogo, assim, na defesa e no ataque. Com os grandes princípios, tendo em conta as pistas que ele nos deixa no seu blogue.

Anónimo disse...

sim, tinha dito que a derrota no campeonato foi merecida. mas para a época que tivemos, e para o slb em grande nível que alguns conseguem ver, não achei nada especial, deve ser porque nós quando temos uma época em grande goleamos os rivais por 5-0 (-:

e apesar de tudo não me assusta muito perder um campeonato, sobretudo se não for perdido nos jogos entre os grandes. assustava-me muito mais ter que ver mais uma época onze gajos de azul-e-branco sem que houvesse a identidade do Porto em campo. e com isso não falo só da entrega, falo principalmente na ideia do jogo. tenho alguma fé que este señor consiga devolver-nos isso.

interessante também seria saber até que ponto esta decisão irá influenciar a do JJ -- ser bicampeão no slb podia ser um aliciante para ele, histórico (não acontece há décadas), será que vê mais ou menos possibilidades disso acontecer agora?

abraço

Roberto Baggio disse...

http://blogs.lainformacion.com/lopeteguia/2009/10/28/lo-del-madrid-no-fue-un-problema-de-actitud-fue-un-problema-de-futbol-2/#more-39

Já li o blogue quase todo, e percebem-se muitas coisas boas. Resta saber como passará da teoria à prática.

"Pero a los jugadores del Real Madrid no les faltaron ganas en Alcorcón. Ni entrega, insisto. Porque para empezar tuvieron tres ocasiones claras para marcar. Y lo que la mayoría de las veces hubieran sido goles, en este partido se quedaron en casi.

El drama del Real Madrid no es que no crease ocasiones, que las creó. El drama del Madrid fue que el Alcorcón le creó doce ocasiones de gol.

La dura realidad es que este Real Madrid trasmite sensaciones de caos y de desorden mucho más preocupantes que no encontrar el camino del gol. Sensaciones que ya se vieron contra el Milan, en la segunda parte, y que ayer se hicieron muy evidentes.

¿Es que Kaká y Gago son malos defensivamente? ¿Es que los Diarrá no saben ‘rascar’ en el medio del campo? ¿Es que los defensas del Real Madrid son flojos? ¿Es malo Albiol, o Pepe…?

El Real Madrid tiene magníficos jugadores tanto en defensa como en ataque, y en Alcorcón corrieron todos. El problema es que no sabían muy bien hacia donde correr.

Volvemos a lo de siempre. Es un equipo muy largo, y cuando quiere presionar no le sale. Cualquier rival puede aprovechar todos los espacios que deja en la presión para convertirla en un esfuerzo enorme pero infructuoso.

Defensivamente no tiene automatismos, o los que tiene son de baja calidad. No hay coordinación. Por ejemplo, la línea de cuatro cometió en este partido errores que no tienen fácil explicación. Y teniendo muy buenos defensas no es un equipo capaz de contrarrestar el juego del rival. No es capaz de quitarle el control del balón. Permite jugar entre líneas con mucha facilidad… Es esfuerzo sin orden. Es un esfuerzo para nada."

M disse...

"Baggio, nem neste ano de miséria sofremos contra o slb, eles nos dois jogos cá não jogaram nada de nada, e mesmo o jogo da luz (na terrível altura da crista no banco em vez dum treinador) foi uma derrota normal, merecida sem dúvida mas longe de ser um banho de bola."

e comparar as equipas do SLB do jogo na Luz e nos 2 no Dragão, não?

Roberto Baggio disse...

"sim, tinha dito que a derrota no campeonato foi merecida. mas para a época que tivemos, e para o slb em grande nível que alguns conseguem ver, não achei nada especial, deve ser porque nós quando temos uma época em grande goleamos os rivais por 5-0 (-:"

Sim, um jogo. Que se repete de quantos em quantos anos?!

Já vi o Porto fazer grandes épocas, mas só numa vi um 5-0. Pelo que o resultado pouco me diz. Diz-me mais o que as equipas fizeram em campo.

"e apesar de tudo não me assusta muito perder um campeonato, sobretudo se não for perdido nos jogos entre os grandes."

Não percebi bem. Assusta-te perder um campeonato, por exemplo se o Porto tivesse ficado em 2ºa um ponto do SLB, tendo perdido dois jogos contra eles, mais do que ficar a 15 pontos? Soa um pouco estranho. Mas se o dizes...

"interessante também seria saber até que ponto esta decisão irá influenciar a do JJ -- ser bicampeão no slb podia ser um aliciante para ele, histórico (não acontece há décadas), será que vê mais ou menos possibilidades disso acontecer agora?"

Se ficar, é favorito. Conhece a realidade contextual melhor que o outro. Está há muitos anos no clube.

"e comparar as equipas do SLB do jogo na Luz e nos 2 no Dragão, não?"

Mais que certo, e influencia muito, muito, muito M.

Marco Morais disse...

Disse também, quando questionado sobre que posições reforçar, que, passo a citar' 'é o sistema que potencia os jogadores'.

Esta é a frase mais importante da apresentação. Não admira que não passe transcrita para os jornais.

Anónimo disse...

acho evidente que nem todas as épocas em que vencemos tivemos épocas "em grande", também existem épocas que são simplesmente "boas" ou "muito boas" -- claro, para quem só ganha de vez em quando isso basta para ser "uma grande época" (-;

claro que não quero perder o campeonato nem duma forma nem doutra, mas a prioridade para o Porto depois do falhanço do fonseca é recuperar a identidade, todo o resto tem que ser o corolário disto.

Artur Semedo disse...

"Vamos ver como passa da teoria à prática."
é só este o busílis. um professor universitário pode ser um teórico, um tipo que comenta num blogue pode ser um teórico, o zé da esquina pode ser um teórico. mas a um treinador, ainda para mais de clube, não basta ser um teórico.
se/quando a equipa demonstrar na prática uma ideia colectiva, saberemos se há algo mais que boas palavras...

Nelito disse...

Destaco dois bons (preocupantes porque sou benfiquista) sinais:
- O timing do anúncio, de modo a preparar já a pré-época e não haver ruído;
- A filosofia do senhor.

Agora, tudo dependerá de:
- Passar da teoria à pratica;
- O senhor ter capacidade de passar de um registo treino a cada 2 meses (selecção) para treino diário;
- Jogadores aceitarem a teoria;
- Direcção dar as ferramentas para por em prática a teoria.

Enfim, só vendo.

Prosinecki disse...

Treinador sem currículo em clubes (se é que isso serve para alguma coisa). É esperar para ver.

Certo é que vai partir em desvantagem em relação aos treinadores dos rivais, que já conhecem a casa e o futebol português.

João Tralhão disse...

É tudo muito bonito, a teoria é muito bonita, mas um regente de orquestra pode ser o melhor do mundo mas se não tiver músicos que consigam ler e exprimir o que está escrito na sua partitura vai tudo por água abaixo.

Facto: o Porto vai desfazer-se dos melhores jogadores, os que têm maior valor comercial, e não terá dinheiro para os substituir. A não ser que consigam, com pouco dinheiro, encontrar substitutos à altura.
Facto: os milagres são cada vez mais raros e mais difíceis de fazer pois o mercado está cada vez mais pescado. Nos B não existem substitutos à altura. O Benfica acabou de contratar a melhor truta (relação valor/qualidade) do campeonato, o Candeias.

Roberto Baggio disse...

Quanto a mim a maior truta ainda veste de amarelo, e a segunda maior vai jogar amanhã contra o Benfica. Mesmo tendo em conta a relação qualidade/preço.

Facto: Não tendo os melhores executantes, a obrigatoriedade de competir com o SLB é zero.

Vincent Vega disse...

No jogo da taça de portugal, enquanto 11-11 houve superioridade gritante...

Vincent Vega disse...

No jogo da taça de portugal, enquanto 11-11 houve superioridade gritante...

DC disse...

Em relação a trutas, a grande esperança que tenho é que isto implique uma investida no mercado espanhol. E lá, o que não faltam são trutas de enorme potencial, mesmo em equipas de 2a divisão.

El_Tigre disse...

Apesar de Benfiquista, continuo a defender que o Porto tem jogadores com excelente qualidade individual, o que faltou foi de facto liderança, se em campo (jogador e treinador) ou nos bastiadores (direcção).

Estava convencido que a próxima aposta do Porto seria o Fernando Santos, apesar das dificuldades com a questão de planear à distância, atendendo a sua participação no Mundial.

Mas como foi referido do ponto de vista teórico aparenta ser boa escolha, no que diz respeito às movimentações de mercado estou curioso para ver o que vem nestes próximos meses, depois de ler que o Nani existe negócio acertado entre o MU e a Juve por 5 Milhões ...

João Mendes disse...

Baggio a quem te referes do Rio Ave. Que acharias de um pacote Rafa - Eder do Braga?

fred disse...

Baggio desta não concordo contigo,O que acrescenta Lopetegui a por exemplo Marco Silva ou Fernando santos?
Que eu saiba aqui no lateral esquerdo e no posse também temos tópicos de muita qualidade mas será que isso só nos qualifica para treinar o Porto?
Nunca treinou sequer um clube médio em Espanha.
O porto não é nem nunca será um clube formador e mesmo que fosse qual a vantagem de ter um treinador espanhol sem experiência que não conhece a cultura do jogador português para o fazer crescer? Se fosse um Guardiola nem se discutia, este treinador parece-me ser claramente um erro de escolha. Não chega ao fim de época! Abraço

LUIS REIS disse...

Não conheço o trabalho do treinador Espanhol, porém e sem tirar o mérito ao treinador o grande trabalho que é feito nas seleções jovens deve-se em 99% ao clube formador, por certo que o treinador Espanhol soube bem aproveitar o trabalho dos clubes e coloca-lo á disposição da seleção do seu pais. Basicamente é diferente ter um trabalho num clube no dia a dia, no preparar a época, os jogos jornada após jornada, na pressão diária, no relacionamento entre os próprios jogadores sendo por certo que é muito diferente lidar com jovens com 18-19 anos ou jogadores de 25-26 anos. Pela analise de pensamento diria então que Queiroz era um treinador com uma genialidade acima da média, afinal foi apenas campeão europeu de sub-16, Bi campeão mundial sub 20, tendo ficado em 3º lugar num mundial de sub-16 em que foi roubado descaradamente por árbitro francês de nome creio Batta e que de tudo fez para que a escócia chegasse á final, além de por 2 vezes ter perdido o europeu de sub-18. Queiroz soube aproveitar o melhor e a melhor fornada que se fez durante a 2ª metade da década de 80 e colocar o trabalho dos clubes ao serviço da seleção.

Esta contratação cheira-me a mudança de politica desportiva no fcp, ou seja com as finanças no vermelho a aposta vira-se para a um aproveitamento sério da formação, não foi acaso que o diretor financeiro bateu com a porta e ninguém me tira da cabeça de que existe problemas no fcp que vão muito além do plano estritamente desportivo, falo e sem rodeios de ordenados com atraso que por norma é o problema que pode original tão grandes quebras de produção numa equipa., não creio que acha a exigência de vitória no campeonato logo no seu primeiro ano só assim compreendo o contrato de 3 anos.

O sinal de união que Pinto da Costa quis passar hoje parece-me forçado, faz-me lembrar as conferências de Passos em que coloca Porta ao lado estrategicamente mas depois via-se o que acontecia nas suas costas… Acredito sinceramente que PC vá cumprir mais 3-4 anos a menos que a saúde não lhe permita, porém o anseio de muito boa gente em querer chegar rapidamente ao cargo mais alto do fcp pode trazer problemas e divergências que por muito que se tente disfarçar existem e estão a olho nu. As recente frases no portão de Antero Henriques é tudo menos um acto ingénuo, foi premeditado e com uma finalidade., assim como as noticias em que o davam perto do Paris St German….

Roberto Baggio disse...

Fred,

Ponto prévio,
Não vou na ideia de que contratar um treinador "desconhecido" e sem "experiência" nos campeonatos em questão seja má ideia. Quem pensa assim são os dirigentes, daí tão poucas oportunidades para jovens treinadores, que não têm expressão no panorama futebolístico, e a aposta recorrente nos mesmos e badalados nomes, e velhas glórias do futebol. Eu não penso assim. Eu penso que importante é o clube perceber no treinador uma ideia comum. Pelo qual se possam unir. Pelo modelo de jogo, pela liderança, pelo método de trabalho, pelo respeito com a história do clube, pelo entendimento do contexto. E isso, posso ser eu, tu, Mourinho ou Guardiola. Não caio no erro de criticar quem contrata, só porque não conheço o treinador em questão. E não é, para mim, importante ser português, sul africano, ou samoano. Importa ter ideias com as quais o clube se identifica, e ter qualidade.

"O que acrescenta Lopetegui a por exemplo Marco Silva ou Fernando santos?"

Se eu, tu, ou outro qualquer aqui no blogue não conhece o trabalho dele, o modelo de jogo no pormenor, o modelo de gestão e liderança, a capacidade de operacionalizar uma ideia de jogo, o potenciar ou não dos jovens valores do plantel, como podemos fazer essa questão? Ou como se pode responder a isso, se ele não teve oportunidade de mostrar o que vale? Isso, repito, é exactamente o que os treinadores jovens se queixam... Falta de oportunidades. Aqui está uma a alguém que não tem "expressão" no panorama futebol, e todos atacam de imediato. Se fosse o nosso caso, acharíamos sempre que tínhamos qualidade para lá estar.
Deixem o homem ter a sua oportunidade, desfrutar dela, mostrar o que vale dentro de campo. Avaliemos depois

"Que eu saiba aqui no lateral esquerdo e no posse também temos tópicos de muita qualidade mas será que isso só nos qualifica para treinar o Porto?"

E por que não?! Os conceitos são bons. As ideias têm qualidade. A metodologia de treino também. A análise ao adversário também. Há coerência, exigência, qualidade. Por que não passar por aqui algum dirigente que se identifique com o que vai sendo passado no blogue e contratar um de nós?
Não vejo qualquer problema nisso. Vejo é problemas quando se contratam treinadores que para além de não terem ideias, já provaram que não dão nada em campo.

"O porto não é nem nunca será um clube formador e mesmo que fosse qual a vantagem de ter um treinador espanhol sem experiência que não conhece a cultura do jogador português para o fazer crescer?"

Ninguém sabe que rumo irá seguir. Ninguém sabe se vai investir. Se não o vai fazer. Ninguém sabe se o homem tem ou não qualidades que lhe permitam ter sucesso no Porto. Então, por que motivo atacar? Só porque não conhecemos? Só por não ter "expressão"? Por se espanhol? Por não se português?

"Se fosse um Guardiola nem se discutia, este treinador parece-me ser claramente um erro de escolha. Não chega ao fim de época! Abraço"

Isso é o pensamento do dirigismo. Estatuto, e nada mais. Depois, ainda nos queixamos da falta de oportunidades que há, e de serem sempre os mesmo. Quando nós próprios, vemos alguém que nunca teve, ter oportunidade, e criticámos. Não faço futurologia. Não sei o que se passará. Ninguém me garante que o homem seja melhor ou pior que Guardiola, melhor ou pior que Jesus, melhor ou pior que Mourinho. Aqui está a oportunidade dele. Ele que mostre.

Roberto Baggio disse...

"Baggio a quem te referes do Rio Ave. Que acharias de um pacote Rafa - Eder do Braga?"

F.Augusto.

Acho um bom pacote :)

João Tralhão disse...

Baggio, o Candeias foi para o Benfica a preço 0. Não acredito que os jogadores que falas fossem a preço 0 e não creio que sejam muito melhores que o Candeias. Esta é apenas a minha opinião.
Abraço

Roberto Baggio disse...

João, eu sei que sim. Foi só, também, como sempre, e como em tudo aqui, a minha opinião. No qual discordámos. Mas não vejo problema nisso.
cumps

Dennis Bergkamp disse...

Nao surpreende.

A ligação FCP-Vítor frade-Espanha é bem mais forte do que se vê nos jornais.

As camadas jovens do FCP desde a uns 5/6 anos para cá mudaram radicalmente a maneira de ser, de estar e o perfil de jogador mudou também.

Não sei se terá sucesso, mas o perfil é coerente com outras opções que a estrutura vem tido ao longo do tempo.

Anónimo disse...

Será Vítor Frade o homem que escolhe os treinadores no FCP? Disseram-me que é a mesma pessoa, há mais de vinte anos, que os escolhe e não é Pinto da Costa.

Anónimo disse...

Baggio,

nota 10 para a tua resposta ao fred!

É um risco, é um facto, mas acima de tudo pelo que tenho lido parece-me uma boa aposta teórica. Vamos ver na prática...

Estou curioso isso sim para o que vai desenvolver-se na relação Lopotegui-Quaresma. Será que vai potenciar as coisas boas dele? Será que este vai ser receptivo às ideias do treinador? Muito curioso e a entrada dele vai ser marcada por esta relação... Porque acredito que o Quaresma que conhecemos não cabe na equipa deste senhor.

Abraço,
Sérgio

Anónimo disse...

o plantel nao é tao mau quanto dizem. e as perdas por venda vao sentir-se menos do que se pensa. porque? porque alguns dos mais importantes, este ano, nos chamados jogos pequenos, estavam-se a borrifar, a pensar no proximo clube.

danilo, mangala foram gritantes, mas tambem fernando, alex sandro e otamendi enquanto esteve.

e muito facil culpar o fonseca.

quanto ao herrera e reyes - ambos vao-se fazer grandes jogadores. lembram-se do ano de estreia do pepe? em momentos chegou a ser hilariante. depois...

defour vai embora, da algum dinheiro e nao justifica o elevado salario.

e a reaproximacao ao jorge mendes diz: vem ai argentinada.

vai-se fazer alguns 90 milhoes brutos em vendas, com o iturbe, mas descontando a percentagem que esta nas maos dos fundos de jogadores so entra metade disso. mesmo assim prevejo claramente acima de 20 milhoes em entradas.

ha muito agente mediatico a vender a ideia de "fim de ciclo" - isso é uma bela cancao do bandido. espero que o benfica nao embarque na conversa.

Aza Delta disse...

"Pretendo que os jogadores queiram ser protagonistas". Quaresma a saltar de alegria...

M disse...

aparenta ser uma opção de risco.

aparenta ter todos os predicados técnicos, conceitos, filosofias e tal e isso é bom! não vem com estatuto, com trabalho feito e tal, vem para trabalhar e com ambição e isso tb é bom!

agora..

num ano de Mundial, com época a começar mais cedo face à pré da champions, depois de ano dificílimo, com saídas mais do previsíveis...e com uma filosofia que muda o futebol de um clube, que precisa de ser interiorizado por todos (e não se sabe quem serão os "todos"), vindo de um ambiente lá em Espanha onde toda a gente nas selecções estão formatadas nessa mesma filosofia.....num clube que para o ano tem forçosamente de ganhar...

terá tempo? vamos ver...

M.

Anónimo disse...

Anónimo, o Mangala tanto se borrifou que jogou no dia da morte do pai.

Bergkamp, muito bem dito, mas não só ;). E isso será muito bom.
Ainda anónimo, o problema, quer no Porto quer no Benfica quer em qualquer clube, é que os brutos são sempre muitos, mas os liquídos não.

Cumprimentos,
António Teixeira

PS: Como diz o Baggio, antes de julgar vejamos o que ele faz.