quinta-feira, 1 de maio de 2014

O mais famoso e titulado já não é o melhor treinador português

No post de ontem, procurando explicar com mais exactidão algumas ideias, a conclusão havia sido esta:

"...E é essa uma crítica a tantos treinadores. Nos quais incluo agora Mourinho, outrora o maior ídolo, como nas etiquetas se poderá perceber. Relembre como recentemente Tiago disse que Mourinho simplesmente não quer ter a bola. Oferece-a para depois recuperar e sair em transição. É essa a crítica que faço. Na minha opinião os melhores jogam em todos os momentos e não apenas em alguns.

Portanto o meu estilo não é posse ou contra-ataque. Organização ou transição. Portanto, Vitor Pereira e Jorge Jesus são hoje treinadores mais fortes do ponto de vista táctico que o outrora melhor de sempre José Mourinho...."

As declarações do bola de ouro e de um futuro candidato a bola de ouro são tão corrosivas quanto reveladoras sobre o que se pretendia referir aqui.

"Ancelotti tem todo o mérito. Mudou tudo. Mudou a mentalidade dos jogadores" Cristiano Ronaldo.

"O Chelsea não está feito para jogar futebol. Muitas vezes pedem-me para fazer tudo sozinho e não é fácil" Hazard.

Não se confunda fama e notoriedade, almejada de forma mais do que justa, pelo outrora melhor de sempre, com competência actual. As equipas dos melhores treinadores jogam o que o jogo lhes dá. Vitor Pereira tinha uma equipa com uma marca muito acentuada e competente em organização, mas também nas transições (ofensivas e defensivas) era demasiado forte. Jorge Jesus é conotado com um tendo um modelo de transições muito fortes. Já observou, porém a competência das suas equipas também em organização? Os movimentos e posicionamentos bem acentuados mesmo quando contra 11 atrás da linha da bola? A forma como a equipa está preparada para chegar entre sectores adversários. Como desmonta mesmo quem defende com todos atrás da linha da bola?

19 comentários:

Nuno Neves disse...

Sou um defensor acérrimo do MOU, contudo, depois de ontem ver aquela substituição quando está a perder 2-1 e precisa de dar a volta ao resultado... e simplesmente não arrisca... apenas posição por posição.... caíu-me tudo, a ficha do que voces aqui têm dito....

Paolo Maldini disse...

"Estão educados para ganhar. Se um dia dissesse no balneário que iriamos jogar para defender, expulsavam-me"

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2009/09/jose-mourinho-xxi.html

Guilherme disse...

Antes de mais, deixei-me dizer que eu acho que vocês não têm sequer noção da qualidade daquilo que escrevem, e do quão a forma como pensam o futebol está à frente de tudo o resto. Não há nada melhor em sites ingleses, espanhois, italianos ou diabo a sete (vejam as parvoíces por ex. que se escrevem no Guardian: o Hazard culpado pela derrota do Chelsea; Mourinho é um deus, etc).

Acho que falo por muitos quando digo que se não fossem vocês (e o Posse, e o Entre-dez) não teria nem 50% do gosto em ver futebol que tenho hoje em dia. Vocês estão no topo - portanto continuem e mandem os anónimos palermas à fava.

Quanto ao jogo de ontem: o Atletico do Simeone tinha melhor organização ofensiva que o Chelsea. No comments.

P.S. Se conseguirem deitem a mão à biografia do Bergkamp, Stillness and Speed, é uma maravilha - a maior parte é uma entrevista com o próprio e está cheio de ideias que se encontram nos vossos textos: inteligência, jogar o que o jogo oferece, a importância de não padronizar os comportamentos dos jovens jogadores etc.

André Lobo disse...

Como já disse aqui o Chelsea é um atentado ao futebol este ano, quem só se preocupa com defender está a ir para um jogo a confiar na sorte, quem não se preocupa com marcar fico muito mais exposto aos fatores que não se conseguem controlar.

Posto isto a minha questão tem mais a ver com o Atlético, tendo em conta que não sou grande fã do modo como jogam, reconheço grande mérito a Simeone, a forma como recuperam e pressionam quando perdem a bola e a forma como se organizam defensivamente é muito boa, mas ao contrário do Chelsea não me parecem uma equipa tão fraca nos momentos ofensivos do jogo, sendo uma equipa que tem nas transições ofensivas o seu ponto forte, acho que em ataque organizado não vivem tanto do jogo direto e das individualidades, sendo que não é um modelo forte neste ponto, acho que se pode dizer que são bem mais fortes que o Chelsea. Acham que isto é verdade ou simplesmente se deve a outros fatores que não o mérito do treinador em si?

Rafael Antunes disse...

Só vi a segunda parte...

Foi o primeiro jogo que vi do Chelsea...
Chega a ser agonizante ver o Chelsea com bola...

Maldini e Baggio a abrirem os olhos de muita gente...

Nas declarações que fez antes do jogo, o que vi foi uma pessoa a tentar justificar a sua posição actual, mas sabendo precisamente onde já esteve e o que fez... Melhor do que ninguém, eu acho que Mourinho sabe que mudou, porque mudou, talvez esteja tão comprometido com o caminho que escolheu, que já não vale a pena voltar ao que era. Principalmente sendo um EGO tão grande...

Paolo Maldini disse...

Guilherme, mt obrigado pelas palavras. Vou ver se consigo apanhar o livro. até pq adoro o Bergkamp...

André, não tenho visto mt futebol este ano. Não sou capaz de avaliar o Atletico por isso.

abraço Rafael

João disse...

Mourinho, o A380 português...

Roberto Baggio disse...

E deixem-me acrescentar que entrar no jogo com aquele onze inicial é um bocado ridículo. Tendo em conta que precisava de ganhar e estando a jogar em casa. Depois dizem que os jogadores não fazem X, ou Y. Claro, não jogam. Nas suas posições entram centrais e laterais. Não é fácil estar no lugar de alguns jogadores.
Já lá esteve Kaka, e já la esteve Modric. Enfim.

formatted error free disse...

Lembro o Championship Manager 95-96: uma das características dos jogadores era precisamente a "inteligência". No jogo o Bergkamp era dos jogadores que, muito fiel à realidade, tinham esse item mais alto. As versões seguintes do jogo acabaram com essa característica no perfil dos jogadores. Talvez, dar 5 ou 6 pontos em 20 à inteligência deles seria chamá-los burros e passasse para o insulto.

Isto só para dizer que o Bergkamp foi dos melhores jogadores do mundo e o parâmetro "inteligência" só não é mais utilizado no futebol por causa do preconceito do insulto da falta de inteligência.

Cantinho do Morais disse...

Sempre achei que a final seria madrilena. No entanto, numa eliminatória tão equilibrada (que, afinal, não foi) também pensava que quem tinha melhores jogadores passava. E assim seria, se Mourinho tivesse jogado com os melhores.
Quando vi Azpilicueta a jogar à frente de Ivanovic caiu-me tudo. E não é que podia ter resultado?
Não dá para torcer por uma equipa assim. Onde estavam Schurrle, Oscar?
Eu quero o Mourinho que, a precisar de ganhar, colocava o Essien na defesa e jogava só com mais 1 ao seu lado. Quero o Mourinho do Joe Cole, Duff, Drogba, Robben, etc.

RubenEsteves disse...

Baggio tens toda a razão em relação ao mourinho mas convem relembrar que lamp e mikel estavam castigados e matic n pode jogar na champions, coerencia sff

Joao Rodrigues disse...

A Frase do Hazard e na minha opinião numa resposta a quem o criticou pelos dois golos do Atlético dentro do Balneário

Roberto Baggio disse...

Rúben Esteves,

Foram dois escalonamento ridículos, os das duas mãos.

Na primeira mão: Cech, Azpilicueta, Terry, Cahill, Cole, David Luiz, Mikel, Lampard, Ramires, Willian e Torres.

Óscar e Schurlle de fora, por opção.

Na segunda mão: Schwarzer, Ivanovic, Tery, Cahill, A.Cole, Ramires, D.Luiz, Azpili, Willian, Hazard, Torres.

Óscar, Schurlle, Eto'o, e Van Ginkel de fora por opção.

Não é bem a mim que se deve pedir coerência. É mais ao treinador do Chelsea.

Cumps

Gomez disse...

Bom, eu não percebo muito de futebol, mas vi um Atlético a defender muito bem (com 10/11 atrás da linha da bola)e a aproveitar muito bem as transições.
Jogaram bem e ganharam ainda melhor? Digo que sim!!
Que o MOU podia ter ganho a eliminatória? Sim! Agora as coisas não correram como ele esperava, não aproveitou os recursos que tinha (leia-se substituições)! Talvez.
O resto é conversa!

Vamos à final! Força Ronaldo!!

Matic disse...

Boa tarde,

Dizer que concordo com a essência do texto. Mourinho, na minha opinião, e falo pelo menos de um passado recente, tem apenas ganho com base numa coisa que em alguma literatura se define pelo conceito de transcendência. O Atlético de Madrid à transcendência soma a sua organização global, que é competente. Por isso é melhor equipa.

Embora isso, penso que se está a cair muito na monotonia. É que a conversa à volta de Mourinho já serve até para quem nem sequer vê o jogo de outra perspetiva. Já serve para tomar café. Talvez seja melhor explorar, a partir daí, sim, questões que vão além disto mesmo.

"Na minha opinião os melhores jogam em todos os momentos e não apenas em alguns"

Essa é a linha que orienta o meu pensamento. Ainda bem que se pensa assim. Pensar nisso é pensar em ter um sistema complexo com grande adaptabilidade. Só assim é possível ser forte em todos os momentos do jogo. No entanto, a melhor equipa pelo qual o jogo pôde ser jogado, jogava essencialmente em dois momentos. Parece redundante, mas.

Deixo uma questão, algo paradoxal, apenas para reflexão (cada um responderá em função do seu pensamento e conhecimento), o barça de Pep era adaptável?

Outra, no jogo como ele está, hoje, faz-se mais golos organizando-se ofensivamente, partindo de uma transição ofensiva rápida e agressiva, ou mais lenta?

Se quiserem.

Um abraço,

RubenEsteves disse...

Sim o da 1 mão foi realmente ridículo mas na 2 mão foi mais normal tendo em conta ps castigados (mikel lamp) inelegíveis (matic) e quem pouco ou nada conta para o mou ( ginkel) e se etoo não jogou de inicio foi por jogar Torres que fez o golo (tira do isso foi uma nulidade nem sempre por culpa dele) penso que o maior erro foi o azpili a extremo no lugar de schurlle/oscar

Roberto Baggio disse...

Matic,

"Deixo uma questão, algo paradoxal, apenas para reflexão (cada um responderá em função do seu pensamento e conhecimento), o barça de Pep era adaptável?"

Depende do que entendes por adaptação. Saia rápido quando devia sair rápido, saia lento quando devia sair lento, mantinha a bola quando tinha de a manter, arriscava quando tinha de arriscar. Desse ponto de vista, não vejo equipa mais adaptável que essa. E esse é o melhor tipo de adaptação, do ponto de vista do Baggio.

"Outra, no jogo como ele está, hoje, faz-se mais golos organizando-se ofensivamente, partindo de uma transição ofensiva rápida e agressiva, ou mais lenta?"

Isso não sei. Não tenho conhecimento de dados estatísticos. Mas, tenho a sensação que "desde sempre", a maioria dos golos são de transições rápidas (sem contar com as bolas paradas).

Anónimo disse...

O que acham do William? A mim parece-me um jogador burro, perdoem-me a expressão. É bastante rápido e tem raça, mas decide quase sempre mal, não é inteligente na abordagem aos lances, perdendo quase todas as bolas disputadas.

Quanto ao David Luiz, também me pareceu ter um comportamento táctico muitas vezes errado, quando a equipa tinha a posse. Partilham da opinião?

Hugo

Liondamaia disse...

D.Luiz como médio, foi uma opção falhada de Mou, mais uma. Mas discute-se (?) de Mou ainda é, ou não, o melhor.
Bom, este ano não o será, com toda a certeza. Nem um dos melhores, não só pelos resultados, mas pelo futebol que a sua equipa apresenta.
Não é uma andorinha que faz a Primavera, nem um dia de chuva e trovoada que faz o Inverno -mas Mou já vai na sua segunda (triste) época e se o Real jogava muito pouco, então o Chelsea chega a ser aflitivo.
Mou precisa saír do seu pedestal e rever os seus canhenhos? Pois...lá terá que ser!