segunda-feira, 30 de junho de 2014

Itália em 94

Sacchi, lá tivemos de chamar-te de novo. Sempre tu! Sempre tu! Vinte anos depois e a equipa do treinador italiano é mais competente, e mais evoluída nos processos defensivos, do que a esmagadora maioria das equipas presentes no mundial. Se lhe perguntassem, aposto que ele nunca teria imaginado tal cenário. A herança de que deixaste perdurará aqui, neste espaço insignificante. Nós, vamos sempre falar de ti pela forma de jogar das nossas equipas.

Obrigado!












33 comentários:

Nafr disse...

muito bom post e educativo. obrigado

Anónimo disse...

Bom lembrar que o jogo entre Brasil x Itália em 94 foi disputado em condições climáticas semelhantes às da Copa de 2014.

Então lá se foi o argumento do clima para justificar as péssimas organizações de 90% das seleções do mundial.

Pedro Lucas disse...

É por estas e por outras, que o Milan do Sachi, continua a ser, para mim, a melhor equipa que já vi jogar, superior inclusive ao barcelona do Guardiola... saudades das longas tardes de domingo a ver os resumos da Serie A na rtp2.

Carlos Antunes disse...

Excelente post, realmente.
Este foi o primeiro Mundial que acompanhei, muito novo, portanto todo na base da emoção.
Este esclarecimento do que via é incrível!

E, agora olhando para as justificações actuais, das 4 equipas nas meias-finais, três eram europeias.
Uma delas até era a Suécia, que devia preferir o fresquinho...
Não olhando para outras questões de mérito ou falta dele, a verdade é que elas chegaram lá.

Abraço!

Jorge Carolo disse...

É uma pena os treinadores deste mundial nunca terem perdido um pouco do seu tempo a ver as equipas deste senhor jogar...

Era preferível, no caso português, o sr que se senta no banco, conhecer um bocadinho dos conceitos de org. defensiva e ofensiva do que levar o CR7 ao mundial...

Enfim, já passaram 20 anos...

DC disse...

Era muito novo nesta altura e portanto não me recordo das condições em que ele conseguiu implementar isto. Portanto pergunto-te se isto será tudo graças à competência dele ou se, além disso, nesta altura ele tinha mais tempo com os jogadores (estágios mais longos, mais amigáveis para preparação, etc...).
Isto porque a sensação que me fica deste mundial é a de que os treinadores não tiveram tempo para treinar grande coisa. Têm sido os ataques e as individualidades a ganhar os jogos, quase invariavelmente.

Ruben Gouveia disse...

Excelente post espectáculo! Muito Obrigado.

Ronaldinho disse...

O quê? Nah Nah, de certeza que esse ano houve um ano cheio de calor e os jogadores já estavam adaptados a esse clima!

Roberto Baggio disse...

DC, eu também era muito novo. Mas fui pesquisar e, a final da champions, ganha pelo Milan foi a 18 de maio. O mundial começou a 17 de Junho.
Ps: nunca tive dúvidas que a capacidade de operacionalização dele fosse o que faz a diferença.

Sim, essa desculpa do clima para justificar a desorganização das equipas, e a fraca, fraquinha, competência da maior parte dos treinadores no mundial, já irrita. A ironia do Ronaldinho é perfeita.

João Brigas disse...

De referir também que Paulo Bento podia também deixar de ensinar o tango aos seus jogadores e ver o que é uma marcação à zona.
E a questão do clima para justificar algo como a desorganização é só parvo, espero que alguns seleccionadores mas não só também treinadores olhem para estes jogos e consigam alguma aprender alguma coisa.
Já agora em termos de org. defensiva quem para vocês trabalha melhor as equipas, sem descurar a parte da org. ofensiva?
Um abraço

Jorge disse...

As seleccoes nao teem so um mes de preparacao, especialmente a seleccao portuguesa que tem jogado com praticamente os mesmos jogadores ha anos.
Um treinador que pegue numa equipa antes do periodo de qualificacao tem algum tempo para construir uma equipa que seja mais que a soma dos jogadores.
Para isso pode escolher jogadores que estejam habituados a jogar no modelo desejado ou jogadores que tenham maior capacidade para assimilar um modelo diferente aquele em que joga no clube. Havera por vezes que fazer uma escolha entre um jogador que rende muito no clube mas que tera dificuldade em render no modelo que o seleccionador pensa ser adequado para a seleccao.
Acho que e mais uma razao para preferir jogadores inteligentes nas seleccoes.

PedroF disse...

Baggio, na última foto, o médio mais afastado da bola deve estar na mesma linha do segundo médio mais afastado da bola ou este posicionamento é o mais correcto?

Abraço e parabéns pelo post.

Tomás disse...

Desde já os meus parabéns. Descobri o vosso blog no início deste ano e tenho vindo a seguir atentamente o que escrevem por aqui e no possedebolla. Não é exagero dizer que as vossas análises são do melhor que já encontrei na net e que deixam os jornais desportivos e as suas "análises" e crónicas a anos luz (mas isso não é assim tão difícil).

Não costumo escrever nos comentários porque não gosto de me meter nas discussões intermináveis que às vezes aparecem por aí, mas queria fazer-vos uma pergunta num off-topic.

Conhecem, e se sim, o que acham do zonalmarking.net do Michael Cox? Comecei a acompanhar o site dele primeiro e as análises da estratégia de jogo que ele faz sempre me pareceram bastante boas apesar de volta e meia se sair com alguns comentários mais duvidosos.

M disse...

bem, com tanta gente empenhada a defender com tanta qualidade, faltou gente para atacar...valeu-lhes o Baggio, que com um perna presa por arames, os levou à final...ironia das ironias, falhou o penalty.

lembro-me de ter ficado bem chateado!

ps:voces nao percebem nada disto das temperaturas, foi nos states, lá a relva é arrefecida...os suecos e romenos estavam praticamente em casa, perguntem ao velhote Hagi o que ele achou daquilo...

artur semedo disse...

mas baggio, confessa lá, acabaste a chorar, quando começaste a ver os penalties... eu começaria, se revisse o jogo.

há uma coisa que me anda a acossar as sinapses, relativamente à balela da organização ser impossibilitada pelas condições climatéricas. chegaram a esta fase final 32 das melhores equipas do mundo, não absolutamente as melhores, até por causa das quotas por confederação, mas das melhores. então, todas as cento e tal que ficaram para trás são ainda mais monstruosas que a maioria destas, e estas, sendo desorganizadas como uma orgia greco-romana, chegaram aqui maioritariamente apenas e só por terem mais qualidade individual; ou, de tanto ouvirem que no brasil o clima isto, e a humidade aquilo, a maior parte dos seleccionadores preferiu abdicar de princípios colectivos sérios, para apostar na charutada e fé nas nossas senhoras (como há muitas aparições um pouco por toda a parte, há protecção divina quanto baste...)?

Roberto Baggio disse...

Jorge deixa-me só complementar, dizendo: Com os meios que há hoje, é muito, mas muito mesmo, mais fácil fazer por exemplo isto que Sacchi fez à equipa defensivamente.
Com os vídeos, com as reuniões individuais onde podes apresentar mais vídeos, e imagens, e etc. Com os dossiers que podes deixar com cada jogador com as suas tarefas específicas, com a revisão do treino em vídeo, do jogo em vídeo. Com a evolução do método de treino... Enfim... Em 94 era muito, mas muito mesmo, mais difícil trabalhar um modelo de jogo. E ele conseguiu!

PedroF, depende da ideia de cada um. Creio que Sacchi queria que ele se posicionasse como tu disseste. Mas Klopp, por exemplo, gosta dos médios em diagonal (para garantir o máximo de coberturas). Eu tenho uma ideia diferente, também.

Tomás, obrigado :)
" o que acham do zonalmarking.net do Michael Cox?"

Não conheço

M, sim, é verdade. O ataque era quase sempre rápido, e com poucos. Mas sempre que não tinham essa hipotese até metiam muita gente na frente. O Brasil fartou-se de fazer transições, contra apenas 3 defesas italianos. O Baggio levou a equipa às costas mesmo. Mas o Brasil tb n jogou nada nesta final lol. O Baggio e o Romário não desfizeram o empate (os dois com 5 golos antes da final), o que foi uma pena. O Massaro falhou alguma situações...

Artur, "mas baggio, confessa lá, acabaste a chorar, quando começaste a ver os penalties... eu começaria, se revisse o jogo."

Eu já na altura tinha ficado bastante chateado heheheh agora fiquei um pouquito triste, confesso.

Quanto à tua questão, gostava de ter um 1x1 com o seleccionador nacional para lhe colocar 10 questões. Essa seria uma delas.

artur semedo disse...

ui, não digas que querias um 1x1, ou começam já a cair-te em cima porque afinal nem sempre queres zona! :D

Roberto Baggio disse...

é pah, mas eu quero sempre 1x1 :) Sobretudo, se for eu com bola. Levo sempre vantagem, que até sei fazer umas fintas, e sou bem mais rápido que ele hahahahah

Gonçalo Matos disse...

Baggio,

1x1 com bola do teu lado é fácil! para o adversário! ainda tropeças!

Vou ser um bocado advogado do diabo. Quantos desses jogadores foram treinados pelo Sacchi anteriormente? Não me apetece ir ver.. Sorry!

Pessoalmente também gosto da linha de médios em diagonal. Quando estou do lado contrário à bola, dá-me a sensação que se estiver nessa diagonal, estou mais proximo da bola e consigo mais facilmente dar as tais coberturas. Por outro lado, se não estivermos todos os gajos do meio campo na diagonal, ficam buracos do caraças.

Signori disse...

E a organização desse Brasil? Não me parece que tenha sido má. Não como Sacchi, mas bem melhor que muitas deste mundial, 20 anos depois

Signori disse...

Por falar em organizações, estive a rever uns highlights de Portugal no mundial 2010, e a diferença é do dia para a noite, relativamente a 2014. Equipa mais junta, preocupada com espaços, com o posicionamento do colega. Com esta organização até parecia haver maior solidariedade entre os jogadores. Ah, e Bruno Alves até parecia jogador...

artur semedo disse...

Isto tudo de nada vale quando depois vem o Vitor Pereira comentar um jogo e em 45 minutos nem uma metaforazinha. Cheio de mania, a falar de futebol. Enfim...

Signori disse...

Vítor Pereira: "Alemanha sem laterais de raíz...é complicado". Concordo em absoluto, o excesso de jogo interior anda a tornar o jogo alemão previsível, logo mais fácil de anular, daí mais perdas de bola em zona central na fase de construção, levando com alguns sustos no contra ataque por causa disso. Já contra o Gana foi assim. Até o Barça abria nos extremos e com a subida dos laterais para obrigar a alargar as linhas adversárias e criar espaço entre os jogadores adversários, e a partir daí conseguia construir melhor pelo meio. Vítor Pereira tocou na ferida.

Signori disse...

Só um off topic. tenho um colega que trabalha a alto nível relativamente a questões fisiológicas e na área da nutrição, que, após algumas reticências, deixou algumas considerações acerca da questão das lesões:
http://pedrocorreiatraining.wordpress.com/2014/06/30/7-coisas-que-o-paulo-bento-deve-saber-para-prevenir-futuras-lesoes-musculares/

Questionei-o acerca do clima, e acerca da fadiga de uma época e disse-me:
será de esperar que os jogadores sul americanos estejam naturalmente mais adaptados a esse tipo de temperaturas e humidades mas isto não pode ser a desculpa para os casos de lesões musculares que aconteceram. Há quanto tempo é que eles sabem que iam encontrar aquele tipo de clima? Em termos fisiológicos julgo que o tempo ideal de aclimatação é de 3-4 semanas, mas não tenho aqui referências que sustentem esta questão. Em relação à utilização dos jogadores com menos ritmo competitivo, o mais provável é que esses tenham menos ritmo competitivo que os outros que jogaram durante a época. Se há vantagens em utilizar aqueles que jogaram menos durante a época? Penso que não, essa questão da fadiga é relevante mas o treinador e a equipa técnica é que estão com os jogadores, eles é que podem avaliar as suas condições físicas e mentais. Há dias falei com um dos preparadores físicos da Alemanha, ele disse-me que os jogadores chegaram ao Brasil 9 dias antes do primeiro jogo, e foi aquilo que se viu no jogo com Portugal. Há formas de preparar melhor os atletas com intervenções na parte da alimentação, hidratação e suplementação, o problema é que esta Seleção não parece ter ninguém que tenha feito esse trabalho.

Depois perguntei:
Estava aqui a folhear a revista da Federação, a 360, e verifiquei que nestes torneios a comitiva leva (esta é a descrição do Euro 2012 mas é costume, segundo o que li) 140kg de bacalhau (no euro foram mais de 5 pratos de bacalhau p ex), queijos, enchidos (presuntos, queijos da serra, salpicão, chouricço e alheiras, tudo isto aos kgs, mais 4kgs de marmelada). Achas que o valor do emocional do miminho vale a pena? (o chefe de cozinha da selecção diz que depois de alguns dias têm de dar miminhos aos jogadores)

Resposta:
Epá, se isso é para os jogadores comerem todos os dias, isso é amadorismo ao mais alto nível. Se for para quem não joga, está tudo bem (não são eles que têm que render no campo). E pelos vistos os miminhos não têm dado resultado: zero títulos!

Luís Carvalho disse...

Falando de grandes equipas o Chelsea 2004/2005 treinado por um tal de José Mourinho, foi eleito num estudo universitário, que se dedicou a comparar estáticas das equipas, a melhor equipa da história, loool, não sei até que ponto a estatística é assim tão verdadeira.

PedroF disse...

Signori, num artigo no Record, o cozinheiro da selecção portuguesa explicou qual a dieta dos jogadores. Entre outras aberrações, a que me ficou na memória foi bolachas maria e de água e sal na ceia(!!!!)

Ficam o links: http://2.bp.blogspot.com/-QSQXBNz-j-Q/U4iAmWJz7CI/AAAAAAAAAkw/2iwg3MWknT8/s1600/BeFunky_Fotografia0159.jpg.jpg e http://1.bp.blogspot.com/-R4pWAUNlpdA/U4h-EJFT3lI/AAAAAAAAAkk/YrRYthz-TI0/s1600/BeFunky_null_1.jpg.jpg

Que amadorismo. Até eu, que não sou profissional mas faço exercício 5x por semana, consigo montar uma dieta com mais qualidade.

Signori disse...

Muito bom PedroF. Como diz o outro, amadorismo ao mais alto nível. Mas faz-me confusão.

Vasco disse...

Baggio, explica-me uma coisa pqeq na imagem 3 a linha defensiva está em diagonal( Uma vez o PB elogiou o Benitez nos seus primeiros anos no Liv'pool por também defender assim) mas se defende em diagonal não conseguirá colocar o ponta de lança contrário em offside, imagina um Inzaghi ali.
Depois queria-te perguntar porque é que o Sacchi tem uma carreira tão parca em termos de títulos(sim, tem 2champions e uma final no mundial de 94, mas repara q só tem um scudetto) Ouvimos falar em Sacchi e temos uma ideia de um Eusébio, uma lenda.

Abração e tenta lá explicar isto aos lerdos

Roberto Baggio disse...

Vasco, "Baggio, explica-me uma coisa pqeq na imagem 3 a linha defensiva está em diagonal"

pq n ta perfeita :P

"Depois queria-te perguntar porque é que o Sacchi tem uma carreira tão parca em termos de títulos"

E os títulos interessam para quem? Para mim não interessam nada. Pelo que não sei, nem me interessa saber XD

"Ouvimos falar em Sacchi e temos uma ideia de um Eusébio, uma lenda."

Sacchi é maior que Eusébio... Porque as ideias dele revolucionaram o jogo. Elevaram o jogo para outro nível. As ideias, aliás, eram tão boas, que tiveram de mudar as regras (nomeadamente o Fora de jogo) por causa disso.

E as ideias eram tão boas, que são a base de tudo que defendemos aqui, do ponto de vista defensivo, passados 20 anos. E daqui a mais 20, tenho a máxima certeza que não se vai defender de outra forma. Sacchi all over the way =D

E o que fica, para mim, são as ideias. Não os títulos.

Abraço

Paulo Brito disse...

Só um pormenor ou será pormaior: tanto a Itália como o Brasil jogavam em 4-2-3-1

Albertini e Dino Baggio na Itália e Mauro Silva e Dunga no Brasil.

Ricardo Cunha disse...

Arrigo Sachi explorava como ninguem a antiga regra do fora de jogo:

https://www.youtube.com/watch?v=3Dnx16-tEF4

Pedro disse...

Recomendo vivamente ouvirem este podcast sobre a selecção da Costa Rica e a importância das capacidades cognitivas.

http://www.tsf.pt/Programas/programa.aspx?content_id=903681&audio_id=3999104

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=3Dnx16-tEF4

Não fosse a azelhice dos fiscais de linha e a defesa zonal tinha sido toda furada lol