sábado, 30 de agosto de 2014

A caminho dos 35... Alan!

Que classe. Que inteligência. Que qualidade técnica. Hoje interior direito. Alan continua a jogar e a fazer jogar no Braga. Que desperdício que foi não ter singrado num clube de maior dimensão. 

12 comentários:

Roberto Baggio disse...

Bem verdade!

Anónimo disse...

Boa noite,
gostava de saber a opiniao dos escribas do blog em relaçao a uma situaçao de jogo. consideremos este exemplo:

estamos perante uma transiçao ofensiva de 2x1(+GR) em que o portador de bola fixa o adversario e tem uma optima linha de passe para o seu colega em que se o passe é feito fica isolado na zona central apenas com o GR pela frente.

neste caso penso que é de facil compreensao que a melhor decisao será fazer o passe em vez do dribe para passar o meu adversario pois é o que mais me aproxima do golo. no entanto vamos agora imaginar que o portador da bola é muito forte do drible enquanto que o colega de equipa é grande "picareta", como voces gostam de chamar, nao tem drible, nao tem receçao de bola nenhuma, muito menos finalizaçao (vamos por como exemplo um salvio ou um carrillo a portador e um mauricio como jogador que da a linha de passe).
Na cabeça do jogador que tem a bola ele provavelmente sabe (ou pensa) que tem um maior sucesso de finalizar a jogada se driblar o adversario do que passar. O que deve ele nesta situaçao fazer?

Eu na minha opiniao, em consciencia com a minha qualidade (ou falta dele .B) como jogador a minha opçao seria sempre o passe (ate porque nao sou grande driblador) mas na situaçao descrita em cima qual é a decisao que voces entendem como melhor?

TiagoSCP

Gonçalo Matos disse...

Que joga que ele fez. Lembram-se dele no Porto? Não me lembro de ele ser assim tao bom..

Anónimo disse...

UA grande jogador, para o Braga...

Miguel Pinto disse...

Assino por baixo :)

Paolo Maldini disse...

TiagoSCP, se falas de futebol federado (nem é preciso ser profissional)... qq miúdo federado tem o q é preciso para resolver um 1x0 ...


agora a jogar com amigos, de certeza q alguns hão-de ser tão maus q mais vale ignora-lo e seguir a jogada sozinho :)

André Lobo disse...

O Alan do Braga nada tem a ver com o do Porto.

Foi para mim dos jogadores que sofreu uma das mais notáveis evoluções nos ultimos anos.

No Porto era um extremo de linha, que se caraterivaza por uma boa capacidade técnica mas acima de tudo pela velocidade, assi era um jogador vertical, que para além da profundidade e alguma qualidade no 1x1 pouco mais acrescentava.

No Braga mudou completamente, desenvolveu a tomada de decisão, passou a ser um jogador com critério, capaz de dar velocidade, mas também de jogar em zonas interiores e estabeleceu-se como a estrela da equipa.

Agora sem a capacidade fisica de outros tempos, continua um senhor jogador, o Alan do Porto com 35 anos seria inutil, este Alan é isto.

Pedro Ribeiro disse...

Pois, eu também acho que Alan é um caso de evolução com a idade. Talvez, quando mais novo, lhe pedissem coisas para as quais não tinha (tem) qualidades que lhe permitissem destacar-se (jogo vertical, linha, duelos individuais constantes). Em Braga, à medida que foi ganhando estatuto, sentiu-se à vontade para fazer crescer o seu raio de acção e pisar terrenos mais interiores. Vem perdendo velocidade, é claro, mas foi ganhando compreensão do jogo. Não é um executante de primeira linha (como era, por exemplo, o seu ex-companheiro Hugo Viana) mas é dos poucos em Braga que não sacode a bola quando pressionado e que sabe jogar em espaços curtos, sabe temporizar. Estes jogadores, sobretudo em equipas com poucos meios, são raros.

Há até uma polémica entre adeptos e treinadores relativamente à sua utilização: os adeptos preferem genericamente vê-lo na sua posição de sempre, como extremo; quase todos os últimos treinadores o experimentaram numa posição mais central do meio-campo. Pessoalmente, não acho que esta questão seja fundamental. Admito que Alan esteja mais familiarizado com os terrenos que sempre pisou mas, quando há falta de médios com capacidade para temporizar e pensar o jogo, acho que a sua utilização em terrenos interiores pode fazer sentido - embora Alan possa perfeitamente fazer esse papel partindo da direita. É tudo uma questão de colectivamente encontrar soluções que permitam que ele vagabundeie por outros terrenos, sendo compensado por movimentos de outros companheiros. Desde que ele queira - e isto é um aspecto importante - penso que pode jogar com igual influência em qualquer das posições.

Anónimo disse...

off topic: primeiros 10 minutos do Moreirense a supreenderem-me grande organização em campo, onde já recuperou várias vezes a bola à saida da grande área do Porto.

Para seguir esta equipa !

Marco Morais disse...

baggio, desculpa o off-topic, podes dar-me aquele link para os jogos do FC Porto?

Agora on-topic: Alan foi dos jogadores mais inconsequentes que vi com a camisola do FCP. Foi para mim uma surpresa quando vi que ele, afinal, era jogador. E que jogador! Um daqueles casos que não aguentou a pressão de um grande. Ali tens de ser... logo! Ele não foi, com pena.

Dipeca disse...

Gonçalo Matos, no FCP jogava com a cabeça para baixo e sempre a fugir para a linha. Eu lembro-me bem dele e foi mto fraco. Não teve assim mtas oportunidades mas as que teve, não as aproveitou. Agora sei que foi por ter a confiança nas suas capacidades que agora apresenta.

Roberto Baggio disse...

Marco, http://fcportovideos.blogspot.pt/