sábado, 27 de setembro de 2014

No golo do FC do Porto erro de... Slimani!

No golo sofrido pelo Sporting, percebe-se a importância de todos os jogadores conhecerem o jogo (de cada equipa em particular) e não apenas o jogo de cada posição em particular. Futebol, hoje, é isto. Todos acabam por passar por todas as situações. Defesas como avançados, avançados como defesas. A dinâmica do jogo é que dita, e essa ninguém controla. O que fazer? Melhorar quem pode agir contra a dinâmica do jogo. Melhorar o conhecimento de cada jogador. A incompetência de Slimani no lance do golo é evidente.





Em resposta a um comentário num artigo recente, diz o Maldini: «Não organizo as coisas assim. para mim é indiferente quem está onde. Desde que estejam todos lá até pode ser o avançado a dar cobertura por dentro, e o interior a avançado, etc etc etc...
Quem está mais perto dos espaços - ocupa, sem predefinições de quem onde»

Neste artigo, "
Tenho de estar atento à forma como jogam os colegas, mesmo os laterais e centrais, pois nunca se sabe o que vai suceder no jogo"
Dizia Gaitan numa entrevista ao Record

«Exacto. O jogo é caótico. E independentemente do espaço, e posição, que ocupamos mais vezes no decorrer do jogo, as estruturas modernas organizam-se por forma a que todos os jogadores, num determinado contexto, pisem terrenos "desconhecidos". Exige-se, dessa forma, que todos os jogadores conheçam o funcionamento global da estrutura. Isso, para que se possam integrar em todos os momentos, sem comprometer a estabilidade e relação harmoniosa da organização.»
Escrevia-se por aqui sobre o jogo.

21 comentários:

Jay disse...


Bem achado, Maldini!

Eu tinha ficado com a ideia no jogo que o erro tinha sido do João Mário, que devia ter adoptado o local onde estava o Adrien e esse o local que apontas o Slimani. Isto porque nem me lembrei de verificar o contributo desse para a jogada.

Pois claro. E depois ainda não querem que me queixe dele jogar na vez do Montero.

Para marcar golos como o que marcou ao Gil e ao Benfica eu também marco (e com o Gil ainda falhou uma como o Jackson ontem). Quando é preciso um extra mais, Slimani dá zero.

Johnny McCaco disse...

Bem visto, ainda não tinha tido a oportunidade de rever bem o lance, mas quando vi em direto fiquei com a sensação que foi tudo demasiado fácil, e que ali havia rato. Slimani não percebeu que tinha de cobrir, e que não estava a fazer nada na zona onde estava, era menos um. Por seu lado, Adrien nem se preocupou em fazer uma corridinha de 5 mts para a esquerda, compreendendo a necesidade da equipa, e dado o erro do colega. Adrien faz-me lembrar as análises do LE e Posse aos jogos da selecção,e ao posicionamento do Veloso, kkkkk

Jay disse...


Baggio, desculpa, achei que tinha sido o Maldini :P

Bruno Henriques disse...

O Adrien também está mal nesse lance. Encontra-se demasiado perto do William, e isso permite a entrada da bola no Óliver.
Mais uns passos para esquerda e podia ter interceptado a bola ou mesmo ter feito falta.

Luís Medeiros disse...

Não me lembro bem do que tinha acontecido nos momentos anteriores à jogada, mas até então o Slimani tinha feito um trabalho incansável de pressão sobre os centrais, podia estar estafado, às vezes a mente quer, mas o corpo simplesmente não pode..

Mais alarmante é uma situação do Mané, que entrou fresco e não acompanhou um médio qualquer do Porto dentro da área que foi receber um passe em situação muito perigosa!

FCS disse...

E o Adrien, está bem colocado? Parece-me que está demasiado perto do William.

jorge gaspar disse...

Uma pergunta para o Baggio ou para o Maldini.
Acham possivel que alguns jogadores compreendam tão bem os vários momentos de jogo, e compreendam tão bem o jogo na sua totalidade, que consigam dar sempre aquilo que o contexto pede, a cada momento (partindo do principio que não há da parte do treinador esse conhecimento, e que portanto essa compreensão do jogo parte dos jogadores e não do treinador)

Ou seja, sabem como devem agir consoante aquilo que se está a passar em campo. Mas adquirem esse conhecimento através da sua própria experiência, e não através do que é transmitido pelo treinador nos treinos.

Ou seja, acham que é possivel que haja ou venham a haver equipas em que ao treinador apenas compete, a escolha do onze, um ou outro conceito geral estratégico, e a organização dos treinos (exercicios que se baseiem simplesmente na repetição de determinados contextos de jogo; exercicios do tipo jogo com menos jogadores para cada lado e exercicios que aumentem a velocidade de reacção e decisão).

Para resumir aquilo que estou práqui a dizer:

Tenho vindo a compreender, que embora o Baggio critique o posicionamente das equipas, ele tende a criticar mais o jogador que comete o erro de posicionamente.
Na parte que o treinador mais controla, parece-me que o Baggio acaba por condenar o treinador mais pela escolha de jogadores que não se sabem posicionar, do que com a falha posicional em si. Parece-me portanto que o Baggio, ainda que realce que o treinador tem responsabilidades no posicionamento da equipa, considera que esse posicionamento está dependente mais dos jogadores que compõem a equipa.
Por exemplo, na mesma equipa (e por vezes em equipas bastante desorganizadas) o Baggio realça o posicionamento correcto de alguns jogadores e o constante mal posicionamento de outro

Dennis Bergkamp disse...

A experiência dos jogadores ajuda, mas aquilo que não repetes.. esqueces.

Para que algo se torne hábito, cultura, subconsciente ou seja o que lhe queiram chamar, tem de ser repetido diariamente.

Não é com 20m a treinar mpb que passas a conseguir gerir a posse.

É com anos a treinar segundo "a mesma linguagem".

O saber responder ao que o jogo pede, independentemente da posição, vem como é obvio da inteligência de cada um.. mas se o treino não potênciar esse conhecimento e essa experiência constante acerca do que é o jogo.. esqueçam que não é possivel.

jorge gaspar disse...

Dennis, acho que não consegui explicar-me bem.
Quando falei em experiência, não me estava a referir á experiência como algo determinante para se compreender o jogo. É óbvio que a experiência em si não significa nada.
Estava me a referir ao caso de jogadores inteligentes, que consigam compreender e aprender com os vários contextos que surgem; com a repetição, com a tentativa e erro etc.

"A experiência dos jogadores ajuda, mas aquilo que não repetes.. esqueces. "

E isso estava presente no meu comentário. por isso é que falei do papel do treinador no treino, e expliquei em que poderia consistir esse treino.

"O saber responder ao que o jogo pede, independentemente da posição, vem como é obvio da inteligência de cada um.. mas se o treino não potênciar esse conhecimento e essa experiência constante acerca do que é o jogo.. esqueçam que não é possivel. "

Claro, mas acho que disseste isso porque não compreendeste bem o meu comentário.
Basicamente a minha dúvida é:
Tendo em conta tudo aquilo que se sabe sobre o jogo sobretudo a nivel táctico, o papel do treinador vai muito além da escolha dos jogadores, e da escolha de uma prática (treino) que permita que os jogadores compreendam melhor o jogo, ganhem certas rotinas, estejam melhor preparados fisicamente, etc.?

Mais uma vez, Dennis, eu não estou a dizer que o treinador não possa ir além disso, o que eu estou realmente a perguntar é, onde começa e acaba a mão do treinador?
Não acabará muito antes daquilo que a maioria das pessoas pensa?
Quem são os responsáveis pelo posicionamento táctico dos jogadores e pelo futebol praticado? Serão os jogadores através da escolha feita pelo treinador, e do treino que os potencia, ou será que é o treinador que consegue criar um determinado jogar através do treino, e que consegue que os jogadores compreendam de que forma se devem posicionar?

De qualquer das formas parece que o os autores do blog, (e o Dennis nesta resposta também) têm vindo a demonstrar que o papel do treinador é muito menor do que aquilo que é a ideia que maioritáriamente se tem.

jorge gaspar disse...

Peguemos no conhecimento que tem sido partilhado por este blog:

Controlo de profundidade.
Controlo de largura.
Contenção.
Cobertura.
Colocação atrás da linha da bola no processo defensivo.
Movimentação, com vista á criação de linhas de passe.
Dar um lado ao defender o 1X1
Fixar um jogador num 1X1 ofensivo (sobretudo em jogadas com superioridade numérica).
Preferência pelo corredor central no processo ofensivo
Tentar levar o jogo para os corredores laterais no processo defensivo
Etc.

É possivel que alguns jogadores dominem estes conceitos, e que os ponham em prática, e que o papel do treinador seja o de apenas, potenciar, as capacidades cognitivas destes jogadores (através do treino, com os exemplos de tipos de treino que já dei.) ?

André Viela disse...

Não creio que o erro tenha sido do Slimani, mas sim do Adrien... o Slimani impede que o central à frente do qual ele se encontra seja uma opção de passe que o Porto gostaria de ter para poder tirar a bola da zona de pressão. Já o Adrien.... o que está ali a fazer? Nada.... estão 5 jogadores do Sporting na zona da bola a montar uma teia para pressionar quem tem a bola e cortar linhas de passe ao portador (numa zona em que também há 5 jogadores do Porto) e o Adrien é um sexto elemento naquela zona que... nada está a fazer.... ele sim, devia estar na zona assinalada, onde naturalmente o "Porto" tentará colocar a bola e sair com substancial perigo ( facilmente ficará criada uma situação de 4 para 3...)

PAMA disse...

Em opinião Adrien é tão ou mais culpado que Slimani no lance, posicionado-se também ele mal, face à organização ofensiva do adversário. Mais, julgo que se estivesse 5 metros ao lado, como já referido noutro comentário atrás, nem sequer '"obrigava" Slimani a tal desgaste. Adrien preferiu preencher o espaço a ajustar numa marcação mais individual, deixando-o sair de pressão. Julgo não ser a primeira vez que acontece. Não sendo um jogador muito rápido, devia ser mais preventivo.

Johnny McCaco disse...

jorge gaspar, a tua dúvida torna-se uma questão interessante, mas só me consigo lembrar do sporting de Sá Pinto vs o de Jesualdo. É que com a versão Sá, não havia qualquer entrosamento coletivo, e é difícil dizer quem está bem posicionado...imagina que tens um jogador no Sporting de Sá Pinto que sabe tudo sobre o jogo, como deve posicionar-se se as suas referências de posicionamento, como os colegas, estão aleatórias pelo terreno? É complicado. Ou seja, quando não há ordem em campo, até quem sabe estar taticamente, com ordem, vai aparentar ser incompetente muitas vezes.

Depois de vir Jesualdo, até Rojo parecia ter um imenso saber tático...

Johnny McCaco disse...

Por outro lado, e usando o mesmo exemplo do sá pinto, e o aparentemente bom trabalho que fez na equia B, antes de subri à A, deixo as palavras de PB, na altura: pa, eu n quero tirar mérito ao sá pinto pelo bom futebol dos juniores do ano passado.

Mas, será q foi o Sá pinto a meter o Sporting B a jogar como joga?

" se Sá Pinto continuar a lançar dados, ao menos que o faça com os miúdos que saíram da formação. É que esses estarão prontos para entre eles resolver tacticamente o que o seu treinador não percebe."

n escrevi esta frase no post por acaso.

Os miúdos da formação do Sporting qd chegam a juniores já sabem tudo do jogo. Todos os que percorrem aquela formação, mais ou menos talentosos, são por norma mt fortes na vertente táctica. O Sá Pinto provavelmente não os pôs a fazer coisa nenhuma. Apanhou um lote de craque inteligentes que sabiam ligar-se entre si, até pq já o faziam faz anos...

Paranhose disse...

Parece-me que Adrien poderia estar ligeiramente melhor, mas não vou por aí. É impossível trabalhares os jogadores para estarem mais 2/3m para um lado ou outro, sobretudo num lance destes de transição.

O grande erro é de Slimani. Mas a grande culpa não é de Marco Silva, nem de qualquer pessoa do Sporting. A grande culpa é de quem estava a treinar o Slimani com 11/12/13 anos. Esses sim, é que lhe deveriam ter ensinado as inúmeras trocas posicionais que acontecem naturalmente no jogo, e a fazer a função do colega durante algum tempo. Sem esse conhecimento, não vale a pena saber a função dos extremos na perda de bola no Sporting.

jorge gaspar disse...

Johnny, como é óbvio a intervenção do treinador pode levar á desorganização da equipa.
O tipo de treino realizado terá também muita influência no desempenho dos jogadores.
Se treinarem cruzamentos, finta de cones, e coisas desse género os jogadores estarão menos preparados no momento dos jogos.
Jogadores que não compreendam qual o posicionamento correcto a adoptar também criam desorganização colectiva.
Também não tenho dúvidas que os treinadores possam de alguma forma criar alguma organização posicional.

"Depois de vir Jesualdo, até Rojo parecia ter um imenso saber tático..."

Não me lembro disso. Existem muitos exemplos de jogadores que mesmo sendo treinados pelos melhores treinadores não conseguem melhorar o posicionamento táctico.

O caso do Jardel neste benfica é um bom exemplo disso

PAMA disse...

Vou insistir um pouco nisto. Em minha opinião não se trata de treinar o posicionamento mais 3 metros para um lado ou para o outro. O jogador sabe a posição que deve tomar tendo em conta onde está a bola. A questão é que deve também ter presente o posicionamento do adversário, e se repararem bem na imagem, Adrien não tem mais nenhum num raio de 15 metros. Pedir a Slimani para recuar, quando tem 3 médios na cobertura não me parece adequado. Adrien é que devia ter chegado mais perto do único adversário no seu raio de acção.

Johnny McCaco disse...

jorge gaspar, vê as etiquetas em que se analisa o Benfica - Sporting, p ex., com Jesualdo, e vê as etiquetas com os jogos de Sá Pinto, e nota as diferenças em Rojo

beck disse...

PAMA numa defesa zona supostamente n há preocupações individuais... mas para mim é evidente que o último jogador de uma linha (neste caso o Adrien) deve ter em conta o espaço a ocupar na linha em função da bola mas também o posicionamento dos adversários e às vezes com pequenos ajustes já se impede ou condiciona o passe. Neste caso a equipa do Sporting deveria ter obrigado o Porto a jogar por fora(obrigar a lateralizar no Danilo)... poderia tê-lo feito se o slimani fechasse dentro mas tb se o adrien não estivesse tão dentro... ou se o próprio joão mário tivesse pressionado mais o portador da bola (se quisermos implicar com alguém vamos consegui-lo sempre!) dizer que o Slimani tem culpa no golo é forçado... porque em última análise o jogador que tinha perdido a bola tb tem culpa no golo... e ng sofre golo de cada vez que se perde a bola.

Metralha disse...

Pelas imagens é o Adrien que está muito mal colocado no lance. Se a bola entra em Oliver não deveria ter entrado e acho completamente descabido ser o argelino a fazer um sprint de 25 metros quando o adrien não tem nenhum adversario perto e o mais proximo é precisamente o Oliver.

Anónimo disse...

O erro não é do Slimani. Logo ao vivo no estádio vi que nessa jogada o Carrillo e o Nani estavam a trocar de flanco. Quem abre o corredor é o Carrillo, que já lá devia estar e se repararem vem a andar ainda do outro lado do campo. O Slimani não tem culpa nenhuma. Viu-se perfeitamente no estádio que o Carrillo teve mais que tempo de ocupar a posição e não deixar o corredor aberto, mas como veio a andar, não o fez.

GAC