sábado, 27 de setembro de 2014

Tello no treino de recuperação.

Não sou dos que acha que Tello não tem perdão pelo erro no final do Clássico de Alvalade. Sou daqueles que achava ao início que ele não deveria ser titular, precisamente pela tomada de decisão, mas que ao longo dos jogos que ele foi fazendo me tem provado que é titular de caras neste Porto. Tem-me provado que ao nível da tomada de decisão, tem por onde melhorar, mas não tanto quanto o que eu pensava. Sou também daqueles que acha que, apagando esse lance, Tello fez um belíssimo jogo em todos os aspectos. Ainda assim, não se livrava de um raspanete pelo erro cometido.


No treino participam dois treinadores, Ricardo e A.Fernandes (Guarda Redes), dois defesas dos juvenis e um avançado também juvenil.

10 comentários:

Anónimo disse...

isso não faz grande sentido porque o Tello de certeza que viu tanto o Jackson como o brahimi. Não lhes passou a bola por provavelmente ter querido ser o protagonista do jogo.

Carlos Antunes disse...

100 golos dá a ideia clara de que um jogador individualista (na decisão) ou evolui ou está ali num castigo muito longo.

Para quem aplicou já este treino, qual é a impressão com que ficaram da rapidez da transformação de um mau decisor num melhor decisor?

Dipeca disse...

Eu penso que este exercício seria ainda mais interessante com feedback do tipo "ostia" e "joder" a cada erro. Depois um Paulinho santos seria muito bom na evolução do rapaz

Mindfuck disse...

Em 10 lances destes 8 tem de dar golo. E nos 10 lances, em 10 tem que entrar um passe no brahimi. Depois os factores ja serão qualidade de passe, qualidade de recepção, qualidade do remate e qualidade da mancha do guarda redes à bola.

PepAlves disse...

O homem é muito bom jogador, tem técnica, velocidade e é bom no 1x1.

Tomada de decisão, melhorar obviamente.Aquele lance era de golo fácil, lá dentro acredito que não seja fácil, mas jogadores daqueles têm de fazer melhor, mas não o crucifico. Se a bola até vai um bocadinho mais dentro era golo.

Por mim jogava a titular na 3ª.

Miguel Pinto disse...

Realmente nada melhor que este post para ilustrar, de uma forma geral, o que foi este jogo no que concerne às tomadas de decisão dos seus intervenientes e às suas qualidades tácticas. Desde passes falhados ou transviados sem oposição passando pelo mau posicionamento das linhas defensivas (como aqui foi demonstrado em posts anteriores) até à incapacidade ou má leitura dos treinadores na abordagem inicial ao jogo (o que os forçou a tentar emendar o erro no decorrer do jogo), assisti de tudo um pouco nesta partida com pouca qualidade. Fico sinceramente com a ideia que serão boas para o consumo interno, não vejo que tenham argumentos para grandes voos na champions ou na liga europa se lá forem.
O maior gozo para qualquer treinador será, porventura, ter jogadores sem grande cartel ou renome e transformá-los, usando as suas características em prol do seu modelo de jogo, em alvos apetecíveis para os grandes clubes mundiais, tal como Mourinho o fez quando foi para o FCP. A selecção desses jogadores 'medianos', traçar o seu perfil de acordo com aquilo que projecta para o futuro do clube, assume-se como uma das principais tarefas a levar a cabo pelos responsáveis da equipa. É claro que um erro como este do Tello que foi aqui apresentado reflecte, na minha opinião, uma das lacunas ao nível cognitivo e terá que ter uma atenção especial para evitar futuras sequelas porque seja qual for o treinador, este estará sempre refém do comportamento individual e colectivo dos seus atletas.
Por outro lado assistimos à troca de um fantasista (Carrilo) por um centrista para acentuar o jogo exterior na tentativa de colocar o Slimani na estatística do jogo, porém não durou 15 minutos esta alteração (táctica?) pois dá-se à troca de Adrien por C.Mané e Slimani por Montero, talvez para tentar privilegiar o jogo interior(?).
Fico com a ideia, apenas em função do que vi e nada mais, que por vezes os treinadores ficam também eles à espera que aconteça alguma coisa boa, que tenham a sorte de vez em quando pois também merecem e tal e coisa.
Criar uma ideia de jogo, uma identidade na equipa, exponenciar as qualidades dos jogadores em função do jogar da equipa, isso já não dependerá tanto da sorte. E o dinheiro não é tudo, veja-se o Van Gaal, teimoso que nem uma mula!
Abraço

Johnny McCaco disse...

100 golos PQP!!! lol. Isso demoraria quanto tempo mesmo?

Anónimo disse...

não foi só o lance final. antes houve a simulação no 1x1 com mauricio em que podia perfeitamente ter ultrapssado o adversario e ficado isolado mas quis sacar a expulsao em vez disso...

Paranhose disse...

Não sei se os 100 golos foi a sério ou a brincar, mas se fizesses isso na realidade, o Tello (ou outro gajo qualquer) mandava-te para o caralho.

O exercício é bom para o lance que se viu, mas uma coisa é criar trabalho específico para um jogador em função de uma ação que deva realizar muito (Ex: passe longo) ou um ponto fraco (Ex. do Tello: má tomada de decisão, que pela sua posição, poderá acontecer mais em situações de cruzamento).
Outra coisa é criar um exercício baseado num lance, que mesmo que pudesse ter decidido o jogo, não faz sentido.

Quanto muito, poderia ser o Tello a ter vontade de pedir a um dos treinador para no final alguém o ajudar com a situação em que falhou.

Leandro Belmonte disse...

Baggio fizeste este treino ? Desde ja deixa-me dizer-te que acho genial a simplicidade na formulaçao do exercicio e no entanto a complexidade de situaç~~oes que o jogador vai encontrar. Obrigado por mais esta aprendizagem !