segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Curtas de Alvalade

- A importância da vitória: "Uma equipa que joga bem e não ganha vai deixar de jogar bem". É muito isto, este início de época. É o não deixar fugir as expectativas iniciais, e procurar construir um modelo em cima de vitórias. Para que os jogadores sintam mais confiança no processo, para que a aquisição dos comportamentos pretendidos seja mais fácil e célere.

- Rui Patrício. Fenómeno no 1x0. Haverá algum jogo onde ele não tire duas, três bolas de golo ao adversário? Haverá algum jogo onde ele não seja absolutamente decisivo para um resultado positivo do Sporting? Anseio por esse dia.

- Nani. Mais do mesmo. Num campeonato de pinos, demasiado fraco o estímulo competitivo para um jogador desta qualidade. Resta saber como será o seu rendimento no futuro, num contexto onde os pinos se movem um pouco mais.

- Maurício. Contenção. Ahn?!

- Montero. Poderá com o fantástico golo que marcou ter ganho a confiança necessária para se assumir de vez no onze do Sporting. Resta saber se o treinador lhe dará confiança para isso, ou se continuará a queima-lo na primeira oportunidade que surgir. Para já, parece-me que o seu treinador continua a remar no sentido contrário ao dele, e ao que ele precisa: "Um avançado vive de golos, embora seja tecnicamente evoluído e trabalhe muito para a equipa. Era muitas vezes notícia a falta de golos e isso mexia com ele, pelo que é importante que os golos apareçam"
Marco Silva

- Marco Silva. Ouvi-o, pela primeira vez, falar dos erros de posicionamento que o Sporting tem tido. Interpreto isso como um sinal de que está a trabalhar para os corrigir. Urge corrigir as avenidas que o Sporting tem permitido aos seus adversários, pelo mau controlo da profundidade da linha defensiva, pela dificuldade em controlar o corredor central por ter extremos que ficam na frente quando a bola está do lado contrário, e um médio ofensivo que não chega a tempo depois da pressão nos centrais. E aí, chegará o dia em que Rui Patrício não será mais fundamental. O maior desafio do treinador do Sporting é o de retirar o protagonismo do seu guarda redes.

- Conversa de café. Fala-se em maior controlo emocional, em melhor gestão das expectativas, em maior controlo do jogo quando se consegue uma vantagem daquelas. Tudo muito fácil. Mas qualquer equipa que não esteja habituada às andanças europeias vai sempre ter essa dificuldade. Sobretudo porque no seu contexto competitivo tem apenas 4,5 jogos ao nível do que se exige na Europa. O problema é o foco. Tem um estímulo competitivo muito forte ao nível europeu, segue para o campeonato e consegue uma vantagem confortável ao intervalo: nem o mestre Mourinho os impediria de descomprimir. Há muita coisa que os treinadores não controlam, e a concentração/descompressão e a cabeça dos jogadores é deles, e de mais ninguém.

14 comentários:

Anónimo disse...

Análise ao catedrático e a sua única substituição? Nicles? E a vitória do Braga?

Marco Matias

André P. Santos disse...

Alguem me sabe dizer quem foi o Montero cumprimentar no banco? nao me pareceu o Marco Silva.
Obrigado

SportingSempre disse...

admito que tem estado decisivo, mas hoje, se o Patricio safou 2 golos, teve claras responsabilidades nos 2 que encaixou, passaram-lhe ambos entre as luvas...isso também é relevante para esta contabilidade.

jorge gaspar disse...

Concordo com tudo excepto com o assunto Patricio. Acho que já houve muitas situações em que o Patricio foi claramente responsável pelos golos sofridos, e inclusive neste jogo, ele tem responsabilidade nos dois golos.
Embora tenha também safado pelo menos uma situação de 1 para 1.

Anónimo disse...

O William Carvalho tem culpa no segundo golo do Marítimo?

Carlos Antunes disse...

Caro Marco Matias,

E se aqui fizessem uma análise à táctica sarrafeira do Braga ontem?

Alguém punha o Messi a jogar contra aquele género de supostos jogadores?

Realmente quando aqui dizem que o Campeonato Nacional é mesmo muito fraco, têm uma razão que até dói.

Como é que ainda vêm para cá alguns bons jogadores é algo impressionante, correndo o risco de lhes partirem um osso qualquer.

Tó Pereira disse...

o patrício é um grande gr... mas como é possível destacá-lo positivamente no final de um jogo em que manda 2 glu glus?!

Miguel disse...

Baggio,
Nao te parece que a analise do Marco Silva seja precisamente no sentido de que se ele andar de mao dada com o golo sera tambem mais preponderante no jogo e acarinhado por quem o ve? Leio nas palavras do marco a importancia do golo para o montero poder jogar "livre" de preocupacoes

LMGM disse...

As imagens televisivas ilustram mal aquilo que vi ao vivo no 1º golo do Marítimo. Para mim a responsabilidade maior foi do Jonathan. Vamos lá tentar descrever o que vi para quem percebe de bola depois poder fazer as correcções que entender.

A jogada do Marítimo decorre do lado direito da defesa do Sporting, há três jogadores do Marítimo no centro do terreno mais o Maazou na extrema esquerda (solto), o Sporting fecha no interior com os dois centrais e Jonathan mais "subido" também no interior.

Jonathan olha para Maazou nas suas costas e continua o movimento interior em direcção ao centro da defesa, acto continuo Maurício sai para fechar a desmarcação de Maazou, mas Jonathan abandona o seu movimento interior e os jogadores que acompanhava para fletir também para a esquerda... ficam dois jogadores soltos no meio, um no buraco central que Maurício abriu ao sair à esquerda outro que fica posicionado na cabeça da área.

Maurício, rapidamente corrige para fechar o centro da defesa, mas Jonathan decide entrar em velocidade de caracol e acompanha quer o movimento do colega quer a aceleração de Maazou com os olhos e a passo.

Centro largo da direita, Maazou livre na antecipação (a Jonathan ou a Maurício? Digam-me vocês.) remate pronto de cabeça. Golo. E a fila inteira atrás de mim clama frango do Patrício e eu insulto o Jonathan...

P.S.- Claro que há responsabilidades de Patrício em ambos os golos, mas gabo a sorte os guarda redes que sejam fuzilados pelo Maazou ... Será um bom substituto de Slimani quando ele se for embora, pouco mais sabe fazer do que golos. O que já não é nada mau...

P.S.2- O segundo golo não vi, ainda estava a tentar explicar porque é que o Jonathan era uma besta por ter feito o Maurício andar tipo barata tonta a tentar adivinhar o que Jonathan queria da vida. No final do vídeo vê-se um pedacinho da piçada que Maurício mandou ao Jonathan...

Anónimo disse...

Curiosamente quando Samaris, Enzo e Lisandro estão no plantel. ..
Quem é que tirou Samaris e colocou Jonas? Quem é que não mexeu mais numa equipa partida? Poupe-me para quem lá fora, tem tantos jogadores expulsos!
O Braga só demonstrou o que Arouca, Moreirense, Estoril já tinham indiciado...
Contra 11 é mais difícil...

Marco Matias

Reduzir o Braga a uma equipa de caceteiros só demonstra clubismo pateta!

Carlos Antunes disse...

Não nego o meu clubismo, se é pateta ou não logo veremos.

Mas admitamos que tem razão e que o Benfica também tem os seus caceteiros e que as expulsões lá fora são resultado disso mesmo.
Se tivéssemos as arbitragens lá de fora cá dentro, como acabavam os jogos todos?

Anónimo disse...

A classificação seria bem mais aproximada... entre as equipas que ocupam o topo..
Mas o Braga não foi apenas uma equipa agressiva...dizer que não passam de caceteiros é viver na ilusão...

Marco Matias

Carlos Antunes disse...

Como acabavam os jogos, perguntei eu.
Falava de expulsões a rodos para as equipas.

Não me parece que a classificação possa ser muito mais próxima do que já está.

Paranhose disse...

Montero é bom jogador, não há duvidas disso.

Mas poxa, parece que o Slimani é mau. E não é. Até pode parece mais fixo, mas também dá muita linha de passe para a baliza e toca em quem está de frente.

E claro, pelo menos neste momento é natural confiar mais nele para marcar um golo do que no Montero. E pode-se jogar muito bem, mas no fim de contas o que interessa são os golos e os pontos.