quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Júlio César

- Hoje foi determinante ao evitar alguns lances de golo ao Mónaco. Mas o que mais me impressionou foi o que fez quando tinha a bola na sua posse. A qualidade com que inicia a transição ofensiva do Benfica, em passe longo, poderá bem ser mais uma das armas para Jesus potenciar, dentro da sua ideia de jogo. Pelo que foi sendo visto no jogo, parece uma ideia que foi trabalhada, e que pelo sucesso que conseguiu poderá vir a ser regularidade, sobretudo quando se corre atrás do resultado.

- Sobre o jogo, mais uma vez um Benfica superior ao Mónaco, pelo número de ocasiões que cada equipa conseguiu criar, numa primeira parte onde o Benfica poderia ter ido para o balneário com um resultado que desse tranquilidade. Continuo a pensar que será muito difícil, com estes jogadores que tanto gostam de acelerar, gerir melhor os ritmos de jogo. Talvez com Jonas em campo a coisa melhore um pouco. Com Gaitan limitadíssimo e muitos jogadores ainda a entrar no modelo, o Benfica parece não ter estofo (qualidade individual) para uma prova tão exigente, tendo em conta os adversários que enfrenta.
Jesus, como em Braga, tirou um médio para colocar um avançado. Venham de lá as críticas.

- Talisca. Está a evoluir, mas continua demasiadas vezes a comprometer a equipa em nome de um passe, ou uma jogada vistosa.

- Sálvio. O insucesso das suas jogadas não é alheio ao facto de jogar com equipas de qualidade semelhante ao Benfica.

- Jardel. Seguro. A fazer lembrar o Jardel que apareceu no ano passado, como uma boa alternativa aos titulares.

- Samaris. Cada vez melhor enquadrado no modelo de jogo da equipa. Mas ainda com muito, muito mesmo por evoluir nesse sentido.

- Derlei. Importante pelo físico. Com ele segurou quase todas as bolas que recebeu, permitindo que a equipa subisse uns metros no terreno de jogo. Em tudo o resto, demasiado mau para o nível do jogo.

28 comentários:

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Miguel Amador disse...

Também acho que o Mónaco dominou o jogo, e a derrota foi injusta. No máximo o empate, já que o Mónaco dominou o jogo por diversas vezes, e jogou quase sempre em ataque continuado. Parecia que o Benfica estava novamente a jogar com 10 em certas alturas. Não se pode porém ignorar o estilo de jogo do Benfica, que com espaços, conseguiu criar diversas oportunidades, principalmente com o Salvio a desperdiçar. O golo de Talisca foi talvez o reflexo de o Leonardo Jardim ter acreditado que podia ganhar, asegurando a vitória que deixou escapar na jornada anterior em casa, desequilibrando a equipa e dando espaço para o Benfica se tornar perigoso numa altura que o Mónaco estava constantemente a atacar. Penso que os remates são má imagem do que se passou, já que os centrais estiveram bem em todos os lances de cruzamento, que marcaram quase todo o jogo do Mónaco, com o Fabinho a fazer um número de cruzamentos bastante elevado para uma equipa que se possa dizer que não dominou grande parte do jogo.

facepalmjpg disse...

Meus queridos, quando se fala em "dominar" os jogos, está-se a falar da habilidade, facilidade e frequência que uma equipa cria oportunidades de golo de qualidade, de preferência através de jogadas com cabeça, tronco e membros. Os números de remates e de cruzamentos não expressam domínio de jogo. Esses números servem apenas e só para encher chouriços, amigos, o que realmente importa é se esses remates eram ou não oportunidades claríssimas e se esses cruzamentos foram parar a algum colega de equipa. Só isso é que conta para expressar domínio.

RuiG disse...

As coisas que se lêem nestes comentários! !! :-D

Unknown disse...

E quando a equipa não tem bola? O que acrescenta Salvio ao jogo?

GV disse...

Neste jogo confesso que aceitei (desde o início do jogo, não só após o resultado final) a abordagem do JJ.

O Mónaco parece-me uma equipa relativamente acessível pelas individualidades e porque o LJ explora pouco, tal como fez em casa, as debilidades do Benfica.

Mas insisto que com o Zenit e em especial com o Bayer o Talisca no onze é um risco muito alto.

O Talisca vai-se tornar num jogador de destaque internacional graças ao JJ, sem dúvida. Pelos golos, pelos tais passes vistosos e pela capacidade de progressão com bola, mas vem sacrificando nos jogos mais difíceis, e pelo menos por mais algum tempo o equilíbrio do corredor central e em especial as transições defensivas.
Vai evoluir, vai lá chegar, mas até lá...
Contra-senso...

Concordo que é pena o Jonas não poder (ainda) jogar na europa e que sem um Gaitan ao melhor nível o Benfica banaliza-se. Mas até por isso há esperança, por isso e porque há Ola John e vêm aí os 6, o Sílvio e o Sulejmani; pode é sair o Enzo (medo).

Cumps,

Torres Ferreira disse...

Risco, risco é compor meia defesa com jogadores como o A Almeida e o Jardel...aliás isso é um suicidio!

Francisco Soares Franco disse...

Jardel fez um jogo muito competente. André Almeida, sim, teve bastantes dificuldades devido à velocidade do Carrasco.

Eu, gostei do Derley. Forte fisicamente, conseguiu segurar a bola e lançar contra-ataques com bons pormenores (exemplo da primeira oportunidade falhada pelo Sálvio).

Já sobre o Sálvo, quando o nível sobe tem muitas dificuldades porque joga sempre num 1x1 (para não falar da facilidade com que ele e Maxi se fecham com bola no corredor). Não obstante, trabalha muito bem defensivamente e normalmente, tem golo (este não foi o seu jogo).

Samaris, melhor, mas não é 6. Parece-me o substituto do Enzo... e naquela posição perde algumas bolas que não pode perder.

JJ voltou a apostar na substituição de tirar um médio e pôr um avançando para marcar um golo... ontem, apesar de não ter resultado, resultou. Não resultou, porque como aconteceu em Braga, o meio-campo do Mónaco passou a ser superior ao do Benfica, altura que coincidiu com o melhor período do Mónaco que chegou a ter algumas oportunidades para marcar. Resultou - porque ganhou.



Paolo Maldini disse...

os mm tonis q criticam n ter feito substituiçoes ou essas cenas de adeptos da bancada. e q n tem rasgos de génio do banco e n sei q, se querem ser coerentes, devem então dizer que foi o treinador que venceu a partir do banco o rio ave e o monaco. Mudou c a posição do Talisca e ele resolveu em cada um dos dois jogos.

Só que...o futebol não é assim... mas, nunca perceberão...

e sim, individualmnente o SLB n tem equipa p competir c o FCP. A linha defensiva do SLB é próxima de zero individualmente, e é na defesa q se ganham campeonatos. Tipos como o Danilo e o Alex com a coordenação colectiva duma equipa de JJ e o FCP passava um ano em portugal sem sofrer golos...

Individualmente o SLB metia o Luisão, Enzo, Gaitán e eventualmente Jonas (sem tirar JAckson) na equipa do FCP. É uma diferença muito grande novamente, mas do que tenho visto do FCP... mt a desejar... sectores mt afastados, n conseguem controlar jogos... se n evoluirem colectivamente o Benfica com este treinador pode perfeitamente voltar a ser feliz. Não excluo o Sporting... Tem uma linha defensiva ainda pior que a do SLB, neste caso nem um central forte tem... mas tem alguns argumentos p aproveitar más épocas de SLB e FCP

Blog de Portugal disse...

Continuo a achar que a intenção do JJ não é gerir os ritmos do jogo, mas ser muito forte a acelerar o jogo. E aí sim, tem uma equipa com caraterísticas para tal.

Não concordo que o Benfica tenha sido superior. Foi nos primeiros 20min, mas a partir daí o jogo foi equilibrado, com alguns momentos do Monaco. O empate seria justo, para mim.

- Samaris: por onde acham que ainda tem que evoluir?

- Derley: concordo. Tem alguma qualidade, mas vê-se claramente que será muito difícil chegar ao nível que se exije num clube como o Benfica.

DC disse...

Maldini, mas então quer dizer que não achas o Maicon e o Indi maus?

E Casemiro ou Ruben, quem jogava para ti?

Edson Arantes do Nascimento disse...

Maldini, os laterais do FCP são mesmo de outro nível. Não tenho dúvidas nenhumas. Agora, os centrais do FCP, cuidado com eles. Tamancos e mais tamancos.

Mas de resto concordo com o teu comentário.

Sobre a publicação, eu achei que o Monaco, ontem, foi melhor do que o Benfica. Um bocadinho melhor, ao contrário do que aconteceu em França, onde o Benfica foi um bocadinho melhor do que o Monaco.

No geral, foi um jogo de Liga Europa nas vestes de Liga dos Campeões.

Pedro disse...

À ganda "toni"
:)

Paolo Maldini disse...

Malheiro, aqui n choras mais, pelo menos qd for eu a moderar os comentários.

DC, ainda n vi o suficiente do Martins. O Maicon é tipo Jardel... mt parecidos mesmo, na minha opinião.

O Casemiro conheci-o no u20 era interior dto. Oscar int esq. Coutinho 10 e o trinco o Fernando...

Paolo Maldini disse...

já agora, o SLB com Artur na baliza ontem tinha perdido. há lá uma mancha q salva um golo, em q o ARtur tinha como sp metido-se com um joelho no chão... à gr de futsal a tapar uma baliza de 11 LOL

GV disse...

Alternativas?

Benfiquista Tripeiro disse...

Maldini, mas há vários guarda-redes que se saem assim, estou-me a lembrar do Neuer e do Courtois, por exemplo. É sempre um erro ou tem vantagens em algumas situações?

Paolo Maldini disse...

epa, eu n percebo nada de gr, mas uma coisa é certa, nc vi o Artur defender um 1x0, seja com mt ou c pc ângulo para o av fazer golo. Portanto depreendo que aquilo q ele faz é mt mau...

Benfiquista Tripeiro disse...

Sim. E lá por o Artur fazer o mesmo movimento do Neuer não quer dizer que os resultados sejam idênticos. Antes fossem.

Benfiquista Tripeiro disse...

É que vê-se muito esse tipo de saída hoje em dia, gostava de saber o porquê da mudança de técnica.

Unknown disse...

Maldini, para a posição de médio defensivo preferes o Casemiro ou o Rúben Neves aos do SLB? Entro com o Fejsa e o Amorin.

Bruno Miguel Espalha disse...

Quando se fala mal do Jardel, neste jogo, é preciso falar pelo menos com conhecimento de causa. Analisando os factos e não as preferencias pessoais, o Jardel esteve muito bem no jogo.

http://brunomiguelespalha.com/jardel-o-incompreendido-uma-analise-ao-jogador-benfica-monaco/

Filipe disse...

Leio este blog há um bom tempo. Desde já os meus parabéns, pois acho que é um espaço interessante onde se diz muito coisa acertada. No entanto, não concordo com tudo e não entendo a teimosia em defender quase tudo o que JJ decide. Uns gostam mais dele, outros menos, mas nem aqueles que gostam devem fechar os olhos ao óbvio.
A colocação de Enzo e Talisca no meio custou-nos o jogo em Braga e podia ter voltado a acontecer o mesmo com o Mónaco. O Benfica perde muito quando Talisca joga mais recuado. Defensivamente, o Talisca é muito pouco intenso, com bola, decide muitas vezes mal e, como se não bastasse isto tudo, o Enzo perde muito do que tem de bom quando recua no terreno. Não foi, de certeza, por ter passado para o meio-campo que o Talisca marcou os golos que marcou contra Rio Ave e, muito menos, contra o Mónaco (golo de canto...). Aliás, o Talisca até tem feito muito mais golos quando joga como 2º avançado.
Contra o Mónaco, como contra o Braga, o Benfica perde o controlo do meio-campo quando recua Talisca para o meio-campo. Ganham-se menos 2 bolas, recuperam-se menos, o meio campo adversário tem mais bola... Enfim, tem-me parecido tão óbvio que não entendo como isso não é devidamente sublinhado neste espaço...

Roberto Baggio disse...

Oh Filipe, como chegaste agora, tens prenda :

Tens a certeza que nos andas a ler? Ou não percebes quando há ironia?

Mas há outro espaço onde se tem falado da falta de competências dos novos que chegaram ao Benfica, para jogar no modelo de Jesus? Ou é preciso escrever isso com letras grandes? Haverá outro espaço que defenda precisamente isso, por exemplo a escolha de Bebé, por ter mais tempo de trabalho, logo conhecer melhor ideias que os outros? Ou é preciso, novamente, escrever tudo com maiúsculas?
Vai lá rever todos os artigos sobre o Benfica este ano sfv. Mas revê com cuidado.

Filipe disse...

Oh Baggio, mas será que leste o que escrevi? Então eu falo da opção Enzo-Talisca no meio-campo e em resposta tenho uma série de perguntas se ando a ler o que vocês têm dito do Bebé e outros jogadores contratados neste ano?
Não custa ler o meu comentário. Não vos ataquei, notei apenas que o post não mencionava algo óbvio e deu-me vontade de comentar: a forma como o Benfica perde sucessivamente o controlo do meio-campo quando joga com o Talisca na dupla de centro-campistas parece-me evidente.
Agora, porque esta resposta com toda um estilo de superioridade, "queres que escreva em maiúsculas e tal..."? Não querem comentários? Não querem discutir os temas com quem vos lê? Epah, porque não criar um forum e escrever lá umas coisas? Não é a primeira vez que leio este tipo de respostas da vossa parte, mas julguei que podia ser uma abordagem motivada por comentários anteriores das mesmas pessoas. Já percebi que não... Faz parte de um estilo...

Bruno Miguel Espalha disse...

Só mais uma achega e não quero alongar-me muito, para aqueles que dizem que o Monaco dominou o jogo e que merecia ganhar.

Se repararem bem o Mónaco não fez um passe perigoso pelo centro do terreno durante o jogo todo. O Benfica empurrou o jogo para as laterais para a zona de menor perigo na defesa.

http://brunomiguelespalha.com/dominio-jogo-o-exemplo-benfica-monaco/

Não quero de maneira nenhuma promover o meu blogue, mas não há outra forma de explicar de modo gráfico sem ser assim.

Nem sempre o que parece na televisão é a realidade dos factos.

Roberto Baggio disse...

Exacto. Faz parte de um estilo. Porque dizes que perde o controlo, como se não fosse óbvio que Enzo mais um que não seja Almeida, vai perder sempre. E como se isso não faz parte da FALTA DE COMPETÊNCIA dos novos jogadores (TALISCA, SAMARIS, CRISTANTE, PIZZI, etc).
Mas algo mais óbvio de ler que isto? Ou tou a falar chinês?
A superioridade de que falas, deve-se sobretudo a isso. Falta de capacidade de interpretação de quem lê.
Mas pronto. Não vale dizer que ainda não há competências para a forma de jogar de Jesus. Vale dizer Enzo e Talisca não dá. Como não dá Enzo com qualquer outro. Tá certo.

GV disse...

Gaitan com Enzo, Ola John à esquerda e Talisca na última meia hora sempre que necessário.
Disse!

Cumps,