sábado, 1 de novembro de 2014

Os atletas, os futebolistas e os palermas. No aniversário de Deus Maradona.

"Qualquer atleta faria aqueles 80 metros mais rápido que o Diego, mas nenhum ser humano o faria com a bola nos pés" Valdano sobre o golo do século. Maradona frente a Inglaterra no México 86.

"Eu não sou um atleta. Sou jogador de futebol" Romário depois de questionado sobre o estilo de vida que levava. Bem diferente do que o recomendado para os atletas.

Há alguns anos em conversa com um especialista de top mundial em treino e exercício físico questionei-o sobre a excessiva pronação dos pés de um miúdo que joga agora no Belenenses. "Deixa assim. No Brasil costumamos dizer que é quem tem essas diferenças morfológicas que sai jogando futebol. Esses pés tortos são o que fazem o menino ter esse sucesso todo no drible"

"Veja o Coentrão. Sendo um indíviduo débil, frágil, numa disputa de bola contra dois matulões do FC Porto, Cissokho e Rolando, conseguiu, com uma ginga, sentar os dois e ir embora com a bola. Isto para mim é que é força. Ter capacidade de arrancar, travar, voltar a arrancar mas pelo lado contrário" Vitor Frade.

"...se calhar ao mesmo tempo que defendem que o músculo é cego, defendem que é importante a proprioceptividade. Ou seja, não sabem o que estão a dizer. Porque a proprioceptividade é precisamente o que faz do músculo fundamentalmente um orgão sensitivo. Portanto, uma série de mecanoreceptores que se alteram para captarem a evolução do corpo no tempo e no espaço. Ora, o futebol de qualidade, para qualquer posição, apresenta uma diversidade de agilidade e mobilidade que... Eu costumo dizer que a ignorância é atrevida para caraças" Vitor Frade.

"De um modo muito simples, porque altera a relação do corpo com o corpo, ou seja,... Há dois tipos de timing. O timing coordenativo dos músculos entre si, que é a co-contractividade, portanto, vão existir cadeias que passam a degladiar-se, que se passam a estorvar umas às outras. Porque é uma coordenação que se coloca contrária à fluidez que sugere e solicita a espontaneidade do jogo de futebol. Para além disso, há outro tipo de timing, que tem a ver com o ajustamento muscular à alteração sistemática regular que o envolvimento coloca. Ao fazer musculação vai estar a bulir com isso, vai estar a enganar o sistema nervoso. Portanto, vai obstruir o leque de possibilidades de manifestação que o corpo tinha a jogar futebol. E se o fizer quando em desenvolvimento vai inclusivamente bloquear o crescimento, por exemplo, dos ossos e de outras estruturas" Vitor Frade.

Há cerca de quinze dias atrás num contexto fora futebol, tentaram vender-me uma qualquer ideia com o tema "força atlética de base" para apresentar ao futebol formação do clube. Não deixei sequer que  o treinador de cross trainer me falasse sobre ela, pois na verdade cada vez tenho menos tempo a perder a falar de um desporto com quem nada sabe sobre ele. A minha recusa em ouvir deu direito a um texto na página do tal treinador de Cross Trainer. O tal treinador fez questão de o comunicar. Li dois parágrafos e fechei a página. Não li mais, e muito menos comentei. 

A página é esta: https://www.facebook.com/SunTzu.Lusitano.Endovelico?hc_location=timeline.
E o texto é "Uma era pós periodicidade táctica"
Aqui vão alguns excertos:

"Nesse contexto, falei-lhe do meu trabalho da última década, referente ao desenvolvimento de uma estrutura programática do treino da "Força Atlética de Base", especialmente vocacionada para a aplicação em desportos de estímulo e resposta complexos (desportos coletivos, como o Futebol; desportos de combate, etc.). A reação imediata foi: "Sou completamente contra isso!". Ao que se seguiu mais à frente outra "interessante" demonstração do espírito de abertura, evolução, aprendizagem e progresso que caracteriza os meandros do "nosso" futebol: ´"Não vale a pena tentar-me convencer, porque eu tenho já as minhas ideias e não me desvio delas"  Lindo! Pergunto eu, porque terá sido que nos últimos anos, praticamente nenhum jogador de relevo apareceu formado nas academias do clube em questão…?  Quando eu lhe perguntei que opinião tinha então sobre o abundante trabalho de força que é feito na NBA e na NFL, respondeu: “Aí Joga-se com as mãos!”… Mas então imprimir aceleração numa bola com os pés não exige força como exige imprimi-la com as mãos? Então a bola move-se com o quê?... Com o vento que lhe dá… Ou com a força que lhe exercida com o pé?... Enfim!... Além de que correr, arrancando, acelerando, desacelerando e mudando de direcção, tanto acontece na NBA, como na NFL ou no Futebol europeu! Acções motoras estas que exigem MUITA força! Posteriormente, terá ainda argumentado que, para não perder tempo, o próprio aquecimento é feito com bola"

Importa referir que é errada a premissa de não abertura à evolução e à aprendizagem. Na verdade há esse "fecho" com quem se percebe que não tem nada de útil para trazer. Porque o espírito para ouvir quem acrescenta é cada vez maior. E percebe-se que debater o que quer que seja que envolva futebol com o treinador de cross trainer é uma perda de tempo, quando à resposta "ai joga-se com as mãos" surgem conceitos físicos. Quando a diferença é da habilidade motora que é requerida ao praticante. Não se relaciona com capacidades físicas / condicionais. Voltamos à frase de Valdano sobre Maradona...

"Se 15 ou 20 minutos diários a aplicar numa rotina de força, que poderia marcar uma acentuada diferença para com os adversários, era logo muito tempo perdido... Então pergunto eu, para que continuam actualmente os treinadores de Futebol a incluir sessões de alongamentos e lanços de corrida rápida nos treinos…? Ou nem isso já é bom fazer p'ra "não perder tempo"? LoL… Dá que pensar… Os comportamentos técnico-táticos são de facto os que mais demoram a adquirir e aperfeiçoar, mas também os que mais demoram a "desaparecer". Por isso mesmo, a "condição física" deverá ser a primeira preocupação na retoma de qualquer temporada. Eu sei.. Eu sei... Tenham calma! LoL.. Conheço toda a teorização que sustenta o ultra-famoso conceito da "periodicidade tática" tão falado desde a "coroação" de São Mourinho... LoL... É certo que foi o melhor do mundo e continua até actualmente, em minha opinião, a sê-lo. Mas ser o melhor, não é nem nunca para ninguém será “SER PERFEITO”! Há que lembrar "certos pormenores" como o facto de quando esteve a trabalhar em Itália se ter visto "obrigado" a ceder e "deixar" os seus jogadores praticarem a "tradicional musculação", quase diária, que já é praxe das principais equipas Italianas. Penso que nem tudo ao mar nem tudo à terra. Quem não se lembra de Roger Spray no Vitória de Setúbal e no Futebol Clube do Porto? O homem que, sendo preparador físico, marcava mais a diferença nos clubes por onde passava do que os treinadores principais. Desde meter os jogadores a correr por serras e praias, com maquilhagem militar e a "berrarem" cânticos militares enquanto se exercitavam, até à execução de pesadíssimos treinos com halteres e barras olímpicas e “duras” sessões de sauna. Foram tempos onde a supremacia foi marcada pela elevação dos índices de condição física. Obviamente que a seguir a essa fase, como é natural pela forma como em sociedade as coisas costumam evoluir, surgisse uma fase diferente. Uma fase onde a supremacia viesse a ser marcada por quem se preocupasse pelos aspetos aos quais ultimamente se tinha vindo a dar menos importância e atenção. Surgindo pois então o conceito do Treino Integrado e posteriormente a Periodicidade Tática"

Portanto, o Roger Spry é um Deus da competência do futebol porque a malta pintava a cara e subia serras, e próximos só os treinadores de futebol que treinam atletismo ("lanços de corrida rápida")

As palermices são mais que muitas e o atrevimento, como lhe chama Vitor Frade não paga imposto. Curiosamente no mesmo dia em que após umas discussões parecidas, uma daquelas pessoas que acrescenta me havia dito enquanto troçava com outro atrevido "vê lá se fazes no clube um programa de pliometria para ganharem 29cm no jogo aéreo". 

Mas afinal porque desenterrei algo que não me suscitou qualquer valor?

É que hoje, dez dias após o tal texto, provavelmente por uma certa mágoa por não o ter escutado, ou comentado, passou a seguinte mensagem para um amigo que temos em comum "Sabe aquele artigo que escrevi motivado pela conversa com o seu amigo? Já me valeu 3 propostas de trabalho no Futebol! hahahahaha. Agradeça-lhe da minha parte!"

E isto é que é preocupante. Palermas que não conheçam a especificidade da modalidade há aos pontapés. Palermas a comentar proferindo atrocidades são mais que muitos. O preocupante é quando há palermas a tomar decisões, empregando outros palermas que coarctam as possibilidades de desenvolvimento dos nossos jovens jogadores. 

Palermice maior só mesmo crer que um mundo cheio apenas de bons decisores será um Mundo de futebol robotizado. Quando é precisamente o contrário. Robotizado é recebes dali, jogas ali, tu entras ali. Boa decisão é recebes dali, analisas o contexto e jogas onde as possibilidades de sucesso forem maiores.


Aos 4'11'' a resposta ao "what if he'd have missed?" O culto da decisão. Não por um homem, mas por Cantona.

31 comentários:

Roberto Baggio disse...

Uiiii. Pegaste pesado chefe. Mas é tão deliciosa a argumentação sobre o treino que... Mourinho sobre os picos de forma. A força que se diz ganhar no final da época, e aí já foste despedido. Não há Frade que salve este atrevimento.

Matsu disse...

Vítor Frade... O que aprendi nas aulas desse senhor... E as histórias que poderia contar! Grande!!!

JON disse...

Aqui há uns tempos, pela altura do mundial, li uma entrevista de um preparador americano, que trabalha para a selecção alemã, e que explica que faz treino de força e agilidade e resistencia adaptado a cada jogador. Monitorizam os jogadores no treino e vêem o que lhes falta e onde podem melhorar a parte física.

Acham isto assim tão errado?

Sou totalmente leigo, mas parece-me que um trabalho complementar pode ajudar, não? Não falo de fazer dos jogadores culturistas, mas sim de melhorar a sua condição física onde pode ser mais útil ao jogo...

Nice topic!

Pedro disse...

Andas a seguir a doutrina do Nuno "Entre 10". :) Esperemos a contra resposta.

Mas ainda há muitos treinadores, alguns muito apreciados por aqui, que preferem jogadores altos, fortes fisicamente e que inclusivê metem os putos no ginásio para ganhar massa muscular.

Miguel Pinto disse...

Excelente post Maldini!!! Claro que será sempre controverso mas cada um define qual a estrada que quer seguir. É obvio para mim que os ganhos da equipa serão maiores se desde a 1a hora a bola fizer parte dos meus exercícios de treino tendo sempre como referência a exacerbação do meu modelo de jogo. Guardiola também sentiu da parte dos seus jogadores essa necessidade do culto do fisico que ele classificava de efeito placebo. Isto na sua 1a época no Bayern. É a historia do café e do leite, se os jogadores estão habituados ao café temos que fazer o desmame lentamente para eles não estranharem, dar-lhes o leitinho aos poucos.
Não tive o prazer de ser aluno do Prof Vitor Frade (não sou licenciado sequer) mas já leio as ideias dele há mais de 10 anos e foi talvez a pessoa que mais me influenciou na maneira de olhar para o treino e para o jogo.

Abraços

Paolo Maldini disse...

JON, o que os alemães fazem não é encher. Nem tal faria sentido... afinal na selecção juntam-se de 2 em 2 meses. Portanto, impossível haver um planeamento nesse sentido. O tipo de trabalho deles é funcional e promove a propriceptividade. Por isso vês aquelas plataformas instáveis todas. Se reparares em Mullers, Gotzes e etc nc o perfil do jogador alemão foi tão "fininho" ... e tb criativo!

Mudaram o paradigma do físico há uns anos, seguindo o que se faz em Espanha e os resultados são claros. Portugal tem feito o percurso inverso.

nuno leão disse...

Maldini... vou te só dizer uma coisa. É por ti e por este tipo de artigos que acompanho este blog.

RuiG disse...

Bem... não sou treinador de futebol nem de crossfit mas dei-me ao prazer de ler os dois textos. A conclusão que tiro é que ambos serão competentes nas suas áreas de trabalha mas, como sempre no nosso país, "entrincheirados" nas suas convicções. Em vez de tentarem caminhar para zonas em comum, degladiam-se para manter a distância das suas crenças numa discussão pouco saudável. É pena. E lamento referi-lo mas acabas por perder uns quantos pontos devido ao recurso a epítetos como "palerma".

PedroF disse...

São posts como este e como o anterior que fazem deste blog dos melhores (top 2!) de Portugal.

Abraço, Maldini.

Josias Rodrigues Martins disse...

Uma dúvida... Não trabalhas com crianças? Não estão elas na idade de desenvolvimento criativo? Esse indivíduo é um oportunista. Não me a longo mais...

DC disse...

A do Roger "Spray" das serras está muito boa :P
Não percebo como é que ainda ninguém se lembrou de pintar a cara antes dos jogos importantes.

Paolo Maldini disse...

"serão competentes nas suas áreas de trabalha mas, como sempre no nosso país, "entrincheirados" nas suas convicções. Em vez de tentarem caminhar para zonas em comum, degladiam-se para manter a distância das suas crenças"

áreas diferentes, têm de haver distâncias, certo? queres o carpinteiro a discutir com o padeiro? q zonas em comum devem procurar...?

Benoit disse...

Brilhante Maldini...simplesmente brilhante...

Senti na pele entre 2004 e 2008 esse estigma e devorei tudo sobre Matveet para calcar ainda mais a minha posição quanto ao treino que realizava. Matveet para mim não servia mas necessitava de conhecer profundamente os seus fundamentos para poder rebater as criticas.
Como treinava GR estava sempre a ouvir umas bocas e o presidente do clube ficou desconfiado quando viu os GR fora das corridas até à serra, ou longe da caixa de areia.
Até no aquecimento para os jogos ouvia umas bocas pois na cabeça de alguns "meia dúzia de bananos e uns abdominais" e está pronto.
Na altura sentia-me um ET tal a forma como observavam minuciosamente tudo o que fazia.


Bruno Pinto disse...

"áreas diferentes, têm de haver distâncias, certo? queres o carpinteiro a discutir com o padeiro? q zonas em comum devem procurar...?"

Mas o que é isto?? E depois chamam palermas aos outros... Tu queres ver que o arquitecto não discute com o engenheiro... A observação do RuiG foi melhor que o texto, que também está muito bom, mas peca pelo fundamentalismo.

Paolo Maldini disse...

oh não, o ébola...

Bruno Pinto disse...

Bom argumento.

Bruno Pinto disse...

Ébola: um bom tema para análise. Colocar os médicos e os serviços de estrangeiros e fronteiras a trabalhar em comum.

Paolo Maldini disse...

7º parágrafo do texto

"pois na verdade cada vez tenho menos tempo a perder a falar de um desporto com quem nada sabe sobre ele. " acrescentando apenas um "mas pensa que sabe" que faz toda a diferença.

Bruno Pinto disse...

Não me ofendo facilmente com a imbecilidade. Mas fico preocupado quando constacto que os autores deste blog são treinadores. Gostava de poder saber o resultado do vosso trabalho, a aplicação prática das teorias que aqui defendem.

:)

Paolo Maldini disse...

ébola, seria melhor para o teu desenvolvimente pessoal, se gostas assim tanto de futebol e tens a pretensão a discuti-lo, que procurasses aprender qq coisinha em vez de quereres saber resultados de treinadores...

Bruno Pinto disse...

Não, o que eu gostava de saber é se todos os disparates que vou lendo (algumas coisas acertadas também), as teorias maravilhosas que, por vezes, se debitam por aqui, se produzem algum efeito prático, entendes? Não falei de resultados finais de jogos, parece-me que não atingiste patavina do que disse.

Mas se quiseres podemos falar de resultados. Do tipo: 3-0 do Sporting em Guimarães, numa exibição colectiva ridícula da equipa-modelo em Portugal. Vocês são os melhores teóricos do País.

Gonçalo Matos disse...

Bruno,

Ficas preocupado porquê e com o quê? Consegues-me explicar?

Bruno Pinto disse...

Gonçalo,

Metade dos meus comentários não são publicados. Fica difícil.

Paolo Maldini disse...

fodasse ébola, vais ser bloqueado só para não seres mentirso. Seres burro tolero, mentiroso, não. Onde é que tá isso da equipa modelo ser o Sporting? Do Benfica de Jesus já leste elogios sem fim, agora do colectivo do Sporting ser a equipa modelo...?

Vê lá se tenho de chamar o Nuno :)

Jose Castro disse...

"A gift. To the great God of Football"
Simplesmente brilhante. E a resposta à pergunta ainda foi melhor: "You have to trust your teamates. Ever. If not you are lost".
Cantona um mago, um grande jogador, le enfant terrible mas Le Roi de Old Trafford.
A tomada de decisão take a chance e deixa a bola fluir e seguir o curso dado pelos teus pés. Não forces,joga com inteligência, arrisca e torna-te uma lenda, mesmo que seja.no teu bairro. Porque o futebol é isto, é um sonho de um miúdo que só quer fintar todos e marcar o golo, como se fosse a coisa mais importante da sua vida.
Cantona és e serás sempre o rei de Old Trafford e um dos jogadores mais geniais de sempre.

RuiG disse...

"áreas diferentes, têm de haver distâncias, certo? queres o carpinteiro a discutir com o padeiro? q zonas em comum devem procurar...?"

é óbvio que sim... temos é sempre a opção de lutar para manter a distância ou tentar encurtá-la recolhendo alguns ensinamentos do outro lado. tem sido esta última postura que tem permitido muitos dos avanços científicos da humanidade. pegando no teu exemplo do padeiro e do carpinteiro, imagino que o processo de evolução do fabrico de moinhos teria sido bem mais moroso e ineficaz se não tivessem em algum ponto das suas carreiras tido umas quantas discussões e sabido recolher sugestões de parte a parte.

ricnog disse...

Maldini e bagio, existe um método de avaliação física que acho importante no futebol, no hoquei, no basquete, na ginástica artística ou até no culturismo. Fms faz uma avaliação das assimetrias da pessoa, para poder prever algumas lesões musculares. Este tipo de ferramenta, não é ainda muito usada, mas penso que esta com pernas para andar, pela sua qualidade e capacidade de sucesso.
Vocês conhecem? Acham que não é bom utilizar isto pelo menos numa fase inicial? Em termos de transfer para as modalidades não ha, directamente. Mas se melhora e detecta desiquilibrios musculares e arranja formas de os corrigir, será interessante, não.??

Paolo Maldini disse...

sim, ricnog mt.

O SLB usa a CK (creatina quinase) para prever montes de coisas. Tipo À FM - o jogador está a X porcento.

Josias Rodrigues Martins disse...

O blog foi feito para quem gosta e aprecia o futebol visto de uma maneira 'mais inteligente'. Eu não concordo em algumas coisas que se publica, em termos de ideologias de futebol mas, respeito e aprecio a maior parte. Por isso, quem não gosta, que se afaste e deixe de encher os comentários com coisas super desinteressantes...
que nada de futebol tem!

No meu país existe um ditado... 'quem não gosta põe à borda do prato'...

PedroF disse...

Maldini e restantes autores, já não é a primeira vez que falam na creatina. De um modo geral, qual é a utilidade deste e outros suplementos desportivos no futebol?

Abraço.

Frigoliny disse...

Pedro F:

Eles não falam de suplementos. Falam de medições de uma enzima, a Creatinina Quinase, que é libertada pelo músculo quando é "magoado" (esforço intenso causa inflamação e ruptura de fibras). Essa medição é usada de modo a prever, e assim prevenir, lesões musculares de esforço.