terça-feira, 4 de novembro de 2014

Sair a jogar.

Super interessante chegar a Luz e ver em acção o que tinha acabado de ler aqui

"P. ¿Por eso siempre busca superioridad en esa zona, como poner a un lateral de mediocentro en la salida del balón?
R. Sí, porque con eso abrimos una línea directa al extremo y el que marca al lateral no sabe qué hacer. Eso se lo vi hacer al Bayern de Guardiola y al principio pensaba: ‘¿Dónde está Alaba? Ah sí, cerca de Ribéry en el centro del campo…’. Y me di cuenta de que eso es muy difícil de entender para el extremo que le marca. En otras ocasiones metemos a un lateral al medio cuando el balón está en el otro lado. Son soluciones de salida del balón ante la presión rival. Así, si un día no va una, ok, probamos otra."

Guardiola (ou Perarnau), no "Herr Pep" também fala sobre isso, e a solução para um dos problemas que tinha foi puxar o Alaba e o Rafinha para dentro, para continuar a ter superioridade no corredor mais importante, mantendo a largura de jogo na saida de bola.

Esta noite, principalmente na segunda parte, o Benfica saiu estranhamente "baixo", com Jardel ao meio, Luisão a direita e Samaris a esquerda, Enzo como referência central, mas com os laterais mais dentro do que seria normal e a não darem tanta profundidade quanto isso.

Muito estranho baixarem tanto as linhas para sair a jogar porque... se juntas as linhas e ainda por cima as apróximas da baliza, não estás também a chamar os defensores para te pressionarem em cima? Veremos nos próximos jogos se o que se passou hoje foi estratégico, ou vá.. adaptado ao adversário, ou se é uma nova abordagem a saida de jogo. Algo que não seria possivel com o Artur a jogar, o "avozinho" dá uma qualidade a saida de bola tremendamente superior.

Se conseguirem explorar mais o corredor central (o tal que é o mais importante), vão, tal como o FCP, conseguir um nivel de jogo bem superior ao apresentado até agora. 

5 comentários:

Roberto Baggio disse...

Desculpa ter feito um post em cima do teu... n te vi chegar..

GV disse...

Interessante, não tinha visto desta forma. A ver...

Cumps,

Blog de Portugal disse...

A vossa análise parece-me estar incompleta. E disto tenho quase a certeza.

Na época passada, penso que foi num jogo da Liga Europa que o R. Amorim, a 6, não encaixou no meio dos DCs, mas sim mais à esquerda, e decidiu conduzir a bola pela esquerda.

A partir daí para o resto da época essa ação foi muito repetida, o que me leva a acreditar que a equipa técnica do SLB aproveitou essa ideia para implementar um novo subprincípio na sua Org. Of.

A condução pelo lado esquerdo permitia (e permite) que o Gaitán venha para o meio e o lateral (ou seja, o Siqueira, na altura) projetar-se.

Ou então, com a equipa do ano passado, até podiam colocar o Siqueira não projetado (tal como o A. Almeida ontem) e o Rodrigo (ou Lima, caso jogasse com Cardozo) a cair na esquerda, tendo depois aí sim, a entrada do lateral.

Julgo que só o fazem pelo lado esquerdo porque no lado direito nem Maxi nem Salvio iriam beneficiar ao jogar mais por dentro.

No caso do jogo do Monaco, o lateral estar mais dentro ou recuado tem a ver com a incapacidade de o A. Almeida aproveitar as suas subidas.


Contudo, é provável que esta adaptação seja também para chamar o adversário. Mas acredito que a forma de explorar será através da qualidade de Enzo a ultrapassar linhas adversárias ou entrando por fora, pelo laterais, para depois a bola passar rapidamente por dentro (sobretudo Gaitan).

Rafael Antunes disse...

O futebol do futuro!!!! Uma ideia já muitas vezes difundida aqui e no PdB... Posições e funções variáveis!!!

"Se habla mucho de sistemas, porqué esto no exige profundizar, lo importante no son las posiciones de partida sino los desarrollos. Eso es lo que diferencia a un equipo de otro. Hay un momento defensivo y otro ofensivo. A partir de ahí hay unas evoluciones o desarrollos que marcan el estilo de un equipo, pero eso obliga a conocer mucho el fútbol. El sistema es al fin y al cabo, tan solo una fase fotográfica. Lo de los dibujos me es igual, ya que todos suenan más o menos a números telefónicos que a otra cosa. No creo que los sistemas como punto de análisis. Las funciones que muchos jugadores desarrollan sobre el campo nada tienen que ver con las posiciones de inicio. El fútbol es de los futbolistas, y los que mandan sobre el campo son los jugadores con sus intenciones", Juan Manuel Lillo.

Paradigma Guardiola.

Estou a roer unhas à espera deste livro... :D

Dennis Bergkamp disse...

True Story Rafael.

Então quando a bola está nos guarda redes consegues ver isso perfeitamente.

Já são poucas as equipas que saiem a jogar com (imagina em 4-3-3) a fotografia perfeita.

Ou o extremo está por dentro, ou os alas sobem imenso e o 6 baixa, ou o AV "pinheiro" baixa para pentear para os extremos.

A uns tempos, estava com uns amigos a analisar um jogo e a falar-se de triangulos e losangos e assim, e há um que diz "esta transição foi em Ursa Maior"

=D ridiculo até mais não, mas simboliza a dinâmica das coisas.

Felizmente isto está longe de ser matraquilhos.