terça-feira, 25 de novembro de 2014

Um pouco de Cristante e Jonas a quererem contrariar Vitor Pereira

"O ano passado vi o Benfica crescer, crescer, crescer... Neste momento, sinceramente, não sei se o Benfica tem muito por onde crescer. Há ali questões fundamentais que eu não estou a ver como podem ser resolvidas... por exemplo a posição 6... tinha uma qualidade enorme que permitia ao Benfica balancear-se de uma forma que agora não consegue" Vitor Pereira.

Vitor Pereira a partilhar uma visão muito próxima da que tem sido aqui passada. A diferença de qualidade individual ("enorme qualidade individual" foi como se referiu ao FC Porto) é grande entre os dois primeiros classificados da Liga portuguesa.

Contudo, o jogo da Taça de Portugal a trazer algumas boas noticias para Jesus.

Para além da cada vez maior confirmação de que Jonas, poderá ser uma espécie de Saviola dos primeiros tempos (alguém com aquela mobilidade, sobretudo na forma como baixa, mas também quando por vezes cai no corredor lateral, e percepção dos movimentos sem bola causa sempre embaraços nos adversários e garante mais caminhos para chegar à meta à sua equipa (as qualidades com bola são por demais evidentes)), surgiu Cristante. Com o perfil físico que Jesus idealiza para a posição, o italiano mostrou maior conhecimento do que é pedido no modelo de jogo encarnado a quem joga na posição de trinco. Fosse na articulação com a linha defensiva, ou na protecção à última linha, ou na forma pressionante como saía com bola no seu lado, Cristante mostrou qualidades na movimentação defensiva. Com bola ainda muito relacionado com as experiências anteriores de Liga Italiana ("é muito difícil mudar o perfil de um jogador" Vitor Pereira), na procura excessiva da profundidade, mas a mostrar qualidades técnicas sempre que o seu perfil de decisão se aproximava mais do que Jesus pretende no seu modelo. O italiano é um primeiro ano de sénior e terá muito tempo para crescer. Fica o registo de que não é fácil a miúdos afirmarem-se rapidamente num nível totalmente diferente, num jogo muito mais rápido, mas pelas qualidades que apresentou, Cristante acabará por ser o trinco do SL Benfica num futuro não muito longínquo. Assim Jorge Jesus continue como treinador.

14 comentários:

ricnog disse...

Jonas, sem dúvida trás muita qualidade. Cristiane terá qu e crescer como jogador, como se calhar cresceu matic. Neste momento jesus terá dificuldades em arranjar urgentemente um 6....!!! Mas acho que ainda pior serão os laterais (servem aqui para-o campeonato) e um central com qualidade...Luisao não dá. Para a frente lá desenrasca o benfica, apesar de menor a qualidade!!

Curiosidade de ver Cristiane a crescer e Jonas a ensinar a miúdos como jogar ali...

No.Worries disse...

Sinceramente não sei a quem possa interessar a opinião do Vítor Pereira, ex treinador das arábias, actual comentador da tv. A nenhum benfiquista certamente...
A posição 6 tinha uma qualidade enorme, mas no tempo do Javi Garcia, no tempo do Matic, no tempo do Fejsa, no tempo do Amorim, no tempo do André Gomes, etc. Nestes últimos anos foram tantos os nomes que passaram por aquela posição e o SLB continuou a ganhar.
A diferença de qualidade individual entre os dois primeiros classificados da liga portuguesa - SLB e Guimarães - é de dois pontos. E sobre o terceiro é de 3 pontos. E pos aí fora. São os jogadores que jogam, não os treinadores!
Sobre o Jonas acho que haverá poucas dúvidas. Quanto ao Cristante, e pegando no início do post, parece-me que o estou a ver crescer, crescer, crescer...

Paulo Dias disse...

O blog é falado hoje na última página no Record.

Unknown disse...

O Matic saiu do SLB em Janeiro e o Fejsa, maioritariamente, mas também o Amorin deram equilíbrio à equipa. Portanto, sem ter a qualidade do Matic, estou relativamente tranquilo em relação ao equilíbrio num futuro.

Gonçalo Matos disse...

No. Worries,

Se calhar enganaste-te na caixa de comentários e querias comentar no site da Bola, n?
Só um gajo mto casmurro não reconhece qualidade ao VP.
Já para não falar que a diferença de qualidade individual não se resume a 2 pontos. O que se poderia resumir a dois pontos seria a qualidade da equipa, com todas as variáveis.

José Fernandes disse...

o Cristante surpreendeu-me muito pela positiva... não tinha visto ainda nenhum jogo dele este ano e do que tinha ouvido não esteve bem anteriormente. o Jonas é craque... e até parece que o facto dele jogar faz o Salvio mudar o perfil de decisão... ainda teve 2 lances de cabeça em baixo e tentar fintar 3 ou 4 gajos sozinho mas de resto estava a jogar muito mais em equipa e com a cabeça levantada que o normal...
deixo aqui só um pensamento do "se"...
o que seria deste Benfica com
Oblak
Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira
Markovic, Matic, Enzo, Gaitan
Jonas e Rodrigo
reparem que é uma equipa "best of" apenas entre este ano e o ano passado...

PS. aos bloggers tenho uma questão: o que acham de Bruma? (já li nas etiquetas o que tem sobre ele mas acho que ainda não tinham opinião formada) pergunto agora por ele estar no mercado e no espaço de 1 ano passou de candidato a melhor jogador jovem a dispensável e uns burburinhos colocam-no na rota de 1 grande de Lisboa (com também Bruno Alves) ... parece-me um jogador tipo que exagera nos duelos individuais mesmo em desvantagem numérica constantemente.

R.B. NorTør disse...

Na questão da posição 6 do Benfica a verdade é que pela primeira vez em muitos anos quem chega tem de pegar de estaca. Javi Garcia chegou e foi ver como Katsouranis fazia, Matic chegou e viu como fazia o Javi, o Fejsa chegou e viu como fazia o Matic. A isto junta-se o bombeiro Amorim que faz o que for preciso (até porque veio a pedido quase expresso do JJ). Neste momento Fejsa e Amorim estão de fora, acho que nem sequer a participar nos treinos, o que só aumenta as dificuldades.

Para ir buscar as caixas de comentários d'A Bola, havia muitos por lá a chamarem coxo ao Matic no início...

João disse...

O Javi foi ver como o Katsouranis fazia? :S

Hélder Fernandes disse...

Só um aparte! A diferença entre os dois primeiros classificados não é enorme, é monstruosa! É que o Vitória ocupa a segunda posição! "Pormenores" à parte, sim é verdade, a diferença de qualidade individual entre Benfica e FC Porto é bastante acentuada! Grande blog este, parabéns!

Edson Arantes do Nascimento disse...

Acho que o Samaris também pode dar um bom seis.

GV disse...

Paulo Dias, o que diz o record?

Fiquei curioso porque adoro este blog!

As discussões mais acesas, uma vez por outra, fazem parte :)

Cumps,

Paulo Dias disse...

GV, é este o artigo.
Escrito por Pedro Adão e Silva na Record de hoje

Costuma-se dizer, com razão, que a "ignorância é muito atrevida". De tal forma que eu, que todo o conhecimento que tenho sobre futebol resulta da experiência de ver jogos vai para 40 anos(como disse Jorge Jesus "o que é conhecimento? Conhecimento é experiência") não hesito em escrever, contra toda a prudência, semanalmente nas páginas do Record.
Talvez, ao contrário do que acontece no resto da vida, a prudência não seja uma qualidade que deva estar presente em doses excessivas quando o tema é futebol. Lembrei-me disto a propósito da exibição de Salvio este fim de semana.
O argentino é um jogador que divide opiniões:não tanto entre adeptos de bancada(o que acontecia, por exemplo, de forma chocante com Cardozo), mas entre quem tem uma abordagem cientifica ao futebol, No blog "Lateral Esquerdo", um dos espaços onde mais se aprende sobre futebol, não passa uma semana sem que Salvio seja criticado.
Não está em causa o seu talento, mas o modo como o seu jogo desiquilibra a equipa.
Não é preciso ter muito conhecimento sobre o que é futebol para se perceber que Salvio abusa das jogadas individuais, que fá-lo muitas das vezes sem critério, buscando situações de 1x2, quando não de 1x3 ou até 1x4, o que leva a que tenha uma taxa de insucesso muito alta. No fundo, Salvio seria um jogador pouco eficiente - isto é, com uma fraca relação entre os recursos empregues e os resultados obtidos. Mais, a ineficiência de Salvio coloca a equipa em apuros, pois as suas perdas de bola obrigam os colegas a um esforço acrescido para o compensar.
É tudo verdade. No entanto, Salvio oferece coisa únicas ao jogo:é um jogador capaz de romper com a gramática exigida e previsivel que por vezes existe em excesso no futebol. Precisamos de jogadores criteriosos, capazes de introduzir racionalidade no jogo. Mas o que seria o futebol sem o atrevimento serpenteante de jogadores com Salvio?

GV disse...

Many thanks Paulo Dias!

R.B. NorTør disse...

João: tens razão pá, o Javi e o Katso nunca coexistiram! Mesmo assim o raciocínio fica meio certo se aplicarmos só à fase Jesus. ;)