segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O que é que Jesus e qualquer treinador vê mais que todos?

O modelo de jogo, obviamente. Como seria de esperar, Jesus, em jogos decisivos, a jogar sempre de acordo com a sua ideia de jogo. Sempre com gente que tem mais tempo de trabalho com ele, e que por isso, conhece melhor os movimentos ofensivos e defensivos da equipa. Sabendo-se que era um jogo onde o Benfica não ia ter muita bola, era vital que todas as peças fossem bastante competentes no momento defensivo. Talisca e Samaris com mais tempo de trabalho, e mais jogos, dentro da ideia de jogo de Jesus. Lima absolutamente fundamental dentro disso. Independentemente de marcar golos, ou não, ainda que seja avançado. O que mais importa para um treinador com ideias e um modelo bem definido nunca serão os golos ou as assistências. Mas sim o cumprimento individual das tarefas colectivas.

video

"Mas sabia que ele ia fazer as coisas melhor que qualquer um deles, principalmente quando a equipa não tivesse bola"

28 comentários:

Leão de Alvalade disse...

Baggio, desculpa mas não estou de acordo quando dizes que
"Jesus, em jogos decisivos, a jogar sempre de acordo com a sua ideia de jogo."
Não foi assim quando perdeu o campeonato para o Vítor Pereira, no jogo do Dragão, mesmo considerando o tempo e forma como sucedeu. Provavelmente aprendeu a lição, o que é um sinal de inteligência.

Roberto Baggio disse...

Leão de Alvalade, naturalmente discordo. Mas é assim a vida, cheia de discórdias.

Cumprimentos

PedroF disse...

O que é que o JJ nessa época fez diferente deste jogo? Defendeu de forma diferente? Preparou a equipa de forma diferente?

Sabes o que é que aconteceu de diferente? É que nesse jogo o chouriço que deu golo saiu dos pés do Kelvin e neste os chouriços sairam dos pés do Lima.

Pedro disse...

O meu apreço por JJ é por demais conhecido mas dou-lhe créditos por procurar, bastas vezes, explicar tacticamente as suas opções.
Percebo totalmente o que ele quer dizer com Lima e a opção que tomou. Posso não concordar mas percebo perfeitamente o que disse e reconheço lógica na justificação.

Daniel Martins disse...

Ontem bastava ter o Markovic no lugar do Sálvio e as coisas teriam assumido proporções mais interessantes, quiçá épicas... Este Porto colectivamente é do mais previsível que há. Faz anos que não tinha uma ida ao Dragão tão calma para o meu músculo cardíaco (excepção feita áqueles primeiros minutos em que a defesa do Benfica ainda não tinha calibrado a profundidade).

Baggio, concordo que o Lima neste momento é um jogador vital no Benfica, mas não seria preferível a qualidade e inteligência do Jonas em vez da maior rotina do Talisca?

Roberto Baggio disse...

Daniel, ficou evidente o que Jesus prefere...

Daniel Martins disse...

Estava a perguntar pela tua opinião, mas penso que fiquei a sabê-la na mesma :)

Miguel Pinto disse...

Para quem quiser fazer download do jogo

http://uploaded.net/file/ttj84b4t

Abraços

João disse...

«Sabes o que é que aconteceu de diferente? É que nesse jogo o chouriço que deu golo saiu dos pés do Kelvin e neste os chouriços sairam dos pés do Lima.»

Muitos não entenderão, mas é basicamente isto.

Daniel, não percebo a tua análise. Não foi por muito que a coisa poderia ter sido ao contrário.

J. Saro

Nelito disse...

Acho que a diferença entre o 2-1 de há 2 épocas e o 0-2 desta foi o chouriço do Kelvin ser desta vez do Talisca.

E ter Artur na baliza.

Benfiquista Tripeiro disse...

Acho engraçado que quando foi do jogo do kelvin o Jesus era uma besta, que defendeu muito, que meteu o Roderick, blá, blá, blá, que o porto é que mereceu, etc., etc..

Agora que o porto perdeu em casa com a mesma estratégia, já foi sorte do Benfica e tanto podia dar para um lado ou para o outro. Está bem Amélia.

Pelo menos estão a dar razão aos autores do blog. Foi preciso passar 2 anos e um jogo idêntico com resultados diferentes para verem a realidade.

Jesus, fica. A sério, fica.

Daniel Martins disse...

J. Saro, a coisa poderia ter sido ao contrário nos minutos iniciais, em que o Porto conseguia aproveitar a descoordenação da defesa em linha do Benfica. Depois disso, deve ter sido o jogo mais tranquilo do Benfica no Dragão, excepção feita ao jogo do ano passado em que já eramos campeões. O Benfica não teve mais jogo ofensivo devido a erros técnicos, porque as igualdades numéricas tiveram lá, assim como as alternativas de passe ao portador da bola. Se em vez de um Salvio a perder 10 bolas em 10 tivéssemos um Markovic (que alguns benfiquistas ainda acham que é inferior ao argentino), se calhar não se estaria a discutir a justiça do resultado.

Clarence Seedorf disse...

On topic: Continuo a achar que é triste, como portista, mas acima de tudo como amante de bom futebol, ver um plantel com esta qualidade individual a não ser aproveitado ao máximo. Também gostei, como de costume, de ver como o futebol-com-a-cabeça do JJ, que ganha pontos e mostra que o coletivo pode superar o individual. O facto é que nao acho preocupante o futuro do porto, pois acho que a margem de evolução é tranquilizantemente grande. Agora só o tempo dirá se se verifica ou não. Para bem do futebol, esperemos que sim.

Off topic p/ os criadores do blog: Finalmente arranjei um tempo pra poder ouvir o post que lançaram há um tempo "conversas de café". E, ao ouvi-lo, nao pude deixar de passar aqui e comentar o que achei da iniciativa. Achei espetacular na medida em que, naquele tom de entrevista/debate, pude, como ouvinte, aprender tal como aprendo aqui nos vossos artigos e divertir-me ao mesmo tempo.

Sem dar muito trabalho, não conseguiam fazer uma espécie de podcasts mais frequentes e, também mais curtos, para o vosso canal de soundcloud? Ou apenas a apresentação de um artigo na forma de podcast ou uma espécie de versão audio da discussão dos artigos que publicam e que possam gerar mais debate. Uma caixa de comentários dos autores, portanto. Fica aqui a sugestão, que gostaria mesmo de ver, pois em viagens, não há nada como ouvir um bom debate desses! Abraço a todos.

rredonda disse...

Penso que a grande diferença entre o Jesus e o Lopetegui é a imprevisibilidade que o jogo representa para cada um. O Jesus sabia claramente como o jogo iria decorrer, enquanto o espanhol apenas teria a certeza de que iria ter mais bola. Claro que nenhum deles poderia adivinhar o resultado mas JJ sabia muito melhor o que iria ser o jogo. Não só porque trabalha melhor a sua equipa e sabe o que ela lhe vai dar mas também porque este Porto é muito previsível na forma como ataca e como defende. O Jesus sabia que conseguindo sempre superioridade nas zonas de finalização ficaria com a tarefa muito facilitada porque o jogo do Porto passaria invariavelmente pelo forçar dos corredores laterais. Mesmo que os Portistas conseguissem ganhar os duelos laterais ficavam sem opções de qualidade uma vez que as zonas de finalização estavam vedadas e o modelo do Porto não proporciona grandes opções no corredor central. A equipa de Jesus é muito mais difícil de neutralizar e daí a tal incerteza maior de Lopetegui, para além da grande dependência ofensiva na existência ou não dos rasgos de Brahimi e da inspiração de Jackson.

Parece-me que este Porto terá sempre muitas dificuldades contra equipas com um modelo bem consolidado em que os duelos individuais se tornem menos relevantes, e é por isso que irá perder o campeonato.

OffTopic: Queria dar os parabéns aos autores do blog pela mudança de conduta na interacção com os leitores. Sigo o blog há muito tempo mas a arrogância e desprezo com que abordavam quase todos os comentadores (excepção aos 4 ou 5 "amigos") fazia com que nunca participasse. Fico muito feliz por terem percebido que com isso estavam a eclipsar as coisas boas do blog (que são tudo o resto). Saudações Desportivas

Paolo Maldini disse...

seedorf, curioso o teu timing a solicitar isso. Ontem, um pouco antes do teu comentário, sugeri ao Baggio e ao dennis fazermos uma cena audio p dar a nossa perspectiva do fcp x slb.

em principio esta tarde fica feito, e sairá logo q o baggio consiga organizar-se... provavelmnte ainda hj

PedroF disse...

Maldini, muito bom! Essa ideia é espectacular.

Abraço,

Miguel Pinto disse...

Baggio,

acho que nesta altura da época o slb é uma equipa que se sente mais confortável dando a iniciativa de jogo ao adversário, sendo este de um nível igual ou superior. O jogo com o fcp comprova-o.

Mais fácil se tornou a tarefa quando as mais valias complicam o seu próprio jogo colectivo ou tarefas como dizes. Braihmi foi disso o exemplo. Conseguiu ser o maior entrave à circulação rápida da bola que se impunha para criar desequilíbrios na organização defensiva do slb. Meteu na cabeça que teria que vergar o Maxi Pereira a qualquer custo e além do mais tentou fazê-lo em zonas recuadas e que, mesmo que tivesse sucesso no 1x1, ficaria logo de seguida condicionado pela cobertura tal era o tempo perdido nessa acção individual.

À excepção daqueles dois lances já aqui referidos em que o Oliver e o Herrera aparecem nas costas dos laterais do slb nada de muito mais significativo ocorreu de modo a fazer mossa na boa organização defensiva do slb.

Pobre Jackson que na 2ª parte deve ter tido um ataque de nervos tal era a indiferença a que foi votada pelos colegas! Quanto a isto só posso associar à falta de qualidade dos médios. Casemiro é vulgar, Herrera é vulgar e Oliver, apesar de ser um pouco melhor, acaba também por não conseguir jogar mais perto de Jackson porque falta capacidade posicional para que o jogo interior funcione, falta soltar a bola no momento certo de acordo com as movimentações feitas pelos colegas que dão apoio ao portador da bola. Claro que contra equipas com menos qualidade dá para ganhar. Contra o slb dá para perder tempo nas dinâmicas que o jogo requer para tentar superar a organização defensiva do adversário.

O slb teve sorte, é certo, mas foi competente quanto baste para este fcp embora ache exagerado os auto elogios que jj se encarregou de proclamar perante os holofotes da vitória. Mas também já será algo a que estamos há muito habituados a ouvir.


Abraços

Clarence Seedorf disse...

A serio? Excelente noticia! Ocorreu-me a ideia enquanto ouvia as primeiras conversas. Achei semelhante às conversas que costumo ter com os meus amigos: dao pra rir e pra aprender bastante.
Sugestão: podiam começar com ediçoes curtas e simples, do mesmo jeito que são os posts mais pequenos do blog (uma especie de tweets ahah). Calculo que nao deve ser facil voces arranjarem disponibilidade pra se juntarem todos, portanto fazerem-no com um ou dois intervenientes. Bom trabalho e abraço!

Dennis Bergkamp disse...

Seedorf,

O maior problema é não falar demais e conseguir dizer o que temos a dizer sem ficar um ficheiro gigante que depois temos a sensação de que ninguém vai ouvir :P

Isso e sermos interrompidos por "velhos do restelo" hahaha

Bruno Pereira disse...

Epá metam na conversa o lance que o SLB ia fazendo o 3-0!!! Mete o D'Artagnan, os 3 mosqueteiros e até índios!!! Mais aqui:
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.pt/2014/12/o-lance-mais-evidente.html

AMQ disse...

A utilização de Lima surpreendeu muita gente, da parte dos adeptos compreende-se, gostam é de ver fintas e golos mas fez-me confusão estar a ver um programa de antevisão do jogo e nenhum comentador desportivo equacionar sequer o lima para o onze titular, houve até quem defendesse que Jesus devia jogar em 4-3-3 com pizzi, enzo e samaris no meio campo. Nesse aspeto este blogue é um oasis no meio do deserto e basta ler o post do baggio antes do jogo que diz tudo.

PedroF disse...

Bergkamp,

Falem, homem, que a malta gosta é de vos ouvir em vez de ouvir os Rui Santos desta vida.

Berna disse...

Sim, falem à vontade.

Clarence Seedorf disse...

Sim, falem à vontade, que se se portarem bem ainda compro uma estaçao de radio pra vos por a debater em horario nobre!
Mas, sem brincadeiras, um podcast regular do lateral esquerdo seria espetacular para nós leitores! Apostem nisso, que um dia destes deixo mais uma sugestao que me lembrei, que me lembrei. Abraçe e acarditem qué psível!

João disse...

Daniel, mas achas que os dois golos do Benfica iriam surgir se repetíssemos o 20 vezes?

A maior mudança do jogo foi quando o Benfica fez 0-1 por motivos óbvios.

J. Saro

Bruno Pereira disse...

Tal como prometido, a análise do clássico:
http://orgulhosamentelampiao.blogspot.pt/2014/12/muito-pouco-benfica-no-classico.html

Canaine disse...

Balelas. O gênio da táctica tratou de não deixar o Porto construir a partir de trás com a sua tática 4-6-0 mas esqueceu as bolas nas costas da defesa. O jogo podia estar decidido nos 30 minutos iniciais a favor do Porto até ao momento em que o Máxi passou pela primeira vez a linha do meio campo para fazer a assistência para o primeiro golo. Podem jogar mais 20 jogos com esta tática que não vencem mais nenhum. Aconteceu muito mais por sorte do que por mérito. O Porto devia ter feito mais porque tem melhores jogadores, melhor equipa e apesar de tudo joga melhor.
Um abraço
Pedro

Daniel Martins disse...

J. Saro, na minha opinião o Benfica acabaria sempre por marcar. Se seria o primeiro a marcar é que já não sei. Em 20 jogos terias mais vitórias do Porto do que do Benfica, mas o resultado predominante seria o empate. A maior mudança do jogo foi quando a defesa do Benfica acertou com a profundidade, a partir daí o jogo ficou controlado.