terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Qualidade individual sem fim

É isto. Em praticamente todos os golos, os impulsos individuais do melhor onze da Liga.

41 comentários:

JON disse...

Continua practicamente a ser a qualidade individual do Porto a ganhar jogos, muito porque é isso que o treinador pede.

O mais doloroso de ver é aquilo que é pedido a Oliver, e que ele cumpre como bom miúdo que parece ser: lateralizar sempre!

Já vi várias vezes Oliver com bola no meio, hipótese de condução e atracção de adversário(s), soltar queimando linhas... E o que faz o rapaz? Usa a cartilha Lopeteguesca e espeta com a bola directamente no extremo.

Um desperdício.

PS: o Quintero anda a jogar pouco entre outras coisas porque o manda cagar ao monte e tenta quase sempre o passe frontal, seja no apoio ou na profundidade.

DC disse...

Jon e o Evandro então foi castigado de vez e já nem é convocado.

É uma pena este desperdício. Quando se olha para aquela jogada entre Quintero e Oliver parece por vezes que se está a ver um bocadinho de Messi e Iniesta.
E Danilo, hoje é melhor que Dani Alves.

Paolo Maldini disse...

Danilo e Alex estão nos melhores laterais do futebol mundial. e não é de hoje!

Artur Semedo disse...

o evandro está tapado pela omnipresença altiva do herrera!

JON disse...

O Danilo tem qualidades físicas e técnicas incríveis. Mas ainda demasiadas vezes se deixa iludir por colar-se ao extremo em vez de fechar junto ao central e abre ali clareiras. A cena é que ele como é rápido depois normalmente vai buscar o extremo que é solicitado no espaço vazio...
Mas pode claramente melhorar esse aspecto.

Paolo Maldini disse...

se lá continuar para o ano vai aprender essas coisas todas!

JON disse...

Estás a querer dizer que o JJ vai treinar o Porto?

Tomcat disse...

Como assim, Maldini, vai aprender no próximo o ano?

Henrique disse...

Maldini, não nos assustes :D

PedroF disse...

No 1º, Oliver a perceber por onde tem de ir, mas a executar mal, pois não consegue tirar o defesa do caminho. Tello a resolver.

No 2º golo, má decisão do Jackson. Facilmente punha ao lado e criava um 1x0. Deu golo, os adeptos estão todos contentes, mas em 10 remates daquela zona com o pé esquerdo só mete mais 1 ou 2. O mesmo se pode aplicar ao 5º golo.

Pedro disse...

"se lá continuar para o ano vai aprender essas coisas todas!"

HAHAHAHAHAHAHA

Mike Portugal disse...

O Evandro apenas foi contratado para o impedir de ir para o SCP (tal como o Gilas), por isso a sua utilização vai ser muito limitada.

Roberto Baggio disse...

Com a qualidade individual deles, não acho mau que ele peça as individualidades para resolver. O problema, para mim, é a não utilizacao do corredor central. O espaço entre os jogadores desse sector, que faz muita vezes que não exista ligação em org of e sobretudo em tran def.

Pedro disse...

Maldini,

E se JJ no fcp passar a "jogar" em 433 ?
:)

JON disse...

Baggio,

É óbvio isso e acho que toda a gente vê. Tem havido jogos, sobretudo CL, mais até em Bilbau onde o Porto fez a sua melhor exibição, em que ocorreu mais proximidade de sectores e o Casemiro deu sempre cobertura defensiva, a linha defensiva encostou na linha do meio-campo, e conseguiu-se uma aceitável transição defensiva.

Na Liga Portuguesa, ele manda os jogadores arriscaram mais e fazerem mais (ainda) campo grande e depois a transição defensiva é fraquinha. Os pontos perdidos pelo Lopetegui no Estoril foram culpa disto: desvalorização do adversário.

Com bola, o centro tem de ser o caminho preferencial. Mas ainda assim há melhorias face ao início da época. Neste jogo, fez entrar Rúben e Quintero e pediu jogo interior. Conclusão: melhorou a transição defensiva e o Rio Ave não meteu nem mais um ataque.

Roberto Baggio disse...

Discordo que o centro tenha de ser o caminho. Com aquelas alas fenomenais do ponto de vista individual, nos 1x1, 2x2, 1x2, etc (laterais e extremos ) no último terço eu tbm queria a bola sempre no corredor. Mas só no último terço, e com a devida ligação do meio campo caso fosse preciso.

Dennis Bergkamp disse...

O caminho tem de ser a variabilidade e a imprevisibilidade.

Solidificar para dar segurança e depois ir dando complexidade aos poucos.

Era um desperdício não aproveitar tanta qualidade "por dentro"

Rafael Antunes disse...

Reparem no gesto do Quaresma na jogada do Quintero... Aquele abrir de braços quer dizer muito!!!!!

Futebol Táctico disse...

Tal como disse o Bergkamp "variabilidade e imprevisivilidade".

É exatamente isso que penso. Alternância entre jogo interior e exterior, fazer a bola (e o bloco contrário) bascular de um lado para o outro, muitas linhas de passe (coberturas, apoios frontais, em profundidade, apoios laterais), jogadores próximos, tentativa de penetração tanto pelo corredor central como pelos corredores laterais. No último terço, talvez, potenciar as situações de 1x1, 2x2 ou 2x1 nas alas, no entanto prefiro atrair para o corredor lateral e explorar o corredor central. Com tanta qualidade individual, aliar uma qualidade colectiva aceitável, no mínimo, daria para ser campeão em Portugal e ir longe na Europa.

JON disse...

Rafael, aí tanto podes ter razão como não. O Quaresma seja qual for o modelo, seja qual for o resultado, a situação, ou o par de cuecas que traga vestido, levanta sempre o braço a pedir bola!

Rafael Antunes disse...

JON, concordo contigo...

Mas naquela situação não me parece que estivesse a pedir bola... A mim parece-me mais um gesto de inconformismo de alguém que pensa que tudo tem de passar por ele assim que a bola passa o meio campo, porque considera que é ele a solução para todos os males.

Mas aqui cada um tira as suas ilações... Uns verão uma coisa, outros outra.

Paulo Fernandes disse...

Para quando um post dedicado ao 2º classificado? :)

michael disse...

e quanto a parte de o Porto nao sofrer golos, também se explica pela qualidade individual dos defesas, ou depende mais da falta de qualidade dos adversários (sendo que numa liga, todos jogam contra todos, e na Europa me parece demasiado fácil desvalorizar os adversários... só quem nunca lá andou).

Um abraco

DC disse...

Sabes qual é o problema Rafael? É que já andam a dizer por aí que o rapaz entra e decide os jogos. Mas no Porto, em 12 ou 13 jogos, até agora conseguiu decidir um graças a um frango do Iraizoz. E ser decisivo de 15 em 15 jogos até o Kléber conseguia ser.
Andam a estragar a reputação ao moço porque não lhe passam a bola, é o que é. E o homem é tão importante como arma secreta como uma bisnaga.

Blog de Portugal disse...

michael, julgo que não é pretensão dos autores desvalorizar totalmente o trabalho do Lopetegui.

Mas podia ser claramente melhor. Se já se nota um pouco de evolução do início para agora, ainda se mantém um futebol muito lateralizado. A mim dá-me um grande sono, prefiro ver outros jogos.

Obviamente que não se pode explicar só pelos jogadores os poucos golos sofridos do Porto. Mas com tanta posse, mesmo que esta não seja objetiva, ficas mais tempo com a bola e o adversário ataca menos tempo. É o melhor que Lopetegui tem feito.

E claro, não é fácil a nenhuma equipa marcar golos no Dragão. Fora o Porto já sofreu golos em Lviv, Guimarães, Estoril, Alvalade, e acredito que irá sofrer em Bilbao. Por isso, mesmo com a incrível equipa que tem ao dispor, em jogos um pouco mais complicados há logo problemas.

Tiago Stuve Figueiredo disse...

Bilbao 0-2 Porto
Lille 0-1 Porto

César Santos disse...

Resumir o FC Porto de Lope ao talento individual é algo que não posso deixar de discordar e de lamentar, sobretudo, tendo em conta o entusiasmo à volta do Sporting de Marco Silva ou da compreensão para com o Benfica de Jesus.

Ora vejamos, Lope estará longe de ser um treinador perfeito, mas é evidente que a equipa tem evoluído sustentadamente, ainda que vá apresentando precalços aqui e acolá. Sejamos claros, dos jogadores que entraram no clube e no onze, quantos, de facto, eram indiscutíveis nos seus anteriores clubes? Martins Indi, um central completamente desvalorizado e expurgado de qualidades aqui no blog, era titular em Roterdão. Pessoalmente, acho que o FC Porto teria uma dupla prefeita se tivesse mantido Ota. Passemos a Casemiro, um jogador que fez 7 jogos em dois anos de Madrid e que está, claramente, em formação, tanto no que respeita aos posicionamentos, como naprópria dinâmica que tem que dar àquela posição tão específica. Oliver é um miúdo cheio de qualidade, demonstrando uma noção do jogo muito para lá da sua idade, mas ainda tem muito para evoluir, por isso, a questão de lateralizar em demasia o jogo não pode ser atribuída ao treinador só porque sim. Enfim, não duvido que o treinador lhe peça muito isso, mas também me parece claro que é preciso levar em linha de conta que um jogador não é um autómoto, a quem é atribuída uma única função. Ora, não me parece, de todo, que Lope seja um treinador que impeça os seus jogadores de tomarem as suas próprias opções. Aliás, quem teve disponibilidade de ir verificar o trabalho de espanhol, sabe que o treinador reconhece o lado caótico dos jogos e a importância dos jogadores poderem pensar por eles próprios tomando as melhores decisões para a equipa. Passando a Tello, ele que nunca jogou mais de 20 minutos de quando em vez no Barça, parece-me claro que o jogador ainda não entendeu bem quando partir cima e quando passar a bola. Por fim, Brahimi, ele que nunca jogou numa equipa que não lutasse para descer, e que até está a ter a sua melhor época de sempre, mas que continua demasiado agarrado à bola em certos momentos. O que eu quero referir om isto, é que Lope também é vítima da juventude e inexperiência dos seus jogadores, a que se junta a falta de minutos de jogo da maioria deles. Obviamente, é necessário mais capacidade de aproveitar o jogo interior, mas ambém não me parece um sacrilégio assim tão grande que Lope tente potenciar a qualidade de corredor que o plantel tem, até pelos laterais que dispõe. Ainda assim, o caminho faz-se caminhando e cm certeza que Lopetegui continuará a tentar evoluir a sua ideia de jogo e a potenciar o talento que tem à sua disposição.

Queria apenas lamentar que as análises que são feitas aqui no blog, no que respeita ao FC Porto, se limitem a evidenciar a qualidade individual dos jogadores e que continuem a martelar no treinador, resumindo o jogo colectivo de uma equipa à capacidade potencial individual dos jogadores, como se esses mesmos jogadores não fossem pessoas com vontades e desejos próprios, que se manifestam durante o decorrer dos jogos.

Não me interpretem mal, compreendo o apelo por Jorge Jesus, sem dúvida um excelente treinador de futebol, afinal de contas, alguns dos autores do blog identificam-se com o percurso do treinador lisboeta, que teve de partir muita pedra para chegar onde chegou. Mas também me parece de todo injusto não reconhecer outros bons treinadores, ou tentar fazer comparações com o actual do Benfica.

Cumprimentos

P.S.: Já agora, toda e qualquer pessoa minimamente perspicaz, sabe que JJ nunca saltará do Benfica para o FC Porto directamente, muito menos em épocas consecutivas. Se não o percebem, também não serei eu a fazê-lo. Eu não vi qualquer insuniação sobre isso nos comentários e quem o viu com certeza que ainda não percebeu que a intenção é apenas e só uma. Criar barulho, burburinho, nada mais que isso.

Zinedine disse...

Não sei se sai ou não, e saindo não faço ideia para onde irá, mas alegra-me a facilidade com que se afirma peremptoriamente isto e aquilo, ainda por cima chamando pouco perspicazes a quem tem a inteligência de se manter aberto a qualquer possibilidade.

Normalmente, quando uma afirmação começa logo com uma invectiva dessas, percebe-se facilmente não só que o autor se trata de um idiota, como também que provavelmente se tiver razão será apenas por casualidade.

De resto, gostava que o PM contasse um pouco mais do que julga saber sobre a situação do Porto na prox epoca.

Marco Morais disse...

Viram os primeiros 30 minutos? a dinâmica pareceu-me superior e com mais soluções a nível interior. Aliás, as movimentações interiores dos laterais chegaram a valer dois golos no jogo.

No princípio da época os extremos ficavam sempre colados à linha. Ontem, várias vezes, procuraram a bola no espaço central.

Aquela saída de bola é que pronto... mas mesmo assim já vi o Óliver ir buscar de lado e o ASandro a afundar.

Depois há o problema da pressão feita pelas outras equipas. Rapidamente a posse do Porto desce dos sessentas para os cinquentas.

GV disse...

Muita qualidade individual tem o Porto! O Lopetegui ainda não sei bem o que pensar dele... parece ter capacidade de gestão para um clube de dimensão mas parece ter umas questões de modelo...

Vocês estão mesmo a querer passar a ideia de que o JJ vai para o Porto? É lá!...

Se o JJ for para o Porto, com o plantel atual, há fortes probabilidades de fazer coisas interessantes...
Para o meu entendimento do sistema típico do JJ e num exercício teórico parece-me só faltar ali talvez um 6 mais ao estilo dele e um central que ponha a defesa a funcionar melhor e que saiba sair, mas se ele for mesmo para lá, pode ser uma questão de tempo para resolver isso...
Laterais, meio campo e ataque está muito bem servido... a dúvida para mim é só se o JJ poria a equipa a jogar em posse (que me parece a melhor abordagem para aqueles jogadores) ou se insistiria na vertigem... e que resultado isso daria... a ver, se for o caso...

O Benfica, nesse caso, teria a meu ver dificuldades em substituir JJ (não vejo quem esteja à altura e que queira vir, mas gosto de ser agradavelmente surpreendido) o que associado à, para mim, má gestão do plantel das duas ultimas épocas, pode ser complicado... a não ser que o scouting do Benfica tenha referenciados bons jogadores a bom preço e/ou que surja uma estranha capacidade de investimento...

Vá partilhem lá isso! :)

Cumps,

Pedro Miguel Teixeira disse...

"se lá continuar para o ano vai aprender essas coisas todas!"

Esta frase do Maldini foi um enorme atestado de incompetência passado ao Lopetegui...

César Santos disse...

Caro Zinedine, aprecio imenso o seu gosto por futebol, porque Zidane foi de facto um dos maiores. Contudo, não me parece muito correcto entrar a pés juntos dessa forma. Sabe, nesta vida, existem muitos tipos de idiotas. Aliás, pessoalmente, que ninguém nos ouve, acho que todos nós acabámos por ser idiotes em muitas circunstâncias do quotidiano. Enfim, a vida é mesmo assim e quem não consegue realizar-se dentro da sua própria idiotice nunca passará da mediocridade.

Obviamente, JJ tem todas as condições de ser treinador do futuro, até mesmo na próxima época. Veja bem, o Mundo pode acabar amanhã. Naquilo que me diz respeito, as impossibilidades definem-se apenas e só a si mesmas, porquetudo resto é, para mim, possível, de uma forma ou de outra. Aquilo que me parece claro, tendo em conta o futebol actual, conhecendo aquilo que é o ecossistema do futebol português e até mesmo a figura de Pinto da Costa, parece-me pouco perspicaz considerar que JJ vai ser treinador do FC Porto na próxima época. Se se ofendeu com a minha expressão, lamento, porque não era essa a minha intenção. Por outro lado, a verdade é que costumo ter a tendência para estar errado a maioria das vezes, o que acaba por lhe conferir vantagem nesta discussão. Sim, porque se eu acertar é casualidade, mas se forem outros à acertar é brilhantismo.

Cumprimentos

P.S.: Já agora, se acha que qualquer personagem que por aqui vai pensando e discutindo futebol sabe alguma coisa daquilo que se passa no interior de uma organização como o FC Porto e, sobretudo, na cabeça de Pinto da Costa, talvez não fosse má ideia começar a tentar ultrapassar os limites da sua própria idiotice. Como eu tento fazer relativamente à minha.

João Marinho disse...

César já que não concorda que o porto vive do talento individual diga-me por exemplo o que acha do Porto em organização ofensiva e defensiva.
Zinedine se fores o zizou volta lá a publicar alguma coisa, pode ser que algúem se aperceba como são as coisas.

César Santos disse...

Caro João Marinho, nunca, em momento algum, disse que o FC Porto não faz do talento individual a sua principal arma. O que me parece de todo injusto, é resumir o FC Porto ao talento individual, o que tem sido feito aqui no blog desde o início da época. Nada tenho contra, afinal de contas, ao que parece, os autores do blog têm capacidade e experiência para saber do que falam, mas aquilo que me parece, é pegam num ou noutro lance dos jogos do FC Porto e discorrem a partir daí todos os defeitos da ideia de jogo do treinador. Eu consigo compreender que não tenham tempo ou disponibilidade para seguir os jogos durante os 90 minutos de uma só equipa, mas também não me parece correcto usar dois ou três lances e fazer juízos de valor de toda uma equipa. Para além disso, acho ainda menos correcto escrever-se que se fosse JJ ou Vítor Pereira, por exemplo, que este conjunto de jogadores já conseguiria golear todos os adversários do campeonato a fazer o pino. O treinador do Benfica, por exemplo, no ano passado tinha também muito talento individual à sua disposição, mas a verdade é que foi eliminado da Champions e o campeonato esteve muito difícil até Janeiro, momento em que se começou a perceber que Paulo Fonseca não estava, de todo, preparado para o cargo que tinha. No caso de Vítor Pereira, basta pensar na sua primeira época, em que também tinha bastante qualidade individual à sua disposição, faltando-lhe apenas Falcao. Obviamente, podem-me dizer que aí entra a questão dos jogadores desse balneário quererem sair. Mas isso é o lado humano do jogo e também deve entrar nas contas quando se analisa este FC Porto de Lope. Mesmo na segunda época de VP, onde a qualidade de jogo foi, de facto, brutal, lembro-me bem do jogo em que ficou claro qual seria o futuro de VP. No Rosadela, pese embora a paragem cerebrl de Defour, a verdade é que a equipa foi completamente dominada, mesmo quando estava com 11. VP preparou mal esse jogo, depois de ter brilhado a grande altura no jogo da primeira mão. Se é justo que apenas um só jogo defina o futuro de um profissional? Acho que não, mas é o que é e o próprio VP também já referiu que a decisão de sair também foi muito dele, porque não se sentia bem com a pressão dos adeptos. Enfim, ainda hoje, muitas vezes, demonstra algum enfado quando refere a massa associativa do FC Porto. Consigo compreender que seja sempre mais dificil perdoar os nossos, quando nos maltratam, mas enquanto profissional, que VP não se cansa de repetir até à exaustão que é, já deveria saber que nos grandes clubes é mesmo assim, faz parte da função, tal como JJ bem o saberá.

O que eu quero dizer com isto tudo é que as coisas não são assim tão simples quanto parecem e, muitas das vezes, um colectivo não é a soma das individualidades que o compõe. Ora sendo certo que o FC Porto de Lope ainda vive muito do talento individual, sobretudo, ofensivamente, resumir os resultados da equipa a isso é um exagero, porque a equipa denota uma ideia de jogo e demonstra consolidação de princípios de jogo. Mesmo que muitos esperassem que a equipa estivessem a um nível superior por esta alturam, para mim também é claro que é preciso não esquecer que a mioria dos jogadores para além de terem de aprender as ideias do treinador, também têm estado a aprender aquilo que é ter de jogar regularmente de 3 em 3 dias. O lado humano do jogo também é importante, sobretudo, em pequenos pormenores. O talento individual, por si só, não define um grande jogador. E um treinador é muito aquilo que os seus jogadores conseguem ser.

Cumprimentos

Paolo Maldini disse...

César. Ponto prévio. Não disse, nem sequer quis insinuar que JJ irá treinar o FCP na próxima época, ainda que seja uma possibilidade em aberto decorrente do facto de no final da época ser um treinador sem clube.

A sua tendência para estar errado poderá estar relacionada com um certo atrevimento para tecer juízos desconhecendo contextos, não?

Isto para lhe dizer que não estaria a mentir se lhe dissesse que entre as personagens que vão aqui passando e por vezes discutindo, e que leram o seu comentário estão alguns ex-campeões nacionais do seu clube, gente que por certo já aplaudiu de pé agradecendo títulos e bom futebol (se de facto era o futebol que lhe agradava, porque não agradava a todos), entre outros que tentaram os mesmos feitos representando o FCP, mas não o conseguindo.

César Santos disse...

Caro Paolo Maldini, nunca disse que quis insinuar o que quer que fosse. Aquilo que se passou, é que o discorrer dos comentários levou a que alguém deixasse qualquer coisa no ar e nem sequer estou a dizer que foi de propósito. O problema está na cabeça das pessoas, não em quem atirou para o ar. Isso faz parte da vida de um blogger, que sabe do poder que acaba por ter na proliferação de uma determinada ideia, sobretudo desde o advento da Internet e das comunicações em tempo real, mesmo que para isso não tenha de afirmar peremptoriamente o que quer que seja.

Quanto ao facto de estar errado a maioria das vezes, não posso fazer muito, é o que é, ainda que tente sempre pensar e repensar sobre um assunto antes de tecer qualquer tipo de juízo. No que respeita ao contexto, no caso específico do FC Porto, julgo que me posso achar no direito de o contrariar e afirmar que conheço perfeitamente o contexto do clube. Clube enquanto realidade sociológica, que vai muito para além da equipa de futebol profissional.

Por fim, se afirma que tem ex-campeões por aqui a comentar, só posso saudar e afirmar que o conhecimento deve ser sempre partilhado. Nessa medida, se as pessoas se prestam a partilhar o conhecimento, agradeço e faço votos para que muitos mais o façam. Agora, também sejamos claros, se à partilha de conhecimento não se junta vontade de o discutir, pois que façam como fizeram com o outro blog que também gostava de seguir e tornem-no exclusivo para convidados. Teria pena, mas apenas demonstraria que não gostam, nem percebem de futebol. O fenómeno futebolístico não pode nunca ser transformado em algo para elites, onde uns discutem e pensam, enquanto os outros se devem limitar à experiência de pagar bilhete para ir ao Estádio fazer número. Isso não é futebol. Não duvido que seja interessante, mas não é futebol.

Já agora, quando referi personagens, não o fiz no sentido pejorativo da palavra. Contudo, para que fique claro, que se substitua esse infame termo pelo de pessoas. Penso que será consensual para todos.

Cumprimentos

Roberto Baggio disse...

César, não fales à toa. Já chega. A sério. Se não sabes, se tens dúvidas, pergunta.
o blogue, o outro que falas, fechou.

JON disse...

César,

Quem falou em tentar resolver quase tudo com base em qualidade individual fui eu, não foram os bloggers. O Baggio, pelo menos, até tem sido mais benevolente que eu com o Lopetegui, se calhar porque como sou adepto, cobro mais.

Óbvio que não é tudo mau. O Lopetegui tem feito algumas coisas boas, outras muito boas, e outras incompreensíveis, pelo menos para mim.
A gestão do caso Quaresma tem sido de mestre, por exemplo. Ele sabe que não o pode simplesmente meter de lado, pelo peso que ele tem nos adeptos e mesmo pela capacidade que tem para poder minar um balneário...

Concluindo, e falando do jogo do JL, não é tudo mau, nem é tudo bom, como é óbvio. Fazendo um balanço mais frio, até ao momento, acho que a apontar ao Lopetegui há apenas o facto de ainda não ter percebido a realidade portuguesa, segundo a qual não se ganham jogos "simplesmente" metendo a carne toda no assador, como ele tentou fazer no Estoril e com o SCP em casa. De resto, tem coisas no modelo que não gosto, mas acredito que seja ideia dele melhorar algumas delas, pelo menos.

César Santos disse...

Caro Roberto Baggio, repara que não tenho dúvidas nesse caso concreto. O blog estava aberto à comunidade e eu devo confessar que gostava de lá passar porque o autor ia partilhando o seu conhecimento, o que me permitia ir aprendendo sobre o sobre aspectos que não domino, como o treino, o modelo de jogo e suas dinâmicas, bem como análises mais específicas a equipas que não tenho por hábito acompanhar. Um dia deparei-me com um aviso de acesso restrito a convidados. Pensei que fosse algo momentâneo e fui tentando durante esse dia mais uma ou outra vez. Como nunca mais tive acesso, parei de tentar. Se depois o fecharam, isso já não sei. Mas, inicialmente, o acesso estava restrito a convidados. Enfim, não me interpretem mal, não estou contra os autores do blog, aliás, vou seguindo com atenção e aprendo sempre alguma coisa nova com os vossos posts. No caso que chamei à atenção, referindo-me ao FC Porto de Lope fi-lo com a melhor das intenções.

Cumprimentos

Paolo Maldini disse...

César, o contexto referido não era o FCP, era mesmo o que se passa e quem passa aqui no blog

"Já agora, se acha que qualquer personagem que por aqui vai pensando e discutindo futebol sabe alguma coisa daquilo que se passa no interior de uma organização como o FC Porto e, sobretudo, na cabeça de Pinto da Costa, talvez não fosse má ideia começar a tentar ultrapassar os limites da sua própria idiotice"

Teve a sua piada ler isto, porque até foi um treinador campeão no FCP que me disse há 4 dias atrás, algumas coisas sobre o que acontecerá no final da próxima época! E não, para que fique claro, não referiu q JJ iria para o FCP!

César Santos disse...

Pois, caro Paolo Maldini, por aí estará em vantagem, porque não conheço pessoalmente nenhum ex-treinador do FC Porto. Agora, muito sinceramente, no que respeita ao advinhar o que se vai passar no final da época e, sobretudo, saber o que vai fazer Pinto da Costa, parece-me claro que a credibilidade dele será tanta como a minha, ou a sua, ou a do Zé dali da esquina. Aliás, sendo ele ex-treinador, ainda para mais Campeão, com certeza que também lhe disse que o mais provável era não acertar em nenhuma das suas previsões, isto porque conhece Pinto da Costa e, por consequência, a sua forma de trabalhar.

No que concerne a JJ, obviamente, que não treinará o FC Porto, até porque ele próprio não o quer. Se bem me recorda ele afirmou que o Benfica era o topo do futebol português e que não ia passar de cavalo para burro. Palavras dele, não minhas. Compreendo e aceito e, tendo em conta a sua teimosia, não me parece que tenha mudado de opinião nestes anos.

Cumprimentos