terça-feira, 6 de janeiro de 2015

"Aquece"



Independentemente da visão que se possa ter, é um momento delicioso. A Sociedad adianta-se logo aos dois minutos e Neymar manda Messi começar a aquecer.

O você. O que vê neste lance? Indisciplina, camaradagem, reconhecimento, boa disposição...? A caixa de comentários está ai.

18 comentários:

... disse...

Honestidade futebolística.

Dennis Bergkamp disse...

Se existissem mais cameras, muito mais momentos deste tipo se ia encontrar.

Para os "cegos", é normal que isto seja interpretado como uma falta de respeito para com o clube - se estamos a perder estamos todos com cara de lixados a ver se damos a volta a situação -

E é um bocado isso como é óbvio, mas quem se senta nos bancos ou por perto deles sabe perfeitamente que este tipo de coisas acontece muitas vezes, sem que mal nenhum venha dai.

Ser substituido e ir cheio de azia para o banho, sem ficar a ver que o colega que entrou fez com que a equipa jogasse 111232323534534 vezes melhor... é bem pior ;)

DC disse...

Eu vejo entendimento do que é o Barça hoje: é Messi.

João disse...

Não digo que é indisciplina, mas talvez um toque de reconhecimento a Messi e falta do mesmo ao treinador.

O jogo não era a feijões, era importante o Barcelona vencer. Com este pequeno gesto, não está Neymar a reconhecer que não tem confiança no colectivo, mas na super estrela da equipa?

Bergkamp, não acho que deva-se estar com cara de enterro, mas o ideal é ter os jogadores interessados no melhor da equipa do momento. Lembro-me de várias vezes o Aimar no banco com o Benfica a perder (ie: 2ª mão PSV em 2011) e parecia um treinador "com as orelhas no ar" a observar ainda mais o jogo. Óbvio que este é mais um jogo do campeonato e num momento cedo do jogo, mas acho que é possível interpretar alguma distância para o facto de o Barcelona estar a perder.

J. Saro

PS: Já agora, houve alguma razão para estas alterações no Barcelona? Qual foi o motivo para deixar 3/4 jogadores titulares no banco?

Dipeca disse...

Pessoalmente, tb não acho nada de especial este gesto e sim, desde os distritais até aos pros, quem está no banco está mais relaxado, é normal. Era bem pior se isto fosse aos 90+2.
Agora, se fosse Piqué e Alves, isto era logo caso para castigo, pq os media iam apertar com esses, não tenho dúvidas.

Rafael Antunes disse...

Eu vejo:

- Boa disposição. Será aceitávél perante um golo sofrido? Para uns sim, para outros não...

- Alguma ironia.

- Mas também humildade de uma super-estrela reconhecendo a importância do Anticristo... ahahaha

JON disse...

Ainda hoje disse à minha mulher o mesmo:

"Aquece. Vais entrar..."

João disse...

Uma outra abordagem: obviamente que o impacto é diferente pelo momento. Se isto acontecesse num jogo há 4 anos com Guardiola, não haveria segundas interpretações. Mas neste momento pode dar azo a várias sobre a confiança na equipa de Luis Enrique.

J. Saro

Leão de Alvalade disse...

Maldini,

há aqui mais do que uma coisa. Desde o inigualável humor brasileiro e até a uma certidão de óbito ao treinador. Quando os jogadores não acreditam nas escolhas é o principio do fim.

Roberto Baggio disse...

Para mim, maid que normal. Muitas vezes fiz o mesmo. Muitas vezes até dizia para os colegas, levantando-me, bem vou aquecer maltinha. Já tive jogadores a fazerem o mesmo, sobretudo quando o melhor está no banco. Acho normal, como disse o Bergkamp e o Rafael. Normalíssimo, até. E não é por aparecer na TV e ser do Barcelona que passo a reprovar.

O Maldini tem a mesma opinião de certeza. Não há indisciplina. É um momento giro. A surpresa foi é antes do jogo de certeza, quando ele anuncia o onze.

CR4 disse...

Quem joga ou jogou futebol sabe que é a coisa mais normal do mundo ouvir este tipo de piadas quando se está no banco.
Acredito que se este golo fosse nos minutos finais a postura seria diferente, mas aos dois minutos com o jogo todo pela frente não havia motivo para os jogadores estarem de "trombas".

Claro que os jogadores não são santos, e se pensarem que ficaram no banco injustamente e as coisas não estiverem a correr bem à equipa, por muito que queiram ganhar a primeira ideia que lhe vem à cabeça é que é bem feito para o treinador por não ter apostado neles.
Não é bonito mas é a natureza humana :p

B Cool disse...

Mais do que o que se passou aqui, foi o que Messi, fez, ou deixou de fazer, em campo, isso sim deveria ser motivo de reflexão dos dirigentes do Barcelona. E do próprio Messi. Como dizem os espanhóis, o desgano... Se calhar a coabitação entre o Messi e o Luís Henrique é impossível.

André Sousa disse...

Vê-se uma falta de tacto enorme do Luís Enrique.

Numa altura em que as coisas estão conturbadas, tendo aqui uma hipótese para recuperar, depois da derrota do Real, tenta marcar uma espécie de posição e senta os melhores.

Não se compram guerras com jogadores como o Messi. A esses, quase que o melhor é fazer o que eles querem. Tê-los do nosso lado. Mimá-los.

Perguntem ao Mourinho se ele achava mesmo o Ibra o melhor do mundo, quando estava em Itália...

O vídeo em si é banal. Eles próprios têm consciência daquilo que são. E é bonito ver a humildade do Neymar. A tal humildade que interessa. O reconhecimento perante uma superioridade. Não é a definição da treta que lhe costumam dar...

Gandaia disse...

Off-topic: Vítor Pereira é o novo treinador do Olimpyakos.

João disse...

Boa notícia Gandaia, preferia que fosse para uma das ligas mais fortes numa equipa de 2ª linha, mas ir para o Olympiakos sempre é bom para um treinador que precisa de firmar créditos.

Peço desculpa ao blog por outro off-topic, mas conseguem-me dizer se isto tem algum sentido? http://www.miragens.abola.pt/media.aspx?id=21175

Adivinho que quem aprecie a superioridade numérica se distancie logo da ideia desta estratégia, mas fiquei mesmo sem perceber o sentido da coisa... fora o tentar confundir (?!) a equipa adversária.

J. Saro

lj disse...

Messi sem treinador ha 3 anos; quase criminoso

Dennis Bergkamp disse...

E mm não tendo treinador.. Continua na luta por premios individuais =)

Edson Arantes do Nascimento disse...

Muito bom, parti-me a rir.

E, sinceramente falando (eu acho o Luis Enrique um treinador banal), não consigo retirar nenhuma ilação para além do momento divertido.

Deixo essas considerações para os admiradores da Casa dos Segredos.