domingo, 4 de janeiro de 2015

Centrais honestos e tomadas de decisão

A tomada de decisão continua a ser um bicho de sete cabeças. Para os mais incautos continua a ser complicado perceberem sequer o que é, quanto mais de que forma se expressa. Não importa quantas vezes Zidane explique que o seu futebol estava todo na cabeça. Haverá sempre os incapazes de perceber a complexidade do jogo que nunca lá chegarão. 

Num momento em que o jogo é do ponto de vista técnico e físico, cada vez mais equilibrado (longe vão os tempos em que só os grandes clubes treinavam), as tomadas de decisão surgem como um dos traços mais decisivos no jogo moderno.

Por tomadas de decisão, deve entender-se, as opções que cada jogador toma a cada momento (com ou sem bola). Para onde deslocar? A que velocidade o fazer? Que espaço ocupar? Para onde desmarcar? Quando soltar a bola? e para onde? Quando progredir com a bola?

Cada situação de jogo tem uma forma mais eficiente de ser resolvida. Tal não significa que optando pelo pior caminho, se estará sempre condenado ao insucesso. Tão pouco que, optando bem, se será sempre bem sucedido. Significa somente que, optando bem, está-se sempre mais próximo de ser bem sucedido.

Exemplo simples. Numa situação de 2x1, o portador da bola deve progredir com a bola no pé, no sentido da baliza, soltando a bola, no timing correcto (bem próximo do defesa), para que a bola saia para as costas do defesa. O passe deve ser efectuado para o espaço (e não para o pé do colega, por forma a que este não trave a corrida). Ou seja, de uma situação de 2x1, pretende-se passar para uma de 1x0.

Se em dez situações de 2x1, o portador da bola (no momento inicial, antes do passe), for capaz de as resolver dessa forma, provavelmente a sua equipa fará 8,9 golos, ainda que nenhum marcado por si (uma vez que acabará por fazer o passe para o colega de equipa).

Se na mesma situação, o portador da bola optar por driblar o defesa, e mesmo partindo do princípio que os seus traços individuais são bastante bons, provavelmente, em dez lances, marca 4,5 golos.

Os jogos em que, optando mal, se chega ao golo, são óptimos. Porém, em termos globais, a equipa sai prejudicada. Os 5 golos marcados dão notoriedade aos olhos do comum adepto. Mas, não são o que de melhor poderia ter dado à equipa.

Quem toma as melhores decisões a cada momento, tem a sua equipa, sempre mais próxima do objectivo (marcar, não sofrer, ganhar). Mesmo que não obtenha tanta notoriedade.

A situação descrita é uma situação de finalização, por ser de mais fácil compreensão. Porém, é importante perceber-se que as decisões se aplicam em todas as situações do jogo. Por mais banais que lhe pareçam. É que, para se chegar a uma situação de finalização, há todo um trabalho prévio, tão importante quanto o último momento (que nunca surge, quando a fase que antecede a finalização não é eficiente).

Numa equipa desorganizada, talvez seja interessante ter jogadores que, jogando só para si, sejam capazes de, tempos a tempos, criar algo. Num colectivo que se pretende forte, tal não faz sentido.

Tome por exemplo o lance que culmina com Carrillo a sofrer penalty. Situação de vantagem numérica abismal. Se o portador fosse Messi e não Adrien em 100 jogadas, Carrillo apareceria em 1x0 contra o guarda redes em 100. Adrien toma uma má decisão que impede o seu colega de fazer golo. (A imagem é retirada do blog Futebol Táctico). 


Percebe-se o bicho de sete cabeças que é este jogo quando alguém tem a capacidade de perante um lance destes escrever o seguinte:


O futebol é maravilhoso, mas na verdade envolve mesmo o uso da massa cinzenta. E quem não o faz não só não consegue entender o jogo como se expõe ao ridículo. 

Engane-se porém se pensa que tudo nas análises que se vão encontrando pela internet são lixo. 


Isto é ouro! Diz-se por aí que o Paulo Oliveira não rouba a carteira aos colegas, e como tal o Ronaldo está a um passo de autorizar a sua entrada no grupo...

46 comentários:

Roberto Baggio disse...

E se Adrien ataca o espaço, procurando o 3x2, e não o 2x1?

Honoris disse...

"Quando alguém se acha tão omnisciente que passa a decidir a forma adequada de fazer um passe ou um remate só podemos estar perante o Cristiano Ronaldo ou o Mourinho. Ou então não passa dum frustrado."

kkkkkkkkkkk

Paolo Maldini disse...

devia atacar o centro da baliza... ia chamar alguém a ele e depois era só escolher o lado. neste caso ia chamar o tal Rúben Fernandes, q é quem está ali pronto a sair a ele

Paolo Maldini disse...

como é óbvio se o central começa a afastar-se do meio, não se vai atrás dele para o fixar LOL abre caminho...é ir progredindo :)

GV disse...

Viva, bom ano para todos!


"não rouba a carteira aos colegas"
Ahahah

Cumps,

Roberto Baggio disse...

Então a seta é entre os dois defesas, e esperar que alguém saia :)

Paolo Maldini disse...

a imagem n é minha.

GV bom ano! ele é um central mt honesto!!!!!

Roberto Baggio disse...

Eu sei que não é. Estava só a discutir...

Anti-adrien disse...

Falam aí que no 2º golo o adrien teve mt bem pq abandonou o próprio ego pra deixar a bola passar pró companheiro!!

há q tempos q ando a dizer isso, qt menos ele toca na bola, melhor o sporting joga!! Este jogo, por incrível q parece, pois teve envolvido nos 3 golos, foi 1 optimo exemplo disso! apesar dos constantes e ridículos elogios dos comentadores, o sporting até jogou bem, pq a bola pouco passou pelos pés do adrien! marco silva, tá encontrada a receita, n desperdices!!! ;)

Qto à honestidade dos centrais, haveria mt pra dizer...infelizmente nada relacionado com futebol!! :P

Paolo Maldini disse...

anti adrien...

eu conheço-te e bem LOL

certo?

eras um central honesto? LOL

Lenhador Pai disse...

Gostava de vos ver comentar a relação entre a tomada de decisão e o conhecimento que cada jogador possui dos colegas que tem ao seu lado em campo. Saber quando passar a bola ao Manel ou ao João, tendo em conta que cada um deles fará coisas completamente diferentes assim que a receber. Antecipar que o João 90 por cento das vezes vai para cima do seu adversário e eu lhe devo dar cobertura, ou dar a linha para "tabela" ao Manel. Em suma, quando em tomo uma decisão necessito de saber com algum grau de certeza a opção que o meu colega vai tomar.

GV disse...

Com tanta honestidade ainda se esquece de roubar a bola ao adversário :)

Que troca de mimos por aí vai com um determinado blog...

Filipe Martins disse...

Ia perguntar porque continuam a dar importancia ao que escreve o Sweden....Depois vi que ele continua a postar coisas sobre o LE...Enfim o rapaz vai continuar a sofrer looool
Sobre o post está muito bom, talvez na parte do drible escreveria de forma diferente, pois o mesmo jogador pode optar por driblar ou passar, e obter uma elevada taxa de sucesso, porque mesmo fixando e atacando o espaço por vezes a melhor opçao poderá ser driblar (em 2x1), dependendo do comportamento que o defesa adopta e do espaço em que se encontram. Ou seja o mesmo comportamento de fixar e passar poderá não dar 10/10. Mas percebo a ideia.

Mauro Silva disse...

Por curiosidade, "obrigaste-me" a ir ler do tal blog em quetão. Devo dizer que não dou por perdido o meu tempo; afinal, deu para me rir um bocadinho.

Sinto-me futebolisticamente honesto (e o Luís Freitas Lobo não diria melhor)! :)

Marco Morais disse...

E aqueles gajos - como eu quando jogava (ui... já lá vão uns anitos)- que iriam para cima do central só porque têm o vício de ir para cima, e, depois, conseguem ver o companheiro pelo canto do olho (aqui nem seria preciso) e soltam?

Quando era miúdo nunca ninguém me explicou isso. Era uma questão de instinto, soltar para o que está melhor posicionado fazer o mais fácil. Mas lá está, a melhor tomada de decisão acontecia porque eu tinha o vício de ir para cima - e só depois soltava. Nestas situações é o melhor a fazer, mas o Adrien não tem essas características. Por nunca ter fintado uma árvore, ele não foi para cima mesmo que isso só servisse para ele assistir o colega.

Mas atenção, com isto explicado (como vocês são excelentes a fazer) acho que ele à próxima soltava.

Maddox disse...

no meu tempo a malta gostava era de centrais feios, grandes e maus. Agora é de centrais honestos... o futebol mudou muito muahahahahahahahahah

Paolo Maldini disse...

Filipe, completamente de acordo. Era o q dizia ai em cima nos comentários. Se o defesa abre caminho...n há que soltar! é ir até ao fim! Tudo depende da decisão do defesa.

e já agora, não é dar importância. Mas, quando não há ideias para posts novos, para não deixar isto morrer, aquilo é uma grande fonte de inspiração. Dá para fazer 30 textos com base nas teorias que ali se inventam...

"A escola de Cédric (porque domina todos os momentos de jogo, manifestando a importância de um jogador cumprir paulatina e tempestivamente todas as etapas formativas)" LOL que é isto? a importancia de cumprir paulatina e tempestivamente todas as etapas formativas? LOL que quer isto dizer...? os outros não cumprem todas as etapaas formativas? lololol é escrever por escrever... assim há sempre ideias para textos aqui!

Lenhador, sim. Mas, tb perceber que mt dessa decisão q falas (sem bola - ir dar cobertura, etc) poderá estar já "decidida" pelo treinador / modelo de jogo.

joaoh disse...

alguem sabe dar uma dica sobre onde ver os resumos dos jogos (na net, claro) depois da extinção do tvgolo...

joaoh disse...

alguem dá uma dica sobre onde ver os resumos dos jogos (na net, claro)? após a extinção do tvgolo, não há maneira...

Miguel Pinto disse...

Marco Morais, tenho a mesma opinião em relação ao Adrien, acrescento apenas que a mudança de velocidade também não é o seu forte (caso fosse o WC ou o JM ou até mesmo o AM aposto que conduziriam mais a bola até que um dos defesas saísse) e então decidiu passar logo com receio que o adversário pudesse pressioná-lo.

Por outro lado começo a gostar mais do Herrera (comparando os dois), só porque tem menos likes que o Adrien.

Ai o golo, esse epílogo que tem o poder de transformar jogadores triviais em autenticos MVP!

Hélder disse...

como é possível só ter descoberto esta pérola agora? isto é do melhor!!!

"Infelizmente as coisas não são assim tão lineares (nunca são), mas isso é o problema de analisar as coisas de forma geral (leia-se futebol da distrital), sem pensar na especificidade de cada caso (leia-se futebol da primeira divisão). Na distrital faz sentido ter esta opinião, onde substituir um trinco é normalmente mais fácil do que substituir um número 8. Basta ir à aldeia mais próxima buscar um matulão para destruir jogo, intimidar e ver o jogo de frente. Na ótica da distrital substituir um jogador destes não dá tantas dores de cabeça, mas descobrir na mesma aldeia um 8 com grande qualidade técnica para jogar mais próximo dos adversários, dentro do bloco e muitas vezes de costas para a baliza e detentor de grande criatividade para ter sucesso nos espaços curtos, pensar e executar rápido é praticamente uma tarefa impossível."

Mas este gajo já viu jogos da distrital? É que já vi na distrital alguns 6 que podiam ser 10. enfim...

Mas fiquei a saber que voces tem uma mentalidade de distrital e de futebol feminino. Nada mau, ser pago em bifanas e cerveja e dividir um balneario com mulheres... nada mau mesmo...

Guilherme disse...

O que não falta são fontes de inspiração por este mundo fora. Uma sugestao algo offtopic para futuros posts é a importância que é dada às estatísticas hoje em dia.

Basta ver a maluqueira que grassa por Inglaterra de que bastam as estatísticas para escolher os melhores jogadores e fazer uma equipa. Quando o melhor treinador do mundo (Pep) diz que não liga nenhuma a estatísticas, os Ingleses acham que percebem melhor o Jogo porque têm estatísticas hiper-complexas.
A malta não parece perceber que tem de perder tempo a ver jogos n vezes, muitas vezes a fazer para-arranca com as gravações para perceber o que se passa dentro de campo. Td porque os contextos mudam a cada fracção de segundo.

Um exemplo é isto:

http://www.theguardian.com/football/blog/2015/jan/02/art-goalscoring-football-statistics-aguero-bony

Com base em premissas erradas cria-se um meta-futebol completamente desligado da realidade. Tanto dinheiro e meios desperdiçados tudo porque as ideias base são màs.

Ja agora, obrigado por todas as ideias que nos trazem e um desejos de um grande 2015 a todos os autores do blogue!

Hélder disse...

AHAHAHHA

"Poder-me-ão contestar que Jesus também acha que Enzo é mais difícil de substituir do que Matic (Ver aqui). Trata-se principalmente de uma forma inteligente de mentalizar a equipa das dificuldades que se avizinham perante a proximidade pontual do F.C. Porto e de dar um aviso importante à direção sobre a perigosidade desta janela de transferência"

proximidade pontual do Porto? JJ, o mestre dos mindgames!

GBC disse...

Ali, se eu não fosse rápido em condução, acho que também metia logo no espaço... o Carrillo servido no espaço é seta, rapidíssimo, capaz de ganhar um avançado brutal para o defesa em 2/3 passadas.

Futebol Táctico disse...

Maldini, em primeiro lugar o meu mt obrigado pela referência. Depois explicar o porque de ter sugerido que Adrien atacasse o 2x1. Usando aquilo que respondi ao Baggio no meu blog. Admito que esteja errado, mas pareceu-me mais simples e eficaz jogar com o 2x1. Até porque há um jogador do Estoril a recuperar posição. Pareceu-me mais fácil, achas que é mais vantajoso jogar com o 3x2?

Paolo Maldini disse...

pareceu-me optimo Futebol Táctico! Por isso usei a tua imagem! abraço.

Paolo Maldini disse...

perguntaram o que é honestidade futebolista, olha a respsota:

"Não é treinador profissional caso contrário saberia, mas não custa explicar. Trata-se de um atleta que cumpre diligentemente com o que lhe é pedido e que sabe de antemão as suas limitações e das limitações da posição que ocupa e portanto não inventa. Há muitos defesas que não são “honestos”. Muitas vezes sabem das suas limitações e das limitações da sua posição (quando não sabem ainda é mais grave) mas não param de inventar e colocar a própria equipa em causa."


mas também explica o que é intensidade, e descobre fórmulas que graduam a decisão LOLOLOLOLOLOLOL

que paródia

Paolo Maldini disse...

Nas entrevistas que estão a ser preparadas a alguns treinadores profissionis, vamos inserir a pergunta "sabe o que é honestidade futebolistica?" LOLOOLOOLOL

Paolo Maldini disse...

GBC, a distancia do Adrien para quem o persegue é suficiente para progredir até fixar quem vai "parar para a contenção" Aquele lance tem de isolar o colega!

LGS disse...

Baggio, ao ver a imagem também pensei se não seria melhor atacar o espaço entre os centrais. Parece-me que assim teria mais opções e até poderia conseguir atrair e fixar logo os dois.

Agora na óptica dos defesas, dada esta situação com tanta inferioridade, o que fazer para tentar minimizar as chances de sucesso dos atacantes? Não vi o lance, se fosse eu tentava ir recuando para tentar evitar o passe mas tentado ainda assim reduzir lentamente a distância para o adrian convidando-o a tentar o lance individual e/ou remate em condições menos favoráveis para ele. Faz algum sentido? (Não sei se me expliquei bem...)

RS disse...

Eu não conheço nem uns nem outros, mas estas guerrinhas e mimos só vos (pessoas do lateral esquerdo) diminuem. Eu até gosto de vos ler, mas se é para isto... Vocês crescem por mostrar as vossas (boas) ideias, não por picardias estúpidas.

Gonçalo Matos disse...

Na minha optica e em relação ao procurar o 2x1 ou 3x2, se eu fosse o portador da bola, iria procurar o 2x1.

a unica razão é que para mim, seria mais fácil resolver o 2x1 que o 3x2, pela menor complexidade do 2x1 na tomada de decisão.
2x1 para mim era a situação mais simples de resolver, quando jogava. bastava correr em direcção ao defesa e soltar a bola quando o gajo se decidia a vir ao meu encontro.

Ricardo Cunha disse...

Eu vou deixar uma sugestão quer aos membros do blogue, quer a quem comenta por aqui:
No fim de cada comentário deixar qual a sua relação com o Futebol.
Se jogou/joga ou treinou/treina Futebol colocar a divisão mais alta em que jogou/joga.

Roberto Baggio disse...

RS, é a tua opinião. Mas que saibas que o blogue, para nós, não serve para nada mais do que nos divertirmos. e isto tbm é diversão. Agora, se representa algo mais para ti, isso já é ctg, certo?!

LGS, sim... Obrigar o gajo a jogar para o lado menos descoberto, onde haviam mais jogadores (amarelos) a chegar tbm era outra das coisas a fazer.

Hélder disse...

Sinceramente, se eu estivesse no lugar no lugar do Adrien fazia o passe logo porque:

1) a bola naquela situação queima
2) teria a honestidade futebolistica de perceber que, tendo dois pés esquerdos, era melhor passar a quem soubesse jogar o quanto antes.


Nairo disse...

Que blog é? Lol

Roberto Baggio disse...

Surge um novo artigo, "A sugestão é interessante e pode, na vida real, ser ministrada ao jogador numa tónica de evolução, mas se não tivermos em conta os protagonistas e suas limitações haverá sempre supostas melhores decisões do que aquelas que foram tomadas em situações de stress (leia-se jogo jogado). Até onde posso ir se não tenho em conta as particularidades e trato os jogadores como robots? Poderia sugerir que o Adrien mandasse um foguete ao ângulo em vez de conduzir e fixar? Ao Eusébio poderia, só que o Adrien não é o Eusébio. Pois. Ou então que passasse entre os dois oponentes à Ronaldo Fenómeno quando tinha 20 anos? Passe o exagero, esta analogia serve apenas para demonstrar que estamos a falar de seres humanos e que as suas virtudes e defeitos devem ser tidas em conta. Na minha opinião, e porque conheço os dois protagonistas, se o Adrien não tivesse soltado a bola arriscava-se a apanhar o Carrillo em situação de fora de jogo.

Bonecada sim, mas o treinador antes disso deve analisar e conhecer muito bem os seus jogadores para só então determinar a suposta melhor decisão que aquele poderia ter adotado. Isso obriga a deixar os PC’s e antes de ir para o relvado de tablet em riste pensar um bocadinho mais além."

Hum. Interessante é o mesmo que dizer que o elogio a inteligência da jogada foi horrível, certo? LOL
E o que dizer do foguete do Eusébio? E o passar pelos adversários como o fenómeno? E o futebol há 50 anos atrás, e há 20 anos atrás e o futebol agora? LOL

Mas já percebi! O que interessa mesmo é ir para o campo. Largar os tablets, o conforto do lar, a riqueza da análise, a clareza de pensamento, a percepção do erro para corrigir no treino seguinte, para vestir o equipamento de treino e mandar jogar. Sem ideias ou com ideias más, vamos é para campo. Aproveito e levo a minha família comigo e fazemos um lanche no relvado. é uma ideia, não é?

Como alguém disse, o tipo quer é ser do contra. Não há nada a fazer, sequer atenção a dar.

DM disse...

Análise turvada por algum cariz anti-sportinguista ou mais propriamente anti os executantes em questão.
Essa definição de tomada de decisão também é muito "fraquinha"... A tomada de decisão no futebol é tão complexa e geralmente há várias decisões corretas e não apenas uma.

Hélder disse...

"Aproveito e levo a minha família comigo e fazemos um lanche no relvado."

Deviamos era fazer todos um lanche com as equipas de futebol feminino!

Roberto Baggio disse...

outro paraquedista. o nuno é q tem razão. pensar-se que ler é saber o significado das palavras... enfim.

Hélder disse...

Pessoal, eu não quero insistir no tema da tomada de decisão, mas boas decisões era largar a net, o PC, ir para o campo fazer uma treino - como bem sugeriu o Baggio - mas com equipas de Futebol, Volei e Andebol Feminino.

Isso é que era uma optima tomada de decisão!

Mais uma vez reitero que isso é a minha ideia do que é tomada de decisão, outros preferirão talvez uma equipa de basket masculina, mas isso é com cada um....

Gonçalo Matos disse...

Eu pergunto me se as pessoas acham que os autores deste blogue são velhos do Restelo a mandar bitaites. Eles são das pessoas mais informadas sobre futebol a nível teórico e das que mais pensam sobre o jogo, quer quando analizam jogos, quer quando preparam treinos das suas equipas.
Basta ir ler artigos mais antigos deste blogue para se.perceber o quão a frente os autores deste espaço estão do comum dos indivíduos que gosta de bola. Quanto ao blogue do sr sweden, ele acha que uma mentira contada muitas vezes torna.se verdade. Pessoalmente não tenho tempo a perder com ele

Dennis Bergkamp disse...

Isto tornava-se uma conversa bem mais interessante se (realmente) fosse discutido se "esta maneira" de moldar as decisões (a que foi discrita no post) vai castrar ou potenciar a criatividade e como é que "decidir sempre bem" consegue jogar na mesma equipa que "criar algo novo/inesperado/diferente"

O passado ou futuro de quem discute é muito menos interessante que as ideias discutidas, e os cv's nao teem mais validade que a capacidade de argumentação.

DF disse...

Dennis, acordei cedo e como estou bem disposto tenho de vir aqui dizer umas coisas.

Acho espantoso que sejam vocês (neste caso tu) a afirmar "o passado ou futuro de quem discute é muito menos interessante que as ideias discutidas, e os cv's nao teem mais validade que a capacidade de argumentação."


E acho espantoso porque eu vos conheço do clube. É espantoso que um charlatão perca tempo e tempo em teorias de futebol amador contrapondo com o futebol profissional, e depois não consiga sequer perceber que qualquer jogador profissional (até amador!!!!) consegue sem dificuldade progredir naquela situação (sem oposição) mais 2,3,4 metros... ou pior, qualquer pessoa que já tenha pisado a relva, seja como jogador ou como treinador desmascara o charlatão quando este diz que havia o risco do Carrillo ficar fora de jogo se o passe não saisse logo. A sério?! Um jogador do lado de fora dos defesas com visão ampla não tem capacidade para não deixar cair em fdj naquela situação?! Um jogador profissional?! Como é que um gajo que acha que profissionais, internacionais, não são sequer capazes das coisas mais básicas no futebol que qualquer amador é capaz de fazer, pode querer falar de futebol e ser levado a sério?!

Mas, continuava eu.

É espantoso que um charlatão que se desmascara a si próprio por não perceber absolutamente nada de futebol (não é só o ser burro, que também o é), é mesmo o nem sequer ter lá estado, se não nunca diria tal atrocidade, chame a si louros de um curriculo inexistente e que vocês não o façam e continuem a afirmar que o que importa são as ideias.

isto quando entre vocês conto, fora o que não sei:

- Participação como treinador em derbys dos grandes!
- Participação como treinador em clássicos do futebol mundial (contra Real, n foi...?) em torneios internacionais
- Analista do Jorge Jesus nos jogos realizados na Luz,
- Campeão nacional
- Campeão distrital
- participação na liga dos campeões
- rabinho sentado no jamor e por mais de uma vez, com troféu ganho lá também!
- participação em nacionais
- tutor de estágio em futebol de uma universidade lisboeta
- observação para clubes da Premier League

Parabéns pelo trabalho aqui realizado.. É um prazer para mim conhecer 2 de vocês. Só não sei se me consideram um futebolista honesto! E como tal com possibilidades de ir para a selecção! Também não roubaria lá as carteiras!

Roberto Baggio disse...

DF, falta de facto muita coisa. Mas isso interessa para quê? Para mim, nada. Há gajos que ganharam a liga dos campeões e campeonatos do mundo e pouco percebem disto. Portanto...

GV disse...

Se me permitem,

O post do Maldini é mto bom (sem querer com isto criticar, tirava apenas as partes mais achincalhantes do já muito referido blogueiro).

A abordagem do Bergkamp parece-me ser 'A Abordagem' (incluindo tb a parte dos CVs vs argumentação).

A resposta do Baggio ao DF é muito boa.

Em todo o caso e não sendo o que me faz aqui vir, o conteúdo do comentário do DF é interessante e ler que falta mta coisa, ainda mais interessante torna.

Continuem! E se conseguirem rebater sem achincalhar o homem, melhor, a meu ver.

Cumps,