sábado, 10 de janeiro de 2015

Identidade. O que o Porto perdeu, e voltou a ganhar com Lopetegui.

Não pretende isto dizer que Lopetegui tem uma equipa da qualidade da que Vitor Pereira formou. Pretende apenas realçar que hoje, se o Porto jogar com a mesma cor que o adversário ficará vincada a diferença para o oponente nos princípios que o treinador tenta implementar. Com maior ou menor qualidade, o Porto recuperou a identidade dominante perdida no ano anterior.
O que se ouve de Vitor Pereira é o discurso que se deve ouvir em qualquer equipa que ambicione ser grande.Claro que a equipa deve ser competente em todos os momentos do jogo. Porém, é em organização ofensiva e transição defensiva que os grandes jogam na maior parte do tempo, e é sobretudo aí que a sua organização deve ser fenomenal. Qualquer treinador que vá para uma equipa grande ser pequeno estará mais próximo do insucesso. Por colocar-se ao mesmo nível dos adversários, e dividir o jogo. Saudades dos duelos entre Jesus e Pereira, ponto a ponto. É ouvir o que se diz e ver o quanto joga, aqui

12 comentários:

Gonçalo Matos disse...

estive a ver o plantel do Olympiakos e há lá jogadores com qualidade, como por exemplo o Affelay ou o Dominguez. Dos poucos jogos que vi do Olympiakos deste ano, houve mais um jogador que me ficou claramente debaixo de olho, como sendo o melhor da eqipa: o arménio Ghazaryan.

estou muito entusiasmado e espero ver esta equipa daqui a 1/2 meses. não tenho muitas duvidas que se VP mantiver o nível que nos habituou no Porto, vai ser campeão

Marco Morais disse...

Atenção, porque uma das coisas que ficou a faltar na 'era VP' - e que provavelmente aconteceria na 3ª
epoca - foi ser grande, a jogar fora, na Europa.

Não me esqueço de Paris e Málaga. E não me esqueço porque foi sempre uma das coisas que tem faltado ao Porto, desde Mourinho (AVB não jogou a Champs).

Aliás, este é o único ponto onde o Porto está melhor com Lopetegui do que estava com VP. A equipa fora joga bem melhor que no Dragão. Lille e Bilbao ainda não dissipam dúvidas, mas a identidade mantém-se quase completamente. Só na Luz (isto a falar dos chamados jogos grandes) VP se impunha declaradamente.

Não estou com isto a dizer que na ideia de jogo dele isso não estava previsto, nem que não deu condições aos jogadores para tal. Estou a dizer que não o conseguiu - por uma razão ou por outra. Esperemos que o faça no Olympiakos e bem cedo, para não haver dúvidas.

Marco Morais disse...

P.S. Ele continua horrível a comunicar.

José Lopes disse...

Só uma questão algo offtopic:
Só recentemente "descobri" este blog e fiquei surpreendido quando fizeram a comparação entre o mourinho e o JJ, portanto tenho duas questões:
-O mourinho continua a colocar pouca gente no processo ofensivo?(Não tenho visto jogos do chealsea)
-O mourinho continua a privar com um dos fundadores do blog?se sim porque que nao muda a sua forma de jogar xD?

GV disse...

Aprendi a apreciar a qualidade técnica do VP. O aspeto que mais aprecio é o facto de procurar jogar em posse, assumir a posse de bola como uma parte fundamental da ideia de jogo das equipas dele.
Acho-o tecnicamente bom, parece-me saber do treino e do jogo. Ainda não consegui ver nele outros aspetos que me parecem essenciais para o nível a que quer estar, e, evoluindo neles, penso que pode ter uma carreira a um nível alto; estou curioso para ver como evolui.

Os confrontos com o JJ revelavam, a meu ver, a tal equipa que procura assumir a posse (Porto) vs uma equipa que nesses jogos acaba por não ter tanto a iniciativa do jogo (Benfica).
Esta é para mim a característica que diferencia positivamente o VP do JJ (havendo outras em sentido inverso), que até é o nome de um saudoso blog, posse de bola!

Cumps,

LGS disse...

Baggio,

Com o campeonato a meio quanto tempo achas que o VP precisa para ter a equipa a jogar como quer?

Não sei como jogava o Olympiakos até agora mas se houver muito a alterar qual seria a tua abordagem: começar desde já a fazer alterações profundas e correr o risco de ter alguns maus resultados no inicio ou tentar ir fazendo as alterações de forma gradual e só tentar maiores mudanças na próxima pré-temporada?

Paolo Maldini disse...

José, um dos fundadores do blog é treinador do filho do Mourinho. Portanto, a resposta a essa pergunta é sim.

Roberto Baggio disse...

LGS,

"Com o campeonato a meio quanto tempo achas que o VP precisa para ter a equipa a jogar como quer?"

Não faço ideia...

"Não sei como jogava o Olympiakos até agora mas se houver muito a alterar qual seria a tua abordagem: começar desde já a fazer alterações profundas e correr o risco de ter alguns maus resultados no inicio ou tentar ir fazendo as alterações de forma gradual e só tentar maiores mudanças na próxima pré-temporada?"

Não sei... Não conheço a equipa nem os jogadores

JON disse...

Baggio,

Acho interessante esta comparação e acho interessante que tenhas várias vezes defendido o Lopetegui. Muita da malta que segue o blog, acaba exagerando as vossas palavras e fazendo dos treinadores deuses com varinhas mágicas... Coisa que vocês sempre tentam desmistificar, mas o pessoal esquece-se.

Isto para dizer que o Lopetegui não é nenhum rei, mas tem ideias claras do que quer e tem evoluído o modelo. Mesmo em termos de resultados, e sabemos como isso pode ser mentiroso, não fora ter pela frente um Jesus com apenas 1 empate e 1a derrota, e seria tido como um rei...

Conclusão: nem tudo é tão simples como parece. Um treinador não chega e em 10 dias implementa um modelo incrível... Muitos dos que hoje batem no Lopetegui, na primeira época do VP diziam que ele era um grande nabo...

Roberto Baggio disse...

JON, e mais... O Porto tem o melhor ataque, e a 2º melhor defesa (só superado pelo Benfica que tem menos um golo sofrido)... E na champions o segundo melhor ataque, e a 3º melhor defesa... Isso diz o quê? que se calhar até há ali trabalho. Pode não ser perfeito, mas tem trabalho...

Berna disse...

Continua horrível a comunicar?! Wtf

bio disse...

Suponho que esteja a falar do Vítor Pereira. I spik da tru!