sábado, 21 de fevereiro de 2015

Falta de oportunidades? "É no treino que têm de demonstrar".

Por certo que não há quem nunca tenha tecido considerações sobre a falta de oportunidades (em competição) que determinado(s) jogador(es) têm / tiveram.

O argumento habitual é sempre o de jogador X não demonstra qualidade porque o treinador não lhe dá a oportunidade de jogar. Se não jogar como pode mostrar credenciais? 

Quando se critica com base neste(s) argumento(s) o treinador, ignora-se porém, o mais importante de tudo. O treinador vê o jogador em questão jogar todos os dias. Muitas horas. A oportunidade para ter minutos em competição tem de ser ganha nos treinos semanais. Ai todos têm oportunidade de demonstrar as suas competências, mesmo que os adeptos não o possam ver. É falso que jogador X ou Y não tenha tido oportunidades. Têm-nas todos os dias.

Como todas as pessoas que apreciam futebol tenho as minhas preferências sobre as individualidades. Porém, nas equipas cuja organização colectiva é tão identificável é-me cada vez mais complicado criticar as escolhas técnicas dos treinadores. Naquelas que não se identificam muitos princípios e um jogar que se pretende comum a todos, é sempre mais fácil de arriscar com alguma probabilidade de não estar errado que jogador X deveria / poderia jogar em deterimento de Y porque traria isto ou aquilo à sua equipa. Contudo, em equipas cujos posicionamentos não são aleatórios, é complicado contrariar as escolhas do treinador. Afinal, as ideias colectivas são dele e ele melhor que ninguém saberá quem cumpre tacticamente o que idealiza. 

"É nos treinos que ele também tem de demonstrar o que nós queremos, não é meter onze jogadores em campo e cada um corre e joga como quer. Comigo as coisas não funcionam assim. " Jorge Jesus.

Muitos dos atletas que apregoam falta de oportunidade de demonstrar qualidades, estão errados. Tiveram a sua oportunidade sim, ao longo de toda uma época diariamente. Se não tiveram mais tempo na competição, tal é geralmente fruto de falta de qualidade comparativamente aos seus colegas, dentro das ideias que o treinador idealiza para o seu jogar.

Por isto, é totalmente compreensível que Marco Silva se lamente da ausência de Slimani. Num modelo de jogo preconizado por outrém provavelmente o argelino não teria muito tempo de jogo que não num possível plano B. Todavia, dentro das ideias tão claras que o treinador do Sporting tem para a sua equipa como se pode afirmar que a preferência por Slimani em detrimento de Montero é errada? Não é. O número de vezes que é solicitado o avançado centro no pé em apoio é tão diminuto que ninguém pode afirmar que Montero deve jogar na vez de Slimani. Sobretudo quando "Slimani dá mais profundidade e jogo áereo". 

Podemos discordar das ideias do treinador. Não podemos / devemos discordar das opções porque para aquilo que Marco Silva pretende, o treinador leonino que trabalha diariamente com todos saberá quem servirá melhor a equipa. Nas suas ideias.

11 comentários:

josé carlos disse...

Fantástico artigo. Isto acontece tantas vezes, mas mesmo tantas... Já agora, alguma referência especial ao Zidane na foto? Abraço.

Paolo Maldini disse...

nao, calhou ser o zidane

PicaretaLeonina disse...

Concordo com o que dizes. Mas a verdade é que as ideias do Marco nem sempre foram estas. No início da época tentava-se jogar de forma diferente, com falhas, mas um futebol diferente e para o qual o Montero seria bastante mais adequado que o Slimani. O problema é que isso foi tudo pelo cano e parecemos, mais do que nunca, o Sporting do Jardim na 2ª volta do ano passado. Com a diferença de esse Sporting, ao contrário deste, saber defender.

A jogar assim, é como dizes, Slimani é mais adequado às ideias do Marco. Ideias essas que o deviam encaminhar para o olho da rua no final da época, porque isto não é nada. Exige-se mais, muito mais. E eu esperava muito mais dele, mesmo sabendo que não é um treinador de topo. Mas não era assim que o Estoril dele jogava e não era isto que ele parecia querer fazer pela pré-época e no início da época.

Marco Mota disse...

Então expliquem-me lá porque é que às vezes os treinadores são obrigados (no verdadeiro sentido da palavra) a lançar jogadores porque os da posição não estão disponíveis e até os jogadores que adaptam a essa posição também não o estão, ou seja, estou a falar dum gajo que supostamente nem é melhor que adaptações e chega e faz 1 jogaço e a partir dali ganha o lugar e vai-se a ver é melhor que o titular, quanto mais que as adaptações. Exemplo: Debuchy deixa de estar disponível, joga sempre Chambers adaptado. E só quando estes 2 não podiam o Bellerin. Lembro-me também de há uns anos o JJ meter o Urreta com o Porto só mesmo em última instância e ele fazer um jogo muito bom e exemplos iguais a estes há muitos.

Marco Mota disse...

Então expliquem-me lá porque é que às vezes os treinadores são obrigados (no verdadeiro sentido da palavra) a lançar jogadores porque os da posição não estão disponíveis e até os jogadores que adaptam a essa posição também não o estão, ou seja, estou a falar dum gajo que supostamente nem é melhor que adaptações e chega e faz 1 jogaço e a partir dali ganha o lugar e vai-se a ver é melhor que o titular, quanto mais que as adaptações. Exemplo: Debuchy deixa de estar disponível, joga sempre Chambers adaptado. E só quando estes 2 não podiam o Bellerin. Lembro-me também de há uns anos o JJ meter o Urreta com o Porto só mesmo em última instância e ele fazer um jogo muito bom e exemplos iguais a estes há muitos.

Paolo Maldini disse...

nao percebi nada do que perguntaste Marco.

Picareta, eu n disse q n devias criticar as ideias... sobre a performance do MS a minha opinião é que n tem nesta época um 11 (mt) menos qualificado que o SLB... e em tudo o q o treinador controla está a anos luz do Benfica. A grande diferença está sobretudo nos treinadores (n só na parte defensiva mas tb e mt na ofensiva!)...na minha opinião, claro.

Gonçalo Matos disse...

Concordo com tudo o que dizes neste texto... Mas gostava de saber qual a tua opinião quanto às ideias do MS. Eu olho para o plantel e vejo muita gente com qualidade para procurar e desequilibrar no corredor central no último terço e faze-lo com bola junto à relva.
A única explicação que encontro para esta ansia por procurar os flancos e cruzamentos para a referencia tem a ver com o medo de sofrer transições se se jogar por dentro... E cada vez mais tenho a sensação que a falta de qualidade da linha defensiva se deve ao MS do que à capacidade dos jogadores interpretarem as ideias do treinador.

manelmadeira disse...

Infelizmente fico com a sensação de desilusão relativamente ao MS. Eu que muito o admirava quando estava no Estoril (meu segundo clube predileto português)
Ainda espero que a qualidade de jogo do Sporting aumente exponencialmente, também com o amadurecimento da equipa. Já noto algumas melhorias relativamente há época passada, mas também tem um plantel melhor.
O que acho que o MS melhorou e muito a circulação de bola deste Sporting, mas ainda há tanto para melhorar...
SL

Jorge Carolo disse...

Gonçalo gostava de acrescentar uma coisa ao teu comentário:

Para mim o fator q provavelmente explica tambem esse medo de jogar por dentro é, suportado pela fraca transição defensiva, não jogar João Mario no lugar de Adrien, porque este se desposiciona constantemente e nada percebe de contenções e coberturas, controlo do espaço, etc, se calhar também por culpa do MS que não o sabe ensinar...

Mas gostava de ouvir a opinião do Maldini em relação às ideias do MS, que quanto a mim cada vez me desiludem mais..

escritor de pacotilha disse...

O ponto crucial aqui é que o treinador vê os jogadores treinar e jogar. Os adeptos e restantes observadores vêem os jogadores jogar, só.

E ver o Montero jogar é um duplo exercício (e por vezes excruciante): admira-se o talento e as movimentações, sobretudo entre linhas, e desespera-se pela falta de vontade do jogador em participar nos 90 minutos.

Com isto não digo que o Montero devesse correr os 90 minutos, mas se calhar podia correr em todos os 20-30 lances em que está envolvido no jogo.

DM disse...

Na minha opinião enquanto sportinguista é preocupante que o Montero não seja a opção A do Sporting.

Como diz o autor do texto, o Slimani e o futebol que praticamos com ele em campo para uma equipa como a nossa nunca pode ser o plano A.