quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Henry sobre a importância do primeiro passe, de cada passe.


Discussão sobre a saída de bola de dois jogadores que foram educados de forma completamente diferente. Duas formas diferentes de ver o jogo, que causa a diferença de opinião e a defesa de cada dos pontos de vista o melhor que se sabe. Henry a mostrar conhecimento, e sobretudo a percepção do efeito que pode ter um defesa central (em zonas recuadas) enfrentar um avançado e tentar sair com ela controlada, no lugar do tradicional bater sem critério na frente.

O que Carragher não percebe: 

- Se bates a bola não é de ninguém. Obrigas o teu colega a lutar por uma bola que quando saiu dos teus pés era vossa.
- Se enfrentas o avançado com sucesso, ultrapassando aquela linha, terá de sair alguém da linha média, ganhando-se espaço e tempo para um dos médios da tua equipa.
- Por vezes nem precisas de o enfrentar. Atacas o espaço e o efeito é o mesmo. Ultrapassas a primeira linha de pressão e ganhas tempo e espaço para algum colega mais adiantado.

Carragher tem mais medo de perder a bola do que coragem para a manter.

O que Henry percebe:

- Se essa primeira linha for ultrapassada ficarão menos jogadores para quem receber a bola enfrentar.
- Sabe que, por ter jogado na frente, cada bola lançada sem critério é mais difícil de ganhar.

No fundo, Henry percebe que não só ele receberá a bola em melhores condições (sem que se exija um duelo, ou um gesto técnico complicado), como também terá mais espaço e tempo para executar. Henry percebe que as acções de jogo estão todas ligadas umas com as outras, e o que cada acção resulta numa situação mais ou menos favorável, de maior ou menor complexidade, para resolver. Henry, como inteligente que sempre foi, percebe que o primeiro passe é fundamental para criar as condições necessárias para que o último seja melhor executado. E por isso, Henry, encorajaria o seu central a sair com bola - a enfrentar o avançado, ou o espaço - caso estejam reunidas as condições para tal.

16 comentários:

JVM disse...

Estou totalmente de acordo com o Henry e convosco mas não acho que a crítica que fazem ao Carragher seja completamente justa. Pelas declarações dele não fico com a ideia de que ele não perceba aqueles pontos que vocês indicam. Aliás, ele até levanta um ponto muito interessante que é a relação risk-reward e até diz que o equilíbrio entre bater na frente e sair a jogar virá com o tempo (com a experiência e capacidade de leitura do jogo). Este ponto até me fez pensar no David Luiz, sobretudo do tempo do Benfica, que, não lendo bem o jogo, colocava a equipa demasiadas vezes em risco. Mas fica sobretudo a ideia que já tinha de Henry: para além de executar como ninguém, sabia (e sabe) muito do jogo

PPM disse...

Excelente ponto de vista do Henry.

Interior-Direito disse...

O lance em concreto aqui, logo no início do vídeo. http://www.okgoals.com/match-highlights-1421188218---40

Percebo o Carragher, é alto risco fazê-lo nesta situação, e percebo o Henry, em certas situações admito que o defesa o faça (aqui deixava 3 adversários para trás). Mas não 100 em 100...

Interior-Direito disse...

e, já agora, a reação do próprio técnico: http://www.liverpoolecho.co.uk/sport/football/football-news/everton-fc-boss-roberto-martinez-8468411

Martinez is happy for him to continue learning on the job.

“No, I will never tell him off for carrying the ball out of defence,” said the Blues boss.

“Clearly there are actions they are allowed to do on a pitch. It’s all down to decision making and you need that experience to get the decision to come naturally.

“I think John is learning quickly. He is someone who looks more mature than the experiences he has had in the league. (...)"

Gonçalo Matos disse...

'driblas dois e então? Estás a 80 jardas da baliza!' Carra ficou apresentado.. Mas pode ser que tenha percebido para que serve ficar, com o mestre Henry. Um senhor

Dennis Bergkamp disse...

Ai que maravilha!

Por isto é que o Titi tocou no céu tantas vezes!

Rápido como ele muitos são ou foram.

Com uma relação com bola brutal existem muitos

Mas juntando isso ao que se passa dentro daquela cabeça feia? Isso é que faz a diferença porque é ai que a magia acontece.

Roberto Baggio disse...

Dennis, sempre estranhei aquela cabeça de Alien do Titi. Afinal era tudo massa cinzenta e ligações sinápticas

Dennis Bergkamp disse...

Estou para ver quando aparece um Titi na blogosfera :P

Duarte disse...

UM programa desportivo onde se discute futebol jogado e não arbitragens e declarações de dirigentes?!

Esses ingleses não percebem nada...

JVB disse...

Para mim, a decisão em concreto foi péssima. Parece-me que perdeu noção de onde se estava a meter. No geral, é impossível nao concordar com o henry (tal como ele diz, "não é todas as vezes, mas nas vezes certas").

Já agora, isto é o que se discute em Inglaterra. O que "nós" discutimos é ar.

Roberto Baggio disse...

JVB, Duarte, isto e outras coisas. Também discutem arbitragens cm se faz aqui. Faz parte do jogo, não é? A diferença está nas personagens que se escolhe para falar da parte técnica. E quando é Henry é muito melhor, logicamente.

A decisão em concreto também me parece má, deveria ter jogado no GR para receber enquadrado depois. Mas, como diz Henry, e o próprio treinador, ele é jovem, e por isso estão felizes que ele não tenha tido medo de ter a bola. De a manter. Que tenha tido a coragem e confiança para enfrentar os adversários. Que ele tenha demonstrado isso, independentemente do erro que cometeu. Com isso, o trabalho está quase todo feito. O resto, como ele diz, e Martinez também, vem com o tempo. A percepção dos melhores momentos para o fazer.

joao santos disse...

Um off topic

O que voces acham que se passa com Messi? Não parece estranho que tenha recuperado aos quase 28 anos, os indices fisicos que apresentava ha mais de 2, 3 anos atrás? É possivel depois de tanto tempo, recuperar aquela velocidade e agilidade? A história do atletismo diz-nos que não...quando um atleta inicia um declive nas suas marcas pessoais, depois de tanto tempo, o "old self" não retorna. E não me digam que ele esteve sempre assim, mas que agora é mais notorio porque os processos colectivos bla bla...o homem está um tiro de novo! E os problemas fisicos não se arrastam 2, 3 anos, para depois miraculosamente desaparecerem.

Para quem como voces, estará por dentro do que se passa no futebol profissional...o doping é coisa do passado ou não?

No caso de Messi, sabemos que se trata de um jogador com doping autorizado. Mas já não deveria ter cessado a toma de hGH? Eu não acredito em milagres, como nunca acreditei em Lance Armstrong. Messi seria sempre um dos melhores talentos da historia, mas nunca teria chegado a este nivel paranormal se não existissem as ajudas proporcionadas por anos a tomar a somatropina.

E o mesmo para Cristiano. Será possivel com a carga enorme do futebol de alta competição, manter este nivel tantos anos? Embora no caso do portugues, parece-me tudo mais natural. A idade a chegar, os parametros fisicos a piorarem lentamente. E muito, muito trabalho fisico ao longo dos anos, proporcionados pela obssessão que ele tem com o corpo.

Rafael Antunes disse...

Não conheço o jogador... mas gosto da perspectiva de lhe ser dado tempo... de ver o erro de hoje como a base da diferença de amanhã...

Quanto ao Henry vs Carragher, a questão é a do confronto de dois polos opostos!!!

Eu vou pelo Henry... porque ele diz que não é sempre!!! É um principio, ou seja a tendência é para jogar assim, mas tem de ser a situação certa para fazê-lo. (o Henry pode considerar-se da nata do futebol? ou é amador? :D)

Quando estás a transmitir ideias novas, penso que é um dos maiores problemas, porque quem está a executar quer fazê-lo, acredita naquilo, só que cai muitas vezes em situações destas, porque ainda está apenas focado em fazer o que lhe pedes mas pode falhar na avaliação da situação.

é o que costumo dizer, nem sempre nem nunca!!!! mas dizer é fácil... :D

joao santos disse...

Só acrescentar que não digo que Messi fosse durante estes 2 anos, um jogador lento, acabado, etc, etc, como muitos haters acharam. Continuou a ser fantastico. Mas, como ele proprio reconhece, ele proprio, esteve fisicamente abaixo do seu anterior eu. Desde 2012...acelerava, mas não desta forma em que deixa tudo para trás ao arrancar, em que chega a bola mais rapido do que todos, em que gira sobre si mesmo, como se de plasticina fosse feito. Um monstro fisico como voces bem gostam de dizer. Com as qualidades fisicas que realmente importam em futebol.

HUGO disse...

Interior-Direito
Se tivesse interiorizado os 3 princípios fundamentais...(principalmente o segundo nesse caso especifico)

1-RECUSAR INFERIORIDADE NUMÉRICA
2-EVITAR IGUALDADE NUMÉRICA
3-CRIAR SUPERIORIDADE NUMÉRICA

JVB disse...

Sem dúvida Baggio, desconhecia o jogador que o fez. Só consigo comparar isto com o scp B, onde todas as bolas sao batidas la para a frente (longe vao os tempos em que se tinha Illori e Dier).

Ter jogadores a comentar (e destes, escolher aqueles que gostam e sabem falar) é uma grande vantagem e mesmo que se fale de arbitragens é optimo que nao monopolize o debate.