domingo, 15 de fevereiro de 2015

Marco Silva como Leonardo Jardim. Ligação dos momentos de jogo - Ofensivo influencia o defensivo. Regressão.

O Sporting de Marco Silva parecia estar encaminhado para crescer de forma sustentada, naquilo que uma grande deve ser marcante - organização ofensiva. As ideias do jovem treinador, para o ataque, tinham mais qualidade que a do seu antecessor e iam mais de acordo ao jogo que um grande é obrigado a praticar, sendo que vai assumir em posse a esmagadora maioria dos jogos que vai disputar. Marco jogava por fora, e por dentro. Ia ao corredor para construir sem risco, e aí (normalmente em 3x2) procurava sair por fora em combinações ou vir dentro em passe para o médio mais ofensivo, ou avançado. Hoje, o Sporting já não o faz, não o quer fazer, optando invariavelmente pelo cruzamento a fazer lembrar Leonardo Jardim. Tal escolha, em termos ofensivos, parece-me ter pouco a ver com as ideias para o ataque e muito com as ideias para a defesa. As escolhas que se fazem para determinado momento do jogo influenciam os restantes, e organizar a equipa para atacar dessa forma influencia a forma como se vai defender em caso de perda. Então, Marco Silva optou por estancar a transição ofensiva do adversário, uma vez que no corredor lateral os contra-ataques são mais fáceis de controlar, e parar. E por isso, opta por atacar sem risco, fazendo o Sporting regredir no caminho que o voltaria a tornar num grande. O Sporting tem hoje melhores centrais que no início da época, e está um pouco mais organizado do que antes. Mas o verdadeiro motivo para que sofra menos golos assenta no facto de não consentir perdas no corredor central, por optar por não fazer a bola circular com objectividade por aí, por não sofrer contra-ataques vindos do corredor central. Como uma equipa pequena, que não sabe defender-se das perdas com uma reacção agressiva sobre o portador da bola, e uma rápida recuperação dos restantes para posições mais conservadoras, como um treinador de equipa pequena que não consegue - sabe - defender com poucos, o Sporting esconde a sua qualidade, e não tira o melhor proveito dos seus jogadores, voltando a jogar um futebol fácil, pouco elaborado, e sem risco. Numa fase da época em que Jesus e Lopetegui muito evoluíram a organização das suas equipas em todos os momentos do jogo, por não jogarem competições europeias, o Sporting de Marco Silva volta ao passado e regride.

26 comentários:

Honoris disse...

Concordo quando dizes que que o futebol do Sporting parecia evoluir no bom caminho e também concordo que Marco Silva tem medo de construir por dentro, para não expor tanto a equipa em termos defensivos.

Não consigo entender é como é que tem esse medo contra equipas como o Belenenses e a Academica. Não consigo entender como é que tira jogadores como o Montero (que perde menos bolas que os outros) nem consigo entender como não consegue apostar no Gauld que é o médio mais criativo que tem.

Não acredito que o Marco ache que este é o caminho para ter sucesso. Se o achar, é muito picareta.

R.B. NorTør disse...

Posso ter percebido mal o jogo, mas pareceu-me que na segunda parte o Sporting se ressentiu mais da falta do João Mário. Nessa fase do jogo foram poucas as transições que ocorreram por um esforço do SCP, tendo sido isso sim mais demérito do Belém.

Nesse aspecto e face ao pouco que o Belém galgou pelo meio o recuo do Montero e o Tanaka lá para a frente poderiam ter sido um bom abre-latas.

R.B. NorTør disse...

Esqueci-me de acrescentar que não sei se o Sporting tem intérpretes para fazer ao Wolfsburgo o que o Bayern fez hoje na segunda parte!

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

"Numa fase da época em que Jesus e Lopetegui muito evoluíram a organização das suas equipas em todos os momentos do jogo, por não jogarem competições europeias". Só para lembrar que o Fcp AINDA está na LC...
E para mim é o principal problema...para recuperar 4 pontos...

Roberto Baggio disse...

Paulo Malheiro, já sabemos que és um bocado de usar palas. Mas para não te ofender e não me chamarem arrogante, vou perguntar-te para perceberes o que se escreveu: Quantos jogos fizeram Porto, Benfica e Sporting, para as provas europeias, nos últimos 2 meses? Espero que assim percebas o ridículo de: " Só para lembrar que o Fcp AINDA está na LC..."

Como se em Portugal alguém não soubesse disso. lol

Baresi disse...

Excelente post, mais uma vez.

Tirar João Mário e Montero, deixando Adrien em campo, não me entra na cabeça.
Se ele queria pôr Tanaka, porque razão não recua um pouco o colombiano?
Se foi pelo relvado e pela quantidade de chuva que caiu, porque razão meteu Mané?
Adrien não consegue pensar o jogo do Sporting, nunca o fez, e nunca o irá fazer. Podia ser um bom suplente, nada mais que isso. E ainda há quem o queira na seleção a todo o custo, a titular até.
Enfim, quando parecia que o Sporting estaria a melhorar, passaram novamente a dar tiros nos pés.
E o pior é que nem percebem o que estão a fazer e ainda vêm com o chavão "faltou o Slimani"...

Paulo, se calhar para ti é melhor o Baggio fazer-te um desenho.

Baresi disse...

lol o desenho foi feito

Roberto Baggio disse...

A despejar centenas de bolas na área por jogo, normal que se queixem da falta do Slimani, Baresi.

R.B. NorTør disse...

Eh pá Paulo, ou leste "o Porto está fora da Europa" e paraste de ler a frase e esceste-te de citar tudo, ou então essa citação cirúrgica tem de ser catalogada como desonestidade intelectual!

Baggio, isto poderá ser alguma guerra surda no clube? O que se nota é que desde o alegado ultimato do BdC ao Marco, a qualidade de jogo do Sporting está em queda livre.

Já agora, mencionei ali o jogo de Leverkusen hoje porque, vale o que vale, mas acho que é o mais forte candidato a jogo do ano.

R.B. NorTør disse...

Por falar em despejo (isto hoje não consigo por tudo num post) o Real está em modo parecido. Aquela conversa do "se não fossem os intérpretes" parece ficar mais destacada a cada dia que passa.

Baresi disse...

Eu até percebo que ele queira minimizar as percas de bola/situações de risco no contra-ataque, mas os laterais de uma equipa grande, principalmente em Portugal, têm sempre, mas sempre, de jogar no meio campo adversário em posse de bola. Benfica e FCP jogam assim e causam muitos desequilíbrios dessa maneira, principalmente quando eles aparecem por dentro.
Claro que têm esse modelo trabalhado e conseguem correr poucos riscos aquando da perca da bola, principalmente devido á fraca qualidade dos executantes que estão nas outras equipas.

Mas porra, o único jogador que em 90 min conseguiu cabecear uma bola com relativo perigo no jogo, foi o William Carvalho.
O William Carvalho.
Até vou repetir mais uma vez, o William Carvalho.

Será que não é um sinal que qualquer coisa ali não bate bem?

David Cardoso disse...

Neste blog tenho aprendido muitas coisas sobre futebol, uma delas é que nem sempre o treinador que procura o equilíbrio em deterimento do risco é a melhor ideia, podemos não concordar sempre , mas continuem a falar do futebol com a mesma paixão sempre

Gonçalo Matos disse...

eu acho que um aspecto relevante que obriga o marco a jogar tanto pelos flancos é a falta de qualidade da linha defensiva.. Especialmente dos laterais que são fraquinhos tacticamente. Pessoalmente acho o Cedric sofrível e o Jefferson é normalíssimo.
E apetece me voltar ao mesmo, a melhor defesa é ter a bola.. É já vi o marco mais crente nisto

João disse...

Fora do tópico do post, mas já que foi dito mais uma vez um chavão das comp europeias... Não sei se é asneira este meu pensamento, mas a minha forma de ver enquanto leigo sobre esta desculpa é esta: só tem lógica se uma equipa for até às meias-finais das Champions/LE ou talvez num jogo pontual.

Sinceramente, duvido que seja mau para uma equipa jogar os oitavos e quartos da Champions, pelo contrário.

Em termos físicos, é quase impossível ressentir-se a menos que tivessem houvesse uma sobreposição de jogos (em pt, só estando nas 4 competições... e diria que indo às meias na Europa).
Em termos de momento de forma/competitividade, lidar com melhores equipas parece-me óptimo.
Em termos psicológicos é que parece-me ter dois efeitos contrários. Um de motivação de equipa por estar em comp internacionais (por ex, um Benfica que foi à final da LE nas últimas duas épocas, acho que jogadores como Gaitán, Enzo se ficasse e outros podem ficar limitados, outro de desconcentração no campeonato por a comp europeia ser mais apelativa. Daí o tal jogo a seguir à champions ser importante em termos psicológicos. Mas fora isto, parece-me disparate dizer que é uma vantagem ficar sem a Champions (oitavos/quartos).

J. Saro

Pedro Rodrigues disse...

Não tenho visto muitos jogos do SCP este ano mas já com o Benfica tinha achado isto quando o Benfica jogou com um bloco mais baixo para não se expor tanto (ou mesmo nada) o Sporting nunca criou nada pelo corredor central para uma equipa que precisava de recuperar pontos para ter esperanças de lutar pelo titulo pareceu-me que o Marco Silva também estava muito preocupado em não permitir contra-ataques ao Benfica. Em relação ao chavão que falta Slimani acho normal porque com ele este "despejar" de bolas na área algumas entram e todos os problemas se resolvem

Dipeca disse...

Tb pode estar a lutar contra a mentalidade dos jogadores. A maioria destes conseguiu bons resultados no ano passado a atacar desta forma. Este ano, num momento crucial, em que eles estavam mto longe do 1º, acumularam vitórias, provavelmente a jogar assim, então facilitaram acumulando jogos assim. O MS terá sempre culpa, quer por deixar fazer ou operacionalização sem qualidade para combater essa vontade dos jogadores.. Mas está a lutar contra o estigma do "até agora correu-nos bem assim"...

Roberto Baggio disse...

j.saro, é uma desvantagem pq perdes tempo de treino.

Dimitris Nalitzis disse...

Ia falar do Slimani mas o Baggio antecipou-se. Em vez de jogar futebol o Sporting passou dois jogos a atirar o bacalhau para a área, 95% das vezes sem nexo. Dessa forma o Slimani faz mais sentido que Montero e Tanaka.

Para jogar futebol, pese embora a sua evolução nestes dois anos, ainda não serve.

A equipa nem tenta utilizar o Montero, os seus recuos no campo, a sua capacidade de pensar o jogo. Deixam-no só e abandonado no meio dos centrais, atirando-lhe bolas à maluca para a área. É pena.

João disse...

Baggio, verdade. Mas um jogo de alto nível não é parte importante desse treino? Sendo este pormenor discutido apenas na 2ª fase da época, é tão relevante de forma a contrariar as outras vantagens?

J. Saro

Honoris disse...

Baggio, que achaste do Tobias?

Apesar de alguns passes errados, pareceu-te bom a construir?

Roberto Baggio disse...

Se não treinar é relevante? Claro que é. É uma diferença fundamental!

Roberto Baggio disse...

Continuo a achar o mesmo de há um mês atrás, como já to disse.

Abraço

R.B. NorTør disse...

João acho que depende dos objectivos. Se encarares uma partida da Champions como um treino, o mais certo é saíres de saco cheio e no final desperdiçaste aquelas duas horas porque a prática foi condicionada ao que o adversário queria que tu fizesses e não ao que tu querias fazer. Ou seja, mal ou bem, tens de perder tempo a moldar a tua equipa para esse jogo e isso é tempo que pode ser importante para os teus objectivos.

Não foi em vão que o Laurent Blanc acusou o Mourinho de ter sido eliminado da taça de inglaterra de propósito, ao que este não mencionando veio dizer que foi bom não jogar este fim-de-semana porque assim pode preparar melhor o jogo da Champions.

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Lamento mas quando vejo programas a dar mais importância a guerras de palavras...facebooks...folclores do que ver algum destaque a única equipa Pt em prova na Lc...começo a duvidar ! O outro não vê grandes vantagens em estar na Europa...ele lá saberá!
É que o desgaste das competições europeias é um grande detalhe na luta pelo título! O Fcp vai ter um calendário bem mais complicado...

Artur Semedo disse...

para evitar sofrer golos e, com isso, não conseguir ganhar jogos, o sporting deixou de apostar naquilo que lhe poderia permitir marcar golos e, com isso, ganhar jogos.
marco aka mestre do paradoxo!

R.B. NorTør disse...

É o paradoxo de Trapattoni: se não podes vencer (porque não consegues marcar mais do que sofres) pelo menos que não percas (porque sofres menos do que marcas).

De resto sim, com a guerra civil o Sporting mudou o chip. Vamos ver se agora vão buscar um novo. Agora se o Wölfe engata o Sporting pode vir a ter muito tempo para se dedicar apenas a campeonato e taça.