sábado, 14 de fevereiro de 2015

Um passe tão simples que traz uma decisão tão boa que só poderia dar golo

Fala-se do génio de Óliver Torres. 

Passar bem é muito mais do que fazer a bola chegar ao colega. Passar bem envolve toda uma decisão. Mais tenso, menos tenso? No espaço ou no pé? Se no espaço um metro mais à frente, dois, três? Se no pé, para qual pé? Passar bem envolve jogar com o adversário. Fazer a bola passar-lhe ali tão perto que lhe crie a dúvida de que o pode interceptar. É quando esta dúvida é criada que a hesitação do defesa entre tentar interceptar a bola ou sair rápido para o espaço onde a bola vai chegar, que o sucesso se aproxima. 

No golo de Brahimi qualquer jogador do mundo com a bola nos pés como a tinha Óliver seria capaz de a fazer chegar ao argelino. Mas pouquíssimos seriam capazes de tornar o lance tão fácil para Brahimi (em 1x0). O espaço que a bola percorre, passando tão perto da bota do adversário (defesa direito do Vitória) foi o suficiente para que este ao invés de ajustar o seu posicionamento entre Brahimi e a sua própria baliza, ficasse na dúvida sobre as possibilidades que teria de interceptar o lance. Aquele passo que deu em frente com a dúvida que o espanhol lhe criou foi o suficiente para o lance terminar com sucesso, pois retirou-lhe tempo para se aproximar de Brahimi.

Não era exigente tecnicamente aquele passe. Mas toda a decisão (velocidade a imprimir na bola e espaço que esta deveria correr) só ao alcance dos que vêem muito mais além.

Vinte aninhos de pura classe do maestro da rojita.


11 comentários:

DC disse...

Que pena estar tão mal acompanhado no meio-campo. Ontem o Quaresma deve ter batido o recorde de centros do Di Maria no Mundial.

DC disse...

Já agora, espectacular o pormenor do miúdo.

https://twitter.com/olitorres10/status/566595834729754624

ricnog disse...

Eh um regalo ver o minino jogar.....que está ele a fazer aqui neste campeonato?

kalho disse...

É o passe à messi. Tão perto do defesa que parece que bastava esticar a perna para o interceptar.

Dipeca disse...

Muito bom o menino. Agora pensem nisto: Ele diz que deve tudo ao Lopes ;)

Paolo Maldini disse...

Dipeca, pensa tu nisto:

99 p cento dos jogadores são egoístas (nao dentro do campo). Todos dão mais reconhecimento a quem aposta neles independentemente da(s) qualidades(s)

E o Lopetegui é o primeiro treinador a apostar nele no futebol senior. Já tinha sido ele a apostar nele na roja.

Não quer dizer nada em relação às competências do treinador. para o bem ou para o mal..

Pedro Santos disse...

E a tomada de decisão de Bruno Gaspar?
3 jogadores à volta de Oliver, e ele simplesmente decide ir juntar-se à molhada, deixando Brahimi sozinho.
Percebe-se a atração dos jogadores pela bola, mas a falta de percepção daquilo que o jogo pede, a cada momento, é o que faz a diferença de se ser um predestinado, ou apenas mais um dentro do campo.

Já que se fala nas competências do treinador (por Lopetegui ter lançado Oliver) o que dizer de Vitor Pereira que comprou Jara?

Baresi disse...

O V.Pereira comprou o Jara para piscar o olho ao Benfica, só pode.
Oliver é um jogador fantástico, o passe é simplesmente perfeito naquele momento, mas o Bruno Gaspar facilitou e muito naquele lance...

Abraço

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Depois eu é que sofro de clubite...
Para haver golos tem que haver erros...
O Advíncula também facilitou na taça da liga....
Enfim....

João disse...

Maldini, mas também é virtude saber lançar estes jogadores. Não diz muito sobre a capacidade de organização/treino, mas é um ponto a mais sobre a capacidade de escolher/captar jogadores. ;)

J. Saro

francisco disse...

Genial o Oliver e Benji - mais um q, sozinho, vale mais do q todo o corredor central do Benfica... principalmente nos jogos-treino c/ clubes e treinadores amigos...