sábado, 14 de março de 2015

Aproveitamento do corredor central


Circulação como eu gosto, agresssiva - vertical. Bola para trás para chamar o adversário, jogadores profundos para abrir espaços entre sectores, colocação de vários jogadores nesse espaço, aproveitamento do espaço com um passe que elimina 5 dos 10 jogadores adversários que defendiam, deixando quem recebe a bola em melhores condições para resolver o lance. Enquadrado de frente para uma só linha, com vários caminhos possíveis, mas todos bastante próximos da baliza, de ângulo aberto - corredor central. 


O golo do Benfica - Jonas - mostra uma das formas que mais gosto de desorganizar  o adversário, sem necessidade de lateralizar. Sempre pelo caminho mais próximo e que dá mais opções ao portador da bola. Sempre pelo caminho que mais dificulta a acção defensiva, pela pluralidade de opções. O tal jogo entre-linhas que marca a diferença entre um modelo ofensivo básico de um modelo ofensivo de uma equipa que quer ser grande. 

9 comentários:

Roberto Baggio disse...

http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/epoca-1415/golos/?id=DN2khwATm4ql7uQOBbAF

Paolo Maldini disse...

já te disse... qd tem artistas.. ha mt pc melhor no mundo q JJ mm em Org.Of...

aquelas combinações todas...aquele jogo entrelinhas... e olha que o mm foi dito pelo teu amigo Vitor Pereira...

Paolo Maldini disse...

tive a rever esse golo... e acaba por "sublinhar" o post q lancei tb. Com Pizzi a bola chega mais redonda ali...

Roberto Baggio disse...

Mas a bola não entra regularmente lá... é isso que me "inquieta"

Paolo Maldini disse...

Entao n entra...? é sp a prioridade... ve a participação do jonas no jogo...é para ai quem tem mais bola!

Roberto Baggio disse...

E sem Jonas como é/era? Deixas de jogar aí?

LGS disse...

Continuem, estou a gostar da conversa! :P

Bruno Miguel Espalha disse...

Quem teve possibilidade de ver isso no estádio percebeu ainda melhor.

Na primeira parte as bolas entraram muitas vezes no corredor central e os apoios frontais resultaram quase sempre. A verticalidade dos passes também ajudou e Samaris e Pizzi são muito fortes nesse capítulo.

Na segunda parte, o Braga juntou mais as linhas, principalmente depois da expulsão e tornou-se mais difícil jogar pelo meio mas passou a haver mais espaço nos corredores laterais, mal aproveitados pelos extremos neste jogo. O Jonas descaiu muitas vezes para as linhas mas poucas vezes lá recebeu a bola. Isto foi o que eu vi no Estádio....

P.S: Uma pergunta que até pode ser bastante estúpida mas...faz sentido regar a relva na metade para onde o Benfica ataca? Isto porque...ainda não está assim tanto calor e a relva não está tão seca quanto isso. De noite fica bastante húmido e não acredito que a relva seque assim tanto. Isto porque eu noto que muitas vezes as combinações entre os jogadores do Benfica falhavam ou porque eles não conseguiam manter o equilíbrio por escorregarem ou porque quando arrancavam para a desmarcação escorregavam na relva.

Bruno Miguel Espalha disse...

Li agora melhor o resto dos comentários, e penso que a bola não entrou tantas vezes no espaço entre linhas como teria entrado noutros jogos porque uma das instruções que o JJ terá dado aos jogadores foi só passarem com grande segurança do passe chegar ao destinatário.

Nos dois jogos anteriores com o Braga sofremos 3 golos em contra-ataque depois de bolas perdidas com passes extraviados.

Mas sempre que a bola entrou entre linhas a coisa funcionou e muito bem.