domingo, 1 de março de 2015

Um clássico. Rápida do clássico.




É difícil recordar um jogo do Sporting em que os adversários não tenham a possibilidade de finalizar na oportunidade mais clara de todas. Contra 0.


Ainda em Setembro foi escrito aqui:


"A profundidade controla-se tendo em conta alguns princípios simples.


Pressão sobre o portador. Mais subida se há, mais baixa se não há.
Distância para a bola. Que será sempre bem mais longa se não houver pressão sobre o portador, para que o passe nas costas para passar entre a última linha tenha de ir com força suficiente para chegar ao guarda redes ou ir para fora.

"Eu acho o Jesus fantástico na forma como comanda a defesa, mas digo-lhe já, a maneira como ele trabalha é difícil de seguir. Não é mesmo para toda a gente. Ele exige muito com a história da bola coberta bola descoberta: se o adversário que tem a bola está com alguém por perto, a equipa não se mexe, se o adversário que tem a bola está sem ninguém por perto, a equipa tem de recuar" Quim

É certo que os centrais do Sporting fazem lembrar o filme "Dumb and dumber", mas não é menos certo que nos "pormaiores" há pouquissimos treinadores no futebol mundial ao nível do treinador do SL Benfica. E Marco Silva não é um deles.

P.S. - E em praticamente todos os jogos da presente época Patrício vai resolvendo no 1x0. Também um dos melhores a nível mundial nessa pequena situação de jogo."

Várias semanas depois, as situações sucedem-se, jogo após jogo.

Os centrais do Sporting não têm a minima noção do que é um bom posicionamento, e não estão a mostrar melhorias com o tempo."

O post é de Novembro. Qualquer semelhança com o clássico de hoje, não é coincidência. 

9 comentários:

Roberto Baggio disse...

Repetindo, estou-me bem lixando para o controlo da profundidade que é um comportamento mt difícil de adquirir. Mas aqueles 4 senhores não se saberem comportar como sector isso é que mete dó. Jogarem juntos, sem bola. Controlarem a largura, as distâncias entre eles. A coisa mais simples de toda, e mais fácil. Nada. Zero.
Espaço entre sectores, distância entre william/adrien e a linha defensiva. Ligação zero
pressão na bola?
Pressão no homem de costas?

7 meses de trabalho, a sério?

LGS disse...

O Estoril no ano passado também tinha estas mesmas falhas?

LGS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Benfiquista Tripeiro disse...

E o Benfica foi a alvalade defender. Que erro, Jesus, que erro.

Aquela defesa nem no CNS.

R.B. NorTør disse...

Depois do vosso post sobre o Tottenham, tive hoje a oportunidade de ver finalmente um jogo e de facto que espanto de equipa. O resultado é mesmo fruto do trabalho do Mourinho a fechar a equipa dele porque em ataque o Tottenham deu 15 a 0.

Não sei se já fizeram aqui, mas podiam, caso tenham material, analizar melhor o Wolfsburgo? Hoje mais uma vez a meterem-se num sítio apertado apenas para depois pegarem na bola e meterem a oposição no devido lugar. Pessoalmente são a equipa que neste momento mais me entusiasma na Europa (apesar de não ter visto os jogos em que quase foram goleados pelo Sporting).

Manuel Nascimento disse...

Pena que tenham escrito um artigo baseado neste vosso post, sem qualquer referência ao mesmo. Irrita-me esta merda. É que ainda por cima é mesmo publicado depois do vosso post. Que amadorismo.

http://expresso.sapo.pt/classico-as-vezes-a-melhor-defesa-e-mesmo-a-defesa=f912995

manelmadeira disse...

Veja o da segunda mão então que foi um grande jogo de futebol

Blog de Portugal disse...

Os erros estão lá, mas as situações do jogo até eram mais difíceis de prevenir que as que o Sporting apanhou noutros jogos.

No primeiro golo o Jackson está praticamente de costas. Faz um passe magistral com o calcanhar.

No terceiro golo ele mal roda saca logo um grande passe.

O SCP esteve mal a controlar a profundidade, mas há que dar mérito ao Porto.

Futebol disse...

Posso até concordar com o Baggio em não dar muita importância a um sub momento do jogo (controlo da profundidade) da ultima linha defensiva... pois como já referiram alem de ser um comportamento dificil de adquirir é fundamental acreditar no que se está a fazer, sem isso nada feito. Agora não se pode é descorar o trabalho de organização defensiva da própria linha em relação ao fora de jogo, aí acho que ninguem neste blog pode dizer que não lhe interessa, pois nenhuma equipa que se candidate á conquista de titulos vive sem esse controlo. como pode estar a bola no corredor meia equerda do Sporting e o lateral direito em vez de estar dentro na meia direita está atraz do central meia direita?? aqui é que dá para pensar... penso que estes problemas do controlo da profundidade do jogo ofensivo do adversário e mesmo o controlo da linha em relação ao fora de jogo, são momentos que nunca o Sporting dominou desde que começou a época.
Volto achar que só não passou á fase seguinte da liga dos campeões e agora na liga Europa, por uma má abordagem ao jogos a eliminar então com o Wolfsburgo na 1º mão a jogar fora e carregar dando o espaço aquele ataque alemão é de alguem que não tem noção do que tá a disputar.