terça-feira, 21 de abril de 2015

A ideia era não ser completamente devastado pelo futebol ofensivo de Guardiola?

O que se passa na cabeça de um treinador quando tem sucesso com uma determinada forma de jogar, contra uma determinada equipa, para adulterar completamente o seu jogo num tão curto espaço de tempo? No Dragão o Porto jogou com um bloco médio, retirou a profundidade na última linha quando alguém enquadrava. Em Munique, fechou-se nos últimos 30 metros, e contra o Bayern de Guardiola naturalmente não conseguiu ter momentos ofensivos. A melhor defesa é e sempre será a bola estar na nossa posse, a segunda melhor será sempre estar o mais longe possível da baliza. Entre os imponderáveis do quarto e quinto golos, fica um resultado pesado que penaliza quem foi para jogo apenas para jogar um momento, e bem onde o adversário o queria. As ausências de Danilo e Alex explicam algumas coisas, mas nunca explicarão o comportamento colectivo do Porto.

24 comentários:

Roberto Baggio disse...

Gostava de perceber o porquê dos treinadores, quando na dúvida, quando na adversidade, quando é altura de mostrarem as suas verdadeiras cores, optam permanentemente pelo defensivo ao ofensivo.

jorge gaspar disse...

Será que o Jackson foi para o balneário do Porto ao intervalo?

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Tirou a identidade da equipa...
Se critiquei Viterbo por ter alterado a tática!
Lopetegui não colocou um autocarro...deu foi a bola ao Bayern...e começou a contar os golos...
Que desilusão. ...foi um cagarolas....abdicou de tentar atacar...optando por jogadores que nunca teriam capacidade de aguentar este Bayern!
O redes Fabiano é pior que o Roberto...
Centrais fracos...laterais sem rotinas e sem apoio algum...
Na luz...mesmo com melhires jogadores. ..o Fcp sem personalidade vai sofrer muito

ricnog disse...

O bayern também esteve bem! Nao deixou o porto ter bola......! O jackson bem tentou segurar, mas não tava facil....!

Será que os percebedores da bola vão dizer hoje que afinal o herrera.......

Será que vão dizer que o Quaresma é apenas autista?

Que Brahimi é muito bom, mas não é um fora de série?

Lopetegui disse uma coisa cerrada.....não foram só os laterais.....hoje o Tello tb fez imensa falta.......

Clarence Seedorf disse...

E se a culpa foi dos jogadores?
É que, ao não mudar nada na equipa, a não ser os óbvios que não podiam jogar, não vejo grandes motivos para ter havido uma alteração de mentalidade do treinador (que desde inicio fez ecoar os seus berros no allianz arena). Na minha opinião, com os jogadores mais focados (que foi algo que não vi, de inicio ao fim) é que se poderia repetir algo da primeira mão, e ainda assim, com certeza não iria ser suficiente. Fraca qualidade dos defesas e muita falta de confiança. Apenas se viu algo, nos suspeitos do costume.

Ainda assim, o Bayern faz, o que o Porto devia fazer, já de olhos fechados. Sou portista, mas soube bem apreciar o jogo ofensivo do Bayern, bem como as recuperações imediatas da perda de bola.

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Fez falta não dar uma de Viterbo...e abdicar de tentar ter bola...

Manuel disse...

Não concordo que devemos criticar Lopetegui que eu acho, sempre achei, um treinador mediano a roçar por vezes a mediocridade.

Hoje foi reposta a normalidade, para quem achou que o resultado da 1ª mão tinha sido resultado da competência do treinador, da táctica ou até mesmo da atitude da equipa do Porto. Até um leigo como eu vê que uma coisa não teve nada a ver com a outra.

Um balão cheio voa sempre mais alto mas não deixa de ser um balão.

Não me lembro de ter visto um tal banho de bola, vulgo humilhação, na Champions. Isto depois de ter visto muitas centenas de jogos.

Zizou disse...

"Baggio: Gostava de perceber o porquê dos treinadores, quando na dúvida, quando na adversidade, quando é altura de mostrarem as suas verdadeiras cores, optam permanentemente pelo defensivo ao ofensivo."

É a diferença de Pep para os outros todos: "Quando temos dúvidas, atacámos. Sempre!"

Jorge disse...

"As ausências de Danilo e Alex explicam algumas coisas" mas ainda mais e explicado por ter optado por jogar com dois centrais no seus lugares. E muito dificil ter bola com o Indi e o Reyes nas laterais...

José Moreira disse...

Que desilusão.

O FCP de há uma semana e o de ontem só tinha em comum as camisolas, ou melhor, nem isso, porque ontem jogaram com o alternativo.

Lopetegi renunciou à ideia que lhe tinha dado sucesso e, pior que tudo, renunciou à sua ideia de jogo. Com isto, só conseguiu expor ao máximo o seu sector mais débil: a defesa.

Se vocês que treinam não entendem o que faz um treinador mudar assim, eu, mero adepto, nunca entenderei ou tão pouco "aceitarei".

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

A ausência dos laterais não explica tudo...
Entrou com muito medo...Abdicou da identidade da equipa e deu a bola aos alemães!

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Não esperava outra coisa dum faccioso de primeira como o Manuel...
Pena que o seu clube nunca corra o risco de ser humilhado...porque há 5 anos não chegue lá!

A Roma levou 7 em casa...o Barcelona já foi goleado...
O Shaktar levou 8...
Essas centenas de jogos são tão falsos como o senhor!

Alexandre silva disse...

O problema foi ficarem encantados com o 1° jogo e o que a cs escreveu,loas a mais e deu nisto.Não é todos os jogos que o Bayern dá três golos de borla, e a realidade viu-se em Munique,a diferença entre as duas equipas é colossal,não há comparação possivel.Sou do GLORIOSO desde que nasci mas sei ver futebol e a realidade do nosso futebol é esta,não culpem os treinadores nem os jogadores vejam os jogos sem cores clubistas e entenderão melhor o jogo. Saudações Benfiquistas

DC disse...

Realmente demos bola aos alemães. Nós e todos os adversários da história do Guardiola no futebol. Não é ele que a quer e sabe ter, somos nós que lha damos. Enfim...

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

DC...
Jogar tão recuado, com laterais improvisados e à espera de aguentar... tinha maiores probabilidades de dar asneira não ?

Preferia que tivesse reforçado o meio campo, tentando ter bola!
Sabendo de antemão que Fabiano é fraco redes, a defesa deixa muito a desejar....
Que diferença para a qualidade dos centrais que o FCP já teve....
Arriscar e petiscar é preferível do que ficar amedrontado e recuar....

DC disse...

Eu também preferia Ricardo e Evandro claro. Mas há erros tácticos que cometes todos os jogos e dá para compensar ou nem se notam e depois há erros que cometes contra o Guardiola.

O Porto ontem teve 3 jogadores muito bons em campo. O resto é, a ser simpático, banal. Podíamos querer ter a bola mas achas que havia qualidade técnica para a ter? Ainda vi o Brahimi a receber e virar-se algumas vezes mas mal dava a bola no meio automaticamente o gajo que a recebia perdia.

Não acho que o Lope tenha estado bem mas também acho que obviamente as intenções dele não eram aquele horror de ontem.

jumço disse...

penso existir muito mérito do guardiola, pois se na 1ª mão foi surpreendido com o condicionalismo da parte do porto, principalmente de jackson sobre o alonso, suportado pela subida do bloco azul e branco, ontem não, e preparou-se de outra forma, mais iniciativa nos centrais, passes longos para as zonas laterais, obrigando o bloco do porto a abrir para depois explorar o interior como tanto gosta e sabe fazer.

em relação ao porto não ter bola, é dificil contra as equipas de guardiola, muito por culpa da regra dos 4 segundos que ele tem quando a suas equipas a perdem, mas com quaresma e brahimi é dificil, eles recebiam a bola e estavam sobre pressão e mesmo assim queriam driblar, está no adn deles, e eles são bons naquilo, mas quando jogas sobre pressão tens de receber e jogar logo ou melhor jogar de primeira, e dar uma linha de passe ao portador da bola para se poder continuar com ela, e eu não vi nada disso.

ontem para mim guardiola só demonstrou o quanto é muito bom, exatamente com a mesma equipa(tirando o dante, mas tinha o outro no banco no porto, não era daqueles que vinha de lesão)reconhecendo que na 1ª mão fora surpreendido, modou e ganhou.

Antonio disse...

Sinceramente a surpresa não foi o Porto de ontem mas o Bayern da primeira mão. Bem-vindos à realidade.

Baresi disse...

Depois das humilhações que os dois rivais passaram em Munique no novo estádio do Bayern, importa lembrar que , neste século, só uma equipa portuguesa saiu do Allianz Arena com dignidade.

Foi o Belenenses de Jorge Jesus.

Baresi disse...

A diferença deste jogo, para o Shakthar, é que eles ficaram com 10 jogadores aos 5 min de jogo.

E quem viu o jogo de ontem, percebe bem que ao intervalo a equipa do Bayern tirou completamente o pé do acelerador...

Podia ter sido pior... bem pior...

jorge gaspar disse...

Era a regra dos 6 segundos, depois passou a 4 segundos, por este andar chega ás duas décimas. A mim parece me a regra do caímos como lobos em cima deles e eles nem respiram. Passado meia hora quando perdermos a bola, voltamos a fazer o mesmo.

David Cardoso disse...

A diferença é abismal , mais uma vez ficou provado que os grandes portugueses não tem condições de competir com os tubarões , o Porto jà levou com o Jesualdo 4 batatas em liverpol ,5 batatas no arsenal ,com o VPereira levou 4 batatas com o city ,na era pos Mourinho levou 4 batatas frente ao Inter, o SLB e SCP só tem escapado pq vâo menos vezes á champions e não tem chegado longe na prova, o SCp levou 5 batatas frente ao barça em alvalade e o famoso 8 na arena o SLB jogou em camp nou com o Barcelona B pra champions e este ano frente ao Bayern Levwrkusen mal passamos do meio campo,infelizmente esta é a realidade do futebol portugues, para alem da superioridade que existe na matéria prima existe uma clara diferença na intenssidade que jogam os tubarões europeus em relação aos grandes de portugaln e continuando a existir confrontos do genero entre estes e barcelona real madrid bayern e mesmo o chelsea num dia bom podem ter a certeza q vai haver mais...

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Estatística...só uma equipa Pt venceu o Bayern....
Vale o que vale!

Laurentino Piçarra disse...

A inclusão do Reyes a lateral direito sem rotinas e experiência foi um autêntico tiro nos pés.