quarta-feira, 15 de abril de 2015

Liga dos Campeões

Os finalistas da Final de Lisboa ofereceram-nos mais um espectáculo deplorável, na prova que se diz ser o melhor futebol da Europa. Mas hoje, como não estão na Final, já me é permitido criticar o futebol medíocre com que sempre nos brindaram. Se isso é o melhor que a Europa tem, algo de muito errado vai no futebol europeu. Como não acredito em nada disso, nem no futebol praticado por nenhuma das equipas que jogaram ontem, a minha Champions particular começa hoje.

Oblak está nas bocas do mundo por uma exibição fantástica, ontem no Calderón. O que muitos se esquecem é que Oblak ontem, era ainda mais fantástico do que hoje. Onde joga, actualmente, tem um modelo de jogo de equipa pequena cujas ideias o empurram para a baliza. Onde jogou, a jogar com ideias de jogo de um grande,  teve um modelo de jogo que o puxava para fora da baliza. E assim, era maior do que o é hoje. Tinha de estar mais concentrado nos pormenores, dominar o espaço entre ele e a última linha, saber jogar com o fora de jogo, ser imperial no espaço que a organização não ocupa na bolas paradas. E dessa forma, nunca foi obrigado a fazer mais do que uma/duas defesas fantásticas dentro dos postes, e era fora dele que era mais fundamental. Quem ainda não percebeu que Jesus está muito à frente de todos os outros no momento defensivo, e quem diz não pode ser um génio na área em que opera por falar mal português, por não ser eloquente, por ter uma imagem que não cativa, vai continuar a falar de jogos de futebol como fala o LiveScore.

António Tadeia, disse à RTP que o futebol do Barcelona o aborrecia. A desinformação que existe no futebol parte muito por aí. Por quem tem a suposta obrigação de informar. Se quem informa, como jornalista desportivo, não está preparado para exercer, qual é o critério que leva à que estes senhores, pagos e bem pagos, sejam escolhidos para que a sua opinião seja divulgada na imprensa? Gostava que alguém perguntasse ao senhor Tadeia o porquê do futebol do Barcelona ser aborrecido. Não é por isso de estranhar a minha desilusão com a conferência de imprensa de Guardiola. Perguntaram ao homem sobre Lopetegui no passado, sobre a final de 87, sobre a qualidade dos jogadores do Porto, sobre poder encontrar outro antigo companheiro de equipa na próxima fase, sobre o estado da produção de chinelos na Índia, e a sobre a plantação de Laranjas na Malásia. Futebol que é bom, zero. Ninguém foi capaz de perguntar em que sistema táctico ia jogar, de que forma é que esse sistema se iria articular por forma a anular o FC.Porto, ou de que forma se rouba a bola a uma equipa que gosta de a ter. Enfim. Interessa mesmo é saber se a temperatura do frigorífico em casa do homem é a adequada para não deixar congelar os alimentos.

"Enquanto temos a bola, temos possibilidade de atacar e o adversário não o pode fazer. Quando a temos, o problema é o que fazer com ela, onde a temos e porque a temos. É para estas questões que um treinador procura sempre respostas e tenta melhorar.
(...)
Evidentemente que, quando mais posse de bola, mais hipóteses temos de ganhar o jogo, mas o futebol não é uma ciência exacta. Temos que ser agressivos em posse e alternar o estilo de jogo ofensivo, com diferentes opções frente a diferentes adversários.
(...)
Uma evolução no futebol é que actualmente temos menos tempo e espaço com a bola. A evolução táctica e física do jogo leva a que os jogadores tenham menos tempo para decidir sobre o próximo passo, para receber, rodar e jogar. Os jogadores são obrigados a agir de forma mais rápida e precisa
(...)
Isto torna os jogadores melhores. Este não é um desporto que se possa medir em segundos ou em metros, como muitas outras modalidades. A evolução do futebol leva a que seja cada vez mais difícil jogar bem, criar espaços e reagir rapidamente. Esta é a principal luta das equipas
(...)
Pode ser negativo se tivermos a posse de bola e não soubermos o que fazer com ela. Em teoria, se uma equipa tiver 100 por cento de posse de bola não pode sofrer golos. Queremos ter a bola o mais possível, não por motivos estatísticos, mas para ganhar jogos
(...)
Em teoria, não podemos sofrer golos se mantivermos a bola durante todo o jogo, mas podemos perder com uma equipa que tenha apenas 20 por cento de posse de bola"
Lopetegui ensina-nos sobre o jogo, sobre futebol, sobre o seu futebol. Em Portugal, ninguém nunca pensou em perguntar-lhe sobre isto numa conferência de imprensa. 

22 comentários:

rsa disse...

Por isso Artur não vingou e falhou em alguns momentos decisivos.
Falar de futebol a sério? Onde 99% dos programas desportivos acham que os árbitros são as vedetas onde se elogia os números de circo e tudo o resto é ignorado achas que tendo a oportunidade de falarem com Guardiola iriam aproveitar ?
Se JJ não for campeão vai rotulado como mau treinador mais do mesmo.
Muito bom o vosso blogue.
Ontem preferi ver a Juventus porque dos espanhóis está tudo visto....

Jorge Carolo disse...

Tão verdade o que disseste sobre o Oblak.

É difícil compreender como alguém pode gostar das ideias de Simeone?!?!? porquê?? Por causa da intensidade?? Por causa da agressividade??

Aserio??

Oblak tem tudo para ser top 3 no mundo mas para lá chegar tem de ter treinadores que puxem por ele e jogue num modelo que o obrigue a evoluir... Acho que num jogo como o de ontem até o Artur servia para o Atletico...

Enfim, o talento que se perde por falta de conhecimento!

Relativamente à conferencia de imprensa do Guardiola, dá deus nozes a quem não tem dentes... Uma tristeza!!!

A sorte que aqueles burros têm em poder falar com Guardiola, fazer perguntas a Guardiola, mas limitam-se a perguntar coisas que a mulher dele conseguiria responder...

Deus veio à terra e ninguém percebeu...

Parabéns pelo post, como sempre espetacular!|

Emanuel Guerreiro disse...

Existe a tendência para extremar opiniões quando se fala de Jesus. O argumento de falar mal português como forma de justificar a falta de qualidade é um caso paradigmático.
Este post é o extremar ao contrário para o positivo, todos sabemos que Jesus a treinar o Atlético Madrid com os jogadores que possui ia baixar o bloco ao nível do que o Atlético fez ontem e ao estilo do Benfica no Dragão. Os processos teriam mais qualidade mas todos sabemos que as equipas de Simeone tem uma qualidade ao nível da resiliência a adversidade durante o jogo e uma capacidade infinitamente superior de encurtar espaços e morder o homem da bola como ninguém. Muitas vezes assume-se as críticas a Jesus como vindo de pessoas que não gostam dele quando muitas criticas são feitas por pessoas que assinalam os erros por gostarem dele e de só o quererem ver subir mais um degrau em direcção ao top e reconhecimento mundial.
Repare-se na última jornada o Benfica tem Jonas a beira do 5 amarelo aos 54 minutos tá a ganhar 4-0 e Jonas saí apenas aos 86.
Hoje pode se ler na imprensa que ainda não treinou esta semana normalmente com a equipa devido a problemas musculares.
As duas vezes que perde fora onde retira o trinco e deixa um médio com pontas de lanças no meio campo.
Os erros não residem certamente no processo defensivo em termos conceptuais, residem na direcção de jogo. Era engraçado ver Jesus treinar uma equipa aplicando a teoria que equipa grande defende bem com poucos com a linha subida e a jogar contra Ronaldo, Bale, Isco, Modric, kroos e James. A conferência de imprensa é má em toda a linha, nas perguntas e o que dizer da tradução surreal feita das declarações do Guardiola? A cara dele a ouvir a tradução é priceless!

Abraço e não pares de escrever!

Dipeca disse...

Por acaso ouvi a conf do Lopé e do Herrera e foi tudo sobre "ilusión, responsabilidades, crer, estarmos unidos e sobre Futre 1987"

;(

JON disse...

Baggio,

As pessoas gostam do Simeone porque ele ganha. "Ah, mas aquele futebol é horrível!", "Mas tem resultados"...
Eu, e tu, não concordamos, mas é por isso que as pessoas admiram aquilo... Lá está, os resultados.

Quanto à tua frase: "quem diz não pode ser um génio na área em...", já discordo... Tu não podes esquecer ou ignorar outras competências que ser treinador, líder, exigem. Eu acho que para se ser génio tem de ser bom em tudo: treino, jogo, comunicação interna e externa, gestão interpessoal, estilo de liderança eficaz, etc... E continuo a achar que o Jesus tem muitos problemas em algumas dessas áreas, pese embora a excelência noutras.
Ora isto não me coloca a olhar para os jogos do Benfica como se estivesse a comentar para o Livescore. Eu reconheço o mérito do JJ, mas tu (vocês) também têm de reconhecer que há outras coisas em que é preciso ser-se igualmente bom para se ser génio...

Roberto Baggio disse...

Hoje, Emanuel, não podia estar mais em desacordo contigo.

"Jesus a treinar o Atlético Madrid com os jogadores que possui ia baixar o bloco ao nível do que o Atlético fez ontem e ao estilo do Benfica no Dragão."

Como?! Que jogo é esse que viste, onde o Benfica baixou o bloco? Quem viu o jogo, percebeu perfeitamente que o Benfica fez o posto disso. Tanto é que as jogadas de perigo do Porto, nos primeiros 15 minutos se deveram a isso. Entretanto, Jardel lá afinou o controlo da profundidade e o facto de defenderem, como fazem sempre, em bloco alto, ou médio, dependendo da bola, deixou de ser um problema.

"mas todos sabemos que as equipas de Simeone tem uma qualidade ao nível da resiliência a adversidade durante o jogo e uma capacidade infinitamente superior de encurtar espaços e morder o homem da bola como ninguém."

Isso é o mesmo que dizer que Simeone é como o Jaime Pacheco, só tem é mais qualidade individual.

Quanto ao resto, sobre opções do treinador, não comento, como sempre.

"Era engraçado ver Jesus treinar uma equipa aplicando a teoria que equipa grande defende bem com poucos com a linha subida e a jogar contra Ronaldo, Bale, Isco, Modric, kroos e James."

Gostava de ver uma equipa de outros, sem processos defensivos de qualidade, parar uma equipa de Jorge Jesus - com as suas ideias atacantes - com a qualidade individual que ele merece, mesmo que o adversário tenha James, Isco, Ronaldo, Benzema, Modric, Bale. Só gostava de ver!!!

Roberto Baggio disse...

JON, tu foste treinado por ele no Benfica? É que a maior parte dos jogadores, e jogadores que eu considero inteligentes dizem o oposto do que tu dizes. O que é que isso diz sobre o que tu dizes? Que nem tu, nem eu, o conseguem julgar nessa vertente. Diz-se por exemplo, que Mourinho é muito bom nisso, e que Guardiola também o é. Mas parece-me que tanto um como outro têm tantos problemas como Jesus, e tanto um como outro têm a esmagadora maioria dos jogadores, mesmo os que não jogam, a elogiar essa vertente mais do que a criticar. Então, qual é que é a diferença entre Jesus e os outros? Eu sei, é exactamente a imagem, e a fraca eloquência no discurso. Mas mesmo com essa fraca eloquência, diz mais que 95% de todos os outros, para quem quiser entender, claro.
Ele é um génio. Revolucionou completamente o momento defensivo do jogo. É isso que faz os génios. Trazem novidades grandes sobre uma determinada área. Como Sacchi, Michels, Cruyff, Mourinho, Guardiola. Para mim, Jesus é tão marcante quanto esses, na minha forma de entender o jogo de hoje. Para o futebol talvez nunca o seja. Mas também há génios de outro tipo, dos que conseguem aplicar perfeitamente alguns dos melhores ensinamentos de quem mostra o caminho.

JON disse...

Baggio,

Pergunta: quantas vezes o Jesus se enterrou em conferências de imprensa, dizendo o que não deve?

Precisamente porque quase nunca lhe perguntam sobre futebol, mas sim sobre "política", ele várias vezes mete os pés pelas mãos.

É verdade que eu não sei como ele lida com os jogadores (ou sei por terceiros), mas não é de comunicação interna que falo. É externa e a dele é fraca e muitas vezes dá tiros nos pés, embora a estrutura do Benfica tenha melhorado isso muito muito muito mesmo!

Agora mete o JJ a treinar em Itália ou em Espanha, onde um estrangeiro é por preconceito das pessoas e vincadamente na imprensa sempre pior que um nacional. E depois imagina no calvário que ele vai passar quando perder um jogo...

Sinceramente é a minha opinião e não vejas aqui nenhuma clubite, que não tenho neste caso. Gostava mesmo de ver o JJ numa grande equipa europeia com poder económico, porque se ele triunfar aí, ainda mais mérito tem o Porto por lhe fazer frente nestes 6 anos...

PS: e era sinal que ele deixava o Benfica. :)

Abraço

Roberto Baggio disse...

PS: Os génios não são perfeitos. Ninguém o é, apesar de o parecer. E a tua premissa parece defender exactamente isso. Perfeição.
Por isso é que o são, numa determinada área e não noutra. Ele o é, no que me interessava que o fosse, se eu fosse dirigente. Eu quero um treinador, e não um politico. Quero alguém que os jogadores entendam, porque é isso que faz a equipa ganhar. Não é o que o treinador diz para fora que faz a equipa ganhar! Mas isto, é só a minha opinião. E não sei de onde tiraste essa ideia da clubite. E na minha opinião, Jesus com os recursos de outros, esmagaria a concorrência. Sobrando só os maiores (Guardiolas desta vida) para lhe fazer frente. É só uma opinião, novamente.

Azía disse...

O Guardiola falou de futebol, disse que o Herrera é um jogador interessante. Por aqui dizem que ele é um perneta. Continuem pelos blogues

Roberto Baggio disse...

lololololol, tas mesmo com azia. só pode

Tom Ferdinand disse...

Bem sei que não gostam de comentar as escolhas do treinador (onzes, substituições, etc.).

Mas uma das criticas que fazem ao JJ é algum conservadorismo nas suas escolhas ("escolhe sempre os mesmos").
Na maior parte das vezes acaba por provar que até tem razão, mas...
Como se justifica a demora do JJ em escolher o Oblak, primeiro para o plantel e depois para o onze do Benfica na época passada?

Há sempre a justificação, aceitável, que o treinador é que conhece os jogadores e os vê a treinar.
Mas hoje, tal como ontem, depois de termos visto o Oblak jogar várias vezes é bastante evidente que o Oblak é muito mais forte do que o Artur em várias fases do jogo, principalmente fora dos postes.

Isto não é visivel nos treinos? A experiência, ou falta dela, pode/deve contar assim tanto?

Cumps,
RC

Mike Portugal disse...

Grande bomba. É oficial que Klopp vai sair do Dortmund no final da época. Para onde irá ele?

Roberto Baggio disse...

Mike, Bomba? xD Já era oficial há uma semana :P

Pedro disse...

O que o Oblak fez ontem resulta apenas e só da sua extraordinária capacidade física e técnica como guarda redes. Ponto.

O Artur nem em sonhos conseguia igualar uma exibição daquelas.

Fabio Correia disse...

O Baggio, eu acho que o jornal desportivo francês l'Equipe so pode seguir o teu blog LE.

http://www.lequipe.fr/Football/Actualites/Pep-guardiola-julen-lopetegui-les-copains-d-avant/551252

Roberto Baggio disse...

Pedro, tens mesmo a certeza que não? Eu acho que era perfeitamente possível ao Artur, ou ao Roberto fazerem coisas daquelas. Já os vi fazer... Já outras coisas, como jogar fora da baliza, continuando a ser Guarda Redes aí, é que acho que não.
Não estou a dizer que o que o Oblak fez não resulta da qualidade dele. Resulta, e qualidade é de facto imensa. O que acho é que de extraordinário não tem muito. Já vi actuações deles brilhantes, que nada tiveram a ver com tirar 50 bolas de golo. Mas sim com o evitar que essas bolas pudessem sequer chegar a ser de golo. MAs para isso, precisa de outras qualidades, que ele tem, para além de precisar de toda uma equipa à sua frente com ideias de qualidade.

facepalmjpg disse...

Essa coisa do Oblak e das saídas faz-me lembrar um jogo da Taça do Rei em que ele leva um frango porque falhou uma saída. Ora falhou a saída porquê? Simples. Estavam 4 ou 5 pernetas acampados na pequena área a atrapalhar e o Oblak ao tentar agarrar um cruzamento perfeitamente ao alcance dele, choca contra um deles e deixa a bola escapar que depois fica à mercê de um jogador adversário, que marca golo. Muitos riram-se da cara dele, ah e tal que frangou e o camandro, mas agora pergunto eu: alguma vez no Benfica, com Jesus, essa situação aconteceria?

Dr.Simba disse...

Qual a vossa opinião sobre o Herrera? Pergunto porque, para mim, é um jogador capaz do melhor e do pior, muito dependente da equipa e treinador com que estiver;

P.S.: concordo inteiramente com a crítica aos comentadores "desportivos". São pessoas não qualificadas com acesso privilegiado a meios de divulgação de opinião, resultando na deseducação da população, à semelhança de muitas áreas profissionais (por razões que poderiam ser discutidas eternamente). Basta referir o bafo de ar fresco que foi ter o Vítor Pereira a comentar depois dos jogos do Mundial.

Cumprimentos.

Interior-Direito disse...

http://observador.pt/2015/04/15/lopetegui-pep-ganhavam-canecos-juntos/

Interior-Direito disse...

esquece o anterior, era mais este, uma conversa com o Perarnau: http://observador.pt/2015/04/14/bicho-raro-passou-um-ano-na-sombra-pep/

Pedro disse...

Baggio, o Roberto sim. Entre os postes é top. Uma agilidade assombrosa para tão grande tamanho. Artur nunca na vida. nunca vi o Artur fazer uma exibição daquelas. Não foi uma nem duas...foram todas as defesas.

Logo a primeira, a sair ao Bale...nunca Artur fazia aquilo.