quarta-feira, 1 de abril de 2015

Religião do chutão arbitrário

Futebol é isto. Jogas, competes, trabalhas durante a semana para melhorar, e ganhas, empatas ou perdes.
O vídeo de Henry sobre o que Guardiola dizia aos seus jogadores diz muito do que é o trabalho do treinador. Levar os jogadores até ao último terço, e aí a qualidade deles é que impera. Há ainda assim quem diga que o treinador é que não treinou a última fase, não treinou finalização, logo não preparou a equipa da melhor forma. Mas não são esses os fanáticos da religião do chutão arbitrário?! Se corre bem é bom, se corre mal devia ter esticado na frente. É assim o futebol em Portugal. Morto de ideias. Toda a gente sabe tudo. E quem ameaçar impor-se e acabar com a ideologia vigente - que assenta na falta de ideias - é morto à partida. Isto não é um jogo de treinadores contra treinadores. É de jogadores contra jogadores. E o grande problema disso é que os jogadores são humanos. Quantos treinadores mais vão passar por não terem tido a fortuna do jogador acertar com a bola na baliza?!


"Isto porque a maioria ainda não entendeu, verdadeiramente, que o futebol é um jogo de erros. A natureza do jogo é essa porque é jogado por homens. E dentro das organizações de qualidade (trabalho do treinador) vão continuar a existir erros por parte de quem tem a responsabilidade de interpretar as ideias. 

Quem ouviu a conferência de imprensa de Jesus depois do jogo com o Estoril, naquilo que foi importante reter da sua mensagem, percebeu isso. O treinador do Benfica diz que podia ter goleado. Disse ainda que Lima esteve duas vezes na cara do GR. Ora, se o jogo tivesse terminado empatado o Benfica já teria feito um mau jogo? O Benfica já não teria criado situações de golo? O treinador do Benfica já tinha feito um mau trabalho? A organização já tinha falhado naquilo que se diz ser essencial? Já se podia diagnosticar à equipa pouco trabalho de finalização ao nível do treino? Eu não acredito nisso. O treinador não tem culpa de ter criado ferramentas e os jogadores dentro da sua responsabilidade não terem conseguido utiliza-las.

Acho que, neste momento ninguém duvida que o Benfica tem o melhor plantel do campeonato. Ninguém duvida também que as individualidades mais relevantes, ao nível da qualidade técnica e criatividade, jogam no Benfica. Facilmente se percebe que a equipa com a melhor organização de jogo, no ataque e na defesa, é a do clube da luz. Então, como é que se explica que organizações com processos inferiores, como é o caso do Porto e do Sporting, com menor qualidade individual (mais que evidente nas unidades ofensivas), tenham mais golos marcados do que o Benfica? A que se deve isto afinal? Simples. Ainda são os jogadores que jogam. E os jogadores são homens. E os homens erram."

"Eu dou a táctica para que me ataquem pouco (criem poucas situações de golo), e para que assim que seja possível, em campo, encontrar as possibilidades de passe (criação de linhas de passe, posicionamento em posse). Para que nos últimos metros os jogadores mais desequilibradores (criativos, e com qualidade técnica) façam o resto"
Guardiola

12 comentários:

Hugo disse...

Se jogarem sempre assim..jogam muito...a ideia de jogo está lá toda, dá gosto ver. Só faltam executantes melhores no último terço. Ele foi corrido ou ainda lá está?

Dejan Savićević disse...

ate quando ficará este homem sem trabalhar???

DM disse...

"Acho que, neste momento ninguém duvida que o Benfica tem o melhor plantel do campeonato."

Isto é a sério?? Eu tenho sérias duvidas que o Benfica tenha melhor plantel que o Sporting, e nem preciso de chegar ao do Porto...

Paolo Maldini disse...

dm, tas a copiar uma frase escrita na época passada. de resto, estou de acordo ctg

Jorge Carolo disse...

As ideias estão lá, falta é os dirigentes perceberem que treinadores como este não podem estar no desemprego..

Este senhor podia era vir treinar a equipa b do Benfica e ser futuro treinador do Benfica qnd JJ sair..

Acho q os clubes com equipa b não só devem preparar jogadores como treinadores para subirem à equipa A...

Assim como faz o Sporting por exemplo com João de Deus... LOL.

DM disse...

Não tinha reparado que era da época passada :) Efetivamente na época passada a diferença do Benfica para Porto e Sporting era enorme e o que Jesus fez foi apenas cumprir as expectativas.

Este ano está efetivamente a realizar um milagre. Pensar que tem uma defesa com Maxi, Jardel, Luisão e Eliseu e são a equipa menos batida do campeonato. As saídas prematuras da Champions e Taça de Portugal deveram-se apenas à falta de soluções que o plantel deste ano tem. Focou-se (e bem) no campeonato e está a tirar frutos dessa escolha, enquanto Porto e Sporting andaram a jogar em "outros campeonatos" e quando se viraram para dentro já o Benfica tinha margem de manobra suficiente para errar.

Espero bem que o Benfica caia no erro de deixar sair o Jesus e vá buscar o Rui Vitória. O Rui com uma defesa com Luis Filipe (:D) Jardel Luisão e Eliseu ia ser um mimo.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Este senhor só não tem mais espaço porque não vai para as conferências de imprensa dizer as tretas que os outros dizem, não tem o cabelo e nem o casaco à Mourinho, quando fala diz o que pensa sem grandes floreados e também não anda lá dentro maluco para "ganhar" a qualquer custo...

Sr. Fernando, se por acaso nos estiver a ler, peço-lhe que nunca desista!

Mais cedo ou mais tarde as oportunidades vão surgir, mesmo que muitos especialistas e grandes malabaristas de palavras - com todos os cursos possíveis e os diplomas e os papéis que não jogam à bola - se chateiem um bocadinho.

Gostava de entrevistar o presidente do Aves para lhe perguntar o seguinte: Satisfeito? Provavelmente vai conseguir manter-se na segunda divisão (também não era assim tão complicado) mas agora, diga-me, está feliz por ter rebentado a equipa toda?

Islander disse...

DM, acho deliciso o conceito de o Sporting ter melhor plantel que o Benfica, é sempre refrescante ver uma opinião tão original.
De resto, no seu exemplo da saída prematura da Champions o facto de Julio Cesar e Jonas, os 2 grandes reforços desta temporada(na minha humilde opinião)não terem podido dar o seu contributo não terá sido um factor bem mais determinante do que uma "aposta no campeonato"? Ou mesmo o próprio sorteio visto que foi a única equipa portuguesa(apesar de estar no pote 1) que não teve um adversário(ou 2) claramente inferiores?
Quanto À sua apreciação dos elementos da defesa é diferente da minha pois considero o Luisão o melhor central no país e o Maxi também dificlmente o trocava por outro. O Jardel é de consumo interno, claramente mas mesmo assim era titular de caras no Sporting, por exemplo.

DM disse...

Islander, eu não disse que o Sporting tem melhor plantel que o Benfica. Apenas que acho os planteis equivalentes (acho sim que o plantel do Sporting ter bastante mais potencial de futuro - o que é inegável), sendo que o "fosso" se encontra em quem está sentado no banco.
Eu pessoalmente acho que o Jardel neste momento no Sporting lutava pelo lugar de 4º central com o Sar. Tirem o Jesus do banco e verão a real valia do Jardel :D
Quanto ao Luisão ser o melhor central do campeonato... é questionável. Mas acaba por ser sintomático da falta de centrais de qualidade no nosso campeonato. O Luisão é bastante limitado e só os 6 anos de trabalho com o Jesus é que o tornaram no que é hoje - não é coincidência estar agora a atravessar o melhor momento da carreira. Em comparação com o Garay, por exemplo, a diferença de qualidade era como do dia para a noite. Ou Otamendi, para falar de um portista.
Por fim, Jonas ou Julio Cesar iam fazer 0 diferença na Champions. O Benfica não tinha plantel para conseguir jogar o campeonato e as provas europeias - e a decisão de se focar no campeonato foi a melhor. Em comparação com o grupo do Sporting, também não havia nenhum "Chelsea". E não acho que o Jonas tenha sido um upgrade em relação a Cardozo ou Rodrigo. Pelo contrário. É um bom jogador - mas não é um jogador com qualidade para mais que os palcos que ocupa atualmente.

Blog de Portugal disse...

Belo artigo.

Acho que a nível sénior o treino de finalização só faz sentido se ligado à criação de situações de finalização, ou se por algum motivo os jogadores precisarem disso.

De resto, não é o fazer 10/12 remates à 5ª feira que vai dar a vitória no Domingo.

O treino mais típico de finalização, focado mais em melhorar especificamente a ação da finalização, é que faz muito sentido na formação. Um rapaz que na sua formação execute 20000 remates será certamente melhor a finalizar do que outro que execute 10000.

Roberto Baggio disse...

"Um rapaz que na sua formação execute 20000 remates será certamente melhor a finalizar do que outro que execute 10000."

Ui... cuidado com o que se diz... conclusões perigosas essas

André Rijo disse...

Blog de Portugal, isso pode não ser tão linear assim.
O facto de fazer mais remates na formação, não fará dele melhor a finalizar.
Se esses 20000 remates que nas tuas palavras são feitos no "treino mais típico de finalização", não forem contextualizados no jogo (situações de cooperação e/ou oposição), isso vale de quê? Se o outro que só faz 10000, mas fá-los sempre tendo em conta uma série de constrangimentos próprios do jogo, em que terá que se adaptar sempre as circunstancias dessas 10000 situações, terá sempre que decidir perante as mesmas, poderá ou não estar mais preparado para finalizar que o outro? Isto porque a finalização não se encerra na pura acção técnica.
Seguindo essa ordem de ideias, a melhor forma de trabalhar o passe, é colocar os meninos a passar contra a parede uma data de tempo, visto que nada lhe proporcionará mais repetição que isso. Mas esses passes, foram feitos em função de quê? Que decisões é que foram tomadas, que constrangimentos encontraram e que tipo de adaptações fizeram para executá-los?

Cumps